13 de mar de 2015

Indagar roubo a ladrão, ele dirá não...

. Centrais Sindicais e FUP não são funcionários da empresa - Atos em defesa da Petrobras atingem 11 estados, de maneira pacífica e direitos da classe trabalhadora. Reformas Agrária e Política, nada tem a ver com a BR. 
.  Ficha suja arrecadou R$ 104 milhões, diz delator. Político com mais inquéritos da Lava Jato no STF, João Pizzolatti é suspeito de ter recebido R$ 11,5 milhões e repassado outros R$ 92 milhões ao PP no esquema da Petrobras. Barrado pela Ficha Limpa, ele também será investigado na Justiça Federal por desvios no Denatran.
. Lei permite recuperar os US$ 7 bilhões na Suíça, diz ex-secretário da Receita. Dinheiro volta ao país se contas do SwissLeaks não tiverem sido declaradas. Brasil e França acertam caminho rápido para governo ter dados do HSBC.
. Falta espaço na Biblioteca Nacional. Como o prédio sede já está com lotação esgotada, a reforma e ampliação de outro prédio, na Zona Portuária do Rio, é a única solução.
. Pátria Educadora - Dilma contra os pobres: governo obriga universidades a cortar porteiros, faxineiros, vigilantes e motoristas. Leia
. Medo de ser vaiada novamente faz Dilma cancelar ida a BH. Segundo integrante do governo, clima político é tenso na capital mineira.
. Exército em alerta com MST e protestos. Centro de Informações do Exército monitora as recentes e intensas ocupações do MST nos estados, de olho nas manifestações populares programadas para hoje e para domingo.
. Cesare Battisti por habeas corpus, é solto sete horas após ser preso. Desembargador ordena soltura imediata e diz que a ordem de prisão e deportação fere a decisão tomada por um presidente da República.
. Juiz do caso Eike confessa desvio de mais de R$ 1 milhão. Flávio Roberto de Souza é investigado pelos crimes de peculato, subtração de autos, fraude processual e lavagem de dinheiro.
. Não aceitaremos um golpe, diz Stédile no RS - Em 1961, a burguesia brasileira quis dar um golpe e, nesta praça, Brizola iniciou a Campanha da Legalidade e garantiu a posse de Jango. Depois, em 64 eles conseguiram dar o golpe. Não aceitaremos um golpe. Então se preparem, engraxem as chuteiras que o jogo está só começando. A luta de classes está se agudizando no Brasil; a fala do coordenador nacional do MST, João Pedro Stédile, em tom de advertência e convocação, encerrou o ato em defesa da Petrobras, da democracia e dos direitos, em Porto Alegre; ele falou para um público de mais de 6 mil pessoas, em frente ao Palácio Piratini, na Praça da Matriz, onde Leonel Brizola liderou a resistência contra as primeiras tentativas de um golpe militar.
Protestos dos trabalhadores que não trabalham são um fiasco; o dos trabalhadores que trabalham acontece no domingo. Ou: O movimento das pessoas direitas. 

. Micaram, Brasil afora, os atos, como dizem seus promotores, em defesa da Petrobras. Na verdade, tratava-se de uma tentativa de blindar a presidente Dilma, antecipadamente, do protesto de domingo. Os esquerdistas criaram transtornos nas cidades em que se manifestaram, mas, quase sempre, havia mais balões do que pessoas, mais bandeiras do que brasileiros, mais palavras de ordem do que ideias. E há um dado que é especialmente saboroso: a convocação do Partido dos Trabalhadores, da Central Única dos Trabalhadores e daqueles que se dizem trabalhadores do MST é feita para uma sexta-feira útil, dia em que, afinal, trabalhadores costumam estar trabalhando.
. Mas não eles. Porque trabalhadores não são. Na maioria dos casos, são sindicalistas e apaniguados de aparelhos sindicais que vivem, isto sim, do trabalho alheio. Os que se dizem defensores da Petrobras são sanguessugas de quem realmente acorda cedo, pega no batente, tem uma família a alimentar.
. Já a manifestação daqueles que petistas, cutistas e emessetistas chamam elite, daqueles que petistas, cutistas e emessetistas chamam coxinhas; daqueles que petistas, cutistas e emessetistas chamam direita golpista, ah, esse será feita no domingo. Sabem por quê? Porque, para a larga maioria, esse é o único dia de descanso. Os coxinhas, os direitistas, como eles dizem, vivem do seu trabalho, não integram a aristocracia sindical, não vivem pendurados nas tetas do governo. Aqueles que as esquerdas estão hostilizando geram impostos, em vez de apenas consumi-los; geram riquezas em vez de apenas querer dividi-las, constroem o Brasil, em vez de apenas querer destruí-lo com a sua militância truculenta.
. Que país exótico este em que vivemos, não? Aqueles que se dizem de esquerda vivem de renda - sim, meus caros: viver do imposto sindical e da transferência de recursos públicos para ditos movimentos sociais é uma forma de rentismo. E o que o rentismo? É um dinheiro que cai nas mãos do beneficiado sem que, para tanto, ela tenha produzido um miserável parafuso ou mesmo uma miserável ideia. É o dinheiro que saiu dos bolsos de quem trabalha para os de quem não trabalha.
. E aqueles que merecem a pecha de elite? Ah, esses trabalham muitas horas por dia. Com alguma frequência, buscam ter até mais de um emprego para tentar garantir algum conforto adicional e seus familiares. Vivemos a era em que os que trabalham são obrigados a prestar reverência a quem não trabalha. Vivemos a era em que os que metem a mão na massa são hostilizados por aqueles que vivem de fazer proselitismo. Vivemos numa espécie de nova escravidão, esta de caráter moral, em que o esforço é demonizado, o talento é desprezado, a qualidade é tida por reacionária, a eficiência é vista com maus olhos.
. Por isso a Petrobras está no chão. Por isso o país tem juros de 12,75% ao ano; por isso a inflação roça nos 8%; por isso o Brasil vive uma recessão. Os que hoje dirigem o Brasil desprezaram todas as ideias generosas e sensatas de administração responsável do dinheiro público. Não puseram o seu partido e os seus sindicatos a serviço da nação, mas a nação a serviço de seu partido e de seus sindicatos. O resultado é este que vemos: continuamos a ser um país rico com uma população, no mais das vezes, pobre: pobre de saúde, pobre de educação, pobre de segurança pública, pobre… de verdade!
. É a direita, como eles dizem, que vai protestar no domingo? Não! Quem vai protestar no domingo são as pessoas direitas - sejam elas de direita ou não. É um ato contra um indivíduo chamado Dilma Rousseff? Não! É um ato contra a impunidade, contra a roubalheira, contra o cinismo, contra a trapaça eleitoral, contra a mistificação. Se essa pauta atinge o governante de turno, e se esse governante é uma governanta, então não há o que fazer.
. Os que vão para as ruas estarão exercendo o Inciso IV do Artigo 5º da Constituição, o das cláusulas pétreas, imutáveis. Lá está escrito: É livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato. Todos nós sabemos o que nos custou essa Carta de princípios, depois de 21 anos de ditadura. Infelizmente, em 1988, o PT se negou a homologá-la, num ato absurdo. Talvez por isso ignore agora os seus termos. Talvez por isso o próprio governo Dilma tenha negociado com blasck blocs, mas hostiliza quem tem a coragem de mostrar a cara.
. A presidente Dilma exerce legitima e legalmente o seu mandato. Ninguém jamais contestou essa evidência. Mas o mesmo diploma que lhe garante essa legalidade e essa legitimidade assegura o direito à manifestação e o direito de apresentar petições ao poder público, inclusive o impeachment da presidente. Golpe é querer rasgar a Constituição em vez de aplicá-la. Há algum petista que negue esse fundamento? Pode vir aqui dizer que não é assim. Pode vir aqui tentar provar que isso que digo agride o regime democrático. Vamos ver com quais argumentos.
. Querem saber? O verdadeiro protesto de trabalhadores é o que vai acontecer no domingo, já que trabalhadores trabalham. O verdadeiro ato em defesa da Petrobras será o de domingo, já que milhares de pessoas querem proteger a estatal da sanha dos quadrilheiros./ Não! Este não é um editorial de direita. Este é um editorial para pessoas direitas. (Reinaldo Azevedo) 

Brasil: Pátria doutrinada. 
Doutrinação - Se por um lado é crescente o número de brasileiros que vem se manifestando, cheios de indignação e preocupação quanto à grave situação econômica que o país vive, por outro é inegável o quanto já cresceu o grau de doutrinação do povo nesses últimos 12 anos de governo petista.
Jogando a elite contra os pobres - Contando com boa parte da mídia, principalmente os meios de comunicação que atendem às classes com menor capacidade de discernimento, o governo deita e rola, dizendo o que bem entende, sem ser minimamente contestado. E, na medida que percebe que o povo está ficando irrequieto, achando que foi enganado, o governo trata de informar que a inconformada elite está contra o bem estar dos mais pobres.
Catequizados - Vejam que o Ponto Crítico, por exemplo, jamais será lido nas classes C e D. Primeiro, porque seus ocupantes não têm alcance suficiente para entender os conteúdos publicados. Segundo, porque não nutrem o mínimo interesse em entender e/ou saber o que é causa e o que é consequência. Também nem mesmo o que é mentira e o que é verdade.
. Assim, as fantasias e mentiras ditas e impostas pelo governo junto aos menos esclarecidos fazem com que se tornem catequizados e, por consequência, cegos à realidade à sua volta. 
Crescimento do PIB em 2010 - Observem, também, que muitos brasileiros, informados pela mídia catequizada, estão convencidos de que o crescimento de 7,5% do PIB brasileiro, em 2010, é atribuído ao exitoso governo Lula. Ora, basta ser medianamente informado para saber que o grande responsável pelo nosso crescimento naquele período foi a China.
. É mais do que vidente, portanto, que Lula não contribuiu em coisa alguma para tornar os nossos produtos mais atrativos no mercado internacional. Quem fez isso foi o efeito demanda. 
Preço das commodities - Durante o período do governo Lula, como bem lembra o pensador (Pensar+) Darcy Francisco dos Santos, os preços das commodities cresceram 170%. Em dólares. Assim, os termos de relação de troca foram altamente favoráveis ao Brasil. Lula, por sua vez, nada teve a ver com isso. 
Culpa - Agora que os preços das commodities produzidas no Brasil despencaram no mercado internacional; os gastos públicos foram às alturas; a inflação, idem; e a corrupção foi aos píncaros, Dilma vem a público para dizer, alto e bom som, que a culpa é atribuída à crise internacional. Crise esta que já foi superada, inclusive. O pior de tudo é que os catequizados ainda acreditam no PT... (Gilberto Simões Pires)

Nenhum comentário: