14 de jul de 2014

Agora Eleições. Te cuida Povo!..

Alemanha é tetracampeã da Copa do Mundo.

De novo! Dilma Rousseff sofre forte vaia durante cerimônia de premiação no Maracanã ao entregar o troféu de campeã à Alemanha.

Sem comentários! Feministas seminuas protestam contra exploração sexual diante da Fan Fest do Rio.

Após vexame na reta final da Copa, Felipão deixa comando da seleção brasileira.
Chefes de estado de oito países se reuniram com a presidenta Dilma Rousseff, ontem à tarde, para um almoço no Palácio Guanabara, sede do governo do Rio, em Laranjeiras. A ausência registrada foi a do presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko, o que acabou impedindo uma saia justa, já que entre os convidados estava o presidente russo, Vladimir Putin. Os dois países estão em conflito por causa do território da Crimeia. A presidenta da Argentina, Cristina Kirchner, não veio ao país para a final da Copa. Em carta enviada à Dilma na última quinta-feira, ela disse que a ausência foi provocada por uma inflamação na garganta. Ela também afirmou que precisava estar bem de saúde para o aniversário do neto.

Gaza tem 17 mil refugiados e 172 mortos após ataques de Israel. Ofensiva israelense teve início na terça-feira; país afirma que mais de mil foguetes palestinos foram lançados em seu território.


ooo0ooo 
Fabulosa vitória da Alemanha quebra o feitiço bolivariano
A derrota das seleções latino-americanas, com destaque para Brasil e Argentina, soa como uma dádiva e, mais do que isso, como a quebra de um feitiço.
A Seleção da Alemanha fez por merecer o título de tetra campeã. A Argentina dança seu tango fúnebre mergulhada num desastre econômico. Oxalá os argentinos tivessem tanta disposição para a seriedade, o trabalho e o respeito às instituições democráticas como têm para o futebol. E não tenham dúvida. Se a Argentina tivesse logrado a vitória esta seria utilizada politicamente pela camarilha de psicopatas que governa o país sob a direção da ridícula e picaresca bruxa bolivariana, à semelhança com o que ocorreria no Brasil, caso a tal família Scolari conseguisse o hexa.
A Argentina está falida e chegou a essa situação pela adoção das diretrizes emanadas dos Foro de São Paulo, a organização comunista fundada pelo Lula e Fidel Castro em 1990, cujo objetivo é destruir qualquer vestígio de democracia e transformar todos os países latino-americanos sem extensões do comunismo cubano. O descalabro econômico é uma das metas desses tarados ideológicos, porquanto com a inflação e a miséria é mais fácil o domínio da população face às escassez de alimentos que inevitavelmente ocorre.
Atualmente a Argentina, Venezuela, Bolívia e Equador são os países onde o processo de comunização cubana está mais adiantado. Uma as primeiras providências do regime kircherista - reparem que é tudo igual - foi dominar a Suprema Corte de Justiça e em seguida avançar contra a liberdade de Imprensa, assestando um duro golpe no grupo empresarial Clarín que, guardada as devidas proporções, se equipara a Rede Globo. E esta sabe disso. Os filhos do falecido Roberto Marinho, o fundador da Globo, por isso optaram, à diferença do que ocorreu com o grupo Clarín que resiste, em submeter-se aos caprichos do bando de psicopatas que desgoverna o Brasil.
O negócio é tão nojento, mas tão nojento, que toda a programação da Rede Globo é uma bosta. Tanto é que o ridículo Galvão Bueno durante a narração do jogo Alemanha X Argentina, não conseguiu trair essa estupidez que habita a mente da maioria dos brasileiros e demais latino-americanos, ou seja, a defesa do subdesenvolvimento, e o exercício do preconceito brutal contra países democráticos como a Alemanha.
Ninguém em sã consciência pode achar graça, se divertir e gritar vivas a Argentina, Brasil e seus homólogos latino-americanos, quando se sabe que a democracia e a liberdade em todos os países da América do Sul estão sendo destroçadas e que o fanatismo futebolístico é utilizado para obter dividendos políticos.
Por todos esses aspectos a vitória da fabulosa seleção alemã tem esse significado, por impedir que essa festa bonita que é a Copa do Mundo seja conspurcada pela peste comunista do Lula, da Dilma, do PT, da Cristina Kirchener; do tiranete Nicolás Maduro, do psicopata desgraçado do Equador, do índio cocaleiro da Bolívia, do tarado tupamaro do Uruguai, que dissemina o uso das drogas, do idiota da Colômbia que indulta o terrorismo as FARC e dos histéricos que compõe a maioria da população latino-americana e que votam nesses tarados ideológicos, que vivem varejando em torno do poder em busca de caraminguás.
O povo latino-americano é profundamente tão idiota que chora nas arquibancadas dos estádios e exulta gente como Lula, Dilma, Cristina Krichner e seus sequazes.
Como já afirmei aqui a realização da Copa do Mundo no Brasil deveu-se a um fabuloso esquema do PT que dava como favas contadas a vitória do Brasil, algo que imunizaria 12 anos de patifarias e roubalheiras do PT, sob a direção de Lula, o chefão do Foro de São Paulo, o presidente de honra desse banquete de abutres que tipifica o petismo no poder./ Igualmente, se a seleção argentina vencesse a Copa isso seria como uma bênção para o desgoverno da bruxa bolivariana Cristina Kirchner, comandante desse Titanic desgovernado. Repito: a Argentina está falida e mais uma vez aplica um fabuloso calote.
 Por tudo isso, vejo com alívio que esta Copa do Mundo terminou. A derrota das seleções latino-americanas, com destaque para Brasil e Argentina, soa como uma dádiva e, mais do que isso, como a quebra de um feitiço. Oxalá eu esteja certo. (Aluisio Amorim)
 ooo0ooo
A Copa e o Governo PTista apóstata....
Apesar de muitos analistas entenderem o contrário, para mim, parece bastante provável que o fracasso da seleção brasileira poderá se constituir como um duro golpe para as pretensões de perpetuação no Poder, do PT apóstata!
Os sinais do estrago, já começam a aparecer e podem ser vistos em toda a movimentação do governo. Vejam os dois textos abaixo....
No primeiro texto, pode-se acompanhar um bom resumo dos efeitos dessa hecatombe futebolística, sobre os planos PTistas apóstatas.
Vi a entrevista concedida ontem pela presidente DIImáh à jornalista Renata Lo Prete, do canal Globo News! Realmente, é visível o desespero da sra. presidente, seu nervosismo e sua falta de condições para concatenar idéias!...
Se tiverem interesse, confiram a entrevista Aqui
Outro sinal da hecatombe que caiu em cima do PT, pode ser conferido no segundo texto: os PTistas pro-Lulla e os PTistas pro DIImáh, estão em pé de guerra! O poderoso estrategista, sr. Franklin Martins, no Site que ele dirige sobre a Campanha da sra. DIImáh, desceu o bordão em cima da CBF e de seus dirigentes! A sra. DIImáh não gostou e o barraco está montado!
Enfim: parece que, como efeito colateral não previsto, o fracasso na Copa, poderá trazer algo de positivo para o País!
Antes de ler os dois textos abaixo, não deixem de ver o vídeo. (Márcio Dayrell Batitucci)
Em Tempo: Apesar de tudo, não posso deixar de elogiar a sra. DIlmáh por sua coragem em comparecer ao encerramento da Copa! Nas três vezes em que apareceu no telão, levou uma estrondosa vaia de todo o Maracanã mas, mesmo assim, cumpriu com dignidade o seu papel de Chefe de Estado!... 
ooo0ooo

Seleção Padrão PT, governo Padrão Scolari.

Acredito que os especialistas estão cobertos de razão: álcool não faz bem para os miolos. O presidente no paralelo, Luiz Inácio da Silva, depois de duas inteligentíssimas opiniões, a primeira sobre a excelência da grama dos estádios que estaria prejudicando os jogadores estrangeiros e a segunda de que seria uma copa para argentino nenhum colocar defeito, recolheu-se à sua cobertura em São Bernardo do Campo e fechou a matraca. Não se sabe se por muito tempo, infelizmente.

Metido a entender de tudo, de unha encravada a futebol, de macroeconomia a enriquecimento de urânio, de aquecimento global à política monetária, Lula bem que poderia silenciar até o final da copa. Depois, sim, que percorra o país contando as bravatas de sempre a troco de votos dos brasileiros que passaram os anos dos governos petistas sendo submetidos à lavagem cerebral e aos trocados do bolsa família.

E vai ter que se esforçar muito, pois sua candidata está descendo ladeira abaixo nas pesquisas. Sem carisma e não dizendo coisa com coisa, a presidente Dilma Rousseff chegou a um nível de rejeição que - dizem os analistas de pesquisas - será de difícil recuperação. A entrevista concedida por Dilma à jornalista Renata Lo Prete do canal Globo News deveria ser acompanhada por um tradutor, pois o idioma utilizado pela presidente não tinha qualquer semelhança com a língua que se fala no Brasil.

A rigor, as respostas de Dilma não tinham qualquer sentido. A falta de nexo do falatório da presidente dava a impressão de que a entrevista se realizava em outro planeta. Lamentavelmente, Dilma é incapaz de construir uma frase com sujeito, predicado e objeto que tenha algum nexo. A falta de conexão entre os dois neurônios presidenciais desestimula o interesse de uma criança pelos estudos.

O Brasil está pelas tabelas: o setor produtivo está perdendo a capacidade de se reinventar face a uma carga tributária obscena; o capital financeiro vive às turras com uma política monetária que não se sustenta por si só; o mercado está naquele dilema; se ficar o bicho come, se correr o bicho pega; a inflação assombra; o consumo derrapa com o aumento dos preços nas gôndolas dos supermercados e os juros alcançam patamares irreconciliáveis com o poder de compra dos brasileiros. Enfim, estamos na beira do precipício.

Para piorar a situação, o homem do povo está com a autoestima lá em baixo com o vexame e a humilhação de um selecionado medíocre, dirigido por um técnico padrão Dilma. O legado da copa, investimentos feitos a preços indecentes e desonestos com arenas de futebol não vai legar coisíssima nenhuma ao contribuinte. Mais uma balela de um governo esquizofrênico, que pensava fazer uso do futebol para, lá na frente, em outubro próximo, conseguir votos e vencer as eleições.

Na próxima semana, com o encerramento da copa, o país volta a ser o que sempre foi: refém de políticos corruptos, de fora e dentro do governo. A euforia inicial pela conquista da copa, depois de duas derrotas acachapantes do selecionado de Felipão, o brasileiro vai cair na real e perceber que acabou o circo e faltará o pão.

Ao acompanhar as entrevistas do treinador após os jogos, constata-se que Felipão tem tudo para fazer parte do governo petista. Para o técnico, o Brasil sempre jogou bem, seus jogadores se aplicaram ao máximo e se saíram bem até a pane dos seis minutos contra a Alemanha.

Por outro lado, ficou provado que a tal pane durou até o final da partida contra a Holanda. Embora em outro contexto, ao ouvir Felipão, era como se eu escutasse a voz do Lula falando como foram ótimos seus dois governos e como eram aplicados e bom de jogo seus auxiliares José Dirceu, José Genoino, Delúbio Soares e João Paulo Cunha.

Felipão, Lula e Dilma têm muito mais em comum do que se imagina. Ao observar o ar intelectual do auxiliar Murtosa eu me remetia, quase que por compulsão, às caras e bocas de Erenice Guerra, a auxiliar de Dilma na direção da Casa Civil. Caso desse uma pequena aparada no bigode, a semelhança física entre Murtosa e Erenice poderia confundir os menos avisados.

Além da mediocridade, acumulada com a arrogância e a enganação, os que dirigem o selecionado brasileiro estão bem próximos dos que dirigem o Brasil. Seleção e governo, um é a cara do outro. Sem tirar, nem pôr. (Nilson Borges Filho)
ooo0ooo

Fracasso da Copa cria crise entre petistas do Lula e petistas da Dilma.

O comitê da campanha de reeleição da presidente Dilma Rousseff enfrenta sua primeira crise interna na largada oficial da disputa eleitoral e corre o risco de perder um de seus coordenadores. Ex-ministro do governo Lula, Franklin Martins, responsável pelo site da campanha - o Muda Mais -, entrou em atrito com interlocutores da presidente por causa de um post sobre a CBF, publicado depois do que foi classificado como terrível eliminação da seleção.

Irritado, ele chegou a ameaçar deixar a campanha depois que integrantes do comitê ligados a Dilma pediram que fosse retirado o texto que apontava a CBF como responsável pela desorganização do futebol. Impera na CBF um sistema que em nada lembra uma instituição democrática e transparente. É preciso mudar, diz o texto do site. O pedido de retirada do post, no mesmo dia em que Dilma reclamou com o ministro Aldo Rebelo (Esporte) sobre suas declarações defendendo uma intervenção no futebol, não foi atendido por Franklin.

Lula entrou no circuito e tentou acalmar seu ex-ministro, de quem é muito próximo, buscando demovê-lo da ideia de deixar a equipe. O tema vai ser discutido na reunião de coordenação da campanha nesta segunda (14). Amigos de Franklin confirmam o atrito por causa do post, considerado como coisa normal na temperatura elevada de eleição, mas negam que ele tenha ameaçado deixar a equipe.

Logo depois da derrota, Dilma buscou encampar a bandeira de reformulação do futebol, defendendo mais profissionalismo. Mas ficou preocupada com o risco de a oposição associá-la a uma estratégia populista, além de reforçar a crítica a seu estilo intervencionista. Assessores da petista disseram à Folha que a nota da equipe de Franklin foi além do ponto e, em vez de ser propositiva, criou tensão desnecessária e um sentimento de guerra equivocado.

Esse não é o primeiro atrito entre Franklin e dilmistas na organização da campanha de reeleição. Nome de Lula, ele tem sido escanteado no processo de decisões. Nas discussões sobre estratégia de comunicação, João Santana acaba levando a melhor. Desde que defendeu, numa reunião de coordenação no Palácio da Alvorada, que Dilma fosse para o embate político, Franklin não se encontrou a sós com ela.

Ele não gostou, por exemplo, de não ter participado da elaboração do Plano Nacional de Transformação, anunciado com pompa por Dilma na convenção do PT, no último dia 21. Neste caso, não foi só Franklin quem ficou chateado. Na época, apenas Dilma, o ministro Aloizio Mercadante (Casa Civil) e João Santana sabiam da ideia.

Por sinal, outra definição sobre a campanha criou desconforto entre Franklin e outros membros da equipe. Ele tentou convencer a presidente que o slogan Muda Mais era melhor que o Mais Mudanças, Mais Futuro, proposto pelo marqueteiro. Na reunião, Santana explicou a escolha do mote, e o slogan lançado foi o Mais Mudanças, Mais Futuro.

Novo estilo

Independentemente da saída de Franklin, haverá mudanças. O novo estilo de coordenação da campanha mostra que sai de campo o comando único que imperou em 2010, quando a direção era do então presidente Lula. Entra em cena um duplo comando, que obriga a cúpula de campanha a se equilibrar entre visões nem sempre coincidentes de lulistas e dilmistas. Na última eleição, Lula era o todo-poderoso. Dava as cartas e tinha um grupo de três assessores de peso - Antonio Palocci, José Eduardo Cardozo e José Eduardo Dutra.

Neófita na política, Dilma só seguia ordens de como se comportar nos embates políticos, sob o treinamento de João Santana. Agora que já não se sente mais como debutante, Dilma promoveu uma renovação quase integral na sua equipe e será mais ativa na definição das estratégias eleitorais, tomando as principais decisões ao lado de Lula. Em 2014, o comando da campanha está mais diluído entre os petistas, que costumam se reunir às segundas-feiras no Palácio da Alvorada para definir as estratégias.(Folha de São Paulo) 
ooo0ooo
Nova exigência para os extintores de carro Mais uma vez o poder executivo aplicando o tradicional Artigo 171.

Confira no seu carro: se o extintor for do tipo BC, não importa a validade de cinco anos, pois terá de ser jogado no lixo e substituído por um ABC, obrigatório a partir de janeiro de 2015.

E cuidado para não empurrarem a você um BC bem barato, pois as lojas querem se livrar do estoque. Exija um ABC. Caso contrário, multa de R$ 127,69 e cinco pontos no prontuário.

Um alerta para ninguém cair no conto do vigário e levar outro do tipo BC, que só vale até dezembro de 2014. Extintor é uma aberração e não defendo sua obrigatoriedade no automóvel. Na verdade, só mesmo alguns países incoerentes e corruptos como o Brasil ainda exigem o extintor, mesmo com a injeção eletrônica. Depois que ela eliminou o carburador e distribuidor, uma dupla que até parece ter sido projetada para botar fogo no carro, são raros os incêndios em automóveis modernos. Só mesmo em Kombis e Fuscas…

Extintor sempre foi controvertido. Obrigatório desde 1968, o motorista dificilmente se lembra de onde fica e tem dificuldade para operá-lo corretamente. Pior: raramente tem eficiência ao combater incêndio em automóveis. A exigência foi motivada por um poderoso lobby de fabricantes que pressionou o Contran para estabelecer a obrigatoriedade. Outros países o aboliram quando o carburador foi substituído pela injeção eletrônica. E o inacreditável: em vez de abolir o equipamento, a exigência agora é por outro, mais caro e sofisticado.

Há dez anos, não satisfeitos em encher as burras com o bilionário faturamento de milhões de extintores, os fabricantes carregaram para Brasília mais alguns argumentos poderosos e conseguiram emplacar no Contran uma outra resolução, desta vez exigindo um novo modelo.

E a lei mudou em 2005, começando pelos veículos zero quilômetro. Mas, até o fim deste ano, todos os automóveis terão de substituí-los pelos do tipo ABC. Sentiu a mão entrando duas vezes no seu bolso? Depois de utilizado o dos cinco anos de validade, o ABC não é reciclável nem recarregável e tem que ser descartado e substituído por outro novo. Pode?

Fácil ganhar dinheiro com extintores no Brasil, não? É só multiplicar por R$ 50 (custo dele no mercado) as dezenas de milhões de veículos que ainda têm os antigos, mais os carros na linha de montagem e mais as substituições dos ABC vencidos para se ter uma ideia de quantas centenas de milhões de reais são faturados à custa - como sempre - do indefeso cidadão brasileiro. 

Um incalculável faturamento originário de um equipamento que, de pouco eficiente na época do carburador, tornou-se quase inútil com a injeção eletrônica dos automóveis modernos. 

É difícil conhecer alguém que teve que usar o tal extintor em veículo de passeio. (Correio Braziliense, 1º maio 2014)

Isto devia ser imitado por todas as cidades. 
Coisas muito nossas. 
Não se trata de medidas tomadas lá fora, é daqui mesmo. 
Paulínea, São Paulo.
Jetman voa sobre o Rio de Janeiro
O piloto suíço Yves Rossy, o Homem-jato, mais uma vez ultrapassou as barreiras da aviação, completando um voo fabuloso sobre o Rio de Janeiro. Este pioneiro no ar veste roupa com asas e voa a 1.200 metros de altura, único homem a voar com uma asa rígida, equipada com quatro motores a jato. Ele saltou de um helicóptero sobre a Lagoa Rodrigo de Freitas, voando ao redor do Corcovado, depois seguiu voando em direção ao sul da cidade, bordejando a praia de Ipanema, Copacabana e o Pão de Açúcar, antes de puxar o seu pára-quedas e aterrissar com total segurança na praia em frente ao Hotel Copacabana Palace.

Em um ano de socialismo, mais 737.000 venezuelanos caem na pobreza extrema. 

Desabastecimento, inflação galopante, filas para tudo na Venezuela... Para a cúpula socialista comunista no palácio, não falta nada; para o povo, o eterno enganado pela utopia socialista, falta quase tudo. Prepare-se ou reaja, porque a corja petista que exatamente isso para você. (AC)

No primeiro ano do socialismo do século XXI sob o continuador de Hugo Chávez, mais 737.000 venezuelanos caíram na pobreza extrema, informou o jornal El País.

No primeiro ano do socialismo do século XXI sob o continuador de Hugo Chávez, mais 737.000 venezuelanos caíram na pobreza extrema, informou o jornal El País de Madri. A inflação anual atingiu 56,2%, e o índice de desabastecimento (calculado sobre o total de produtos vendidos no país) 25,3%. 

Segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE), o índice de pobreza extrema passou de 7,1% no segundo semestre de 2012 para 9,8% ao mesmo período em 2013. 

Quer dizer, mais 737.364 venezuelanos. No total, 2.791.292 cidadãos estão nessa situação deplorável, num país que supera os 30 milhões de habitantes e que em virtude de suas imensas jazidas petrolíferas ostentava uma riqueza invejável. Em outros termos, mais 189.086 famílias ficaram sem recursos para pagar sua alimentação básica.

O socialismo do século XXI, que tem tantos admiradores e imitadores no Brasil, orgulhava-se de ter diminuído esses indicadores na última década apelando a planos de redistribuição da riqueza e grandes gastos públicos.

Resultados efêmeros foram obtidos, para alegria dos estatísticos do governo. Mas o artifício não podia durar muitos anos. 

Agora, como muitos previam - e por isso eram tidos como profetas de desgraça - a catástrofe aconteceu.

A inflação está sem controle (só 73,8% nos alimentos!!) e a moeda estrangeira não é encontrada em forma legal, mas só a preços astronômicos. 

As exportações quase desapareceram. Só fica o petróleo, 96% de cujos proventos vão para o governo, que diz não conseguir pagar suas dívidas mais básicas.

A atividade econômica privada ficou reduzida ao mínimo pela estatização de largos setores e o afogamento cambial, tributário e regulamentar imposto pelo governo popular.

A produção petrolífera caiu e a Venezuela despencou no ranking mundial de produtores e exportadores. 

O socialismo vende petróleo a países amigos como Cuba, com grandes perdas para financiar a revolução. Ainda paga à China por empréstimos já embolsados. 

Relatório publicado pelo jornal El Universal, de Caracas, aponta que o governo aprovou uma transferência de moeda a empresas e particulares do setor produtivo no valor de 20 bilhões dólares através da Cadivi (uma desaparecida agência do governo), mas que o dinheiro nunca chegou aos destinatários. 

As estimativas falam que o erário público teria sido depenado pela clique socialista num total equivalente a 95% das reservas internacionais.

O governo cria continuamente bolsas ou programas sociais denominados Missões, porém nem estes dão o que prometem.

Os serviços básicos estão diminuindo, faltam alimentos nas prateleiras dos supermercados de Missões, ou ficam inacessíveis no mercado negro em que figuras do governo se locupletam. 

A Assembleia Nacional (Legislativo), ministros de diversas áreas e até o presidente Maduro são interpelados regularmente, mas fazem caso omisso.

Como explicação, o governo fala de uma fantasmagórica conspiração e uma guerra econômica obviamente desatada pelo império - leia-se EUA, o capitalismo, o imperialismo, os ianques, os oligarcas, etc., etc.

Dir-se-ia que um bando de esquizofrênicos apossou-se da Venezuela e a leva para a ruína. Mas não é o caso.

Trata-se de um grupo ideológico teledirigido desde Cuba e afim com a Teologia da Libertação, que quer imergir na miséria e no desespero - que fazem pensar na desgraça eterna do inferno - um continente como a América Latina tão largamente dotado de recursos naturais pela Providência Divina.

Nenhum comentário: