12 de mar de 2015

Amanhã: cidades de paz ou…

 photo _asaindo.jpgPara o povo não - Na noite desta quarta-feira (11), deputados e senadores não conseguiram derrubar nenhum dos vetos presidenciais colocados na pauta. Para o presidente do Senado e do Legislativo, Renan Calheiros (PMDB-AL), decisão que trata do reajuste de 6,5% na tabela do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) foi um avanço na relação entre os Poderes Executivo e Legislativo que deve ser comemorado. O simbolismo do entendimento é a coisa mais importante que conseguimos construir com esta medida, também saudou o líder do PT no Senado, Humberto Costa (PT-PE) Quanto ao adiamento da votação do Orçamento, Renan disse que não foi retaliação ao governo e sim pedido de líderes da base e da oposição. 
• Planos de saúde devem R$ 742 milhões ao SUS - Estudo do Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor), com base em dados divulgados pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), mostra que dos R$ 1,6 bilhão cobrados das operadoras pela ANS para ressarcimento ao SUS, apenas 37% (cerca de 621 milhões) foram pagos. Enquanto isso, 19% (mais de R$ 331 milhões) foram parcelados e 44% (mais de R$ 742 milhões) não foram nem pagos nem parcelados. Isto é, 63% das dívidas ainda não foram quitadas pelas operadoras. 
• Diretoria acredita que apresenta balanço até 31 de março - A Diretoria da Petrobrás corre contra o tempo, com o objetivo de auditar e fechar o balanço de 2014 até o dia 31 deste mês para evitar que os credores peçam o pagamento antecipado das dívidas da estatal. Para que isto aconteça, foi criado um grupo especial de trabalho, além dos dois escritórios de advocacia que foram contratados para realizar perícias, a pedido da empresa de auditoria PwC. 
• Merval - Clique 
• Empreiteira Andrade Gutierrez, a que mais doações fez à campanha do senador Aécio Neves (PSDB-MG), com R$ 20,3 milhões em 2014, e até agora havia ficado de fora da Lava Jato, conduzida pelo juiz Sergio Moro, no Paraná, está no foco das ações do procurador-geral da República, Rodrigo Janot; em sua delação premiada, Alberto Youssef afirma que recolheu propinas de R$ 1,5 milhão na empreiteira, a pedido do lobista Fernando Baiano, que, segundo o doleiro, era muito próximo ao presidente da empresa, Otávio Azevedo; Janot decidiu interrogá-lo, assim como outros executivos da empreiteira, nos inquéritos que correrão no Supremo Tribunal Federal; Paulo Roberto Costa também confessou ter recebido US$ 4 milhões no exterior da Andrade. 
• Governo vai limitar acesso ao crédito estudantil - Após aumento de gastos, Fies terá limite de vagas por instituição e será unificado nos moldes do Sisu, segundo o secretário-executivo do Ministério da Educação, Luiz Cláudio Costa; de 2010 até 2014, o custo do programa cresceu 13 vezes - saltou de R$ 1,1 bilhão para R$ 13,4 bilhões, em valores corrigidos; por outro lado, a média anual de aumento de alunos nas instituições particulares passou de 5%, entre 2003 e 2009, para 3% de 2010 até 2013. 
• A dias dos protestos que pedem seu impeachment e na véspera dos atos das centrais sindicais contra o golpismo da oposição, a presidente Dilma Rousseff declarou, em visita ao Acre, não ter qualquer restrição ao direito da população de se manifestar: Já falei para vocês que sou uma pessoa mais velha e sou de uma época em que não era possível se manifestar. As pessoas que se manifestavam iam direto para a cadeia ou eram chamadas de subversivas ou de nomes piores. Eu passei minha vida manifestando nas ruas, principalmente na minha juventude, disse; Temos direito de nos manifestar. O que nós não temos é o direito de ser violento, completou. 
• Jogo de cena contra empreiteiras - A Controladoria-Geral da União determinou a abertura de processos administrativos de responsabilização contra dez empresas envolvidas na Operação Lava-Jato. A decisão do ministro-chefe da CGU, Valdir Simão, publicada no Diário Oficial da União, atinge as empresas: Alumni Engenharia, Andrade Gutierrez, Odebrecht, Odebrecht Óleo e Gás, Odebrecht Ambiental, GDK, Promon Engenharia, Fidens Engenharia, Sanko Sider e SOG Óleo e Gás. Em dezembro, a CGU já tinha aberto processos contra contra oito empresas também envolvidas na Operação Lava Jato: UTC-Constran, Camargo Corrêa, Queiroz Galvão, Mendes Junior, OAS, Engevix, Galvão Engenharia e Iesa. Breve, serão firmados acordos de leniência, as empresas pagam multas, com os superfaturamentos obtidos nas obras estatais, e tudo fica como sempre no Brasil da impunidade e da roubalheira institucionalizada. Afinal, as obras e os financiamentos de campanha não podem parar... (AlertaTotal)

. Petição pede Dias Toffoli longe da Lava Jato - Os organizadores do protesto alegam que o ministro não tem isonomia suficiente para julgar eventuais petistas envolvidos no escândalo da Petrobras, já que ele foi advogado do PT antes de chegar ao Supremo Tribunal Federal. 
. Reportagem do Congresso em Foco revela um abaixo-assinado virtual contra a atuação do ministro Dias Toffoli na Operação Lava Jato. 
. Em pouco menos de seis horas, a petição pública contra a decisão do STF chegou a quase sete mil assinaturas e os organizadores do protesto alegam que o ministro não tem isonomia suficiente para julgar eventuais petistas envolvidos no escândalo da Petrobras, já que ele foi advogado do PT antes de chegar ao Supremo Tribunal Federal. 
. Em artigo publicado no 247, Paulo Moreira Leite argumenta que Toffoli hoje é muito mais alinhado ao ministro Gilmar Mendes do que ao PT. 
. Conheça a petição: Aqui 

Covardia governamental. 
Todos irresponsáveis - Todos os presidentes, sem exceção, que ocuparam o Poder Executivo desde a Proclamação da República, assim como todos os governadores que nos últimos 40 anos estiveram à frente do Estado do RS, por exemplo, contribuíram, dramaticamente, tanto para o aumento da injustiça social quanto para o agravamento das finanças públicas. Isto é fato, independente de qualquer ângulo de visão.
Corporações - Mesmo que alguns governantes tenham mostrado eventual preocupação com o orçamento, o fato é que todos sempre acabaram cedendo aos pleitos das mais diversas e insaciáveis Corporações. Com isso foram empilhando, ao longo do tempo e mandatos, um gasto público cada vez maior, e crescente, representado por vantagens, privilégios e mordomias concedidas.
Arrecadação insuficiente - Ora, somando todas as vantagens concedidas aqui e ali, quem é provido de alguma lógica do raciocínio já percebeu que em algum momento a arrecadação iria bater no teto, ou seja, seria insuficiente para atender os absurdos compromissos assumidos. Mesmo com a elevada carga tributária que esfola, sem cessar, a sociedade que produz e consome. 
O dia, finalmente, chegou - Pois, esse dia, tanto no Brasil quanto notadamente no RS, finalmente chegou. Com um detalhe: as manobras que governantes anteriores promoveram até agora, para obter recursos extras para conseguir manter as contas em dia, simplesmente se mostram esgotados.
. Detalhe: nenhuma manobra (reforma) foi apresentada visando a solução definitiva dos problemas. Tudo se resumiu até hoje em empurrar o problema com a barriga, para novos governos.
Moratória - Assim sendo, não há como escapar de um calote. E, como não há um governante que consiga, independente de expressão eventual de vontade, de cortar despesas que levam o nefasto rótulo de -direito adquirido-, a moratória também não deve tardar.
. Como a carga tributária já é insuportável, diante do esgotamento das fontes nem mesmo as necessárias privatizações conseguiriam fornecer recursos suficientes para o equilíbrio temporário das contas. Ainda assim as privatizações se impõem para impedir, por exemplo, que o governador José Ivo Sartori nomeasse Paulo Odone, Mano Changes e Kalil Sehbe como diretores do Badesul. Pode?
Calote - Portanto, sem alternativas, a não ser o nefasto aumento de impostos que a sociedade parece não estar disposta a aceitar, o atual governo vai atrasar pagamentos. O lamentável mesmo é que não passa pela cabeça dos covardes governantes a proposição de diminuição, ou mesmo eliminação, das vantagens já concedidas. 
Revolução dos bichos - Além dos governantes que ocupam o Executivo, também não vejo deputados interessados em propor o fim dos privilégios e mordomias, que a própria Constituição condena e sequer permite. Conceder vantagens e privilégios que não podem ser conferidos ao povo como um todo, significa dizer que alguns devem ser mais iguais do que outros, como define George Orwell na sua obra A Revolução dos Bichos. Que tal? 
Golpista - Não se deixem levar pelo que bradam alguns jornalistas petistas, que chamam de golpistas aqueles que querem o Impeachment de Dilma. Pedir o afastamento de um governante é democrático e legítimo. A propósito: a atitude do ministro José Dias Toffoli, que enviou ofício ao presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, pedindo para migrar da Primeira Turma para a Segunda Turma da Corte, que julgará as futuras ações penais decorrentes da Operação Lava Jato contra deputados e senadores é golpista.
Elite? - Também não se deixem levar pelo rótulo de elite. Primeiro, porque Elite também tem o direito de protestar, certamente. Segundo, quem assistiu o Profissão Repórter de ontem à noite, na TV Globo, teve uma clara noção da insatisfação de milhares de brasileiros que estão sendo desempregados, motivados pelos saques na Petrobras.
Apropriação - Além do mais os governantes e boa parte do povo brasileiro precisa saber que o PIB é a soma de tudo que é produzido no país. Produzido, entenderam bem? Como o governo só sabe gastar, e ainda por cima desperdiça muito, além de não colaborar na formação do PIB ainda se apropria de forma escandalosa dos produtos fabricados. (Gilberto Simões Pires) 

Morte de Hugo Chávez foi ocultada dois meses confessa chefe de segurança chavista. 
. Chávez morreu dois meses antes do enterro oficial, diz ex guarda-costa.
. O número 2 da segurança chavista Leamsy Salazar que fugiu aos EUA também denunciou que Hugo Chávez morreu de fato às 19h 32min de 30 de dezembro de 2012, e não em 5 de março de 2013, como anunciou o regime oficialmente, noticiou Clarín de Buenos Aires. 
. Sobre as denúncias de Salazar veja: Chefe de segurança da Venezuela deserta e denuncia narcotráfico chavista (Leia). Era suspeita generalizada de que o ditador comunistoide já estava morto, ainda quando Maduro anunciava que havia despachado com ele durante horas.
. A morte de Chávez foi ocultada durante semanas. As fracassadas tentativas de embalsamá-lo e as esquisitices de seu velório e enterro acentuaram ainda mais a desconfiança de um arcabouço de mentiras de difícil explicação, mas não estranho nos regimes comunistas. 
. Estranhas e análogas estratagemas propagandísticas cubanas hoje envolvem o estado de saúde, ou de morte, de Fidel Castro. (Luis Dufaur)

Nenhum comentário: