7 de fev de 2015

Um país de brinquedo...

 photo _avaccari.jpg
. Lula defendeu o tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, no congresso do partido, em Belo Horizonte; na dúvida, fique com o companheiro, disse ele; posição contrasta com a de outros petistas, como o ex-governador gaúcho Tarso Genro, que defendem a investigação do tesoureiro. Lula afirmou ainda que não vai admitir a criminalização das doações privadas ao partido e afirmou que a Operação Lava Jato, assim como a Ação Penal 470, é um processo político, e não jurídico; PT deve fazer desagravo a Vaccari na festa dos seus 35 anos.


Ousados, Lula e companheiros defendem tesoureiro e falam em criminalização do PT 

. Passou da hora - Se há na face da terra odes à galhofa, com certeza uma delas é o Partido dos Trabalhadores, que na opinião de sete em cada dez brasileiros transformou-se em organização criminosa. Horas depois da Operação My Way, nona etapa da Operação Lava-Jato, o presidente do PT, Rui Falcão, que insistem em abusar da ironia, disse que não há provas contra o partido e que a Justiça tenta criminalizar a legenda com base em notícias da imprensa. Ou seja, os policiais federais, os integrantes do Ministério Público Federal e o juiz federal Sérgio Fernando Moro deixaram para trás o conhecimento e a experiência conquistada ao longo do tempo para tomar agir e decisões à sombra do noticiário.
. Rui Falcão é um debochado conhecido que usa da aparência dissimulada para se fazer de vítima, mas na qualidade de cidadão que vive em um regime democrático que contempla a livre manifestação do pensamento, como é o caso do Brasil, pode falar o que desejar, inclusive besteiras. Essa onda obtusa de defesa do PT é uma ordem que foi disparada pela própria direção da legenda, que começa ver na Operação Lava-Jato, o maior escândalo de corrupção da história moderna, um beco sem saída. O partido perdeu pouca credibilidade que lhe restava nos últimos meses, mas mesmo assim a companheirada não quer largar o osso.
. Não satisfeito, Falcão avançou em seu enredo rocambolesco e disse que a Operação My Way foi deflagrada um dia antes de o partido comemorar 35 anos. Como se os membros da força-tarefa que desmantelou a roubalheira na Petrobras, que bateu na casa dos R$ 88 bilhões, devessem consultar o partido sobre qualquer ação com respaldo judicial. Rui Facão deveria se dar por satisfeito, pois por enquanto a Lava-Jato não alcançou o alarife Luiz Inácio da Silva, o lobista Lula, e a presidente Dilma Vana Rousseff, que continua muda e reclusa. Mas é uma questão de tempo para que isso ocorra, pois a operação da PF, como noticiado pelo Ucho.info, há muito subiu a rampa do Palácio do Planalto.


Petrolão na Petros
. Talvez mais do cedo do que previsto, a devassa parece estar se aproximando de nosso Fundo Petros. Há informações seguras que a Operação Lava Jato já apontou seus olhos para o Fundo Petros!
. Há anos, muitos de nós, temos repetidamente denunciado o uso indevido de nossos recursos, pelas Direções da Petros, para atender interesses do PT apóstata e de seus parceiros criminosos! Foram dezenas de textos, de trabalhos consistentes, de denúncias formais aos Órgãos Oficiais de Controle, como à antiga SPC, à PREVIC, ao Ministério Público, à ANAPAR, à própria Direção da Petros e da Petrobrás..
. Tudo em vão, todos blindados, tudo sem as devidas explicações!
. E o pior de tudo: muitas vezes essas blindagens foram também colocadas por aqueles que, por dever de ofício legal e de representação, deveriam fiscalizar a Gestão da Petros e defender os reais interesses do Fundo Petros e de seus participantes!...
. Vamos ver agora, quando esse tsunami bater às portas da Direção da Petros e daqueles que deveriam cuidar profissionalmente de sua fiscalização, o que terão eles a dizer... Quem sabe, nosso Fundo ainda tem salvação?
. Uma coisa é certa: não foi por desconhecimento ou por falta de aviso!... (Márcio Dayrell Batitucci) 

Qual será a resposta do povo brasileiro? 
Alegria minha gente! Que trambolho!

Rombo nos Fundos de Pensão 
. A maior caixa preta da corrupção do governo federal não é a Petrobras. As irregularidades nos fundos de pensão são ainda mais dissimuladas, e no caso delas o que está sendo desviado são recursos dos planos de previdência, que resultam das contribuições mensais das empresas estatais e de seus funcionários.
. Os atuais gestores dos fundos de pensão são todos ligados ao PT. Segundo reportagem de Alexandre Rodrigues e Daniel Biasetto, publicada em O Globo, o currículo de alguns gestores dos fundos de pensão alimenta as denúncias de aparelhamento. Vários já passaram por outras fundações com indicações políticas ou de sindicatos ligados à Central Única dos Trabalhadores (CUT). Desde o início do governo Lula, em 2003, ex-integrantes do Sindicato dos Bancários de São Paulo dominam os principais fundos: Previ, Petros, Funcef e Postalis. João Vaccari Neto, o tesoureiro do PT, é originário desse grupo, assim como Wagner Pinheiro, ex-presidente da Petros e atual presidente dos Correios, que indicou o presidente do Postalis, Antonio Carlos Conquista. Este, por sua vez, já foi gestor da Petros e da Fundação Geap (de servidores federais).
Fapes se rebelou
. A única exceção entre os fundos de pensão é o discreto e poderoso Fapes, dos funcionários do BNDES, que no primeiro governo Lula se uniram e conseguiram impedir que um preposto de José Dirceu, chamado Marcelo Sereno, colocasse as garras no caixa do fundo de pensão dos empregados do banco de fomento.
. Nos outros fundos, porém, as denúncias se multiplicam há anos e a agência reguladora Previc (Superintendência Nacional de Previdência Complementar), também controlada pelo PT, nada faz para coibir as irregularidades.
. O pior é que, para abafar as constantes acusações dos sindicatos e das entidades representativas dos empregados das estatais, o PT conseguiu controlar também a estratégia Associação dos Participantes de Fundos de Pensão (Anapar), que é presidida por Cláudia Ricaldoni, uma militante que defende ardorosamente os interesses do partido e vive a elogiar a agência reguladora.
A Previc tem tomado bastante cuidado com todas as denúncias. Não concordo com os que acham que o órgão é lento e irregular em suas fiscalizações, diz a dirigente da Anapar.
. E a própria agência reguladora, quando procurada pela imprensa, justifica sua omissão nos seguintes termos: necessária preservação de fatos e dadosComo autarquia de supervisão, a Previc não trata publicamente de situações específicas, em face da . Se alguém conseguir explicar o que a Previc está tentando dizer com essa frase, por favor nos oriente, porque a justificativa foi feita naquele linguajar estranhíssimo que a presidente Dilma Rousseff costuma usar e está se disseminando pelo resto do governo.
Lava Jato
. A oportuna reportagem de Alexandre Rodrigues e Daniel Biasetto no Globo mostra que investigadores da Lava-Jato já encontraram indícios de ramificações do esquema do doleiro Alberto Youssef em fundos de pensão. Em outubro, o advogado Carlos Alberto Pereira Costa, um dos principais auxiliares de Youssef, disse em depoimento que o tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, frequentou uma empresa em São Paulo entre 2005 e 2006 para tratar de negócios com fundos de pensão com um operador do doleiro. Carlos Alberto Costa menciona, ainda, um suposto pagamento de propina a dirigentes da Petros, fundo de pensão dos funcionários da Petrobras, dizem os repórteres.
. A denúncia de O Globo acentua que a PF também encontrou e-mails em computadores de pessoas ligadas a Youssef atribuindo à influência de Vaccari a aplicação, em 2012, de R$ 73 milhões das fundações Petros e Postalis, este último dos funcionários dos Correios, na empresa Trendbank, que administra fundos de investimentos, causando prejuízos às fundações. Vaccari negou as acusações. Também em 2012, o Postalis teve prejuízo ao aplicar R$ 40 milhões num fundo no banco BNY Mellon, por meio de uma gestora de investimentos indicada a dirigentes da fundação por operadores de Youssef.
. Traduzindo: a busca da Polícia Federal está apenas começando. Como dizia Roberto Carlos, daqui para a frente, tudo vai ser diferente. (Carlos Newton)

Nenhum comentário: