11 de jul de 2014

O que se fará depois...

 photo 005-1.jpg
Cambista e a máfia - Justiça nega habeas corpus ao britânico Ray Whelan, executivo de parceira da Fifa e já é considerado foragido pela polícia, PF, PRF e Interpol.

Supremo pode derrubar limite e turbinar a terceirização - Empresas estão proibidas de subcontratar trabalhadores para a parte principal de seus negócios; Ministério Público vê risco. Entidades patronais têm pressionado o Supremo Tribunal Federal (STF) para derrubar a proibição de que empresa terceirizem a mão de obra voltada a parte principal de seus negócios.

Ministro do TSE determina suspensão imediata de mais propagandas da Petrobras. Decisão atende a pedido da coligação do tucano Aécio Neves; mérito ainda será julgado pelo plenário do tribunal.

Um saco! Se defina e poupe energia! O TSE definiu que a propaganda política começa dia 19 de agosto e vai até 2 de outubro, no rádio e na televisão.


1. Após derrota, Planalto promete ajudar a modernizar o futebol. Lei de dívidas de clubes espera votação. O engraçado disso tudo é que quando da CPI na Câmara, o relator é o mesmo hoje Ministros dos Esportes. Coincidência ou chacota? 

 2. A ideia de estatizar o futebol é estapafúrdia, diz Merval Pereira ao criticar ministro do Esporte Aldo Rebelo por defender a volta da presença do Estado brasileiro na organização do futebol, o que é expressamente proibido pela Lei Pelé; segundo ele, o único caminho para restabelecer a capacidade brasileira de produzir bons times e jogadores é reduzir a interferência política na gestão dos clubes e da CBF. 

3. Aliás, falando nisso, quem é o presidente da CBF: Marco Polo del Nero ou José Maria Marin? Segundo os entendidos, as diferenças são quase zero.

Ler e ouvir para crer! Dilma diz para CNN que tem "tolerância zero" com a corrupção. Zero pra verdade!

Superlotado, abrigo de São Paulo para de receber imigrantes haitianos. Espaço recebe o dobro de sua capacidade.

Papa sinaliza pôr mulheres na Cúria da igreja.

Até quando ONU e outros mais vão deixar pessoas morrerem? Chefe da ONU pede cessar-fogo. Na faixa de Gaza, um novo ataque de de Israel mata 5 palestinos. Alvo era casa da Jihad Islâmica. Israel convoca 20 mil reservistas para possível ação anti-Hamas. Total de mortos em Gaza passa de 100. Hamas promete atacar aeroporto em Israel. EUA se oferecem para mediar conflito em Gaza. Segundo palestinos, cem pessoas morreram e 600 ficaram feridas em ataques israelenses após agressão palestina. 

O desastre do Brasil 

Gastamos para a glória alheia, gastamos para nada. E o povo chora nas arquibancadas e mais chora pelo desperdício.

Este desastre do futebol brasileiro diante da Alemanha, em goleada, começou bem antes da lesão propositada em Neymar, veio bem antes de quando Felipão mostrou-se desatualizado, soberbo, ditador; veio antes pela excessiva propaganda, cuidando dos mínimos gestos e movimentos de nossos jogadores, como se fossem deuses, novos e opulentos, com a supervalorização dos pés, como se pensassem ou criassem a ordem do universo. Não foi apenas a seleção alemã superior, houve negligência, pane, lapso dos atletas nacionais e como de início se viu um time de sopro curto. O preço foi muito caro.

Esse desastre começou com Lula e continuou com Dilma Rousseff com gastos em estádios, criando dinheiro onde não havia, criando inflação, feriados, bolha imobiliária, a ponto de o país parar. Criando, sim, elefantes brancos, faraônicos, até em Manaus, Cuiabá, Fonte Nova, Mané Garrincha, Maracanã, no Beira-Rio, na Arena de São Paulo, em Recife, no Paraná, no Mineirão, em Belo Horizonte, e outras duas cidades, alargando o bolso dos empreiteiros e, quiçá, de alguns governos, quando para uma Copa do Mundo bastava a metade de estádios. Agora nem saberemos o que fazer com alguns deles.

Gastamos para a glória alheia, gastamos para nada. E o povo brasileiro chora nas arquibancadas e mais chora pelo desperdício de nosso dinheiro, que poderia servir para a saúde, a educação, a cultura, a construção de casas populares. Não se entende a cabeça de alguns de nossos políticos, responsáveis por tal desastre e que não cabe nem lamentar, lamentamos a existência deles. Nem entendemos a avidez e a razão de alguns rinocerontes de nossa vida pública rondando os cofres e o bem comum. E tal desastre mostrou que não temos governança criteriosa, gestão sábia, sendo a administração do Erário desmontável e frágil como a queda recente do viaduto em Minas Gerais. O desastre já estava anunciado, com a Fifa poderosa impondo ordenações e leis, com alguns juízes cegos e incompetentes.

A presidente Dilma não é a única responsável por esta hecatombe nacional no esporte mais importante do país, mas dela também partiram esses desmandos, sem falar da Petrobras ou Pasadena. E não pode agora ficar em cima do muro, presa na sua autossuficiência. Não só Neymar que faltou, faltaram o nosso orgulho, a nossa alegria de povo diante do resultado, que foi uma solene goleada, a mais funesta da história, que chegou a ser piada no estrangeiro. Não temos apenas de reformular o nosso futebol, temos que também mudar nosso governo, que desperdiçou a riqueza da nação e não aceitamos que persista em cima do muro.

A nossa seleção se apresentou com sinais visíveis de despreparo. Sem poder de artilharia. E todos sofremos juntos o desastre.

Observou o Padre Antônio Vieira que as lágrimas são consequência da vista; ajuntou a Providência o chorar com o ver porque o ver é a causa de chorar. Sabeis por que choram os olhos? Porque veem. (Carlos Nejar, escritor) 

Datena paga promessa e apresenta programa de cueca.

 photo _adatena.jpg



Apresentador do Brasil Urgente contava com vitória do Brasil sobre a Alemanha na semifinal da Copa. 





Mais desperdício. 
Centros de treinamento da Copa ficam sem uso em cidades-sede. Aqui
A elite branca
Como já deve ter previsto o pugilo de bravos que me lê com assiduidade, de novo as Parcas me fizeram a grande maldade de marcar para anteontem (tempo de vocês, este domingo) o jogo com a Colômbia, mais uma vez impossibilitando que eu leve o resultado em conta. Eu pelo menos podia ter conversado com a Sociedade Interamericana de Imprensa, a fim de ver se ela pressionava a Fifa para corrigir a grave injustiça e mudava a tabela, mas é tarde. E, se eu houvesse feito a besteira de escrever, como cheguei a pensar, que o jogo tinha sido moleza, como sempre acontecia com o freguês Chile? Teria quebrado a cara, como quase quebro no boteco, quando pulei na hora em que, já no fim da prorrogação, o Chile botou aquela bola na trave e dei com a testa na tabuleta que anunciava o chope em promoção. Esqueçamos, esqueçamos.
O jeito é voltar-me para os últimos acontecimentos extra-Copa. Quase todos eles se relacionam com o edificante espetáculo democrático deste ano de eleições. Lá e cá, por todo o país, como que se ouvem gritinhos pressurosos pululando nos ares - cadê o meu, cadê o meu, tenho que me fazer, tenho que me fazer! - enquanto estadistas e líderes se digladiam no embate inflamado de ideias, planos e projetos de ascensão pessoal e grupal e os partidos se empenham por caracterizar nitidamente suas posições, embora, assistindo-se a seus anúncios na televisão, seja um pouco difícil distinguir identidades e programas próprios. Todos eles pregam a justiça social, o combate à exclusão, os investimentos em saúde, educação, segurança, coisas com as quais, de tão vagas, qualquer um concorda. Nenhum deles mostra como e o que fará para avançar nesses campos. Isto fica para depois e, pelo visto, sempre ficará. (João Ubaldo Ribeiro) 
O General Eduardo Dias da Costa Villas Bôas,
Comandante Militar da Amazônia,
explica os paradoxos da Amazônia
em conferência promovida pelo Instituto Plinio Corrêa de Oliveira,
em São Paulo, 19 de setembro de 2013
.

Ditadura prende peregrinos que se dirigiam ao santuário da padroeira de Cuba 
 photo _apadroeiradecuba.jpg
Santuário da Virgen de la Caridad del Cobre, padroeira de Cuba Mais de 200 católicos cubanos puderam chegar até o santuário da Virgen de la Caridad del Cobre, padroeira do país, no dia de sua festa. 

A celebração teve uma conotação heroica, pois a ditadura castrista proibiu as romarias e bloqueou as estradas principais que levam ao Santuário.

O santuário está localizado nas proximidades da cidade de Santiago de Cuba, no sudeste da ilha.

A movimentação católica não teve precedentes na história da ditadura socialista. 

O evento foi precedido por uma operação-relâmpago da polícia visando desarticular os grupos que preparavam a romaria.

Segundo informações do grupo dissidente Unión Patriótica de Cuba (UNPACU), a polícia da ditadura comunista encarcerou um número ainda desconhecido de peregrinos.


  photo _avirgedelacaridaddelcobre.jpg 
Virgen de la Caridad del Cobre

Os distintivos e outros emblemas religiosos podem ter facilitado as prisões.

Para evitar a repressão e as detenções, os romeiros utilizaram vias alternativas até o santuário.

Na maioria das vezes, percorriam trilhas situadas no meio do campo, evitando assim as estradas e outras vias mais frequentadas.

A Virgen de la Caridad del Cobre é a padroeira de Cuba desde inícios do século XX.

Sua devoção está crescendo entre os cubanos desiludidos com o regime e com a falta de alternativas políticas críveis.

O jornalista opositor Juan Juan Almeida sublinha que nada hoje une mais aos cubanos do que a Virgen de la Caridad. (Infocatólica)

Nenhum comentário: