2 de out de 2014

Uma Nação à deriva. Alguém notou?....

 photo _ameajudem.jpg
É um nunca termina! Ataques do tráfico assustam o Rio às vésperas das eleições e tem mais uma noite de tiroteios em favelas pacificadas; governo realiza reunião com cúpula da segurança. Efetivo do Bope nas ruas será dobrado, garante José Mariano Beltrame e secretário lembrou que nas vésperas de eleições passadas os criminosos também promoveram uma onda de violência.

Após 90 horas de políticos na TV, horário eleitoral termina hoje. Marina decide fazer ataque frontal a Dilma. No último programa, Dilma evitará ataques. Ataques de Aécio Neves contra Marina e Dilma vão continuar.

Mente! - Dilma afirma que demitiu Costa, mas ata mostra renúncia. Documentos dizem que Paulo Roberto Costa renunciou, contrariando a versão da presidente Dilma de que ela o demitiu.

Depois da roubalheira na Petrobras, Dilma abusa da desfaçatez e fala em combate à corrupção. Quem a presidente Dilma Rousseff quer enganar com seu discurso embusteiro de combate à corrupção? 

FHC se supera e fala em tirar essa gente do poder - Ele se anima com desempenho do candidato pelo PSDB, Aécio Neves: a gente nota já há algum tempo essa tendência [de alta], claro que são poucos dias, mas a curva é nítida, afirmou; Se vai dar, não vai dar... depende de nós agora. Votar lá e pronto. Há possibilidade e o que é mais importante: é preciso derrotar essa gente que está no governo, não é só o PT não, essa gente que está no governo porque fizeram muita coisa errada no Brasil, atacou; FHC repetiu Jorge Bornhausen, que falou em exterminar essa raça, mas quem acabou foi o antigo PFL de Bornahusen, não o PT.

Contas públicas terão em 2014 pior resultado em 11 anos. E se preparem, gasolina vai subir.

Ex-diretor da Petrobras diz ter recebido US$ 23 milhões da Odebrecht na Suíça. Empreiteira nega acusação e diz que contratos com a estatal seguem licitações. Delator do esquema, Paulo Roberto Costa chega ao Rio para cumprir prisão em casa. Costa devolverá mais dinheiro do que país conseguiu reaver até hoje. Em 10 anos, R$ 43 milhões recuperados; delação trará R$ 63 milhões. Acordo de delação premiada inclui familiares de ex-diretor, como mulher, filhas e genros de ex-diretor.

Obra do BRT Transbrasil começa em 45 dias e terminará em 2016. Resultado da licitação do lote 2 saiu na quarta-feira. Corredor ligará Deodoro ao Caju e terá 28 estações em 30 quilômetros.

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, instaurou procedimento preparatório eleitoral (PPE) nesta quarta-feira (1º) para apurar as declarações homofóbicas do candidato à presidência Levy Fidelix (PRTB), em debate realizado na TV Record no último domingo. De acordo com nota divulgada pela procuradoria, Fidelix tem 24 horas para prestar esclarecimentos sobre o caso. O procedimento foi instaurado motivado por denúncia formalizada pela Comissão Especial de Diversidade Sexual do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

TSE acha cerca de 2,6 mil eleitores que estão aptos a votar duas vezes.

Protesto de aposentados vira madrugada na Petrobrás - Em ato de protesto contra a discriminação na política de remuneração dos aposentados e pensionistas em relação aos ativos, cerca de 150 petroleiros aposentados e pensionistas pernoitaram, na última terça-feira, no saguão do Edifício Sede da Petrobrás (Edise), na Avenida Chile. Eles pretendiam ser recebidos pela presidente da estatal, Graça Foster, até as 9h de ontem (1°/10), o que acabou não ocorrendo. Os manifestantes entregaram duas reivindicações: negociar diretamente com Graça Foster e obter a anistia de um valor que é cobrado pela empresa como um pagamento indevido.
ooo0ooo
Manifestantes exigem saída de chefe de governo de Hong Kong. Ativistas e polícia entram em choque. Manifestantes deram ultimato para que líder Leung Chun-Ying renuncie até o fim do dia, ameaçando ocupar edifícios públicos.

AFP Líder do Boko Haram aparece em vídeo e desmente morte.

Ao menos 40 jihadistas e 17 policiais são mortos em combate no Iraque.

Escândalo dos Correios: PSDB reúne provas para pedir cassação das candidaturas de Dilma e de Fernando Pimentel (PT-MG)
Tucanos vão recorrer ao TSE e ao Ministério Público por investigação para apurar se os Correios boicotaram deliberadamente envio de malotes de campanha de Aécio. Campanha tentou enviar mais de 5 milhões de santinhos para o interior de Minas.
Depois de anunciar que acionarão a Justiça por uma investigação rigorosa sobre indícios da utilização dos Correios em benefício da campanha da presidente-candidata Dilma Rousseff, o candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, e o candidato tucano ao governo de Minas Gerais, Pimenta da Veiga, começaram a reunir provas para pedir a cassação dos registros de candidatura da petista e do candidato do PT ao governo de Minas, Fernando Pimentel.
Os tucanos vão recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com um pedido de investigação judicial eleitoral e ao Ministério Público Federal para que as duas instituições apurem se os Correios boicotaram deliberadamente o envio de malotes de campanha de Aécio como forma de favorecer a presidente-candidata na corrida presidencial.
As denúncias levantadas pelos tucanos levam em conta depoimentos de eleitores que não receberam material de campanha de Aécio mesmo após o candidato ter contratado o serviço, no dia 25 de agosto.
Neste contrato, estava prevista a distribuição de 5.634.000 santinhos de Aécio no interior de Minas, base de apoio do candidato e colégio eleitoral considerado prioritário para a candidatura tucana. Pelo documento, os kits de campanha deveriam ser entregues até o dia 10 de setembro e, em alguns casos, a 100% da população de cidades pequenas e médias em Minas, como o município de Esmeraldas, com cerca de 60.000 habitantes.
Amostragem de mil endereços já confirmou: não chegou nada pelo Correio.
O corpo jurídico da campanha de Aécio já conseguiu mapear pelo menos 1.000 endereços, contratados como destino dos malotes pelo tucano, em que eleitores confirmam que não receberam qualquer material de campanha do PSDB.
A campanha reúne depoimentos e dados pessoais dos eleitores supostamente lesados pelos Correios, para embasar os pedidos de cassação dos registros de candidatura. De acordo com o candidato Aécio Neves, que cumpriu agenda nesta quarta-feira nas cidades de Mogi das Cruzes (SP), Juiz de Fora (MG) e Governador Valadares (MG), uma das provas seria a afirmação dos Correios de que poderiam reenviar o material.
Para ele, isso seria a admissão de que a empresa pública reteve os kits de campanha e não os distribuiu aos eleitores, conforme contratado. Com base nesses indícios, a campanha do PSDB aponta que já existem evidências de abuso de poder político e econômicos, desvio da autoridade dos Correios e utilização de empresa pública em benefício de partidos e candidatos.
Agora são os Corrreios. Antes, era a Petrobras 
Antes de carreata na cidade de Governador Valadares, Aécio insinuou que as suspeitas de uso político dos Correios são como um novo capítulo de um grande esquema de desvirtuamento de instituições públicas, a exemplo do que já aconteceu com a descoberta de um esquema milionário de corrupção na Petrobras. As denúncias em relação à utilização da empresa dos Correios são extremamente graves. Estamos recebendo centenas de denúncias. Se se comprovar isso, é um crime sem precedentes na história política de Minas, disse.
É um escândalo. Agora são os Correios. Antes era a Petrobras, criticou o candidato do PSDB ao governo de Minas. O tucano, que foi ministro das Comunicações no governo FHC e, portanto, hierarquicamente superior aos Correios, disse que há evidências de uso despudorado da empresa pública para fins eleitorais.
O tom das acusações do PSDB sobre a estatal subiu após divulgação de vídeo, pelo jornal O Estado de S. Paulo, em que o deputado estadual Durval Ângelo (MG) diz que a presidente-candidata Dilma Rousseff só chegou à liderança nas intenções de voto porque tem dedo forte dos petistas nos Correios. Não basta fazerem o que fizeram na Petrobras. Essa forma de governar do PT, se apropriando do Estado como se fosse seu patrimônio, tem que ser encerrada e os responsáveis exemplarmente punidos, afirmou Aécio cumprindo agenda em Juiz de Fora. (Laryssa Borges, Veja) 
A Lista dos Perigos
Tenho vontade de registrar este texto em cartório, para depois mostrar aos eleitores da Dilma O que acontecerá com o Brasil se a Dilma for eleita?
Aqui vai a lista:
A catástrofe anunciada vai chegar pelo desejo teimoso de governar um país capitalista com métodos socialistas. Os meios errados nos levarão a fins errados. Como não haverá outra reeleição, o PT no governo vai adotar medidas bolivarianas tropicais, na linha justa de Venezuela, Argentina e outros.
Dilma já diz que vai controlar a mídia, economicamente, como faz a Cristina na Argentina. Quando o programa do PT diz: “Combater o monopólio dos meios eletrônicos de informação, cultura e entretenimento”, leia-se, como um velho petista deixou escapar: Eliminar o esterco da cultura internacional e a irresponsabilidade “da mídia conservadora. Poderão enfim pôr em prática a velha frase de Stalin: As ideias são mais poderosas do que as armas. Nós não permitimos que nossos inimigos tenham armas, por que deveríamos permitir que tenham ideias?
As agências reguladoras serão mais esvaziadas do que já foram para o governo PT ter mais controle sobre a vida do país. Também para controlar, serão criados os conselhos de consulta direta à população, disfarce de sovietes como na Rússia de Stalin.
O inútil Mercosul continuará dominado pela ideologia bolivariana e cristiniana. Continuaremos a evitar acordos bilaterais, a não ser com países irrelevantes (do terceiro mundo) como tarefa para o emasculado Itamaraty, hoje controlado pelo assessor internacional de Dilma, Marco Aurélio Garcia. Ou seja, continuaremos a ser um anão diplomático irrelevante, como muito acertadamente nos apelidou o Ministério do Exterior de Israel.
Continuaremos a defender o Estado Islâmico e outros terroristas do terceiro mundo, porque afinal eles são contra os Estados Unidos, inimigo principal dos bolcheviques que amavam o Bush e tratam o grande Obama como um neguinho pernóstico.
Os governos estaduais de oposição serão boicotados sistematicamente, receberão poucas verbas, como aconteceu em São Paulo.
Junto ao patrimonialismo de Estado, os velhos caciques do patrimonialismo privado ficarão babando de felicidade, como Sarney, Renan et caterva voltarão de mãos dadas com Dilma e sua turminha de brizolistas e bolcheviques.
Os gastos públicos jamais serão cortados, e aumentarão muito, como já formulou a presidenta.
O Banco Central vai virar um tamborete usado pela Dilma, como ela também já declarou: Como deixar independente o BC?
A inflação vai continuar crescendo, pois eles não ligam para a inflação neoliberal. Quanto aos crimes de corrupção e até a morte de Celso Daniel serão ignorados, pois, como afirma o PT, são meias verdades e mentiras, sobre supostos crimes sem comprovação....
Em vez de necessárias privatizações ou concessões, a tendência é de reestatização do que puderem. A sociedade e os empresários que constroem o país continuarão a ser olhados como suspeitos.
Manipularão as contas públicas com o descaro de revolucionários - em 2015 as contas vão explodir. Mas ela vai nomear outro pau-mandado como o Mantega. Aguardem.
Nenhuma reforma será feita no Estado infestado de petistas, que criarão normas e macetes para continuar nas boquinhas para sempre.
A reforma da Previdência não existirá, pois segundo o PT, ela não é necessária, pois exageram muito sobre sua crise, não havendo nenhum rombo no orçamento. Só de R$ 52 bilhões.
A Lei de Responsabilidade Fiscal será desmoralizada por medidas atenuantes - prefeitos e governadores têm direito de gastar mais do que arrecadam, porque a corrupção não pode ficar à mercê de regras da época neoliberal. Da reforma política e tributária ninguém cogita.
 Nossa maior doença - o Estado canceroso - será ignorada e terá uma recaída talvez fatal; mas, se voltar a inflação, tudo bem, pois, segundo eles, isso não é um grande problema na política de desenvolvimento.
Certas leis chatas serão ignoradas, como a lei que proíbe reforma agrária em terras invadidas ilegalmente, que já foi esquecida de propósito.
Aliás, a evidente tolerância com os ataques do MST (o Stédile já declarou que se Dilma não vencer, vamos fazer uma guerra) mostra que, além de financiá-los, este governo quer mantê-los unidos e fiéis, como uma espécie de guarda pretoriana, como a guarda revolucionária dos aiatolás do Irã.
A arrogância e cobiça do PT aumentarão. As trinta mil boquinhas de militantes dentro do Estado vão crescer, pois consideram a vitória uma tomada de poder. Se Dilma for eleita, teremos um governo de vingança contra a oposição, que ousou contestá-la. Haverá o triunfo existencial dos comunas livres para agir e, como eles não sabem fazer nada, tudo farão para avacalhar o sistema capitalista no país, em nome de uma revolução imaginária. As bestas ficarão inteligentes, os incompetentes ficarão mais autoconfiantes na fabricação de desastres. Os corruptos da Petrobras, do próprio TCU, das inúmeras ONGs falsas vão comemorar. Ninguém será punido - Joaquim Barbosa foi uma nuvem passageira.
Nesta eleição, não se trata apenas de substituir um nome por outro. Não é Fla x Flu. Não. O grave é que tramam uma mutação dentro do Estado democrático. Para isso, topam tudo: calúnias, números mentirosos, alianças com a direita mais maléfica.
E, claro, eles têm seus exércitos de eleitores: os homens e mulheres pobres do país que não puderam estudar, que não leem jornais, que não sabem nada. Parafraseando alguém (Stalin ou Hitler?) - que sorte para os ditadores (ou populistas) que os homens não pensem.
Toda sua propaganda até agora acomodou-se à compreensão dos menos inteligentes: Quanto maior a mentira, maior é a chance de ela ser acreditada - esta é do velho nazista.
O programa do PT é um plano de guerra. Essa gente não larga o osso. Eles odeiam a democracia e se consideram os sujeitos, os agentes heroicos da História. Nós somos, como eles falam, a massa atrasada.
É isso aí. Tenho vontade de registrar este texto em cartório, para depois mostrar aos eleitores da Dilma. Se ela for eleita. (Arnaldo Jabor) 
ooo0ooo
A estranha omissão da CNBB
Face aos rumos ameaçadores para os quais aponta o quadro eleitoral, é compreensível a perplexidade dos católicos, afirmou em comunicado o Instituto Plinio Corrêa de Oliveira - IPCO, divulgado em São Paulo.
O IPCO observou também que essa perplexidade e apreensão é partilhada por muitos que não sendo católicos reconhecem o papel fundamental da Igreja Católica.
E a fonte dessa preocupação é a quase completa omissão da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) diante dos perigos que se avizinham contra os valores cristãos e contra o concórdia e a paz no Brasil.
Era natural que esse organismo episcopal, diz o IPCO, fizesse sentir a influência sobrenatural da Santa Igreja, pela pregação da verdade evangélica, para o bem espiritual, intelectual e moral daqueles que a ela se abrem.
Mas, infelizmente, a CNBB vem relegando para segundo plano uma série de temas de primordial importância religiosa e moral no que diz respeito ao bem comum espiritual e temporal do Brasil.
A CNBB vem tentando modelar a opinião pública a seu gosto em determinados problemas políticos e sócio-econômicos.
Os católicos deploram com dor na alma as incursões da CNBB em matéria especificamente temporal, revestidas, por vezes, de uma agressividade voltada para a agitação.

Nenhum comentário: