19 de fev de 2014

Leia e sorria! O Brasil é isso mesmo...

 photo _aobrejo.jpg 

• Cabral enganou todo mundo e dá presente ao Rio: Tarifas de trens, metrô e barcas serão reajustadas, afirma Agetransp. 

• Eduardo Azeredo renuncia ao mandato. Deputado federal tucano é réu no STF e apontado como líder do mensalão mineiro. Em carta de renúncia, deputado diz que tragédia desabou sobre sua família. Com renúncia, processo de Azeredo pode deixar STF; PSDB nega manobra. 

• Parece que Paes entende mesmo das coisas de trânsito, tanto que disse momento é bom para observar número de ônibus desnecessários. Só falta mandar o povo andar a pé. Ele é fantástico! Segundo especialistas, o caos no trânsito do Rio vai permanecer. 

• Bancos continuam os donos das bolas! Do total de 2.508 irregularidades registradas pelo Banco Central em dezembro de 2013, 444 são sobre o débito não autorizado. Em novembro, essa também era a principal reclamação.

• Brasil quer aumentar salário de médicos cubanos em R$ 1.500.

• PF indicia Joesley Batista e Kátia Rabello por operações irregulares. Joesley Batista que controla o Friboi é acusado de crime financeiro com dona do Banco Rural.

• Terrorista diz que quer lei dura e veto a máscaras em protestos.

• O que agride o povo, a Justiça discorda e supersalários voltam a ser pagos já neste mês, diz Alves. Ministro do STF ordenou pagamento. 

• Comissão do Senado rejeita redução da maioridade penal. 

• Governo brasileiro tenta convencer Cuba a aumentar repasse a médicos. Ministério cancela a participação de quatro médicos cubanos. 

• Dilma diz que Exército atuará em protestos contra a Copa. Dilma chama vândalos de criminosos.

• Cariocas, veja quem vocês elegeram para vereança do Rio.

• Miss venezuelana 2013 morre após ser baleada na cabeça durante protesto. 

• Confrontos na Ucrânia deixam pelo menos 25 mortos e mais de 240 pessoas ficaram feridas. 

Comentário em O Globo
Apesar do diretor do Centro Brasileiro de Infraestrutura, Adriano Pires, integrar o time de lobistas do IBP, Fiesp, Onip, a favor do cartel internacional do petróleo, neste artigo ele acerta quando fala da atuação desastrosa do Governo em relação à Petrobrás e Eletrobrás. Ele diz: nos últimos anos, as duas estatais têm sido vitimas de uma política equivocada e, porque não dizer, irresponsável, que levou a uma descapitalização das empresas, comprometendo investimentos futuros e o papel que irão desempenhar daqui para a frente na economia brasileira.
Os dados do artigo estão bem próximos da realidade, mas o articulista tem uma recaída neoliberal quando diz: ...a dívida da Petrobrás que era R$ 94 bilhões em 2009, caiu para algo em torno de R$ 56 bilhões em 2010, devido ao processo de capitalização chegou a mais de R$ 200 bilhões no fim de 2013. E acrescenta: O que assusta e chama a atenção é que, apesar de a dívida ter sido multiplicada por quatro, a produção de petróleo não cresceu nos últimos anos e até caiu.
Ora, como professor e analista de energia, petróleo incluído, o Adriano sabe muito bem que o endividamento devido à capitalização só vai ter efeito dentro de 5 anos, que é o tempo médio de por em produção petróleo em águas ultra profundas. Portanto, iniciado em 2010, somente de 2015 em diante se pode ter resultados deste endividamento. Como querer que a produção deslanche em 3 anos?
Além disto, é bom lembrar que os campos antigos perdem produção da ordem de 4 a 5% ao ano, O pré-sal tem suprido essa queda. Hoje, já se produz 360 mil barris por dia no pré-sal. Em 2020, se espera produzir 1,5 milhão.
Mas Adriano se redime no restante, inclusive quando estima que a ação eleitoreira do Governo em obrigar a Petrobrás a importar gasolina a R$ 1,72/litro e vender para as distribuidoras suas concorrentes a R$ 1,42, já resulta num prejuízo da ordem de R$ 50 bilhões para a Petrobras só no Governo Dilma, ou seja, dava para a Petrobrás comprar 3 campos de Libra. Mas o Governo gosta mais da Shell! (Fernando Siqueira, vice-presidente da AEPET) 

Filhos da Prostituta 

1. O sujeito se chama Marc Faber, e é norte-americano. Ele é Analista de Investimentos e empresário. Em junho de 2008, quando o Governo Bush estudava lançar um projeto de ajuda à economia americana, Marc Faber encerrava seu boletim mensal com um comentário bem-humorado: O Governo Federal está concedendo a cada um de nós uma bolsa de U$ 600,00. Se gastarmos esse dinheiro no supermercado Walt-Mart, esse dinheiro vai para a China. Se gastarmos com gasolina, vai para os árabes. 

2. Se comprarmos um computador, vai para a Índia. Se comprarmos frutas e vegetais, irá para o México, Honduras e Guatemala. Se comprarmos um bom carro, irá para a Alemanha ou Japão. Se comprarmos bugigangas, irá para Taiwan. E nenhum centavo desse dinheiro ajudará a economia americana. O único meio de manter esse dinheiro na América é gastá-lo com prostitutas e cerveja, considerando que são os únicos bens ainda produzidos por aqui. 

3. Estou fazendo a minha parte... 

4. Resposta de um brasileiro igualmente bem humorado: Realmente a situação dos americanos parece cada vez pior: Lamento informar que, depois desse seu e-mail, a Budweiser foi comprada pela brasileira Ambev. Portanto, restaram apenas as prostitutas

5. Porém, se elas (as prostitutas) repassarem parte da verba para seus filhos, o dinheiro virá para Brasília, onde existe a maior concentração de fdp do mundo.

Ônibus Amsterdam-Roterdam a bordo do Scenic Diamond Ideal para os dias de chuva pelas cidades brasileiras.
O perigo no Brasil é a poluição das cidades, rios e o mar.
Que pena!


O conserto do mundo

• Um cientista muito preocupado com os problemas do mundo passava dias em seu laboratório, tentando encontrar meios de melhorá-los. 

• Certo dia, seu filho de 7 anos invadiu o seu santuário decidido a ajudá-lo.

• O cientista, nervoso pela interrupção, tentou fazer o filho brincar em outro lugar. 

• Vendo que seria impossível removê-lo, procurou algo que pudesse distrair a criança. De repente, deparou-se com o mapa do mundo.

• Estava ali o que procurava. Recortou o mapa em vários pedaços e, junto com um rolo de fita adesiva entregou ao filho dizendo: - Você gosta de quebra-cabeça? Então vou lhe dar o mundo para consertar. Aqui está ele todo quebrado. Veja se consegue consertá-lo bem direitinho! Mas faça tudo sozinho! 

• Pelos seus cálculos, a criança levaria dias para recompor o mapa. 

• Passadas alguns minutos, ouviu o filho chamando-o calmamente. 

• A princípio, o pai não deu crédito às palavras do filho. Seria impossível na sua idade conseguir recompor um mapa quem jamais havia visto.

• Relutante, o cientista levantou os olhos de suas anotações, certo de que veria um trabalho digno de uma criança. Para sua surpresa, o mapa estava completo. Todos os pedaços haviam sido colocados nos devidos lugares. Como seria possível? Como o menino havia sido capaz?

• - Você não sabia como era o mundo, meu filho, como conseguiu? 

• - Pai, eu não sabia como era o mundo, mas quando você tirou o papel Do jornal para recortar, eu vi que do outro lado havia a figura de Um homem. Quando você me deu o mundo para consertar, eu tentei, mas não consegui. Foi aí que me lembrei do homem, virei os recortes e comecei a consertar o homem que eu sabia como era. Quando consegui consertar o homem, virei a folha e vi que havia consertado o mundo! (AD) 

Moral da história: o primeiro passo para mudar o mundo é mudando a nós mesmos. Só seres humanos melhores poderão fazer do mundo um lugar melhor. 

Para criar inimigos não é necessário declarar guerra, basta dizer o que pensa. 

Nenhum comentário: