22 de fev de 2015

O Circo está armado...

Exclusivamente para quem saber ler (!!!), estão aí os claros indícios (ou fatos?) de que o Governo PTista-sindicalista apóstata não vai deixar barato essas questões relativas ao petrolão! Diferentemente do mensalão, onde foram selecionados e escolhidos uns gatos pingados para responderem pelos delitos cometidos, com uma combinada blindagem dos chefões maiores, pela imprensa, sociedade civil e oposição, agora, o petrolão saiu do controle e aponta perigosamente para seus principais responsáveis, o sr. Lulla e a sra DIImáh. A tropa de choque tem de ser colocada no palco, para desvitalizar o maior escândalo já acontecido no País, anular provas, declarar inconsistentes os testemunhos, tirar a responsabilidade da apuração das mãos da Justiça, enfim, deixar que esses crimes caiam no esquecimento e na impunidade.
. Apareceu esses dias na imprensa, a notícia de que o sr. Ministro da Justiça se reunira com os advogados dos criminosos da Operação Lava Jato e, do alto de seu posto institucional, teria declarado : ...fiquem tranquilos, o jogo vai ser mudado...
. Está aí mais um exemplo de que esse sr. José Eduardo Cardozo, utilizando-se de seu posto Institucional, vai fazer de tudo para livrar a cara de seus parceiros criminosos nessa Operação Lava Jato e, de quebra, vai mover céus e terra para blindar definitivamente os dois principais responsáveis pelo maior esquema de corrupção já acontecido em nosso Pais!
. Orquestrado nessa mesma linha e com a explícita aprovação desse senhor Ministro, em conluio com a sra. DIlma e o sr. Lulla, o advogado-geral da União, Luís Inácio Adams, dirigiu-se ao Tribunal de Contas da União (TCU), com uma Instrução Normativa redigida no Palácio do Planalto. Por essa Instrução Normativa, aprovada em tempo recorde, o TCU analisará concomitantemente com a Controladoria-Geral da União (CGU) os acordos de leniência firmados com o Estado. Isso garante que os acordos feitos no âmbito da CGU não correrão o risco de serem anulados depois pelo tribunal .
 photo _00_1.jpg 
Uma coisa são as Delações premiadas realizadas no âmbito da Justiça e conduzidas pelo Juiz Sérgio Moro. Outra coisa são Acordos de Leniência realizados sob a tutela de órgãos dominados e infestados por PTistas e políticos parceiros... Pelos termos de um Acordo de Leniência, as empresas reconhecem que praticaram os crimes, pagam uma multa e não são consideradas inidôneas. Podem continuar a assinar contratos com o governo em qualquer nível. E, também, ao contrário do que ocorre com a Delação Premiada, elas não precisam contar tudo. Ou seja, que Lulla e DIlma estão implicados até o pescoço no esquema do Petrolão...
. O Ministério da Justiça, na era PTista, tem protagonizado episódios de verdadeiro descalabro... Lembram-se da sumária deportação daqueles atletas cubanos que aqui pediram asilo político e foram, na calada da noite, colocados em um avião pelo então Ministro Tasso Genro e devolvidos para Cuba? ... Sem qualquer processo ou exame da questão?...
. Lembram-se, ao contrário, do asilo concedido ao criminoso terrorista internacional, Cesare Battisti?...
 photo _01.jpg 
E agora, com esse sr. José Eduardo Cardoso, a situação não se altera: não é flor que se cheire e tudo fará para acobertar os criminosos PTistas e seus aliados!... Só para lembrar quem é esse senhor: vejam o vídeo abaixo, onde o impoluto sr. Paulo Maluf, declara que foi explicitamente defendido por esse Ministro brasileiro, no uso de suas atribuições, junto a órgãos do governo americano... 
. Correndo por fora, sorrateiramente e perigosamente, o sr. Lulla e seu lugar tenente, o sr. Paulo Okamoto, têm recebido representantes de empreiteiros criminosos, no intuito exclusivo de conseguir interferências superiores e mudança de rumos, nessas investigações!... Essa palavra mudança de rumos já apareceu lá em cima! Imaginem as negocia$$õe$ que devem estar sendo feitas para a concretização desse nebuloso capítulo! Acessem o link
. Não menos estranho, é o silêncio de todo o Brasil (Órgãos oficiais, imprensa, políticos, etc.), em relação àquelas contas secretas do HSBC, na Suiça... São 8.667 contas, em um total de 7 bilhões de dólares!
. Enfim: o País, mais uma vez, corre o risco de ver jogada para debaixo do tapete, a sua oportunidade de redenção! O odor de pizza paira pelo ar.
. Temos todos de denunciar, gritar, espernear, fazer panelaço na porta do Sr. Ministro da Justiça. Nos indignar com tanta corrupção e com tanta impunidade! Se não fizermos a nossa parte, teremos mais uma pizza do tamanho deste País! Está tudo armado para isso!
 photo _02.jpg 
. E aqui, faço um apelo especial aos amigos PTistas ou simpatizantes, que são pessoas do bem: principalmente se moram em Estados governados por tucanos ou outros partidos: como fazemos com o grande leviatan, o PT nacional, juntem-se a nós nessa missão ingrata de tentar consertar o nosso País! E façam a mesma coisa com seus eternos desafetos, os criminosos de outros partidos e siglas! Escrevam, reclamem, gritem contra todos esses criminosos que aí estão, PTistas, tucanos, democratas ou de qualquer outro partido! Cravem suas flechas em cima dos corruptos e criminosos. De qualquer cor e de qualquer ordem!
. E parem com esse paradoxo de sempre justificar os mal feitos PTistas, citando mal feitos tucanos ou outros. Como se um crime justificasse o outro! Sejam realmente do Bem! Provem que são realmente do Bem e apontem sua indignação contra esses outros criminosos! (Márcio Dayrell Batitucci) 

Empreiteira pediu a ministro munição para contestar provas. 

. Advogados da empreiteira Odebrecht que se reuniram neste mês com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, recorreram a ele em busca de munição para questionar a legalidade de provas obtidas na Suíça pelos procuradores que investigam o esquema de corrupção descoberto na Petrobras pela Operação Lava Jato. 
. A defesa da empreiteira, um dos alvos da investigação, suspeita que os procuradores obtiveram informações bancárias na Suíça antes que o Ministério da Justiça apresentasse às autoridades suíças um pedido de colaboração.
. Se conseguir demonstrar isso, a Odebrecht poderá recorrer à Justiça para tentar anular as provas obtidas pelos procuradores, ou impedir que sejam usadas no Brasil. 
. Os advogados da Odebrecht pediram ao ministro da Justiça uma certidão que informe detalhes sobre a cooperação com a Suíça. Se o documento comprovar a tese da empreiteira, poderá ser usado contra os procuradores. O Ministério da Justiça ainda não respondeu à solicitação. 
. Três representantes da Odebrecht se reuniram com Cardozo no último dia 5, em seu gabinete em Brasília. Eles expuseram o problema e ouviram do ministro a sugestão para que formalizassem o pedido. A reclamação foi registrada em ata e a petição foi apresentada quatro dias depois. 
. A petição faz questionamentos sobre duas visitas dos procuradores à Suíça, em novembro de 2014 e janeiro deste ano. Não se sabe quando, por quem, em que termos e por quais fundamentos tais diligências foram autorizadas, e nem mesmo se houve prévia tramitação do indispensável pedido de cooperação às autoridades suíças, escreveram os advogados. 
. Os documentos e informações obtidos por outros países só podem ser usados no Brasil pela Polícia Federal, pelo Ministério Público e pelo Judiciário após a realização de trâmites oficiais de cooperação internacional por meio do Ministério da Justiça. 
. Segundo autoridades que acompanham o caso, procuradores dizem estar tranquilos em relação aos procedimentos adotados na Suíça pois as duas viagens tiveram a intermediação do órgão central de cooperação internacional da Justiça. 
. Na primeira viagem, eles tiveram acesso a algumas informações e, após identificar documentos que poderiam ser úteis nos processos, fizeram pedidos formais para que as provas fossem enviadas ao país pelos canais adequados, o ministério ou o Itamaraty. 
. Com a medida, a equipe jurídica da Odebrecht abre uma frente no Brasil na estratégia de minar a colaboração entre os países na Lava Jato. Como a Folha informou no último dia 9, a construtora contratou advogados na Suíça para  tentar bloquear a remessa de documentos que possam incriminar a empreiteira. 
. O encontro com Cardozo teve a participação do diretor jurídico da Odebrecht, Maurício Ferro, e de dois advogados da empresa, o constitucionalista Pedro Serrano e a criminalista Dora Cavalcanti. A reunião foi marcada oficialmente e constou da agenda pública do ministro. 
. Na reunião, os advogados reclamaram sobre a condução do inquérito da Polícia Federal no Paraná que apura vazamentos de informações sigilosas sobre a Odebrecht. 
. Cardozo voltou a falar do encontro nesta quinta (19). Diz a empresa Odebrecht que ao longo da Lava Jato havia vazamentos ilegais que atingiam a empresa, e que isso qualificava uma clara ofensa à lei. A quem deveria ser feita a representação: ao juiz? Não. Ao ministro da Justiça, a quem a Polícia Federal está subordinada, disse. Não intervenho na investigação.
. A defesa da Odebrecht enviou nesta quinta uma  petição ao ministro Teori Zavascki, do STF, para explicar o encontro de advogados da empresa com Cardozo.
  photo _03.jpg
(Flávio Ferreira, Catia Seabra SP e Severino Motta, DF, Folha) 
A realidade tem limites; a estupidez não. (Napoleão Bonaparte)

Nenhum comentário: