19 de mar de 2015

Brasil e o caos político...

• Estado decidiu reavaliar o processo de pacificação e faz mudanças nas UPPs do Rio. Divididas em cores - verde, amarela e vermelha -, de acordo com o grau de risco. Áreas com instabilidade ao trabalho policial serão vermelhas. Estado quer parceria com empresas em áreas de UPPs. Decreto consolida política de pacificação e estimula colaboração para alavancar ações sociais em 38 favelas. 

• Greve continua no Rio. Reunião acaba sem acordo entre garis e Comlurb. 

• BRTs Transoeste e Transcarioca terão 48 estações em todas as 24 horas do dia. 

• PP virou prostituta, diz deputado investigado. Um dos parlamentares que serão investigados na Lava Jato, Jerônimo Goergen diz que seu partido não tem ideologia própria e acabou faz tempo. Ele cogita deixar a legenda: PP? Que exploda tudo! Vou cuidar de mim

• Senado rejeita proposta que dificultaria criação de partidos. Autor da proposta diz considerar muito baixa a quantidade de apoiamentos exigida para a criação de legendas. Pouco menos de 500 mil eleitores, lembrou Valdir Raupp. 

• FHC não imaginava que contratações na Petrobras incentivariam corrupção. O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB-SP) rebateu as críticas do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), declarando que não imaginaria que a flexibilização dos critérios de contratação incentivasse o escândalo de corrupção na Petrobras. 

• Aprovação ao governo Dilma cai para 13%, segundo o Datafolha. Rejeição ao governo Dilma rivaliza com Collor às vésperas do impeachment. Pesquisa mostra que 62% dos brasileiros reprovam o governo. Taxa de rejeição subiu em todos os segmentos sociais e em todas as regiões do país. 

• Diagnóstico de crise do Planalto deixa Dilma perplexa. Para presidente, texto da Secom atribuído ao ministro da Secom, Thomas Traumann, criou problema desnecessário. 

• Cid Gomes chama Eduardo Cunha de achacador, perde o cargo, e leva Congresso para o centro da crise. O ministro Cid Gomes foi ao Congresso preparado para o confronto. Preparado, talvez, para sair do governo por cima. Dias antes, disse que o Congresso estava cheio de achacadores. Foi chamado para dar explicações, num clima de intimidação institucional comandado por Cunha. Saída de Cid Gomes mostra governo Dilma esfarelando. (Fernando Rodrigues) 

• Costa diz que grupo de Renan lhe passou a perna em propina de R$ 800 mil. Aparelharam a Petrobras para achacar empreiteiras, diz empresário da Engevix. 

• Consultor eficiente - Se José Dirceu conseguir provas que todos os clientes de sua consultoria pagavam por serviços realmente realizados - e o que recebia não era dinheiro de propina - poderá se orgulhar de ser um profissional dos mais competentes, especialmente porque sempre trabalhou sozinho. Para quem gosta de contas: são R$ 29,2 milhões recebidos em nove anos (inclusive, depois de sua prisão) de 42 empresas. Equivale a cerca de R$ 3,3 milhões por ano ou ainda perto de R$ 275 mil mensais, honorários para ninguém colocar defeito. A empresa que pagou mais (R$ 7,8 milhões), é a EMS, a maior farmacêutica do país em faturamento, que está proibida de vender medicamentos para o poder publico. E também não pode pedir registro de novas drogas ou renovação das antigas. (GibaUm) 

• Parlamentares triplicam fundo partidário. Por meio do orçamento aprovado na noite de terça-feira, verba pública destinada a siglas chegará a quase R$ 1 bilhão a partir de 2015. União terá R$ 2,9 trilhões para gastar neste ano.
1. Vitória de Netanyahu, terceiro mandato, ofusca chances de paz. Para analista da BBC, solução para conflito com Palestina deve ficar de fora da agenda nacional em novo mandato de premiê. 
2. Os Estados Unidos estão preocupados com a retórica divisiva usada pelo primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, durante a campanha eleitoral, ao descartar a criação de um Estado palestino, afirmou a Casa Branca nesta quarta-feira (18/03). O partido de Netanyahu, o Likud, foi vencedor das eleições realizadas na terça (17/03). 
3. O governo Barack Obama está profundamente preocupado com a retórica que procura marginalizar cidadãos árabe-israelenses, afirmou o porta-voz, Josh Earnest, aos jornalistas. Essa retórica é profundamente preocupante e divisiva e, além disso, solapa os valores e ideais democráticos que são uma parte importante do que une Estados Unidos e Israel, acrescentou. 
4. Segundo Earnest, o governo Obama irá reavaliar sua posição no processo de paz no Oriente Médio e o caminho a ser seguido nesta situação. Os Estados Unidos defendem a criação de dois Estados como solução para o conflito na região. 

PT - Nem só roubalheira. 

Rato magro - Lá atrás, Roberto Jefferson chegou duro: rato magro, essa gente que assaltou o Brasil. Completou: PC Farias é aprendiz de feiticeiro ante essa gente que assaltou o Brasil. Não falava só de dirigentes e militantes do PT. Mas o foco era a cumpanherada. Nunca antes na história destepaiz tantos ratos esfomeados devoraram impunemente tanto do tesouro público. A preocupação dominante da maior parte dos que agora têm horror do governo Dilma (são contra tudo o que está aí) é a roubalheira promovida Brasil afora pela petralhada, ratos esfomeados que faz anos assaltam os cofres da Petrobrás e de outras estatais. O mesmo horror engloba o aparelhamento do Estado e os políticos que lotam de afilhados a administração pública. Terrível; mas a tragédia maior está longe daqui.

Projeto de poder - Tem coisa pior. A grana rapinada nas estatais não é apenas devorada por ratos magros. O PT com ela financia campanhas eleitorais e compra apoios; outro modo, usa a dinheirama para conservar o poder e, por etapas, chegar à hegemonia política. Generalizou até um tipo novo de propina: a propina legalizada, aprovada pelo TSE. Um dos meios: a empresa é autorizada a superfaturar e promete uma porcentagem do lucro ilícito. Doa legalmente ao partido a quantia combinada. E o TSE aprova as contas. De fato, a maior parte da gaita roubada tem essa mira: a perpetuação da cumpanherada no poder. Age como saúva: saqueia tudo que encontra para o bem do formigueiro. Para se perpetuar no poleiro, com a dinheirão furtado e distribuindo fatias de poder, o PT utiliza largamente os companheiros de viagem e os inocentes úteis. Sem eles, nada seria possível. Também é terrível, mas a tragédia maior está ainda longe daqui.

A finalidade do projeto de poder. É o ponto menos falado, o mais decisivo porém. A conquista do Estado é meio, nunca fim. O fim é impor um tipo humano novo, igualitário, ateu, libertário, vivendo em comunidades coletivistas. Esse objetivo revolucionário, desde sempre e sem rebuços proclamado em ocasiões apropriadas como meta por correntes abrigadas nas mais variadas organizações, é o que anima o setor mais dinâmico e viperino do PT. Mesmo entre seus filiados é mira a ser explicada com cuidado, pois a maior parte deles não são revolucionários profissionais; é constituída de aproveitadores, inocentes úteis e companheiros de viagem. Ou seja, o partido reproduz internamente as situações das correntes que, de fora, favorecem o projeto petista. A minoria mais intelectualizada, ativa e virulenta (em última análise, a que dita o rumo), com olho na possibilidade de momento, vai dosando a implantação do ideário. Quem são eles? Comunistas, em geral gradualistas, marxistas ou não, pouco importa, tomados de forma fanática pelo valor supremo da igualdade e agindo com enorme prudência. Querem para agora o que seus congêneres perseguem no mundo inteiro e em parte implantaram, ainda que precariamente: um Estado totalitário e coletivista, que trabalhe intensamente para acelerar a chegada do comunismo. Lênin, Stalin, Mao, Fidel, Che Guevara, ícones de petistas, aqui alguns dos exemplos. São como a sucuri; sufocam a sociedade, atrofiam-na./ De alto a baixo da sociedade brasileira já existe o pavor do aperto da cobra. A reação vai ser vitoriosa? Ou, infelizmente, vai se esvair como por ocasião do cansei? Ou como em 2013? É hora do olhar mais fundo. (Péricles Capanema)

O Estado não pode perder a hegemonia do projeto educacional e entregá-lo ao mercado. 
. Professor Moacir Gadotti lembra legado de Paulo Freire e aponta acirramento de projetos antagônicos de sociedade no país atualmente.
. Contra a corrupção, pelo impeachment da presidenta Dilma Rousseff e a volta dos militares ao poder foram algumas palavras de ordem proclamadas pelas ruas no último domingo (15). Mas poucos cartazes chamaram tanta atenção quanto um em especial que dizia: Basta de Paulo Freire.
. Em um país onde se queixa da baixa oferta de educação de qualidade, Paulo Freire foi um educador que pensou a realidade do ponto de vista dos mais pobres. Em uma célebre passagem de seu livro a Pedagogia do Oprimido, Freire explica a importância do processo educacional para a emancipação dessa população. Quando a educação não é transformadora, o sonho do oprimido é ser o opressor, diz o trecho.
. Para Moacir Gadotti, professor titular aposentado da Universidade de São Paulo (USP) e presidente de honra do Instituto Paulo Freire, o que está acontecendo hoje no Brasil é um acirramento de projetos antagônicos de sociedade, em que os mais ricos procuram impedir qualquer avanço que não seja na direção de mais exploração econômica e dominação política.
. Em 2012, a presidenta Dilma Rousseff declarou Paulo Freire patrono da educação brasileira. Essa declaração, que consagra sua concepção de educação, mesmo que o seu ethos pedagógico ainda esteja longe da maioria das nossas escolas, desagradou os defensores da educação bancária e domesticadora, explicou.
A importância da educação política.
. Muitos do que saíram às ruas no domingo traziam, além de um discurso de mudança, uma série de ataques contra pautas e grupos progressistas, como a reforma agrária, o Bolsa Família e os movimentos sociais.
. Gadotti destaca que, muitas vezes, esse discurso vem de quem também foi beneficiado por programas sociais, como o Programa Universidade para Todos (ProUni) e o Financiamento Estudantil (Fies). Ele lamenta que parte dessas pessoas, incluídas no ensino superior, tenha recebido uma educação domesticadora, e não conscientizadora. Ele defende o fortalecimento da educação política e da presença maior do Estado para conter o mercantilismo em diversas áreas do ensino.
. Fala-se muito pouco de política nas nossas escolas e Paulo Freire sustentava que toda educação é política, porque supõe um projeto de sociedade. A educação capitalista procura vender o sonho de que todos podemos ser capitalistas com seu mote preferido e ardiloso: estude, arrume um emprego e fique rico. É assim que a educação tem contribuído para a reprodução das desigualdades. Houve avanços nos últimos anos, mas a educação continua hegemonizada por um pensamento educacional mercantilista. O Estado não pode perder a hegemonia do projeto educacional e entregá-lo ao mercado, afirmou. (Brasil de Fato) 

Venezuela: da miséria ao expurgo anticapitalista. 
. No Brasil bate-se nas panelas, mas na Venezuela a pergunta é se ainda haverá panelas na loja.
. Todo dia o caos tem uma forma diversa, mas a loucura cresce - eis como o escritor Leonardo Padrón resumiu a ofensiva chavista contra as empresas privadas e a criação de sovietes populares militares para ganhar a batalha econômica pelo povo
. O presidente Nicolás Maduro mandou prender vários diretores da rede de supermercados Día a Día. Eles foram se reunir no cárcere com os diretores da rede Farmatodo, intervinda pouco antes. 
. A retórica populista se torna leninista: os empresários estavam conspirando, irritando o povo e procurando criar a sensação de filas com uma tática guerrilheira
. O país está saturado pelo desabastecimento, pela inflação, pela ausência de produtos básicos. O detergente substitui o shampoo para o cabelo. Há filas para tudo, especialmente nos supermercados estatais. O governo tentou confinar as filas em parkings ou porões, perseguindo até quem tira uma foto. 
. Jorge Roig, presidente da federação de produtores Fedecámaras, defendeu a rede Farmatodo, lembrando que há 96 anos ela trabalha no país, enquanto as empresas fantasmas de membros do governo desviaram mais de 20 bilhões de dólares só em 2013. 
. O presidente da associação de hospitais privados já foi preso pelo crime de denunciar a falta de material básico nos hospitais.
. Conseguir alimentos ou produtos de higiene passou a ser uma façanha quotidiana na Venezuela A rede oficial Farmapatria, que prometeu abrir 120 farmácias, hoje languidesce.
. Mas as vozes silenciam quando alguém exclama em alta voz palavras de ordem como Maduro é o milagre que o comandante Chávez nos legou, descreveu o jornal El Mundo de Madri. 
. Dormindo numa estação de metrô de Madri, o venezuelano Andrés, que chegou para fazer um master de Administração e Direção de Empresas, contou a El Mundo que leva tudo o que tem na mochila andando por todos os lados. 
. Ele é um dos 2.500 estudantes venezuelanos na Espanha que tiveram a transferência de seu dinheiro cortada. Os jovens venezuelanos no exterior já não podem acessar suas contas bancárias. Endividados, eles correm o risco de perder os cursos por inadimplência.
Não é que não tenhamos dinheiro, é que não nos deixam acessá-lo, explica Carlos Moreno, estudante de pós graduação em Salt Lake City (EUA).
. Os jovens descontentes não revelam sua identidade, pois temem por si e por suas famílias que ficaram na Venezuela.
. O governo de Maduro imaginou que entre 2008 e 2013, 90% dos estudantes venezuelanos na Irlanda escondiam um mercado negro de divisas, e cortou as transferências.
Houve casos de prostituição, alguns comem só uma vez por dia, denunciaram os jovens.
. As crises de saúde e a subalimentação dos estudantes impressionaram a reitora da Universidade de Salt Lake, que concedeu a cinco deles, que iam ser deportados, um adiamento dos pagamentos por razões humanitárias.
. Na Espanha, a Universidade de Alcalá (UAH) fez algo parecido com 26 alunos em situação análoga.
. A comunidade venezuelana de Toronto (Canadá) recolheu alimentos e roupa para que Paulina pudesse passar o duro inverno. 
. Há cinco meses que ela não pode acessar seu dinheiro. Até dezembro, em meu college havia 400 colegas na mesma situação e em janeiro já são muitos mais, disse ela, que está cuidando de crianças para chegar ao fim do mês.
. A embaixada venezuelana na Espanha não oferece nada e não responde às perguntas da imprensa. E quem for se queixar, é investigado imediatamente, diz Moreno.
O que acontece com os estudantes faz parte do caos total de um governo que não assume seus compromissos internacionais, denunciou o advogado Williams Cárdenas. 
. Ele pretende levar o caso até o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos. Muitos acham que é uma ilusão, pois esses órgãos só são sensíveis a causas revolucionárias ou anticristãs. 
Se alguém falar mais forte, pode sofrer consequências que vão além da revogação definitiva das transferências. Nesta semana foi revelada a existência de uma terrível prisão no centro de Caracas, bem chamada de o túmulo, acrescenta.
. O terror vai descendo como um sinistro véu: é o verdadeiro rosto do socialismo do século XXI. que se exibe sem máscara diante suas vítimas. (Luis Dufaur)

Nenhum comentário: