11 de jun de 2014

Só mesmo a Copa debanda políticos de Brasília...

Veja o que abre e fecha no País durante a Copa do Mundo.
Doze cidades-sede adotaram calendário diferenciado. Veja o que muda nos bancos, loterias, correios e shoppings do Brasil:
A Copa do Mundo chegou e diversos serviços públicos e particulares adotarão um horário diferenciado durante o evento. Cada uma das 12 cidades-sede definiu um esquema próprio de feriados e horários de trabalho durante os dias de jogos da Copa do Mundo.
Rio de Janeiro: feriado a partir do meio-dia, nos dias 18 e 25 de junho, duas quartas-feiras. Já na disputa de quartas de final, no dia 4 de julho, que cai em uma sexta-feira, o feriado será integral. A regra vale tanto para funcionários públicos como para a iniciativa privada. A cidade receberá sete partidas da Copa, incluindo a final da competição, mas quatro delas cairão no fim de semana, não sendo necessário decretar feriado. Os jogos no Rio estão marcados para os dias 15, 18, 22, 25 e 28 de junho e 4 e 13 de julho.
São Paulo: feriado no dia da abertura da Copa do Mundo, em 12 de junho. Nos outros dias de jogos do Mundial na cidade, a prefeitura vai liberar os servidores públicos três horas antes do início das partidas.
Distrito federal, Brasília: o expediente dos servidores será encerrado ao meio-dia nos dias de jogos no Estádio Mané Garrincha e quando houver jogos da seleção brasileira em outra cidade, de segunda-feira a sexta-feira. Os setores de atendimento à comunidade deverão seguir escalas de plantão para garantir a continuidade dos serviços. Brasília sediará sete jogos da Copa, nos dias 15, 19, 23, 26 e 30 de junho e nos dias 5 e 12 de julho.
Minas Gerais, Belo Horizonte: só haverá alteração no horário de trabalho dos servidores públicos nos dias de jogo da seleção brasileira, quando o expediente será encerrado três horas antes do início da partida. Não haverá mudanças no horário de trabalho nos dias de jogos realizados no Estádio do Mineirão. Caso haja jogo da seleção brasileira em Belo Horizonte, o que pode ocorrer na fase semifinal, o expediente será encerrado cinco horas antes do início da partida. O Mineirão receberá jogos nos dias 14, 17, 21, 24 e 28 de junho e no dia 8 de julho.
Pernambuco, Recife: será decretado ponto facultativo a partir das 12h, nos dias das partidas do Brasil na primeira fase e nos jogos na Arena Pernambuco que serão realizados em dia de semana. Os jogos na capital de Pernambuco serão nos dias 14, 20, 23, 26 e 29 de junho.
Rio Grande do Norte, Natal: decretou ponto facultativo nos dias de jogos na cidade. Quando a seleção brasileira entrar em campo em outras cidades, o ponto facultativo será à tarde. A capital do Rio Grande do Norte receberá quatro jogos, nos dias 13, 16, 19 e 24 de junho.
Amazonas, Manaus: será ponto facultativo nos dias de jogos na cidade - 14, 18, 22 e 25 de junho. Ceará, Fortaleza: ainda não há definição sobre feriados nos dias de jogos. A cidade sediará seis partidas: nos dias 14, 17, 21, 24 e 29 de junho e no dia 4 de julho.
Bahia, Salvador: apenas nos dias 16 e 25 de junho, quando os jogos estão marcados para as 13h, o expediente será suspenso nas repartições públicas municipais. Nos outros dias de jogos na cidade o horário de trabalho será das 8h às 12h. Na capital baiana, as partidas ocorrem nos dias 13, 16, 20 e 25 de junho e 1º e 5 de julho.
Paraná: será ponto facultativo nos dias de jogos na Arena da Baixada. Haverá partidas nos dias 16, 20, 23 e 26 de junho.
Rio Grande do Sul, Porto Alegre: não terá feriado nos dias de jogos, mas está autorizada a decretar ponto facultativo no período da tarde nas datas de jogos da seleção brasileira e nos dias em que ocorrerem partidas no Estádio Beira-Rio.
Mato Grosso, Cuiabá: quando a seleção brasileira entrar em campo na Arena Pantanal, o expediente será das 7h30 às 13h30. Nos dias em que outras seleções entrarem no estádio, será ponto facultativo. Os jogos na cidade serão nos dias 13, 17, 21 e 24 de junho.
Geral: Nos órgãos públicos federais, a jornada será reduzida em dias de jogos do Brasil, quando os servidores serão liberados às 12h30. As horas não trabalhadas serão compensadas depois. Nos dias de jogos sem a participação da seleção brasileira, haverá expediente normal de trabalho. Em caso de serviços essenciais, como nas áreas de saúde e segurança, deverá ser mantido o contingente de trabalhadores previsto em lei. Na primeira fase, a seleção brasileira jogará nos dias 12, 17 e 23 de junho.
Bancos: deverão atender ao público em horário alternativo nos dias de jogos da seleção brasileira. Será obrigatório o funcionamento mínimo de quatro horas. Caso as prefeituras das 12 cidades-sedes da Copa decretem feriado, os bancos deverão fechar, seguindo o decreto municipal. Se o não houver feriado decretado nas cidades-sedes da Copa nos dias de jogos da Seleção, as agências bancárias deverão abrir para o público das 8h30 às 12h30, conforme horário de Brasília, DF.
Correios: cumprem calendários das cidades. Quando for feriado, só abrirão aquelas agências que normalmente abrem aos fins de semana e feriados, mas isso depende de cada região. Mais informações podem ser obtidas por meio da Central de Atendimento dos Correios, 3003-0100 (capital e região metropolitana) ou 0808 7257282 (demais localidades), que funciona das 8h às 18h, aos sábados, domingos e feriados, e das 8h às 20h, em dias úteis. O horário de cada agência pode ser acessado no site dos Correios.
Lotéricas: Segundo a Caixa Econômica Federal, quem define o horário de fechamento das lotéricas são seus proprietários, orientados pelos sindicatos patronais de cada Estado. Os feriados devem ser respeitados. O atendimento durante a Copa deve ser normal, exceto, nos dias de jogos da seleção brasileira. Nestas datas, o empresário lotérico deverá considerar se existe algum decreto de feriado local, acordo do comércio local, bem como observar aspectos de segurança e de conveniência aos clientes.
Shoppings centers: Conforme a Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce), a grande maioria dos centros comerciais funcionará normalmente nos dias de jogos da seleção brasileira durante a Copa do Mundo. Pesquisa indica que 95% dos estabelecimentos deverão fechar entre 30 minutos e 1 hora antes dos jogos, reabrindo logo após o término das partidas. Nas praças de alimentação, os jogos serão televisionados para funcionários e lojistas que optarem por permanecer no local. Restaurantes e operações de alimentação que tiverem entrada independente continuarão funcionando. Para os restaurantes localizados na área interior dos shoppings, o funcionamento deverá ocorrer desde que os consumidores entrem antes do fechamento.
Pericla o vão ter que me engolir - Zagallo está fora da abertura da Copa do Mundo. O Velho Lobo piorou da dor na coluna, provocada por uma bactéria, e não foi liberado por seus médicos para assistir à estreia do Brasil contra a Croácia, nesta quinta-feira, no Itaquerão, a partir das 17h. Seu filho, Paulo, revelou ao blog Extracampo que Zagallo, de 82 anos, está desapontado por não poder ir ao estádio ver a seleção brasileira.
Humorista e diretor Max Nunes morre aos 92 anos. Ele teve complicações após sofrer queda.
Protestos!
Mesquita exalta 1964 e critica golpe de Dilma - Um golpe contra a democracia está em curso desde o último dia 26 de maio e a circunstância que o torna mais ameaçador do que nunca antes na história deste país é a atitude de avestruz que a imprensa tem mantido, deixando de alertar a população para a gravidade dessa agressão, diz o jornalista Fernão Lara Mesquita, um dos herdeiros do Estado de S. Paulo; o que o apavora é o decreto da presidente Dilma Rousseff que amplia canais de participação popular no Estado.
Jornalista Merval Pereira diz que, ao rotular adversários como agenda do retrocesso, presidente Dilma Rousseff adota discurso defensivo e claramente de uma candidata acuada; ele destaca o avanço do tucano Aécio Neves e do socialista Eduardo Campos nas pesquisas e a divisão no PMDB sobre o apoio ao PT. O pior dos resultados para o Palácio do Planalto acabou se concretizando. A oposição está em alta, não apenas a externa como também a dos partidos aliados.
Polícia leva Sininho, Black Blocs e mais 8 à delegacia - Na cidade do Rio de Janeiro, que receberá sete jogos durante a Copa do Mundo, polícia cumpre 17 mandados de busca e apreensão; ativista Black Bloc Sininho e mais dez pessoas são levadas à delegacia de Repressão à Crimes de Informática para prestar esclarecimentos em processo que corre em sigilo de Justiça; esquema de segurança pesado, e sem greve de metroviários, vai garantindo clima de tranquilidade no principal cartão postal do Mundial; ação contra vândalos que não mostraram a cara em atos violentos é preventiva.
Talvez porque passará a ser Provedor de Internet! - Correios passa a cobrar R$ 12 para entregar compras internacionais. Taxa incide sobre encomendas tributadas pela Receita Federal desde o dia 2; serviço postal alega aumento de custos. O Correios passou a cobrar uma taxa de R$ 12 para entregar encomendas internacionais no valor de até US$ 500 que são tributadas pela Receita Federal. As encomendas isentas de pagamento de imposto de importação não têm cobrança da taxa.
Barbosa expulsa advogado de Genoino do plenário do Supremo. Luiz Fernando Pacheco pedia urgência na análise do pedido de prisão domiciliar do petista condenado no mensalão honre esta casa, ministro, protestou o advogado, sobre a conduta de Barbosa; o presidente demissionário teve então um acesso de fúria: Chamem os seguranças! e o presidente do STF chamou a segurança para retirar o advogado.
Planos econômicos: bancos tentam zerar uma das maiores condenações da disputa. A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) tenta reduzir, de milhões de reais a potencialmento zero segundo os poupadores, uma das principais condenações relativas aos planos econômicos, que recai sobre o Banco do Brasil (BB) por causa do Plano Verão, de 1989. A decisão pode valer para os outros bancos e planos econômicos, caso o STJ assim decida. No mínimo, servirá como orientação para os demais casos.
Superintendente do INCRA de Marabá incita violência de fazendeiros contra Sem Terra no Pará. Em encontro com o superintendente da região, os Sem Terra solicitavam a intervenção do INCRA contra a ameaça de quarenta pistoleiros que cercam o acampamento Hugo Chavez; Eudério Coelho diz ter lavado as mãos e que não atuará contra o latifúndio no Pará.
Contra aplicativo de caronas solidárias, taxistas fazem carreata do Aterro a Copacabana e complicam o trânsito.
Alckmin rebate declarações insanas de Lula, que defende a readmissão dos grevistas do Metrô. O País está cansado de impunidade, hipocrisia e solidariedade seletiva. Assim o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), reagiu, nesta quarta-feira (11), à declaração absurda de Luiz Inácio da Silva, que no dia anterior defendeu a readmissão dos grevistas e dublê de vândalos que foram demitidos pelo Metrô. Disse o lobista de empreiteira que as demissões podem ser revistas se houver maturidade do governo e dos trabalhadores. Se tiver greve, Alckmin tem lista pronta com mais 300 demissões no Metrô.
A chantagem funcionou - Publicado no Estadão desta quarta-feira “...Estava o coordenador do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST), Guilherme Boulos, anunciando em entrevista que a sua organização continuaria promovendo manifestações nas ruas de São Paulo na quinta-feira do jogo de abertura da Copa do Mundo quando foi chamado ao telefone. Sete minutos depois de conversar com um assessor do ministro da Casa Civil, Gilberto Carvalho, como informaria em seguida, um jubiloso Boulos retomou a entrevista - para anunciar que o MTST daria uma trégua aos paulistanos. Não iria marcar novos atos em favor dos metroviários ainda em greve naquela segunda-feira. Afinal, acabara de saber que o governo federal havia acatado as suas exigências. Encerramos nossa jornada com a vitória da mobilização e com nossa pauta completamente atendida, exultou o dirigente....!
No Brasil, salário de professor é metade do que recebem outros profissionais. Salário médio é de R$ 1.874; enquanto outras categorias com curso superior ganham, em média, R$ 29 por hora trabalhada, o professor brasileiro da educação básica recebe apenas R$ 18. Uma das metas previstas no Plano Nacional de Educação (PNE), que aguarda sanção presidencial, é equiparar o rendimento médio dos profissionais do magistério das redes públicas com as outras categorias.
O juiz Eduardo Antonio Klausner, da 7ª Vara de Fazenda Pública do Tribunal de Justiça do Rio, deu prazo de 15 dias para Beltrame e outros cinco réus se defendam da denúncia do MP. Depois disso poderá ser decretada a indisponibilidade dos bens de Beltrame. A defesa de Beltrame acreditava que o juiz simplesmente não aceitaria a denúncia do MP. O cerco está se fechando.
Assembleia vai decidir se metroviários entram em greve na abertura da Copa em SP. Paralisação da categoria é uma forma de pressionar o governo a readmitir 42 funcionários demitidos durante greve.
Política de preços do governo põe Petrobrás sob risco tributário - O Globo informou que a Petrobrás admitiu em relatório enviado à Securities and Exchange Commission (instituição que monitora o mercado de capitais nos Estados Unidos) estar sob risco tributário da ordem de US$ 30 bilhões. 
O desabafo de uma médica.
Dilma, deixa eu te falar uma coisa!
Este ano completo 7 anos de formada pela Universidade Federal Fluminense e, desde então, por opção de vida, trabalho no interior. Inclusive hoje, não moro mais num grande centro. Já trabalhei em cada canto, e você não sabe o que eu já vi e vivi, não só como médica, mas como cidadã brasileira: Já tive que comprar remédio com meu dinheiro, porque a mãe da criança só tinha R$ 2,00 para comprar o pão. Por que comprei? Porque não tinha vaga no hospital para internar, e eu já tinha usado todos os espaços possíveis (inclusive do corredor!) para internar os mais graves.
Você sabe o que é puxadinho? Agora, já viu isso dentro de enfermaria? Pois é, eu já vi, e muitos. Sabe o que é mãe e filho dormirem na mesma maca, porque simplesmente não havia espaço para sequer uma cadeira?
Já viu macas tão grudadas, mas tão grudadas, que, na hora da visita médica, era necessário chamar um por um para o consultório, porque era impossível transitar na enfermaria?
Já trabalhei num local em que tive que autorizar que o familiar trouxesse comida (não tinha, ora bolas!) e já trabalhei em outro que lotava na hora do lanche (diga-se refresco ralo com biscoito de péssima qualidade) que era distribuído aos que aguardavam na recepção.
Já esperei 12 horas por um simples hemograma. Já perdi o paciente antes de conseguir mera ultrassonografia. Já vi luva descartável ser reciclada. Já deixei de conseguir vaga em UTI pra doente grave, porque eu não tinha um exame complementar que justificasse o pedido.
Já fui lambuzando um prematuro de 1Kg (que, óbvio, a mãe não tinha feito pré-natal!) por 40 Km para vê-lo morrer na porta do hospital sem poder fazer nada. A ambulância não tinha nada de material que pudesse ser usado nele.
Tem mais, calma! Já tive que escolher, direta ou indiretamente, quem deveria viver e morrer...
Já ouvi muito desaforo de paciente, revoltado com tanto descaso e que, na hora da raiva, desconta no médico, como eu, como meus colegas, na enfermeira, na recepcionista, no segurança, mas nunca em você.
Já ouviu alguém dizer na tua cara: meu filho vai morrer e a culpa é tua? Não, né? E a culpa nem era minha, mas era tua, talvez. Ou do teu antecessor. Ou do antecessor dele...
Já vi gente morrer! Óbvio, médico sempre vê gente morrendo, mas de apendicite, porque não tinha centro cirúrgico no lugar, nem ambulância pra transferir, nem vaga em outro hospital?
E os que morreram agonizando, de insuficiência respiratória, porque não tinha laringoscópio, não tinha tubo, não tinha respirador?
E outros, de sepse, porque não tinha antibiótico, não tinha isolamento, não tinha UTI?
A gente é preparado pra ver gente morrer, mas não nessas condições.
Ah Dilma, você não sabe mesmo o que eu já vi! Mas deixa eu te falar uma coisa: trazer médico de Cuba, de Marte ou de qualquer outro lugar, não vai resolver nada! E você sabe bem disso. Só está tentado enrolar a gente com essa conversa fiada.
É tanto descaso, tanta carência, tanto despreparo...
As pessoas adoecem pela fome, pela sede, pela falta de saneamento e educação e, quando procuram os hospitais, despejam em nós todas as suas frustrações, medos, incertezas...
Mas, que posso fazer, se, às vezes, eu não tenho luva e sequer fio pra fazer uma sutura. Nem mesmo resposta para todo o sofrimento dessa gente eu tenho!
O problema do interior não é falta de médico. É falta de estrutura, de interesse, de vergonha na cara. Na tua cara e dessa corja que te acompanha!
Não é só salário que a gente reivindica. Eu não quero ganhar muito num lugar onde eu tenha que fingir que faço medicina. E acho que a maioria dos médicos brasileiros também não.
Quer um conselho? Pare de falar besteira em rede nacional e admita: já deu pra vocês!
Eu sei que, na hora do desespero, a gente apela, mas vamos combinar, você abusou!
Se você não sabe ser presidenta, desculpe-me, mas eu sei ser médica. O que acontece é que, por conta da incompetência de vocês, não estou conseguindo exercer minha função com louvor!
Não sei se isso vai chegar até você, mas já valeu pelo desabafo! (Fernanda Melo, médica, moradora e trabalhadora de Cabo Frio, cidade da baixada litorânea do Rio de Janeiro)

Nenhum comentário: