21 de fev de 2014

Será que o sol vai raiar?...

Alto Comando do Exército faz reunião extra para avaliar texto polêmico de General e alta tensão na Venezuela. Revolução Democrática de 31 de março de 1964. O Artigo Árvore Boa foi escrito pelo General de Exército na reserva Rômulo Bini Pereira. Aqui

Partidos aliados ensaiam blocão contra Dilma. 

Adiada votação de recursos de condenados do mensalão. Procurador pede que STF mantenha pena. 

Não tenho interesse, diz Barbosa sobre absolver ou condenar petistas. Der o que der, para mim [tanto faz], disse presidente do STF. Supremo julgará recursos que podem absolver Dirceu, Delúbio e Genoino. 

Relatório diz que Genoino apresenta saúde estável.

Comunismo bolivariano em queda livre: pesquisa revela que Nicolás Maduro tem apenas pouco mais de 10% de apoio popular. 

À beira de guerra civil, Ucrânia enfrentou dia mais sangrento. Ucrânia sofre sanções após massacre nas ruas. Após massacre, governo da Ucrânia antecipa eleições. Presidente da Ucrânia e Oposição assinam acordo de paz. 

Já temos... 
Saiu no O Globo de 29fev14: Em Paris, pontos de ônibus ganharão carregadores de celular. E um leitor comentou: - Por aqui já tem faz tempo, nós chamamos de bandidos

A capataz dos médicos cubanos

 photo _acapataz.jpg
Vivian Isabel Chávez Pérez se apresenta ora como doutora do Mais Médicos, ora como agente da Opas. Sua verdadeira função é controlar os passos dos compatriotas.

Vivian Isabel Chávez Pérez é uma mulher de múltiplas facetas. Em agosto do ano passado, quando os primeiros médicos cubanos desembarcaram noBrasil como parte do programa de intercâmbio de saúde do governo federal, ela aparecia de jaleco branco exaltando a nobreza da missão em um portunhol azeitado. Vivian é apresentada em vídeos de divulgação do Ministério da Saúde como uma médica cubana comum. Puro jogo de cena. Em poucos dias ela já dava entrevistas à Prensa Latina, a agência de notícias da ditadura cubana, como porta-voz da missão no Brasil. Vivian não presta atendimento ambulatorial no Brasil nem consta na lista dos profissionais enviados aos rincões do país pelo programa Mais Médicos. No dia lº de novembro, ela surgiu em um café da manhã de boas-vindas a 100 cubanos no Galpão Crioulo do Palácio Piratini, no Rio Grande do Sul, sentada à mesa das autoridades, ao lado do governador Tarso Genro e da ministra de Relações Institucionais, Ideli Salvatti. Ali, foi apresentada como coordenadora da Organização Panamericana de Saúde (Opas), entidade da ONU que intermediou a importação de médicos de Cuba pelo Brasil., Nessa função, Vivian vigia os compatriotas e exerce sobre eles um extraordinário poder de convencimento.

Entre os cubanos tutelados por Vivian estão as médicas Yamila Valdes Gonzales e Yamile Mari Nin, que trabalham em postos de saúde da zonarural de Jaraguá do Sul, em Santa Catarina. Em dezembro, o Ministério da Saúde foi avisado pela prefeitura de que Yamila e Yamile queriam desistir do programa e voltar para Cuba. Elas não se conformavam em receber menos de 1000 reais de salário, enquanto os outros dois profissionais do Mais Médicos na cidade, uma cazaque e um mexicano, ganham 10000 reais. Sem dinheiro para cobrir as despesas básicas em uma das cidades com maior custo de vida do estado, elas foram acolhidas por funcionários da prefeitura, que se revezavam para convidá-las para comer em suas casas e recebiam donativos para que pudessem mobiliar e equipar o seu apartamento, cujo aluguel é pago pelo município. Ao contrário dos médicos de outras nacionalidades, as cubanas não receberam o auxílio para as despesas de instalação previsto no programa, que varia de 10 000 a 30 000 reais. Elas sofreram um impacto psicológico muito grande por causa dessa diferença de tratamento. Não havia uma semana que não reclamassem das dificuldades de viver aqui, diz Nádia Silva, coordenadora dos serviços de atenção básica da Secretaria de Saúde do município, onde um auxiliar de enfermagem recebe salário inicial de 1 800 reais.

Compreendendo o estado de penúria em que Yamila e Yamile se encontravam, o secretário de Saúde, Ademar Possamai, imaginava que o pedido de demissão seria aceito. Em vez disso, a prefeitura recebeu uma ligação de Vivian, que pediu para falar com as médicas por telefone. A conversa foi privada e as duas cubanas jamais revelaram aos seus amigos na cidade o que lhes foi dito. O fato é que elas mudaram radicalmente de postura, voltaram ao trabalho no dia seguinte e nunca mais reclamaram. Vivian agora se comunica com elas todos os dias, por telefone ou por e-mail. Yamila e Yamile, que não quiseram ser entrevistadas, continuam enfrentando os mesmos problemas financeiros de antes. Elas estavam determinadas a voltar para Cuba, e agora parecem apavoradas. Não consigo imaginar o que essa mulher disse a elas, diz Possamai. O cubano Júlio Alfonso consegue. Ele é diretor de uma ONG com sede em Miami, nos Estados Unidos, que dá assistência a mais de 4000 médicos que fugiram da ditadura dos irmãos Castro. Tal como capatazes, os chefes das missões cubanas contam com uma rede de informantes e com o poder de sugerir punições aos médicos quando eles voltarem ao seu país, diz Alfonso. É assim na Venezuela, de onde só em 2013 fugiram 3000 médicos cubanos, e, como está cada vez mais claro, também no Brasil. Vivian tem a experiência e a influência necessária para controlar colegas. Ela foi chefe de uma missão de saúde na Nicarágua, em 2009, e ocupou um cargo importante no governo da província de Cienfuegos, em Cuba, em 2011, algo só permitido a cidadãos de extrema confiança do Partido Comunista. Em rápida entrevista a VEJA, por telefone, Vivian - que dá expediente num escritório do Ministério da Saúde em Porto Alegre e acumula três cargos no governo do estado - se identificou como representante da Opas para o Rio Grande do Sul e Santa Catarina e confirmou ter conversado com Yamila e Yamile. Foi um mal-entendido, não teve problema nenhum. Elas não entenderam alguma coisa, mas já está tudo resolvido, diz Vivian, negando-se a dar mais detalhes.

Dos 6 600 profissionais que participam do Mais Médicos, atualmente 5400 são cubanos. Destes, 22 voltaram ou foram devolvidos a Cuba. Quatro fugiram, entre eles Ortelio Guerra, que na semana passada anunciou por Facebook que já se encontra nos Estados Unidos. Apenas uma, Ramona Matos, pediu asilo no Brasil. O relato dela confirma a existência de capatazes regionais. Ramona prestava contas a um coordenador em Belém do Pará, para quem devia pedir autorização até para viajar a outras cidades e para participar de churrascos. Para dificultar ainda mais a fuga dos seus médicos, o governo cubano entregou-lhes um passaporte que só vale para o Brasil. Esse documento, de capa vermelha, não é aceito por outros países, porque Cuba já emite uma versão convencional, em azul. Na semana passada, o governo brasileiro juntou-se aos esforços da ditadura caribenha para anular a liberdade dos cubanos. Foram publicadas novas penalidades para os estrangeiros que abandonarem o programa, entre as quais o pagamento de multas e o ressarcimento das ajudas de custo e das passagens aéreas. Isso é ilegal, pois o investimento na contratação de um funcionário corre por conta e risco do patrão, diz o advogado trabalhista Fábio Chong, em São Paulo. Ele completa: Essas punições são mais um artifício para obrigar os médicos a trabalhar em condições análogas à escravidão. (Revista Veja, Isabel Marchezan, Porto Alegre RS) 

 photo _aruth.jpg
Carta de uma senhora de 84 anos ao Estadão. 


1. Estou com vergonha do Brasil. Vergonha do governo, com esse impatriótico, antidemocrático e antirrepublicano projeto de poder. 

2. Vergonha do Congresso rampeiro que temos, das Câmaras que dão com uma mão para nos surrupiar com a outra, políticos vendidos a quem dá mais. 

3. Pensar no bem do País é ser trouxa. 

4. Vergonha do dilapidar de nossas grandes empresas estatais, Petrobrás, Eletrobras e outras, patrimônio de todos os brasileiros, que agora estão a serviço de uma causa só, o poder. Vergonha de juízes vendidos. Vergonha de mensalões, mensalinhos, mensaleiros. Vergonha de termos quase 40 ministros e outro tanto de partidos a mamar nas tetas da viúva, enquanto brasileiros morrem em enchentes, perdendo casa e familiares por desídia de políticos, se não desonestos, então, incompetentes para o cargo. Vergonha de ver a presidente de um país pobre ir mostrar na Europa uma riqueza que não temos (onde está a guerrilheira? era tudo fantasia?). 

5. Vergonha da violência que impera e de ver uma turista estuprada durante seis horas por delinquentes fichados e à solta fazendo barbaridades, envergonhando-nos perante o mundo. Vergonha por pagarmos tantos impostos e nada recebermos em troca - nem estradas, nem portos, nem saúde, nem segurança, nem escolas que ensinem para valer, nem creches para atender a população que forçosamente tem de ir à luta. 

6. Vergonha de todos esses desmandos que nos trouxeram de volta a famigerada inflação. 

7. Agora pergunto: onde estão os homens de bem deste país? 

8. Onde está a Maçonaria? OAB? CNBB? LYONS? Onde estão os que querem lutar por um Brasil melhor? 

9. Porque os congressistas, ao invés de instituírem Pena de Morte para assassinos e estupradores, lhes concedem Bolsa Presidiário? 

10. Enquanto isso, grande parte do povo brasileiro, trabalha honestamente, pra ganhar menos do que aqueles que mataram e estupraram. 

11. Isso, somente estimula a marginalidade! 

12. Estou com muita vergonha do Brasil! 

13. Por que tantos estão calados? Tenho 84 anos e escrevo à espera de um despertar que não se concretiza. 

14. Até quando isso vai continuar? Até quando veremos essas nulidades que aí estão sendo eleitas e reeleitas? 

15. Estou com muita vergonha do Brasil. (Ruth Moreira) 
O que se passa na internet…
Impeachment de Dilma já!
Retrucaram: Ela foi eleita pelo voto Democrático da maioria do Povo Brasileiro! Tem que aceitar.
Estimado amigo,
O impeachment aplica-se não somente aos casos de fraude eleitoral, mas também a todos os de improbidade, peculato, conluios criminosos, malversação do bem público e tantas outras canalhices que vem sendo praticadas pela corja petista, cujo poste Dilma, plantado que foi pelo apedeuta bebum enfaixado, com tudo isso compactua. Collor, cujas trapalhadas com o dinheiro público foi um pic-nic se comparado com a esbórnia que vem sendo promovida pela corja palaciana, também foi eleito, e nem por isso salvou-se da degola. Por que então temos que aceitar essa esculhambação? Putzz!! Já te vi defendendo teses com argumentos menos infantis.
A tua cegueira em relação a toda essa gama de picaretagem, se não é brincadeira, é o mais consumado absurdo, considerando o teu nível de conhecimento e posição sócio econômica. Se fosses um papa-bolsa esmola, eu nem diria nada.
Como sempre citas o outro pilantra FHC, aquele que deu início à entrega do norte brasileiro às ONGs estrangeiras, via repasse a índios, parece que as cachorradas praticadas por aquele justificam as mil dessa quadrilha. Ora! Um erro não pode justificar outro.
 Assista ao vídeo abaixo e vê para onde estamos caminhando. Veja também se dá para acordares desse pesadelo.
Lamentável. (AC) 

Tristezas e só lamentos! 
Abaixo, vídeos que exprimem num ontem e até hoje, um sorriso seu e de quem vê e lê. Ocorrem cotidianamente pelo país e mostra analfabetismo reinante. Mas eu indago o porque dessa situação? Os governos se sucedem e Educação é apregoada como parte primeira dos projetos governamentais. Você acredita?
   

Nenhum comentário: