20 de jan de 2015

A Estrada...

Acho um erro dizer nascemos na data saída do ventre. E o tempo gerado e gestado? 

A caminhada longa, sofrida e sedutora no aprendizado, cumprindo o que me foi ensinado pelos pais, irmãos, esposa, filhas, parentes, amigos e a vida. 

Sou aquele disco de papel introduzido no relógio que os vigias usavam para marcar com chaves em locais próprios, sua passagem de vigilância no trabalho. 

Minha memória é ótima dando-me a sensação dos primórdios da infância, mocidade e dias atuais. 

Não sonho, viajo no tempo-espaço e me vejo no ontem e amanhã. 

Nada se apagou. Recordo ruas, trabalhos, fatos e pessoas que me alimentaram com suas sabedorias, me deixando a cavaleiro por ser o que sou: um aprendiz. 

Não falo de títulos, diplomas, frases, apenas a guarda que faço de tudo na Escola da Vida. 

Olho claramente os que se foram e os vejo com os vivos numa grande rede onde pesquei de tudo, para hoje, simbolicamente, dizer Obrigado! (AAndrade)

Nenhum comentário: