12 de fev de 2014

Quem são, realmente, os matadores no Brasil ?

 photo _afuga.jpg 

Presidente do STF, Joaquim Barbosa revogou decisões do ministro Ricardo Lewandowski, vice-presidente do tribunal, que ocupou interinamente a presidência durante as férias do presidente onde aproveitou-se das férias e decidiu aprovar o aumento do IPTU em 3 cidades (São José do Rio Preto, SP, Caçador e Florianópolis, SC) além do que havia sido concedido ao preso político José Dirceu.
Barbosa protelou decisão sobre prisão de João Paulo Cunha para não atrapalhar caça a Pizzolato. Aqui
Pode ser que alguém escute e trabalhe! Os três principais problemas do Brasil para a população são a saúde, a segurança pública e a violência e as drogas, indica a pesquisa Retratos da Sociedade Brasileira, da CNI (Confederação Nacional da Indústria) em parceria com o Ibope.
Acostumada - Após discurso, a presidente Dilma Roussef foi vaiada nesta terça-feira (11) por servidores dos Correios durante cerimônia de lançamento da colheita da safra de soja, em Lucas do Rio Verde, a 360 km de Cuiabá. Em greve há quase duas semanas, os servidores se manifestaram contra a terceirização do plano de saúde da categoria. Cerca de 30 funcionários participaram do protesto.
ONG: Brasil é mais mortal para jornalistas brasileiros. Relatório da Repórteres sem Fronteiras em Paris diz que, com 5 mortes em 2013, o Brasil passou México nas Américas.
Com Dilma, o Brasil perdeu força na política internacional. Especialistas dizem que retração diplomática do governo diminui a confiança da comunidade internacional no país, conquistada nos anos Lula.
Brasil é criticado por ajuda financeira baixa a Síria que nos últimos dois anos, as doações em dinheiro do Brasil para ajudar os civis sírios foram as mais baixas entre as dez maiores economias do mundo. Em 2013, o governo brasileiro doou US$ 250 mil às vítimas do conflito na Síria. Rússia e a Itália, que estão atrás do Brasil na lista, contribuíram com US$ 14,8 milhões e US$ 27 milhões, respectivamente.
Dilma reduz pela metade viagens internacionais.
1) Senado recebe projeto para tipificar crime de desordem pública.
2) Aliciamento de manifestantes por organizações políticas será investigado por força-tarefa. Beltrame leva ao Senado proposta de lei para tipificar crime de desordem. Secretário do Rio disse que objetivo é inibir violência em manifestações.
3) Advogado da dupla que matou Santiago Andrade diz que partidos e outros grupos financiam jovens para criar “terrorismo social” e cobra que imprensa e Polícia investiguem vereadores, deputados estaduais e diretórios regionais de partidos.
4) Polícia investigará financiadores dos black blocs no Rio.
5) Advogado: Caio de Souza ganhava R$ 150 em cada manifestação violenta. Jonas Tadeu confirma que jovens são aliciados para participarem dos atos de protesto. Suspeito era tranquilo com vizinhos e colegas de trabalho, diz delegado.
Pizzolato propõe delação premiada - Entrego documentos e tudo o que sei da quadrilha petista, em troca de ficar na Itália.
A bronqueira - Rachel Sheherazade, a brava, é formada em Jornalismo pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB), funcionária do Tribunal de Justiça da Paraíba desde 1994 (atualmente licenciada) está fazendo tremer as estruturas do poder podre petista.
FGTS: procurador da República dá parecer contra correção pela inflação.
Que conversa é essa? - O Palácio do Planalto quer que a nova lei antiterror que está sendo debatida no Senado exclua da punição mais dura aqueles que praticarem atos em nome de "causas sociais". Se movimentos sociais como o MST, a Via Campesina, entre outros, invadirem e depredarem prédios públicos, e até mesmo privados, como sói acontecer, não poderão ser enquadrados na nova legislação. A lei vai valer pros "black blocs", mas os "red blocs" ficarão de fora. A Constituição afirma que todos são iguais perante a lei, mas, pro PT, alguns são mais iguais do que outros. (Roberto Jefferson) 

Por oportuno! 
 photo _aagarcia-1.jpg


Para chegarmos em paz a junho
Terá sido necessário o assassinato de um cinegrafista para a opinião pública posicionar-se frontalmente contra os black-blocs que infestam, distorcem e desvirtuam o sentido das manifestações populares? Claro que não. Nada justifica a perda de uma vida nas condições em que Santiago perdeu a dele, quer dizer, trabalhando.
O problema é que esses animais continuam dispostos a assaltar, depredar e intranquilizar as principais cidades do país e confundir-se com os movimentos antes pacíficos.
Sendo assim, não basta a população condená-los, até diminuindo o número de manifestantes nas ruas, mas ainda suficientes para organizar verdadeiras praças de guerra. Muito menos será solução aumentar os contingentes policiais e liberar a truculência do lado da lei, com balas de borracha, sprays de pimenta e bombas de gás., coisa que apenas acirraria os conflitos.
Razão tem o Secretário de Segurança do Rio, José Mariano Beltrame, quando acentua que apenas mudando a lei será possível arrefecer a baderna. Isso significa determinar a prisão preventiva de quantos foram flagrados depredando patrimônio público e privado. Estabelecer para eles mais do que uma quarentena a ser passada na cadeia, sem habeas-corpus, pois também processos penais por danos à ordem pública.
Um terceiro vértice do triângulo será da mesma forma necessário: mobilizar os organismos de inteligência de informação não apenas das Polícias Militares e Civis, mas das instituições correlatas, para identificar os meliantes, prendê-los e processá-los antes que se lancem na próxima empreitada. Se foi possível à polícia do Rio conhecer os dois assassinos responsáveis pela morte do cinegrafista, impossível não será sair atrás dos cabeças e dos principais agitadores. Mesmo mascarados, eles tem sido filmados.
Em suma, há um longo trabalho a desenvolver se queremos chegar a junho sem assistir à transformação das cidades sede da Copa do Mundo em campos de batalha. Menos pela sorte da competição, até, do que para o restabelecimento da paz nas ruas. (Carlos Chagas)

Nenhum comentário: