14 de jan de 2014

Os rolezinhos de um país....

 photo Pedrinhas.jpg 
Depois dos muitos presídios e delegacias entulhadas de gente, ainda que passíveis de penas maiores, a verdade é que as autoridades brasileiras (?) dão as costas para os problemas que não geram votos ou alegoria.
Em qualquer estado da Federação o caos é alarmante. De São Paulo em vertentes só se veem notícias, que aniquilam famílias e, sem querer induzem a outros descamisados a compartilhar nos descaminhos. Exemplos onde os achar?
A verdade do entulho em prisões sempre foi um descalabro anos a findo. O abandono e condições dos presos ou daqueles no aguardo são a demonstração eloquente das incompetências dos governantes. Corra-se norte a sul e leste a oeste, o filme é um só. E por que? Falta de verba não é e sim os antolhos para os fatos. É preciso sempre que estoure uma bomba que abale alguns alicerces para que despertem a fúria da população.
Como explicar que o não-governo do Maranhão devolvera quase metade dos recursos recebidos em 15 anos para construir presídios? 
E se lá dentro estivessem esses presos do mensalão? Ficariam juntinho naquela massa?
O Maranhão, ó triste estado caído nos qualificativos nauseabundos de governanças de abandono num quase total a um povo sofrido. Rebeliões, mortos em presídios e decapitações. 
Li num jornal do nordeste que deveriam colocar no meio muitos para a guilhotina funcionar banindo as hordas do coronealismo, empedernidos e contumazes traidores do povo que elege incompetentes e corruptos, se trocando pelas vis moedas ou esperanças. 
E se lemos que a Justiça determina construção de novos presídios em 60 dias no Maranhão, nos perguntamos se é conversa pra boi dormir e acalmar a plebe ignara. E no resto do país, como fica? 
Se a OAB pede a saída da PM de presídio no MA e as denúncias de abusos cometidos pelos policiais contra presos motivaram pedido é claro que o bode respiratório pode ser bem diferente. 
E tome mais a população entregue à sanha dos malfeitores onde o roubo a ônibus em São Luís sobe 140%.
Pedrinhas é um nome de cidade respeito, mas aos políticos inermes são aquelas coisinhas para jogar o caxangá dos escravos.
O mundo nos espiona e sabe direitinho que a Síria, Egito e outros é aqui mesmo.
E a dona sabichona com seu desconhecimento diz que faz e acontece e ilude no merchandising que tudo vai bem e medidas serão adotadas naquele seu blá blá blá não retórico, fora os sussurros do mentor moral-espiritual, freguês do Sírio-Libanês. 
Se tudo fosse ¼ de intenção a gente engoliria, porém há um fado de alienação e indisposição para inteligência racional. 
E tome de botar o Ministro da Justiça no meio do caso, não pra consertar, e sim para impedir a intervenção nas Casas de Marimbondos dos Sarney. 
Um exemplo das incúrias: CGU diz que Saúde fez pagamento milionário indevido. Auditoria vê gasto de R$ 2 milhões a mais em aluguel e serviço não prestado. Ministério contesta parte de relatório. 
E não acreditem que irão fazer, talvez até presídios virtuais aparecerão nas tvs, como as propagandas mentirosas do des(governo) federal que hipnotizam a massa brasileira, não a culta. 
Senadores foram para ver e não viram. Portanto, não venceram! Atravessar o Rubicon é demais pros franzinos!
Se advogados pedem Impeachment de Roseana num grupo de oito de Direitos Humanos apresentarão ao presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão num pedido por causa da crise no Complexo Penitenciário de Pedrinhas, em São Luís; A governadora Roseana Sarney violou flagrantemente os direitos individuais e fundamentais e deixou de apurar as responsabilidades dos agentes públicos envolvidos nessas violações de maneira contínua, dizem; a peemedebista também pode perder os direitos políticos, e assim, ficaria impedida de disputar uma vaga no Senado.
E ela, coitada, preocupada com a compra das lagostas!!!
Olhos e ouvidos de mercadores, aduladores de falsos ídolos, podres e vergonhosos aos sangues de seus partos. (AAndrade) 

Justiça deu aval a Apartheid no Brasil - A Opinião é de Pedro Abramovay, ex-secretário Nacional de Justiça e coordenador do Avaaz, site que organiza petições online; segundo ele, ao conceder liminar para que estabelecimentos comerciais escolhessem quem pode ou não entrar em suas dependências, Justiça oficializou uma política de segregação e só escutou um lado: o dos donos de shopping-centers, como Carlos Jereissati, do JK Iguatemi, que barrou suspeitos de rolezinho; lei contra o preconceito é clara e estabelece penas de reclusão de até três anos para quem impedir o acesso de qualquer cliente a um local comercial, mas as liminares permitiram um retrocesso de 25 anos no País. 

O Brasil ainda não acabou... - PT fará campanha para atrair minorias étnicas. Novo estatuto do partido prevê cotas de dirigentes jovens, mulheres e negros em todos os seus diretórios; no entanto, meta não foi batida; secretaria considera que não houve tempo suficiente para trabalhar com a militância.

Nenhum comentário: