2 de jun de 2015

Dilma e seus passeios de bicicleta...

• Escondido na casa da, avó acusado de esfaquear jovem em trem é preso pela polícia na Baixada Fluminense. 
• Instituto de Segurança Pública do Rio aponta: Roubos de celular em todo o estado sobem 79% em quatro meses. Em quatro meses, estado tem cinco vítimas de facadas por dia. Indica aumento de roubo de aparelhos de celular e autoridades criam resoluções. 
 • Produção industrial recua pelo 3º mês seguido, diz IBGE. Queda foi de 1,2% em abril em relação a março. Em um ano, recuo é de 6,3%. 
• Com a aproximação, o governo tenta evitar a aprovação da Proposta de Emenda à Constituição que está em tramitação na Câmara sobre o assunto; em troca, o Palácio do Planalto aceitaria discutir uma mudança no ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente) para aumentar o período de internação dos menores que cometam crimes violentos, ideia defendida pelo governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB); o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), está decidido a votar a redução da maioridade penal já neste mês; ele diz que assunto é da sociedade e não do governo e criticou o PT: O PT não quer a redução da maioridade e acha que todos têm de concordar com eles
• Sugestão de acareação entre Alberto Youssef e o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa partiu do próprio doleiro para esclarecer as discrepâncias entre os depoimentos dos dois sobre o ex-ministro da Casa Civil Antonio Palocci; a questão, no entanto, foi descartada em audiência entre procuradores da República e delegados da Polícia Federal que atuam na Lava Jato, além de advogados do doleiro; segundo os procuradores, o defensor de Youssef, Luiz Gustavo Flores atacou a proposta, sugerindo que ela poderia trazer complicações: É a teoria bosta seca: mexeu, fede; as contradições entre os depoimentos prestados em delação premiada serão exploradas nas defesas de políticos acusados pela força-tarefa, na tentativa de enfraquecer as acusações do Ministério Público. 
• Os presidentes da Câmara e do Senado, Eduardo Cunha e Renan Calheiros (ambos do PMDB), apresentaram nesta segunda (1º) uma versão inicial da Lei de Responsabilidade das Estatais, que transfere ao Senado a palavra final sobre a escolha dos presidentes das empresas públicas e de economia mista; o projeto reduz poderes do Palácio do Planalto, pois determina que os presidentes das estatais terão que ser aprovados pelo Senado, e passar por sabatina, antes de assumirem os cargos; segundo Renan, lei acabará com um mundo paralelo das estatais; Ninguém se mete em indicações políticas, mas há critério de qualificação dessas indicações, disse Cunha; parlamentarismo branco? 
• Dilma sanciona com vetos projeto de lei das domésticas. Primeiro veto refere-se à possibilidade de estender o regime de horas previsto na lei, de 12 horas trabalhadas por 36 de descanso, para os trabalhadores de outras categorias, como os vigilantes; o outro trata de uma das razões para demissão por justa causa, a de violação de fato ou circunstância íntima do empregador ou da família. 
• Domésticas ganham novos direitos a partir desta terça-feira. Aqui
• Temer: Dilma sempre me prestigia. Em entrevista à Folha, vice-presidente disse ter visto erros na área econômica e uma certa desarticulação nas relações institucionais do Planalto, mas negou que a campanha da reeleição vendeu uma imagem falsa. E apelou à paciência da população para suportar o ajuste: Estou pedindo compreensão
• Lobão Filho volta a ser o mais ausente do Senado. Levantamento exclusivo do Congresso em Foco mostra que primeiro-suplente do pai, Edison Lobão, e os senadores Mário Couto e Jader Barbalho foram os campeões de falta em votações entre 2011 e 2014. Trio tem histórico de baixa assiduidade em dias de decisão em plenário. 
 • PMDB e oposição querem quebra de sigilos de Dirceu. Ex-ministro da Casa Civil deve ser alvo de nova ofensiva de investigação na CPI da Petrobras. Principal partido da base, PMDB articulará com oposicionistas a derrubada de sigilos fiscal e bancário do petista. 
• Petrobras capta US$2,5 bi em volta ao mercado externo. Sob o comando de Aldemir Bendine, estatal emitiu um raro título de 100 anos, pagando um rendimento de 8,45 por cento ao investidor, na primeira investida da companhia no mercado internacional de capitais desde o estouro da Operação Lava Jato; a conclusão da operação externa está prevista para ocorrer em 5 de junho, disse a petroleira em comunicado. 
• Renan quer impor mais restrições a partidos de aluguel na reforma. O presidente do Senado Federal, senador Renan Calheiros (PMDB-AL) recebe o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) para tratar da Lei de Responsabilidade das Estatais. 
• Presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) classificou o atual sistema eleitoral de anacrônico e ultrapassado e defendeu um rigor maior na reforma política conduzida pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB): É importante fixar cláusula de barreira que proíba a criação das nanolegendas e se colocar fim na promiscuidade do público com o privado, fixando um teto de contribuições para que o candidato não tenha dono e o eleito não tenha patrão.
• Governo corta verba de controle do Bolsa Família. Atrasos prejudicam monitoramento dos que devem receber o benefício. 
• Cresce calote de beneficiários do Minha Casa Minha Vida. Inadimplência é reflexo da queda na renda e da alta do desemprego no país.
• Presidente da CBF aprovou as contas da gestão Marin. Del Nero também participou do fechamento de patrocínios do antecessor. 
• Escândalo na Fifa. Fifa nega que Valcke tenha enviado propina de US$ 10 milhões. Carta aponta envolvimento, segundo jornal.
Florestan Fernandes: mídia pode morrer antes do PT. 
. Nossa imprensa faz tempo abriu mão do bom jornalismo, de maneira geral virou panfletária e presta um desserviço para a Nação, escreve o jornalista Florestan Fernandes Júnior, ao comentar pesquisa do Ibope que aponta que 41% dos brasileiros acham que a imprensa mostra uma situação econômica mais negativa do que a realidade; segundo ele, os senhores da comunicação estão atirando no próprio pé, o pessimismo alardeado por eles levou a um corte nas campanhas publicitárias e, consequentemente, a demissões em massa; sua dúvida, afirma, é saber quem vai acabar primeiro: a indústria da comunicação ou o partido que eles tanto odeiam.
. O jornalista Florestan Fernandes Júnior, conhecido pela vasta experiência na televisão brasileira, se mostra decepcionado com o pessimismo da imprensa do País. Ele publicou nesta segunda-feira 1º um comentário em sua página no Facebook sobre a pesquisa Ibope que aponta que 41% dos brasileiros acham que a imprensa mostra uma situação econômica mais negativa do que a realidade.
. Ele conta que hoje, pra não entrar na TPN (tensão pré-notícia), é seletivo no que vê, lê e escuta. Passeio o dia inteiro pelos portais rindo das manipulações grotescas de alguns deles, diz. Nossa imprensa faz tempo abriu mão do bom jornalismo, de maneira geral virou panfletária e presta um desserviço para a Nação. A boa informação é um direito do cidadão em qualquer país civilizado do planeta, menos aqui, ataca o jornalista.
. Para ele, a linha editorial negativista é a razão para a crise pela qual passam os veículos de comunicação atualmente. Os senhores da comunicação estão atirando no próprio pé, o pessimismo alardeado por eles levou a um corte nas campanhas publicitárias. Resultado: demissões em massa nas redações, empresas de comunicação fechando ou sendo vendida para igrejas evangélicas.
. O jornalista deixa, ao final, uma última questão: quem morrerá antes, a imprensa ou o PT. Minha dúvida é saber quem vai acabar primeiro: a indústria da comunicação ou o partido que eles tanto odeiam
. Segundo o Ibope: 41% dos brasileiros acham que imprensa mostra uma situação econômica mais negativa do que a realidade. Pra não entrar na TPN (tensão pré-noticia) agora sou seletivo no que vejo, leio e escuto. Revistas e jornais, dou uma folhada rápida, rádios só de música, telejornais o Repórter Brasil, o do Heródoto Barbeiro na Record News e as vezes o Jornal da Record. Passeio o dia inteiro pelos portais rindo das manipulações grotescas de alguns deles. Nossa imprensa faz tempo abriu mão do bom jornalismo, de maneira geral virou panfletária e presta um desserviço para a Nação. A boa informação é um direito do cidadão em qualquer país civilizado do planeta, menos aqui. O senhores da comunicação estão atirando no próprio pé, o pessimismo alardeado por eles levou a um corte nas campanhas publicitarias. Resultado: demissões em massa nas redações, empresas de comunicação fechando ou sendo vendida para igrejas evangélicas. Minha dúvida é saber quem vai acabar primeiro: a industria da comunicação ou o partido que eles tanto odeiam. (247)
 
                                                     Sintam inveja ó brasileiros!
Il Padrino! 
. Em um sábado de junho, há exatos 10 anos, depois de tomar uns tragos a mais na Granja do Torto, uma das residências oficiais do presidente da República em Brasília, Lula falou em renunciar ao mandato.
. Acabara de saber que o publicitário Marcos Valério, um dos operadores do mensalão, ameaçava envolve-lo no escândalo. A informação vazou no fim da tarde. Soube por um ministro. E a postei no meu blog.
. Aquela foi a primeira vez que Marcos Valério pediu dinheiro ao governo para não contar o que sabia./ Avisado em São Paulo onde passava o fim de semana, José Dirceu, na época ministro-chefe da Casa Civil da presidência da República, voou às pressas a Brasília com a missão de apascentar Lula e de garantir o silêncio de Valério.
. Conseguiu. Mais tarde, o dinheiro pedido acabou entregue.
. No segundo semestre de 2006, Valério voltou a atacar. Procurou o senador Delcídio Amaral (PT-MS), então presidente da CPI dos Correios que investigava o caso do mensalão.
. Queixou-se de estar quebrado. Acumulava dívidas sem poder honrá-las. Seus bens haviam sido bloqueados. Caso não fosse socorrido, daria um tiro na cabeça ou faria com a Justiça um acordo de delação premiada.
. Delcídio pediu uma audiência a Lula. Recebido no gabinete presidencial do terceiro andar do .Palácio do Planalto, reproduziu para o presidente o que ouvira de Valério.
. Em silêncio, Lula virou-se para uma das janelas do gabinete que lhe permitia observar parte da vegetação do cerrado. O silêncio durou menos do que pareceu a Delcídio. Lula estava fisicamente abatido.
. Então perguntou ao senador: Você falou com Okamoto? Delcídio respondeu que não. E Lula mais não disse e nem lhe foi perguntado. Seria desnecessário.
. Paulo Okamoto era uma espécie de tesoureiro informal da família Lula. Hoje, é o presidente do Instituto Lula, local de despacho do ex-presidente em São Paulo. Delcídio, que nega o encontro com Lula, falou com Okamotto. E bastou.
. Naquele mesmo ano, Valério gravou um vídeo com partes da história do mensalão que comprometem Lula. Fez quatro cópias. Deu três a Renilda, com quem era casado. E mandou uma para quem mais poderia se interessar por ela.
. Ordenou a Renilda que entregasse as três copias aos jornais O Globo, Folha de S. Paulo e O Estado de S. Paulo caso ele desaparecesse ou fosse morto.
. Faltou alguém em Nuremberg! Faltou alguém na denúncia oferecida pela Procuradoria Geral da República ao Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a organização criminosa que tentou se apossar do aparelho do Estado.
. Desviou-se dinheiro público. Comprou-se o apoio de partidos. Subornaram-se deputados para que votassem como o governo queria. E eles votaram.
. Ao O Estado de S. Paulo, depois de ter deixado o governo, Dirceu disse que nunca fizera qualquer coisa sem que Lula soubesse.
. À Playboy, afirmou que Lula jamais daria um cheque em branco a qualquer pessoa.
. A mim, contou que Delúbio Soares era amigo de Lula, dele não. A um parlamentar, segundo a VEJA, desabafou: Lula devia falar das visitas que o Valério fez à Granja do Torto.
. O STF condenou Dirceu por chefiar a quadrilha dos mensaleiros e por corrupção. Em seguida o absolveu do primeiro crime.
. O processo do mensalão passará à História como o que condenou o maior número de pessoas por corrupção - 25, entre elas Marcos Valério, sujeito à pena de 37 anos, a maior.
. E também como aquele onde uma organização criminosa agiu sem que ninguém a chefiasse. Está para se ver. (Ricardo Noblat) 
"O preguiçoso sempre deixa pra amanhã, o que ele não vai fazer nunca na vida."

Nenhum comentário: