28 de dez de 2014

Mudar ou limpar de verdade...

 photo _aroubo.jpg
Mantega escapa de fininho da operação Lava Jato que esquece que ele é o presidente do conselho da Petrobras.

“...Consumidor vai bancar erros de planejamento no setor elétrico, mas Dilma pagará nos EUA pelo Petrolão. Se os desmandos, erros e roubalheiras envolvendo a Petrobras afetam a empresa, derrubando suas cotações, desvalorizando-a e mexendo com o imaginário nacionalista em torno da petroleira, as besteiras no setor elétrico (incluindo o despreparo no planejamento para ligar com previsíveis problemas climáticos) prejudicam diretamente os bolsos dos consumidores. Como a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) definiu que o país está em bandeira vermelha em termos energéticos, a partir de 1 de janeiro cada um de nós pagará R$ 3 reais pelo custo extra a cada 100 Kw....” (Alerta Total) 

É um nunca parar de impostos e mais impostos - Governo bate recorde de receita: R$ 2,19 trilhões. Para ele, o sonho não acabou...

O destino do seu dinheiro - A Prefeitura do Rio, nos tempos do prefeito César Maia, DEM (até 2008), gastava R$ 640 mil por ano em publicidade. A partir de 2009, com a posse de Eduardo Paes, do PMDB, as despesas vieram crescendo. E, já em 2015, este ano que está chegando, a previsão de gastos com publicidade é de R$ 150 milhões. Recapitulando: no final de 2008, eram R$ 640 mil por ano. No início de 2015, seis anos depois, estão em R$ 150 milhões por ano. A verba será dividida entre três agências, a ser escolhidas em licitação no dia 9 de fevereiro. É assim: vão usar o seu dinheiro para convencê-lo de que o Governo é bom. (Carlos Brickmann)

Lista põe Petrobras entre as 20 maiores poluidoras de 2013. Ranking global de empresas foi elaborado pela Reuters. Estatal culpa seca e uso de termelétricas por alta nas emissões.

Movimento Passe Livre cujas manifestações culminaram com a série de protestos de junho de 2013 em todo o país, vai voltar às ruas no próximo dia 9, uma sexta-feira, contra o reajuste na tarifa de ônibus da capital paulista comunicado pelo prefeito Fernando Haddad. Segundo documento encaminhado nesta sexta-feira à Câmara Municipal, a tarifa vai passar de R$ 3 para R$ 3,50 a partir do dia 6 de janeiro. A diferença, de R$ 0,50, é mais que o dobro do aumento de R$ 0,20.


O mais do mesmo 

A extinção do latifúndio virou ampliação do agronegócio e limitação da propriedade rural familiar. A limitação de remessa de lucros para o exterior transformou-se em demolição das barreiras fiscais que impediam o envio do produto da corrupção daqui de dentro lá para fora. O voto do analfabeto é cercado de tantos impedimentos que só tem diminuído, enquanto aumenta o número dos brasileiros que não sabem ler nem escrever. A participação dos empregados no lucro das empresas continua sonho de noite de verão. O estímulo ao crescimento da indústria nacional desapareceu, ao tempo em que murchou a influência dos sindicatos na formulação da política social e trabalhista. A proteção ao trabalho do menor deu lugar à multiplicação do número de crianças exploradas no campo e nas ruas das grandes cidades. A garantia do trabalho virou fumaça em prol das demissões amplas e irrestritas. Exportamos cada vez mais produtos primários do que importamos produtos estrangeiros de valor agregado sempre maior.

Acabamos de alinhar um programa do PSDB ou a cartilha neoliberal dos tempos de Fernando Henrique Cardoso? Nem pensar. A realidade acima referida é praticada pelo governo do PT. Os companheiros abandonaram as propostas do tempo da fundação de um partido que seria diferente dos demais. Importa menos saber se foi o Lula o primeiro responsável pela mudança ou se coube a Dilma consolidá-la. A verdade é que ambos cederam, se é que um dia imaginaram construir um país socialmente adiantado. Assim chegamos ao final do ano e do mandato inicial da presidente da República. Ironicamente, bafejada pelas urnas do mês de outubro. Por isso não houve a apresentação de um plano de metas, durante a campanha.

O pífio ministério que vem sendo definido, mesmo com alguns nomes petistas, carece de defensores de reformas econômicas, políticas e sociais. Pelo contrário, compõe-se, no mínimo, de adeptos do vigente modelo conservador. A única mudança em pauta parece da criação de limitações para as atividades da mídia. Prevalece o modelo do mais do mesmo, apesar dos 53 milhões de votos dados a Dilma Rousseff. Os eleitores foram enganados ou enganaram? 

Avenidas e estátuas 

Fica para outro dia analisar o papel do marechal Costa e Silva na presidência da República, registrando-se apenas que morreu tentando acabar com o AI-5, inclusive num último esforço para assinar o nome, que já não conseguia em função do derrame cerebral que o acometeu. O problema é que acabamos de assistir o prefeito de sua cidade natal, Taquari, no Rio Grande do Sul, mobilizar um guindaste para demolir estátua feita em sua homenagem numa das praças principais.

A iniciativa lembra outra, acontecida em 24 de agosto de 1954, quando Getúlio Vargas estava para ser deposto do palácio do Catete. Horas antes de dar um tiro no peito e mudar a História do Brasil através de um dos mais importantes documentos da República, a carta-testamento, seus adversários confeccionaram cartazes de papelão com os dizeres Avenida Castro Alves, que foram colados em cima das placas onde há anos se lia Avenida Getúlio Vargas. A reação popular arrancou os inusitados cartazes e botou os energúmenos para correr.

A gente fica pensando o que acontecerá daqui a cinquenta ou cem anos com as estátuas que fatalmente serão erigidas para homenagear o Lula e a Dilma… (Carlos Chagas) 

Frase atribuída ao Lyndon Johnson muito interessante: Se há um idiota no poder os que o elegeram estão bem representados.

Nenhum comentário: