8 de jan de 2015

Não escrevo, desenho…

 photo _afrance.jpg
• TJ do Rio autoriza retomada da CPI dos Ônibus. Comissão, que terá a mesma composição, estava suspensa na Câmara desde 2013. 

• Grupo desfilava com motos roubadas. As 93 motocicletas do local na madrugada do dia 31 de dezembro. Temendo represálias, traficante Playboy ordena devolução de 97 motos roubadas de galpão do Detro RJ. Polícia investiga sumiço de câmeras. 

• Não é nepotismo, é crime! - Roraima gasta R$ 398 mil com parentes de governadora. 

• Governo publica decreto com corte mensal de R$ 1,9 bilhão no Orçamento. Redução é 33% maior do que a normalmente imposta antes da aprovação do Orçamento pelo Congresso. Governo vai cortar 30% de despesas não obrigatórias. Plano prevê que ministérios reduzam gastos com viagens, diárias de hotel e compras de material. 

• Incêndios criminosos impedem regeneração florestal em terra indígena. Buscar alternativas eficazes e viáveis para a recuperação da Terra Indígena mais desmatada da Amazônia Legal é o maior desafio. O fogo criminoso tem impedido o processo de regeneração natural. Sem floresta, os Xavantes enfrentam muitas dificuldades para manter suas tradições. 

• Direito da mulher - Sem ter o que anunciar para melhora do sistema de atendimento do SUS, onde brasileiros morrem em macas (ou no chão) e aguardam até seis meses para uma tomografia ou ressonância magnética, o ministro petista Arthur Chioro, da Saúde, parte para essa Operação Cesárea, o que divide a comunidade obstétrica. Grande parte acha que optar pela cesárea é direito da mulher e ganha apoio de juristas que apostam que pode ser conquistado até mesmo através de liminar na justiça. O que a Saúde quer é pagar menos por partos na rede pública: cesárea custa mais. 

• Enquanto o mundo se mobiliza contra o terror islâmico, jornalistas estatizados pelo governo lulopetista envergonham o Brasil com a reedição do espetáculo do cinismo. (Augusto Nunes) 

• Atentado fortalece extrema direita na França - Série de ataques a mesquitas e locais de concentração de muçulmanos deixa governo francês em alerta sobre reação islamofóbica ao atentado na redação do Charlie Hebdo, que deixou 12 mortos e mais de dez pessoas feridas na tarde de ontem; a líder da Frente Nacional Francesa, Marina Le Pen, afirmou que o episódio de quarta-feira iria libertar a palavra face ao fundamentalismo islâmico. (Roberta Namour, 247) 

• Suspeitos de ataque estariam em casa no norte da França, dizem jornais. Irmãos teriam assaltado posto de gasolina e abandonado carro durante fuga. Policiais de elite vão para a região. Ontem, suposto motorista se entregou e alega inocência. Entre as doze vítimas do ataque de quarta-feira figuram cinco cartunistas da Charlie Hebdo: Charb, Wolinski, Cabu, Tignous e Honoré, assim como o economista Bernard Maris. Charlie Hebdo voltará a ser publicada na próxima semana


Falando De História 
Digno de ficar nos arquivos dos Portugueses.
Merece ficar não apenas nos arquivos lusos, mas em todos os museus históricos do mundo todo.
Surpreendeu-me ter visto no filme a mesma analogia que eu fizera, há alguns anos, num texto, entre a saga marítima portuguesa e as expedições espaciais dos norte-americanos e russos. De tal modo, que se pode mesmo montar uma razão matemática, onde as expedições marítimas portuguesas, - desde Gil Eanes a Vasco da Gama - estão para as conquistas ultramarinas, assim como a viagens do Projeto Apollo estão para o domínio do espaço interplanetário, ainda que, pelo menos por enquanto, esteja este ultimo ainda a andar de gatinhas.
O navegador português Gil Eanes, que, com a sua barcaça de poucos recursos, dobrou o cabo Bojador em 1434, abrindo caminho para o Atlântico, não perde, de glória, em nada para os astronautas que caminharam no terreno lunar em 1969.
Gratíssimo ao amigo pelo envio de tão valioso e didático material histórico que repasso com prazer aos meus correspondentes da Comunidade Internauta. (AC)

A felicidade pelo fracasso. 

Amantes do caos
Para os amantes e perseguidores do caos econômico e social, o ano de 2015 inicia cheio de esperança. Como Dilma, seus aliados e seguidores já mostraram que são imbatíveis no jogo no qual quem mais destrói é quem sai vitorioso, quanto maior o fracasso maior a felicidade.

Boletim Focus
Vejam, por exemplo, o que informa o primeiro Boletim Focus de 2015: a projeção de crescimento do PIB para 2015 foi reduzida de 0,55% para 0,50%, enquanto que a projeção da inflação, pelo IPCA, aumentou de 6,38% para 6,39%. Que tal?

Construídas com cuidado
Tais projeções, que nas últimas 15 semanas se direcionam sempre voltadas para o centro do inferno, não são obras do acaso: foram todas construídas, com grande cuidado, pelo departamento da engenharia do governo Dilma Neocomunista Rousseff. 

Sentido inverso
Olhando pela perspectiva (frágil) do time contrário, de quem joga pensando que o sucesso é definido pelo crescimento econômico com inflação baixa, tudo aquilo que o Boletim Focus vem projetando deveria ser ao contrário, ou seja: 

1 - o crescimento do PIB deveria estar no lugar da taxa da inflação projetada; e,
2 - o crescimento da inflação deveria ser igual ou menor do que a projeção do PIB.

Fé e devoção
O lamentável é que a cultura do atraso, que se instalou no nosso pobre país desde a chegada da primeira caravela portuguesa, foi parar no DNA do povo brasileiro. Não havendo, portanto, a possibilidade de ser extirpada, a sociedade se agarra à Fé e à Devoção, como se viu nas imagens mostradas pela televisão na virada do ano. 

Pular sete ondas
Essa tola mania que milhões de brasileiros têm, de entregar a Deus, aos santos e aos governantes o destino de suas vidas, identifica a incapacidade -voluntária- de reagir aos despropósitos. Mais: mostra que as ações cabíveis para um bom futuro está em comer porco e lentilha e pular sete ondas e outras coisas mais. Pode? 

Tudo vai dar certo... Percebendo que o povo mergulha na tradição anual, de acreditar que basta ter esperança e fé imaginando que -no fim tudo vai dar certo- o governo faz a sua parte cada dia mais destrutiva: aumenta gastos e diminui serviços. O que implica em necessidade de mais reza, fé e devoção por parte do povo cada dia mais pobre em discernimento. 

O curioso é que enquanto o governo cassa quem se atreve a sonegar impostos, o que mais faz, com precisão absoluta, é sonegar serviços. Pode? (Gilberto Simões Pires)

Nenhum comentário: