5 de jun de 2015

Em ritmo de feriadão...

• Inscrições para o Enem 2015 terminam nesta sexta; taxa é de R$ 63. Prazo para pagamento vai até dia 10 de junho. MEC diz que não vai adiar prazo. Inscrições exclusivamente pela internet. 
• Canetada elétrica para reacender a base. Dilma afagou dois políticos independentes os quais, provavelmente, agora terá como aliados na sua cambaleante base. Numa canetada só, nomeou para conselheiros da usina binacional Itaipu Maurício Requião, irmão do senador Roberto Requião (PMDB-PR), tido como independente, e o ex-ministro Roberto Amaral (PSB), partido oposição. Amaral luta para retomar o controle do PSB e reaproximá-lo do PT. Ambos terão mandato até maio de 2016 e vão receber US$ 19 mil por mês - R$ 63 mil. 
• Lava Jato tem na sua mira Dirceu e Palocci. Investigadores questionam as consultorias prestadas pelos dois ex-ministros aos grupos WTorre e Engevix; tese é de que ambos teriam ajudado as empresas a obter contratos com a Petrobras em negócios envolvendo o Estaleiro Rio Grande (RS); tanto José Dirceu como o empresário Gerson de Mello Almada, da Engevix, ressaltam que as consultorias nada tiveram a ver com a estatal, mas sim o objetivo de prospectar negócios para a empresa no Peru; Antonio Palocci, que prestou consultoria à WTorre, destaca que seus serviços se limitaram, exclusivamente, à realização de apresentações e palestras ao corpo diretivo
• Empreiteiras envolvidas na Lava Jato querem pagar por perdão do governo. Empresas oferecem pagamento de indenização integral desde que se livrem de culpa. 
• Nos últimos três anos, 57 empresas somaram 52% dos contratos do BNDES. Entre 2012 e 2015, o banco fechou 1.160 contratos. Porém, mais da metade do valor financiado (52,7%) foi destinado a apenas 57 grandes empresas. A divulgação dos dados do BNDES, feita esta semana no portal do órgão, revelou que o banco prioriza as grandes empresas em suas operações. 
 • Pivô no caso Fifa, J. Hawilla fez grampos de parceiros para apuração do FBI. Empresário paulista colabora com a polícia federal dos EUA desde 2013. Listado entre os principais personagens na investigação sobre a corrupção na Fifa, o empresário paulista José Hawilla colabora com o FBI desde o final de 2013; desde então ele usava grampo em conversas com outros envolvidos no esquemas de pagamento de propina e lavagem de dinheiro ligados a contratos de futebol, incluindo o então presidente da CBF, José Maria Marin, que está preso na Suíça; Hawilla é fundador e dono da Traffic, maior empresa de marketing esportivo da América Latina; seus negócios incluem também a TV TEM, afiliada da Rede Globo que transmite para 318 municípios do interior paulista; ele é sócio da Globo, mas não se sabe se ele grampeou algum dos Marinho. 
• Ministro do Exército Leônidas Pires Gonçalves, durante o governo de José Sarney, o general morreu nesta quinta-feira 4, no Rio de Janeiro; ele tinha 94 anos e deixa a mulher, dois filhos, quatro netos e sete bisnetos; em nota, Sarney lamentou a morte do ex-ministro, a quem chamou de grande amigo. 
• Capacidade do governo de fazer poupança cai. No 1º quadrimestre, R$ 4 de cada R$ 100 arrecadados foram poupados. 
• Mais uma do governo que cuida do povo. O reajuste no plano de saúde implica na revisão do orçamento familiar e os mais idosos são os mais atingidos. 
• Interior de SP sofre com invasão de grilos. Insetos apareceram em shopping, praça e posto de saúde em três cidades. 
• Modelo de escola atual parou no século 19, diz Viviane Senna. Para presidente do Instituto Ayrton Senna, sistema educacional prepara alunos para mundo que não existe mais; desenvolver habilidades como flexibilidade, persistência e criatividade devem ser metas de ensino e não currículo oculto
• Crise energética faz empresas emitirem mais carbono no Brasil.
• Documentos revelam que NSA ampliou vigilância na internet. Novos documentos secretos divulgados nesta quinta-feira 4 pelo jornal The New York Times e pelo site de jornalismo investigativo independente Propublica revelam que a administração Obama ampliou sem consulta pública ou aviso prévio a vigilância de dados do tráfico da internet internacional./
As baixas contábeis em Minas Gerais. 
• No dia 26 de outubro de 2014, enquanto os brasileiros votavam no segundo turno, o tesoureiro de Dilma Rousseff, Edinho Silva, fazia 524 pagamentos, segundo os dados apresentados ao TSE. 
• 15,1 milhões de reais foram contabilizados como baixa de recursos estimáveis em dinheiro, que correspondem às despesas em que não houve desembolso e que tem como contrapartida doações de bens e serviços recebidas de pessoas físicas e jurídicas. 
• A curiosidade é que, do total de 15,1 milhões de reais pagos pelo PT no último dia de campanha presidencial, 11,6 milhões de reais referem-se ao comitê eleitoral de Dilma Rousseff em Minas Gerais. Um desses pagamentos foi de 3,4 milhões de reais. Outro foi de 1 milhão de reais. 
• Duas observações: 
1 - A votação de Dilma Rousseff em Minas Gerais decidiu as eleições; 
2 - O caixa paralelo do PT no Estado, de acordo com a PF, era Benedito Rodrigues de Oliveira Neto, o Bené. (O Antagonista) 

Vamos manter o foco! 
.O escândalo da FIFA, que pode acabar batizado de Cartolão, não pode e não deve nos fazer esquecer o Mensalão e nem considerar como coisa do passado o Petrolão.
. É preciso lembrar aos navegantes desses tempos turbulentos na economia, na violência, no descaso da Saúde e (sempre) na política de que não podemos perder o foco. Uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa.
. Coisas à parte é bom lembrar que o novo escândalo do pedaço, o escândalo da FIFA, que pode acabar batizado de Cartolão, não pode e não deve nos fazer esquecer o Mensalão e nem considerar como coisa do passado o Petrolão, que ainda está sendo investigado e de onde muita lama ainda vai sair do (fundo) poço, só porque ele é mais antigo nas manchetes de jornais e porque, afinal, vivemos no país do futebol. Ah, claro, do carnaval.
. Tenho esse medo que os alimentadores de boatos comecem a falar que vão começar a investigar os clubes, as transferências de jogadores, os patrocínios, e que os milhões de técnicos de futebol que existem em cada esquina, em cada mesa de bar, em cada rodinha de amigos e dos mais desavisados do que se passa no mundo e aqui no Brasil acabem acreditando e fomentem ainda mais o caos no futebol achando que isso vai prejudicar o seu time e que por isso os ingressos vão ficar ainda mais caros, que ele não vai mais conseguir ir ao estádio e que a vida dele vai virar um verdadeiro inferno se não tiver o futebol para extravasar o baixo salário, o engarrafamento de todos os dias, o metrô lotado e o trem que quebrou no caminho do trabalho e o obrigou a pegar um ônibus pirata.
. Às vezes até parece proposital que os escândalos vão surgindo aos poucos. Como se esperassem a sua vez de virar notícia. Pois nascidos eles já estão. Alimentando seus criadores e fazendo com que um escândalo pareça mais escandaloso que o seu antecessor. O que não é verdade. Cada um desses escândalos pelos quais estamos sendo obrigados a passar é singular, impar e possuem somente em comum o fato de serem produzidos muitas vezes pelas mesmas pessoas já que no final das contas acaba saindo barato para todos eles. Pois ninguém me tira da cabeça que um sujeito que se preste a devolver, por exemplo, R$ 120 milhões, não tenha na manga outros alguns milhões que o façam viver uma vida de rei. Ninguém é tão honesto assim para devolver tudo mesmo que desviou e roubou. Até porque não foi a honestidade que o colocou nessa posição.
. A situação é essa: temos agora um Petrolão e um Cartolão para conviver conosco brigando cada qual por seu espaço nas manchetes. E cabe a nós fazer com que eles não sejam abafados nem percam espaço quando o próximo escândalo for tirado do forno e posto à mesa. Pois no forno eu tenho certeza de que ele já está. Ou só sou eu quem está sentindo o cheiro? (Claudio Schamis) 

 photo _abr4.jpgO mundo aposta na Petrobrás nos próximos cem anos. 
. Os títulos que a Petrobrás colocou no mercado internacional, no valor de U$ 2,5BI, evaporaram. O potencial de procura foi de U$ 10BI. Que empresa brasileira ou internacional tem crédito para mais 100 anos? A coisa é tão estupenda que isso acontece depois de os analistas da área divulgarem que o petróleo permaneceria como principal matriz energética no planeta por apenas 50 anos. É que o mundo sabe que a Petrobrás é uma empresa de energia, não é só de petróleo! E melhor, o mundo acredita nela!
. Enquanto isso, no Brasil, prossegue a campanha na mídia tentando desacreditar a empresa. Mas os funcionários da companhia, seu maior patrimônio, jamais deixaram a peteca cair, como se diz na gíria, mesmo durante os piores momentos da Lava Jato. Ao contrário. Aumentaram a capacidade de refino, alçaram a companhia à condição de maior produtora de óleo do mundo, ultrapassando a americana Exxom Mobil; e, em 2015, a Petrobras ganhou pela terceira vez o prêmio equivalente ao Nobel da indústria do petróleo, em prospecção off-shore.
. Ao mesmo tempo em que os críticos mentiam, afirmando que a Petrobrás não teria condições de extrair o petróleo na região do pré-sal, a companhia batia recordes sucessivos. Hoje a produção do pré-sal chega 800 mil barris, o suficiente para abastecer países como Bolívia, Uruguai, Paraguai e Peru, juntos.
. Para alcançarmos a autossufiência no refino, e até exportando o excedente em produtos com valor agregado, só falta a Petrobrás ter liberdade para concluir as refinarias do Ceará, do Maranhão e as obras do Comperj; retomar a petroquímica, o mais lucrativo setor do petróleo; manter-se como operadora em todos os campos do pré-sal; e fortalecer a política de conteúdo local, colocando a indústria nacional como grande fornecedora desse setor, como prevê a lei.
. A Lei de Partilha deveria vigorar em o território nacional (e não apenas para a região do pré-sal). É hora de acabar com o regime de concessão, oriundo da lei entreguista de FHC (Lei 9478/97). A Petrobrás hoje responde por cerca de 17% do PIB nacional. Com os impostos que paga, financia 80% do Programa de Aceleração ao Crescimento - PAC.
. Hoje existe um esforço enorme para mudar e apagar a história. Mas estamos aqui para lembrar, sempre, que a Petrobrás é o resultado da maior campanha cívica que esse país já conheceu, O Petróleo é Nosso. Naquela época, anos 1940-50, os brasileiros lutaram por um sonho, pois ainda não existia petróleo no Brasil. Hoje ó petróleo é realidade e os brasileiros não podem abrir mão dessa riqueza.
. Em outubro, a Petrobrás completará 62 anos. É um gigante que precisa continuar a serviço do Brasil. O interesse pelas ações da empresa no mercado internacional é a prova maior da sua força. Parabéns aos brasileiros, aos petroleiros e a Petrobrás! (Emanuel Cancella)

Nenhum comentário: