3 de mar de 2015

É preciso crer: “Quem tiver que pagar, vai pagar”...

• Janot entrega denúncia contra políticos ao STF nesta terça. A revelação dos nomes de políticos e autoridades supostamente envolvidos no esquema de corrupção da Petrobras só deverá ocorrer após uma decisão do ministro Teori Zavascki, relator do caso no Supremo Tribunal Federal; a expectativa é que os pedidos de investigação contra os suspeitos chegue ao STF até a noite desta terça (3); todos estarão inicialmente em segredo de Justiça, mas o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pedirá o fim do segredo em todos os pedidos, e Zavascki analisará, caso a caso, se vai atender a essa recomendação; até 40 políticos poderão ser citados; há suspeita da participação de um governador.

• Petrobras venderá US$ 13,7 bilhões em ativos até 2016. Objetivo é reduzir o nível de endividamento da companhia. Previsão era de US$ 11 bilhões até 2018. 

• O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), recuou da decisão de permitir que mulheres ou maridos de parlamentares viajem de suas cidades para Brasília com passagens aéreas pagas com recursos públicos; Se não foi positiva, por que manter? Estou tomando minha decisão. Como propus a concessão de passagens e a Mesa decidiu, vou propor a revogação e ela tem de decidir, afirmou. 

• O dia 15 de março, data marcada de grande passeata de protesto, tem uma história que até anda sendo lembrada por muita gente no Planalto. Em 15 de março, há 2.058 anos (44 a.C.), em Roma, Julio Cesar foi assassinado com 23 facadas desfechadas por alguns dos 60 conspiradores que desejavam se livrar dele. A caminho do Senado, um adivinho advertiu Cesar: Cuidado com os idos de março. E não recebeu atenção. No calendário romano da época, os idos eram os dias 15 de março, maio, junho e outubro (nos outros meses, caia no dia 13). Eram dias fatídicos abominados por bruxas e videntes. (GibaUm) 

• Desgovernança no Rio: Barcos que coletam detritos na Baía de Guanabara estão parados por falta de pagamento. Faltando menos de um ano e meio para os Jogos Olímpicos, ecobarreiras são reduzidas à metade. 

• Revolta do PT com ajuste fiscal surpreende Planalto. Insatisfação com medidas, revelada por enquete do GLOBO, leva governo a adiar reunião de Levy com o partido. 

• Doleiro Alberto Youssef diz que PP, PSDB e PSB receberam propina por refinaria em PE. Delação de executivos da Camargo Corrêa prevê confissão de cartel. Ministro da CGU diz que não pode abrir mão de acordo com empresas. 

• A partir de 2 de abril, sem subsídio, tarifa do metrô vai custar R$ 3,70 até no Bilhete Único. 

• Crise financeira deixa cerca de 45 mil sem estudar na Uerj e UFRJ. Falta de professores e atraso nos repasses.

• Crise financeira deixa cerca de 45 mil sem estudar na Uerj e UFRJ Crise financeira deixa cerca de 45 mil sem estudar na Uerj e UFRJ. 

• Dívida externa privada dobra em 5 anos e atinge maior valor desde 1989. 

• Cauby Peixoto está internado em estado grave em São Paulo. 

• Cidades brasileiras despencam em ranking de crescimento econômico. Oito de 11 metrópoles analisadas em estudo do Brooking Institution perderam posições; fase ruim da economia do país, especialmente da indústria, foi principal causa. 

• Caso de doações irregulares atinge primeiro-ministro do Japão. Entre 2012 e 2013, caso de doação ilegal atinge premiê do Japão. Partido de Shinzo Abe recebeu de empresa.

Corrupção e gestão temerária levarão os companheiros do PT, quem diria?, a privatizar parte da Petrobras. E, desta vez, é verdade: a preço de banana!!! Os brucutus do petismo e da CUT ficarão calados? Vão se acovardar? E o meu plano para a estatal.

. Ah, como esquecer os brucutus do PT e da CUT nas ruas contra as privatizações de estatais, que teriam sido vendidas a preço de banana, o que sempre foi uma mentira escandalosa? Como esquecer as campanhas eleitorais de 2002, 2006 e 2010, quando a petezada acusava os tucanos, outra mentira suja, de querer privatizar a Petrobras? Na primeira campanha eleitoral de Dilma, José Sérgio Gabrielli, este monumento moral, concedeu uma entrevista à Folha em que assegurava que FHC tentara, sim, a privatização. Nunca aconteceu! Eis que, agora, os companheiros anunciam que vão abrir mão de ativos da Petrobras no valor de US$ 13,7 bilhões - R$ 39 bilhões pela atual cotação.
. É claro que recorro aqui a uma licença. É claro que sei a diferença entre venda de ativos e venda de uma parte das ações. A diferença é de natureza jurídica, não é de essência. Mas, numa coisa, tem-se algo de essencialmente distinto: os petistas estão tendo de abrir mão de parte da Petrobras porque conduziram a empresa à lona, ao caos, à falência técnica. Só não se pode dizer que a empresa está quebrada porque o fundo de uma estatal é sempre um… buraco sem fundo.
. Sim, caros, a venda dos ativos se dará na bacia das almas. Agora, sim, os ativos serão passados adiante pelo preço de banana. A razão é simples: o vendedor que está com a corda no pescoço tem menos poder de negociação. E essa é, precisamente, a situação da Petrobras.
. A gestão Graça Foster previa livrar-se de US$ 3 bilhões em ativos. Depois que a Moody’s deu um tombo no rating da Petrobras, passando para o segundo nível do grau especulativo, a empresa deu adeus às captações no exterior. Em comunicado à Comissão de Valores Mobiliários, a estatal anunciou que 40% desses ativos pertencem à área de Gás e Energia; 30%, à de Exploração e Produção, e 30%, à de Abastecimento. Excetuando-se esse último grupo, conclui-se, então, que 70% dos ativos dos quais a Petrobras abrirá mão vêm de suas duas principais atividades-fim. É a confissão de um desastre.
. O objetivo do desinvestimento, conforme está no comunicado da empresa, visa à redução da alavancagem, preservação do caixa e concentração nos investimentos prioritários, notadamente de produção de óleo & gás no Brasil em áreas de elevada produtividade e retorno. Ou por outra: a Petrobras precisa cuidar do seu caixa e reduzir a sua estúpida dívida, hoje de quase R$ 262 bilhões.
. Segundo apurou O Globo, a Petrobras pretende vender campos de petróleo no pós-sal da Bacia de Campos, áreas maduras com produção em terra, participações em blocos no exterior e algumas plataformas de petróleo. Na lista, destacou uma fonte, está ainda a venda de parte das atividades na Argentina, onde a estatal tem diversos ativos, como campos de petróleo e postos de gasolina. A empresa, disse outra fonte, ainda pretende se desfazer da refinaria de Okinawa, no Japão, e de pequenas centrais hidrelétricas.
. Pois é, leitor amigo! Agora coloque nessa equação o modelo que foi aprovado para a exploração do pré-sal, que obriga a Petrobras a ser parceira da exploração, arcando com 30% dos investimentos necessários. Uma exploração que, dado o preço do barril de petróleo - que despencou para não mais subir -, já é antieconômica.
. Fabio Rhein, professor de finanças corporativas do Ibmec-RJ, antevê em entrevista ao Globo: A empresa vai ter dificuldade para vender seus ativos no momento atual, pois atravessa uma fase de falta de credibilidade. Mesmo que consiga, vai vender os ativos abaixo do preço, e isso vai prejudicar seu fluxo de caixa.
. Parte da Petrobras foi, digamos assim, privatizada pelos ladrões. Outra parte, agora, vai para o ralo para tapar os buracos provocados pelos larápios e pelos incompetentes. Os companheiros conseguiram. Agora, com efeito, a gente pode dizer: nunca antes na história deste país se viu privatização assim. O lulo-petismo, de fato, está fazendo algo inédito.
. A propósito: os brucutus do PT e da CUT ficarão calados desta vez? Eu, convenham, não tenho por que protestar. Já tracei o meu plano para a Petrobras. Anunciaria a privatização de toda a empresa em 2017. As ações disparariam. Em vez da privatização petista a preço de banana, teríamos uma a peso de ouro. Mas isso é sensato demais para ser feito pelos companheiros, né?
. Às ruas, brucutus! (Reinaldo Azevedo) 

Dilma lança e acaba com o Minha Casa Melhor. 
. Mais uma vez, a presidente Dilma II vai contra a presidente Dilma I.
. No dia 12 de junho de 2013, como de praxe, a presidente Dilma lançou um programa, o Minha Casa Melhor, que consistia em dar um crédito de até R$ 5 mil por meio da Caixa Econômica Federal (CEF) a juros de 5% ao ano para pagar em 48 meses - taxa de juros menor que a inflação - para que consumidores de baixa renda contemplados pelo Minha Casa Minha Vida pudessem comprar eletrodomésticos para suas moradias.
. Eu nunca gostei muito desse programa por três motivos. Primeiro, mesmo os consumidores de baixa renda sempre tiveram acesso ao crédito no Brasil. Essa foi a história de lojas como a Casas Bahia, analisada pelo falecido C.K Prahalad no livro A riqueza na base da pirâmide, de 2005.
. Segundo, a grande diferença do programa foi dar subsídios via um banco estatal. Qualquer tipo de programa fortemente subsidiado terá sucesso, mas quando o programa foi lançado já estava claro que o Brasil estava com dificuldades de fechar suas contas. Tivemos em 2013 um superávit primário de 1,9% do PIB graças a uma receita extraordinária de 0,7% do PIB do leilão de Libra e REFIS.
. Terceiro, o programa Minha Casa Melhor discrimina grupos de baixa renda. Um grupo que tem acesso ao Minha Casa Minha Vida tem direito ao programa. Mas outro grupo de baixa renda que não participa do programa MCMV não tem acesso. O critério de ter ou não acesso ao MCMV não me parece um critério justo.
. De qualquer forma, como quase tudo que foi feito ao longo do primeiro governo Dilma, o governo agora dá uma guinada de 180o e, pelo menos por enquanto, fechou o programa Minha Casa Melhor, um programa que até a semana passada era considerado excelente pela presidente Dilma I. Mais uma vez, a presidente Dilma II vai contra a presidente Dilma I.
. Agora, como as mulheres conseguirão máquinas automáticas de lavar como falava a presidente Dilma I? No vídeo abaixo a presidente fala que o Brasil vivia um contexto de inflação e contas públicas sob controle que justificavam o programa. Como disse a presidente: Não há a menor hipótese de o meu governo não ter um política de combate à inflação. É neste famoso vídeo que a presidente Dilma fala do Velho do Restelo. Como a presidente disse no final do seu pronunciamento: Esse programa (o Minha Casa Melhor) é mais um som contra o Velho do Restelo. Depois de pouco mais de 20 meses, como a presidente Dilma I explicaria que o Velho do Restelo estava correto? (Mansueto Almeida, economista)

Nenhum comentário: