16 de dez de 2014

Quem poderá nos salvar…

 photo _aaccedilotildees.jpg
Ação da Petrobras chega a menor valor em mais de 10 anos. Papéis desabam mais de 9% e ação ordinária recua a menor cotação desde setembro de 2004. Dólar subiu e encostou em R$ 2,70.


A riqueza de Lulinha o filho do ex-presidente Luiz Inácio da Silva Lula é apontada pela Veja Como um Fábio Luiz Lula da Silva //o Lulinha, ex-funcionário publico de um zoológico conseguiu se tornar um dos homens mais rico e poderoso do Brasil.

 photo _alulinha.jpg A revista Veja traz neste fim de semana detalhes de mais um grande escândalo no governo de Luiz Lula da Silva. Os fatos que já circulavam por todo o Brasil vem a tona com riqueza de detalhes e promete estremecer as estruturas do PT e do país./ Como um Fábio Luiz Lula da Silva //o Lulinha, ex-funcionário publico de um zoológico conseguiu se tornar um dos homens mais rico e poderoso do Brasil. Lulinha é sócio majoritário dos Frigoríficos JBS de nome fantasia Friboi que em seu seguimento é atualmente a maior empresa da América Latina.

O filho do ex-presidente Lula também é sócio majoritário da empresa de telefonia Telemar e Oi. Lulinha é proprietário de mais seis fazendas que somadas tem o total de 1.400,00 (Um milhão e quatrocentos mil) hectares de terra. Com estas fazendas ele cria 500,00 (Quinhentos mil) cabeças de no Estado do Pará.

Hoje o meio de transporte do filho de Lula é um jato executivo avaliado em 50.000.000,00 (Cinquenta milhões) de dólares. Este enriquecimento é uma feito inédito no mundo, um funcionário publico de um zoológico que se tornou bilionário em poucos anos. Este é o verdadeiro projeto social criado por Lula e o PT que tanto a Presidente Dilma defende. A eleição presidencial 2014 não valia apenas uma cadeira no maior cargo político do Brasil, esta eleição estava valendo a existência do PT, Lula, Lulinha e tantos outros corruptos que estão afundando e saqueando os cofres públicos do Brasil.

Dilma ganhou a eleição, porém a sociedade, os políticos sérios e o judiciário do país não deixaram barato tanta corrupção e roubalheira que se instalou na política brasileira liderada pelo PT.

Água chegando ao pescoço de Dilma. 

Está provado: Lula e Dilma foram avisados sobre as irregularidades. Em vez de agirem no sentido de interromper a roubalheira, ajudaram os bandidos. Leia e confira como foi essa ajuda.

Se isso acontecesse numa república de razoável solidez, não haveria como a presidanta escapar do impeachment. Já nesta republiqueta de bananas... Veremos no que vai dar. (AC) 

O advogado da Petrobras avisou o Planalto dos riscos de a estatal continuar contratando obras sem licitação apesar das sucessivas advertências do Tribunal de Contas da União sobre irregularidades. Na semana passada, VEJA mostrou que mensagens eletrônicas encontradas pela Polícia Federal nos computadores do Palácio do Planalto revelavam que o ex-presidente Lula e a presidente Dilma Rousseff tiveram, em 2009, a oportunidade de interromper a ação dos corruptos que atuavam no coração da Petrobras - e a desperdiçaram. Chefe da Casa Civil do governo Lula, Dilma recebeu do então diretor de Abastecimento e Refino da Petrobras, Paulo Roberto Costa, um e-mail alertando para o risco de que obras sob sua responsabilidade fossem paralisadas por recomendação do Tribunal de Contas da União (TCU). Cérebro da quadrilha que desviou bilhões dos cofres da companhia, Paulo Roberto estava preocupado com a ação dos auditores que começaram a farejar pistas da existência do cartel de empreiteiras que superfaturava contratos na estatal. Para impedir que o dinheiro parasse de jorrar no bolso dos corruptos, o diretor sugeriu que o governo agisse politicamente para neutralizar as denúncias do tribunal. E assim foi feito. Logo depois de receber a mensagem, Dilma se pôs a criticar a iniciativa do TCU, e Lula vetou a decisão do Parlamento de interromper as obras suspeitas, entre elas a de construção da Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco.

Na esteira da apuração da reportagem, VEJA perguntou à presidente, que também comandava o Conselho de Administração da Petrobras na ocasião, se era comum um diretor desconsiderar a hierarquia, dirigir-se diretamente ao Palácio do Planalto e tomar a liberdade de oferecer sugestões políticas para um problema administrativo. Dilma não respondeu. A presidente também não explicou por que o governo, em vez de atuar para sanar as irregularidades apontadas pelo tribunal, fez exatamente o contrário. Depois da publicação da reportagem, Dilma Rousseff preferiu, em nota oficial, atacar o mensageiro. Ela acusou VEJA de manipulação. A revista só relatou fatos produzidos pelos governos de Lula e Dilma. Não foi VEJA que colocou Paulo Roberto Costa na Petrobras com o objetivo de montar um esquema de corrupção para obter recursos a ser entregues a políticos e partidos aliados do governo. Não foi VEJA que colocou o doleiro Alberto Youssef a serviço do esquema de Costa na Petrobras. Quem disse que Lula e Dilma sabiam de tudo foi Youssef. VEJA apenas revelou a fala do doleiro. Portanto, não adianta esbravejar contra o mensageiro, quando é a mensagem que fere.

Em 29 de maio de 2007, o então advogado da estatal junto ao TCU, Claudismar Zupiroli, enviou um e-mail à então secretária - executiva da Casa Civil, Erenice Guerra. Ele relatou sua preocupação com o fato de o TCU estar no pé da Petrobras pelo uso abusivo de um decreto que permite gastos sem licitação na estatal (leia a entrevista com o presidente do TCU na pág. 72). Zupiroli informa que há um voa barata entre os gestores da Petrobras, que estavam com medo do recrudescimento do tribunal em cima deles, por causa das contratações sem licitação. Editada em 1998 no governo do presidente Fernando Henrique Cardoso, a norma foi idealizada com uma finalidade nobre: agilizar a contratação de serviços prioritários e urgentes a fim de evitar que a estatal perdesse competitividade no mercado. Nas mãos de Paulo Roberto Costa e de outros diretores corruptos da estatal, no entanto, o decreto passou a ser usado indiscriminadamente para dispensar a licitação em praticamente todas as obras, servindo de biombo para acobertar as maiores atrocidades patrocinadas com o dinheiro público.

É da natureza dos corruptos não se intimidar diante de leis e decretos que dificultam sua ação. Assim, não se pode ver na dispensa de licitação a única causa da transformação das obras da Refinaria Abreu e Lima no maior assalto aos cofres públicos já registrado na história do Brasil. De 2,5 bilhões de dólares, o custo da refinaria saltou para 20 bilhões. Uma parte considerável desse dinheiro foi desviada pelo esquema de corrupção liderado por Paulo Roberto na Petrobras. No relatório de 2009, o TCU alertava para a existência de superfaturamento. Informava que os negócios suspeitos eram planejados em uma sala secreta, localizada no 19º andar do edifício-sede da Petrobras. Era lá que Paulo Roberto dava expediente como diretor de Abastecimento. Dali ele redigiu a mensagem a Dilma Rousseff sugerindo a bem-sucedida intervenção do governo para que nada fosse investigado.

Zupiroli também achou por bem advertir Erenice: Cresce a corrente dos que se recusam a assumir cargos de responsabilidade, como cresce a disposição daqueles que acham que devem ligar o f. no sentido de aplicar a Lei de Licitações, independentemente das consequências. A água está chegando ao pescoço. Não há registro de que a principal conselheira de Dilma tenha tomado alguma providência no sentido de ao menos averiguar se havia algo errado. O que se viu foi que as contratações sem licitação continuaram a todo o vapor. O primeiro e-mail revelado por VEJA mostrou que o Planalto foi acionado por Paulo Roberto Costa para não deixar o TCU interromper as obras e, claro, a dinheirama sem licitação. A mensagem do advogado, bem mais explícita e eloquente, mandara o mesmo recado dois anos antes. Na semana passada, o deputado Ronaldo Caiado (DEM-GO) apresentou requerimento pedindo a convocação de Dilma e Lula para prestar esclarecimentos na CPI mista da Petrobras. A presidente disse que está disposta a aprofundar toda a investigação. Nada mais justo do que ela ir à CPI para esclarecer, em primeiro lugar, a acusação do doleiro e, agora, a ligação com esse diretor corrupto. O parlamentar também quer que o ex-presidente e sua sucessora expliquem como a quadrilha conseguiu se instalar na Petrobras sem que o governo percebesse. Quadrilha que, segundo os depoimentos colhidos pela polícia, também ajudou a financiar a própria campanha presidencial de Dilma em 2010 e alimentou o caixa do PT e de seus aliados. (Robson Bonin e Hugo Marques)

Dá para alguém fazer esse vídeo chegar à Presidanta? 
Boas lembranças de uma Senhora Estadista: Margareth Tatcher. 
Grande diferença com o que prega o nosso governinho infeliz, que infelizmente temos que aturar!!!

A crise global e os seus investimentos 

Caro leitor, Esta semana, gravamos um webinar para alertar os investidores da mudança drástica no cenário internacional, e como ela pode ser o golpe de misericórdia para a economia brasileira. A relevância do tema e seus potenciais impactos exigiu que gravássemos em caráter de urgência.

Peço desculpas pela correria, mas tudo teve de ser feito de forma muito rápida.

Ainda assim, modéstia à parte, produzimos um webinar de ótimo conteúdo. Acredito que ele pode fornecer insights relevante e recomendo fortemente que você assista ao webinar, caso ainda não o tenha feito.

O acesso é gratuito, através deste link, e estará disponível até amanhã. 

Situação da Petros*! 

Você sabia? 
- Que o Plano Petros BD em Setembro/2014 apresentou um déficit de quase 6 bilhões de reais.
- Que os diretores da Petros são todos ex-sindicalistas trabalhando sob orientação do PT? O mesmo acontecendo com o presidente do Conselho Deliberativo?
 Que o dinheiro do Fundo que serve para pagar sua aposentadoria/pensão tem sido aplicado em negócios de resultado duvidoso ou que deram prejuízo ao Fundo?
- Que entre essas aplicações os bancos BVA e Cruzeiro do Sul faliram bem como o fundo Galileo (Universidade Gama Filho)?
- Que a Petros trocou investimentos rentáveis para comprar ações da Itausa a um preço bem acima do mercado para transferir recursos para a empreiteira Camargo Correia implicada no lava-jato?
- Que a Petros com a conivência da FUP está solicitando à PREVIC a separação de massas e cisão do patrimônio do Fundo para criar dois planos: Repactuados e Não Repactuados? 
- Que após essa cisão que está sendo proposta sem levar em conta cálculos atuariais pode haver uma retirada de patrocínio pela Petrobras de um ou dos dois novos planos?
- Que no dia 02/12/2014 houve um Fórum na AABB para discutir temas relacionados aos fundos de pensão das estatais reunindo representantes de associações de outros Fundos?
- Que foram convidados mais de 3000 participantes do Fundo Petros, moradores no Rio de Janeiro e só compareceram 6 participantes?
Se você não se interessa por tudo o que acima foi dito pense que muito em breve o seu contracheque pode não chegar no fim do mês ou chegará muito reduzido ou atrasado! Você deve pensar no que o seu desinteresse ou o seu comodismo poderá lhe causar ou aos seus dependentes no futuro.
Não pense que uns poucos poderão resolver os problemas que vão afetar muitos! É preciso que todos se mobilizem para defender seus direitos de modo a mostrar àqueles que querem nos prejudicar, que estamos unidos!
Portanto, saia da cadeira ou do sofá, deixe a TV ou o jornal e junte-se a nós para defender os seus direitos e o que é seu! (Pedro Carvalho, um aposentado como vocês!) 
• Petros - Fundação Petrobras de Seguridade Social 

Pagando o Pato... 

Dilma torrou o seu, o meu, o nosso. Agora, quer que a gente pague a conta.

Depois de promover uma gastança irresponsável nos últimos anos, o governo pretende aumentar impostos para cobrir o rombo que criou nas finanças públicas.

Com o anúncio da nova equipe econômica e a discussão das primeiras medidas que poderão ser adotadas para tirar as contas públicas do vermelho, está ficando claro que o governo não conseguirá obter os resultados desejados apenas com o corte de despesas.

Diante da gastança irresponsável promovida nos últimos anos, o governo precisará, também, engrossar as receitas, por meio do aumento de impostos, drenando ainda mais recursos da iniciativa privada, que já contribui com quase 40% do Produto Interno Bruto (PIB) para custear as bruxarias de Brasília - um recorde mundial entre os países emergentes.

Ao final, como já vinham alertando os analistas independentes há algum tempo, a conta da farra oficial sobrará para o contribuinte. Ele - ou seja, todos nós, que trabalhamos duro para gerar riqueza para a turma de Brasília torrar por aí - é quem deverá pagar o custo da herança maldita deixada pela Dilma do primeiro mandato para a Dilma do segundo mandato. Depois de reajustar a tabela do imposto de renda é os depósitos do FGTS abaixo da inflação, o governo do PT, que se autointitula como o legítimo defensor dos interesses dos trabalhadores, agora pretende passar a fatura de seus descalabros para toda a sociedade.

Além da volta da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide), aplicada aos combustíveis, que pode sugar R$ 14 bilhões adicionais por ano das empresas e dos cidadãos, estuda-se também no Ministério da Fazenda a elevação da alíquota de PIS/Cofins incidente sobre produtos importados e também dos tributos sobre cosméticos. 

Só essas duas medidas poderão drenar mais R$ 5 bilhões por ano, elevando a fatura a ser paga pela sociedade pelos descalabros do governo para quase R$ 20 bilhões.

Fora isso, que não é pouca coisa, os governadores eleitos do PT estão se articulando para tentar resgatar a velha CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira), o imposto do cheque, que era usado, em tese, para financiar a saúde e amealhou dos contribuintes a bagatela de R$ 200 bilhões em uma década.

Defenestrada pelo Congresso Nacional em 2007, na maior derrota do governo Lula no Legislativo, depois de uma campanha nacional que envolveu um abaixo assinado com um milhão de assinaturas, a CPMF chegou a morder 0,38% de todas as transferências de recursos entre correntistas realizadas no país.

Pelo andar da carruagem, como se dizia no passado, tudo indica que Dilma, depois de garantir que estava tudo azul em Brasília, vai acabar tungando o seu, o meu, o nosso, como disse certa vez o economista Armínio Fraga, ex-presidente do Banco Central e principal assessor econômica de Aécio Neves durante a campanha eleitoral. Sem a repetição do movimento cívico que evitou a volta da CPMF há sete anos, apoiado por ÉPOCA na ocasião, dificilmente será possível evitar que os políticos, em especial aqueles que formam a chamada base aliada, joguem mais esse peso nas costas dos brasileiros, cujos bolsos já tem sido tão afetados pela bandalheira instalada pelo PT na Petrobras e em outras empresas estatais. (José Fucs)


Nenhum comentário: