5 de jun de 2014

Os que se mexem e os imexíveis...

Greves e protestos afetam São Paulo e Rio a 7 dias do Mundial
1. No Rio, funcionários da Cedae, que estão parados por 24 horas, fecharam agora a rua Pinheiro Machado, em Laranjeiras, e interditaram acesso ao túnel Santa Bárbara. Na capital paulista, paralisação de metroviários é parcial, mas provoca enormes engarrafamentos. Na estação Itaquera, que receberá torcedores na abertura da Copa, usuários quebraram portões e invadiram a plataforma.
2. Metroviários iniciam greve em São Paulo à 0h desta quinta-feira. Paralisação parcial em três linhas do Metrô. Usuários quebram grades e invadem linha de trem da CPTM em São Paulo. Com greves, São Paulo registra novos recordes de lentidão em 2014.
3. Museus federais ignoram STJ e seguem em greve.
Se não é um acinte à condição humana, o que é então? - Total de pessoas presas no Brasil sobe para 715 mil, diz Conselho Nacional de Justiça. Balanço inclui também detentos que cumprem prisão em regime domiciliar. Segundo CNJ, país passa a ter a 3ª maior população carcerária do mundo.
Kassab é condenado por improbidade e tem direitos políticos cassados. Ex-prefeito de São Paulo deveria pagar R$ 240,7 milhões em precatórios, mas destinou apenas R$ 122 milhões no orçamento, Ficará inelegível por 3 anos.
Sobrando pra presidenciáveis - Relatório divulgado hoje pela Organização das Nações Unidas sobre mudanças climáticas destacou o Brasil como exemplo de sucesso na redução do desmatamento e das emissões de gases de efeito estufa; documento produzido pela Union of Concerned Scientists (UCS) apresenta como o País fez as maiores reduções no desmatamento e nas emissões em todo o mundo; análise mostra a boa gestão no setor da presidente Dilma Rousseff e da ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, ao mesmo tempo em que derruba a tese da pré-candidata a vice Marina Silva, que aponta atraso ambiental do Brasil; hoje mesmo ela convoca, com o presidenciável Eduardo Campos, um tuitaço contra o retrocesso ambiental; evento virtual acontece na data em que se comemora o Dia Mundial do Meio Ambiente.
Dirigente minimiza o nome Itaquerão e diz que importante é como a Globo chama. Andrés Sanchez, responsável pelo estádio do Corinthians, já fez algumas viagens para o exterior em busca de um nome para o estádio do Corinthians, mas ainda não conseguiu fechar com alguma empresa interessada.
Um ano depois, Dilma corre para entregar agenda dos protestos.
1. Após avançar pouco nos cinco pactos prometidos no auge das manifestações, presidente ensaia discurso para explicar atraso e culpa Congresso por fracasso da reforma política.
2. Prevendo uma repetição das manifestações durante a Copa do Mundo, mesmo que em menor volume, a presidente Dilma Rousseff determinou a assessores e ministros que priorizem uma agenda de inaugurações que permita atender aos cinco pactos lançados pelo no auge dos protestos que marcaram o país em junho do ano passado.
1. Senado aprova Lei Menino Bernardo - O deputado Pastor Eurico (PSB-PE) volta a criticar apresentadora Xuxa, diz não aceitar que ela lhe dê lição de moral e nega ação de Eduardo Campos e do PSB para enquadrá-lo.

2. No inferno, Mussolini e Hitler devem estar aplaudindo essa tal lei fascista da palmada, aprovada no Congresso, e que segue agora à sanção presidencial; segundo o jornalista Boris Casoy, trata-se de uma intromissão grave na família, na qual o Estado não deve meter bedelho nenhum.

A Copa do Mundo de futebol no Brasil não deve nos fazer esquecer do destino da Amazônia, pediu em Paris o cacique indígena Raoni, líder da etnia Kayapó, afirmando que esta luta também passa pela França. Ele e seu sucessor, Megaron, acusaram em Paris várias empresas de destruir seu meio ambiente.

Você acreditou nela e olha o tiro no pé! 
- Contas de luz devem ficar 11,5% mais caras neste ano, prevê Banco Central. 
- Alta dos juros ainda terá efeito na inflação. 
- Tomate sobe 33% em maio e eleva cesta básica.
- Produção de veículos despencou 18% em maio. É a terceira queda consecutiva na comparação com 2013.

Dia do Meio Ambiente 

Líderes de países do G7 apoiam acordo climático em 2015. Comunicado foi divulgado dias após Obama anunciar intenção de reduzir emissões de usinas elétricas./ 23234 G7 ameaça aumentar sanções contra Rússia por crise na Ucrânia.
1. EUA se reuniu com a Grã-Bretanha e a França hoje; também na Europa, Vladimir Putin avisa: não pretende evitar ninguém. Barack Obama vai consultar dois de seus mais importantes aliados europeus - Grã-Bretanha e França - para discutir soluções para o fim da crise na Ucrânia agora que um novo governo chegou ao poder no país hoje (5). 
2. Rússia classifica apoio do G7 à Ucrânia de cinismo sem limites. Premier chamou atenção para entrada de refugiados a partir das regiões de fronteira.

 photo _asergueibachelet.jpgViagem enigmática: tentáculos russos na América Latina

<= Serguei Lavrov e Michelle Bachelet 

1. O ministro de Relações Exteriores da Federação Russa, Sergei Lavrov, realizou uma misteriosa visita relâmpago à América Latina, encontrando, em apenas três dias, os presidentes e chanceleres do Chile, do Peru, de Nicarágua e de Cuba. A viagem aconteceu num momento de máxima tensão com a Ucrânia. 

2. O governo russo explicou oficialmente que a viagem visou aprofundar os vínculos de cooperação já existentes. 

3. Em Nicarágua e Cuba ele agradeceu pessoalmente os votos contra a resolução da ONU que visava desconhecer a anexação da Criméia, subtraída artificiosamente à Ucrânia e transformada em província russa, observou o jornal espanhol “El País”.

4. O relacionamento com Cuba, Venezuela e Nicarágua é bem conhecido. Porém, no Chile a viagem causou consternação. E no Peru não foi menos. 

5. Em Lima, Lavrov e o presidente Ollanta Humala teriam falado de um possível Tratado de Livre Comércio. A Rússia estaria procurando cooperação militar e venda de armas, algo difícil de imaginar considerando que o Chile está equipado com material bélico de qualidade superior à russa fornecido pelos EUA. 

6. Especulou-se também sobre as tentativas de a Rússia estabelecer, em diversos pontos da região, bases militares em países latino-americanos amigos, como seria o caso do Chile. 

7. O Peru e o Chile votaram na ONU pela ilegalidade da anexação da Criméia. 

8. Segundo o jornal “La Tercera”, de Santiago de Chile, Lavrov entrou com cara de poucos amigos e apressado no palácio presidencial chileno, para o encontro com a presidente Michelle Bachelet que recebia sua primeira visita oficial. Rússia estende tentáculos em plena crise militar da Ucrânia. 

9. A presidente chilena disse que queria convidar cientistas russos para trabalhar na Antártica. Houve também algumas declarações sobre multilateralismo e fortalecimento da ONU, que na opinião de “El País” foram “comentários diplomáticos que carecem de substancia”. 

10. O hermetismo oficial que cercou a visita permitiu que somente jornalistas russos trazidos por Lavrov pudessem acompanhar as reuniões das comitivas. 

11. Porém, a tensão subiu quando um jornalista chileno acenou que a viagem de Lavrov visava atingir o relacionamento dos Estados Unidos com a região. 

12. O novo ministro chileno de Relações Exteriores alçou a voz para defender que a “política exterior de Chile é independente”. 

13. A suspeita cresceu ainda mais quando o ministro do Kremlin declarou: “Nossas relações com Chile têm valor próprio demonstrado com Bachelet, baseando-se no convênio de associação que entrou em vigor”. Mas, como observou o site “Acción Família”, no Chile ninguém sabe no que consiste esse acordo. 

14. Lavrov interveio em dueto atacando a Casa branca e a Ucrânia. Alegou que a culpada pela violência era a extrema direita que se manifestou na Praça Maidan. “Também deplorou que há no mundo países que seguem as versões dos EUA”, os quais querem “provar que tudo deve funcionar como eles dizem”. Um dueto entoando a música ameaçadora e enigmática de Putin.


Justiça da Itália julga extradição de Pizzolato.
1. A Corte de Apelação de Bolonha, na Itália, vai julgar nesta quinta-feira (5) o pedido do governo brasileiro para extraditar o ex-diretor de Marketing do Banco do Brasil Henrique Pizzolato, condenado a 12 anos e sete meses de prisão por lavagem de dinheiro e peculato na Ação Penal 470, o processo do mensalão. Pizzolato fugiu do Brasil em setembro do ano passado, antes do fim do julgamento do mensalão, e foi preso na Itália. (Agência Brasil) 
2. Voltamos à estaca zero, diz advogado do Brasil na Itália. País não entregou todos os papéis. Sessão foi realizada quatro meses após a prisão do mensaleiro, condenado por três crimes.
Ai vai a moça da bicicleta...

Nenhum comentário: