13 de jan de 2015

Rio e o calor. Explique os porquês...

 photo _acalorRio.jpg
• Acionistas minoritários brasileiros decidem ir à Justiça contra Petrobras. Conselho de administração da Petrobras se reúne para escolher novo diretor. 

Petróleo nunca mais retornará a 100 dólares, diz príncipe saudita, o bilionário Alwaleed bin Talal considera efeito positivo da crise o fim de algumas produtoras de óleo não-convencional nos EUA. Petrobras cai mais de 5% em mais um dia de queda no petróleo.

• Nos primeiros doze dias de 2015, onze trens pararam com problemas. A Supervia vai de mal a pior. Mas na televisão o secretário estadual de Transportes, Carlos Roberto Osório mais uma vez prometeu ser duro com a concessionária, anunciou punições. Exatamente o mesmo que ele fez na semana passada quando ocorreu o choque de trens na Baixada Fluminense. Só que uma semana se passou e para variar não houve qualquer punição. Vão aplicar uma multa, a Supervia vai recorrer e o caso vai se arrastar por uns dois anos ou mais.

• Governo corta subsídio e conta de luz pode subir duas vezes. Tesouro Nacional suspenderá aportes para o setor este ano. Reajuste extra é inevitável, segundo Aneel. 

• Defesa arma estratégia jurídica para tentar anular Operação Lava Jato. Batalha nos tribunais superiores decidirá destino da operação que assusta Brasília e coloca o poder em xeque. Em uma ação jurídica articulada, os advogados que defendem os acusados pelos desvios na Petrobras vão tentar anular a Operação Lava Jato nos tribunais superiores questionando pontos que consideram frágeis na investigação. No foco central está uma decisão do procurador Manoel Peçanha, que defendeu, em parecer, a prisão preventiva do empreiteiro Ricardo Pessoa, dono da UCT e apontado como o número 1 do cartel que dominou os contratos bilionários com a Petrobras, como estratégia para forçar novos acordos de delação premiada.


 photo _amaome.jpg
Capa da Charlie Hebdo de quarta traz Maomé dizendo: Sou Charlie. O jornal Libération, que hospeda a redação remanescente da revista Charlie Hebdo, divulgou no Twitter a capa da próxima da publicação satírica. Nela está Maomé chorando e segurando um cartaz com a frase Sou Charlie, símbolo dos protestos em solidariedade às vítimas do atentado terrorista que matou 12 pessoas na redação da revista. O título diz: Tudo é perdoado. O desenho, assinado pelo chargista Luz, foi obtido pela AFP. A revista sairá com uma tiragem de 3 milhões de exemplares e traduzido para 16 idiomas. Última edição da Charlie Hebdo é vendida a preços abusivos na web. 

1. Conta do Twitter de Comando Central dos EUA é hackeada por Estado Islâmico. Supostos documentos internos foram postados por hackers que dizem pertencer a grupo extremista; comando central zela por planejamento e condução de operações militares em vários países, entre eles Iraque, Síria e Afeganistão. 

2. Vaticano está na mira do Estado Islâmico, aponta serviço secreto dos EUA. Fontes da Inteligência italiana ouvidas pela ANSA disseram que a Santa Se é possível objetivo do grupo, mas não há evidências. 

3. A presença de alguns líderes mundiais na grande marcha realizada em Paris neste domingo foi duramente criticada nas redes sociais. De acordo com o jornal francês Le Monde, no entanto, alguns dos nomes que participaram do evento já se mostraram contrários à liberdade de expressão e de imprensa. 

4. Boko Haram matou mais de 3 mil na Nigéria nos primeiros dias de 2015. Grupo ataca quartel em Camarões. Arcebispo reclama de falta de atenção.

A Friboi no petróleo. 

Planilha sugere acordo de J&F com ex-diretor da Petrobrás. Lava Jato reuniu documentos e anotações de Costa que reforçam suspeitas sobre o grupo controlador da JBS (Friboi); empresa afirma não ter relação com delator. Leia

O apetite da rainha Roseana Sarney. 
Flávio Dino paralisa compra de iguarias no edital de Roseana. Leia 

Últimas da mídia chapa-branca: Petrobras lança prêmio para lambe-botas do governo. 
. Petrobras lança prêmio de R$ 500 mil para Paulo Henrique Amorim, Luís Nassif e Luiz Carlos Azenha.
. Azenha, Nassif e Amorim, com seus blogs sujos pendurados na Petrobras, no Edir Macedo ou na TV Brasil, são favoritíssimos aos maiores prêmios.
. Em meio a um escândalo de corrupção que afeta sua imagem e faz seu valor de mercado despencar, a Petrobrás vai distribuir quase meio milhão de reais em prêmios para jornalistas. A estatal decidiu reeditar o Prêmio Petrobrás de Jornalismo, criada no ano passado, e agraciará autores de 36 trabalhos, publicados em diferentes mídias, com cheques que variam de R$ 7.600 a R$ 31.800, somando R$ 489.500.
. O valor é 337% maior do que o oferecido pelo Prêmio Esso, o mais prestigiado do jornalismo brasileiro que contempla 14 trabalhos, 22 a menos do que o da Petrobrás. A petroleira justificou ao Estado que manteve o prêmio mesmo na crise por ser um evento anual.
. Conforme a empresa, o orçamento destinado à premiação é ínfimo em comparação ao da área de Comunicação Institucional da empresa. Em 2013, ano de lançamento do prêmio, o orçamento da Comunicação Institucional foi de R$ 704 milhões de reais (1,09% do orçamento total da Petrobras S.A.) e o valor investido no Prêmio Petrobras foi de R$ 443.950,00, que correspondeu a 0,06% do orçamento total da Comunicação, informou em nota. Conforme a Petrobrás, para a edição de 2014 os valores foram corrigidos pelo índice de inflação e o total será de R$ 489.500,00. (Estadão) 


Atentado terrorista.

O assunto dominante no mundo todo, desde a manhã de ontem, é o grave ataque terrorista contra o jornal francês, Charlie Hebdo, que resultou não só em várias mortes de jornalistas/cartunistas, mas, de um severo e triste golpe contra à humanidade e à liberdade.

Je Suis Charlie?
Preocupado e fortemente comovido com o grau de frieza e violência contra a liberdade de expressão, como que querendo me solidarizar com o universo daqueles que, naturalmente, repudiam atitudes do tipo, também fiquei me perguntando: - Eu sou Charlie?

Sou ponto crítico!
Pois, em parte, a minha resposta é Sim! Porém, como comunicador estritamente opinativo, individual, e ex-presidente do Clube de Editores e Jornalistas de Opinião, prefiro ser e continuar sendo Ponto Crítico!

Como tal, como muitos leitores sabem, já fui alvo de inúmeras ameaças, ainda que, felizmente, em grau menor de terrorismo, como esse que assistimos ontem.

Perguntem ao Lula, Dilma e Berzoini
Como o Brasil vive, desde o momento em que o PT chegou ao governo central, um período incessante de tentativas de cerceamento à liberdade de expressão e de imprensa, diante do grave atentado ao jornal Charlie Hebdo, a tal pergunta Você é Charlie? deve ser feita, tanto ao ex-presidente Lula quanto à presidente Dilma Neocomunista Rousseff e seu ministro das Comunicações, Ricardo Berzoini, que voltou a insistir em controlar os meios de comunicação ao modo bolivariano.

Pregação mentirosa
Vale lembrar que Lula quis por que quis criar o Conselho Federal de Comunicação, com o propósito de fazer valer aquilo que só interessa ao governo. Dilma, por sua vez, para tentar desviar a atenção da sociedade ignara, prega, disfarçada e mentirosamente, que apoia a liberdade de expressão. 

Bem feito!
Ainda que já tenha feito referência em outras oportunidades, não posso deixar de referir que a cada atentado terrorista que acontece no mundo, me vem à lembrança a reação espontânea da filha do ex-governador Tarso Genro, Luciana Genro. Ao ser entrevistada por uma rádio do RS, sobre o ataque às torres gêmeas em NY, Luciana disse alto e bom som: - Bem feito!

Alma assassina
Enquanto Luciana foi autêntica, por mostrar o tamanho da alma assassina daqueles que apoiam atitudes tomadas por líderes de países totalitários, Dilma e seus seguidores menos corajosos preferem agir da forma cínica e mentirosa Politicamente Correta

Portanto, pela continuada insistência com que os líderes da Unasul (Organização Comunista Latinoamericana) querem calar a imprensa livre, a única coisa que, por enquanto, nos diferencia do ataque ao Charlie Hebdo é o uso das armas. Que tal?

Reações diferentes
Para concluir: todos perceberam o pito que o ministro Barbosa levou de Dilma, por ter se manifestado sobre a reformulação dos reajustes do salário mínimo, não?

Já quanto à manifestação feita pelo ministro Berzoini, de recriar o Controle da Mídia, Dilma ficou quieta e silenciosa, não? Isto explica tudo... (Gilberto Simões Pires) 

MST: da invasão à sacristia, e da sacristia ao Vaticano. 

. O MST é uma organização fundamental do Brasil…no primeiro plano da organização dos agricultores. Stedile é o seu dirigente mais importante.
. Marxista ligado à história da teologia da libertação, ele foi um dos organizadores do Encontro Mundial de Movimentos Populares que ocorreu no Vaticano, quando sugeriu a canonização de Santo Antônio… Gramsci.
. Segundo o jornal, o MST conta com 1,5 milhão de membros. Na Itália, antes do encontro no Vaticano, ele fez uma turnê de encontros apresentando o livro La lunga marcia dei senza terra (EMI Edizioni).
. No sábado à tarde, foi visitar a Rimaflow, em Trezzano sul Naviglio, a fábrica recuperada que Stedile, diante de 300 pessoas, batizou como embaixadora dos Sem-Terra em Milão.
Pergunta: - Como nasceu o encontro no Vaticano?
- Mantemos relações com os movimentos sociais da Argentina, amigos de Francisco, com quem começamos a trabalhar no encontro mundial. Assim, reunimos 100 dirigentes populares de todo o mundo, sem confissões religiosas. A maioria não era católica. Um encontro muito proveitoso.
Pergunta: - O senhor é de formação marxista. Qual a sua opinião sobre o papa e a iniciativa vaticana?
- O papa deu uma grande contribuição, com um documento irrepreensível, mais à esquerda do que muitos de nós. Porque afirmou questões de princípio importantes como a reforma agrária, que não é só um problema econômico e político, mas também moral.
Ele condenou a grande propriedade. O importante é a simbologia: em 2.000 anos, nenhum papa jamais organizou uma reunião desse tipo.
Pergunta: O senhor foi um dos promotores dos Fóruns Sociais. Há uma substituição simbólica por parte do Vaticano em relação à esquerda?
- … Eu não acho que há sobreposição, mas complementaridade. Em todo caso, assumo a autocrítica, como promotor do Fórum Social, do seu esgotamento e da sua incapacidade de criar uma assembleia mundial dos movimentos sociais.
. Do encontro com Francisco, nascem duas iniciativas:
1) formar um espaço de diálogo permanente com o Vaticano e, independentemente da Igreja, mas aproveitando a reunião de Roma, 
2) construir no futuro um espaço internacional dos movimentos do mundo.
Pergunta: para fazer o quê?
- Para combater o capital financeiro, os bancos, as grandes multinacionais. Os inimigos do povo são esses. Como diria o papa, esse é o diabo.
Pergunta: Qual é a situação do Movimento dos Sem Terra hoje?
. A nossa ideia, no início, era a de realizar o sonho de todo agricultor do século XX: a terra para todos, bater o latifúndio.
. Mas o capitalismo mudou, a concentração da terra também significa concentração das tecnologias, da produção, das sementes. É inútil ocupar as terras se, depois, produzirem transgênicos.
. Não é mais suficiente repartir a terra, mas é preciso uma alimentação para todos, e uma alimentação sadia e de qualidade.
. Hoje visamos a uma reforma agrária integral, e a nossa luta diz respeito a todos.
. Por isso, é precisou uma ampla aliança com os operários, os consumidores e também com a Igreja.
. Somos aliados de qualquer pessoa que deseje a mudança. (Fonte: jornal Il Fatto Quotidiano 3.11.2014) 

Antes de começar, é preciso um plano, e depois de planejar, é preciso execução imediata. (Sêneca)

Nenhum comentário: