30 de jan de 2014

Cuidado ao ler e ouvir, estão enganando...

Para Cuba, tudo; para nós... 
A presidente Dilma Rousseff transformou em realidade ontem, em Cuba, o que no Brasil ainda não passa de discurso ou sonho distante. Ao inaugurar a primeira etapa do Porto de Mariel, a 45km de Havana, ela aumentou sua dívida com a dura verdade de atrasos e ineficiência do setor portuário brasileiro, um dos campeões mundiais em custos e falta de capacidade operacional.
O porto cubano, com moderno terminal de contêineres, custou US$ 957 milhões, dos quais nada menos do que US$ 683 milhões saíram de cofres brasileiros, financiados em condições favoráveis pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). E, segundo anunciou a presidente, para a segunda etapa do projeto, a ser implantada em seguida, não faltarão recursos: Vamos financiar US$ 290 milhões para implantar zona especial de desenvolvimento. Sem dúvida, é o sonho de muitas cidades brasileiras, portuárias ou não.
A inauguração do porto cubano ocorre pouco menos de um ano depois que a Sunrise, uma das maiores tradings chinesas importadoras de soja, comunicou ao exportadores brasileiros o cancelamento de uma encomenda de 2 milhões de toneladas do grão, em razão de atrasos inaceitáveis no Porto de Santos. A mercadoria deveria iniciar viagem para a China em fevereiro, mas, na melhor das hipóteses, seria acomodada a bordo em abril. Os chineses, que já haviam tido prejuízos com o atraso de dois embarques anteriores, preferiram abrir mão do preço do grão brasileiro em favor do melhor funcionamento dos despachos pela Argentina.
Pior: na festa do Porto Mariel, não é certo que Dilma e sua alegre comitiva tenham se lembrado - menos ainda se constrangido - da distância que separa aquela celebração com a pompa e a circunstância que marcaram os primeiros dias de dezembro de 2012, quando foi lançado o até então ousado Programa de Investimentos em Logística (PIP). Somente para o setor portuário, estariam reservados R$ 54,2 bilhões.
A salvação dos portos brasileiros foi anunciada em detalhes em 6 de dezembro daquele ano. E a montanha de dinheiro não viria sozinha, pois obras de melhorias rodoviárias e ferroviárias dariam novo enredo ao escoamento da produção nacional, incluindo facilidades de acesso aos principais terminais portuários. Para isso, a iniciativa privada, que deixaria de ser vista como vilã, seria muito bem aceita.
Não foi o que aconteceu. Não houve até agora nada parecido com a boa vontade e a rapidez com que se viabilizou a aplicação do dinheiro do BNDES em Cuba. Pelo contrário, os exportadores brasileiros de soja já se preparam para mais uma safra de problemas a partir das porteiras de suas lavouras. Este ano, o Brasil vai colher mais uma supersafra de grãos (196,7 milhões de toneladas). Só a soja responderá por 90 milhões de toneladas, podendo superar, pela primeira vez, a colheita dos Estados Unidos.
A prioridade aos investimentos em infraestrutura, para destravar o crescimento da economia brasileira - que vai para o terceiro ano de taxas constrangedoras de expansão do Produto Interno Bruto -, foi uma das promessas da presidente aos investidores em Davos. O mundo, além dos brasileiros, está esperando que ela vá além do discurso e aplique mais no Brasil o dinheiro dos brasileiros e, com isso, recupere a confiança do capital internacional no país.(Correio Brasiliense 28jan2014) 
Comentário:
Essa jogada de fazer, na casa dos outros (no caso, em Cuba), aquilo que faz falta na própria, longe de ser burrice ou incompetência, nada mais é do que desvio de dinheiro público, (dos impostos que pagamos e que está guardado no BNDES), para os cofres do partido da bandidagem com extensões aos bolsos dos cardeais petistas. A grana é inteiramente repassada às construtoras brasileiras que pegaram a tarefa, sem precisar passar por licitação. Vez que ninguém é tão idiota, capaz de repassar, de graça, tão volumosa quantia de dinheiro a uma construtora, sem retorno algum, o resto é bem fácil de concluir.
Claro que essa manobra, tal como vem sendo feita nas obras superfaturadas da Copa, poderia ser feita aqui mesmo, nos nossos portos, que estão em petição de miséria, mas, com a grana circulando no Exterior, tudo fica mais fácil.
É por aí que a corja de larápios vai sangrando os recursos que tanta falta faz à dorminhoca nação brasileira. (AC)
Até prova em contrário.....
Acabei hoje de ler Assassinatos de Reputações, de Romeu Tuma Junior. O livro me foi gentilmente presenteado por uma amiga de S. Paulo, até com direito à dedicatória e autógrafo do autor...
As observações que me permito fazer, são as seguintes:
1 - Não tenho qualquer simpatia pelo autor, por ser ele filho do ex-delegado Romeu Tuma, conhecido de todos nós que tivemos alguma relação ( positiva ou negativa! ) com a Revolução de 64!
2 - Por não conhecer o autor e seu passado, não posso emitir opiniões preconcebidas sobre sua seriedade ou credibilidade, quando narra fatos e episódios dos quais ele participou. Lembro-me somente de reportagens e acusações contra ele formuladas, quando era Secretário Nacional de Justiça, por suas possíveis ligações com o chinês Paulo Lee, acusado de ser um grande contrabandista. Segundo o autor demonstra em seu Livro, todo esse episódio fez parte de uma armação que visava desestabilizar e atingir o velho Romeu Tuma, em suas incursões políticas, contrárias ao PT...
3 - Quando do lançamento do Livro, a imprensa, a sociedade brasileira e principalmente o PT, berraram aos quatro ventos, evidentemente sob enfoques diferentes, a informação repassada pelo autor de que, nos anos de chumbo, ...Lulla teria sido um informante duplo do antigo Dops, com estreitas ligações com o velho Delegado Tuma. Até FHC já veio a público negar essa informação que colocara os PTistas em estado de transe incontrolável!
4 - Para mim, independente da revelação do autor, do desmentido de FHC, das opiniões da imprensa ou do que pensam os brasileiros sobre essa informação, ela não tem a menor importância, uma vez que em nada altera a realidade nua e crua construída por Lulla, de ter ele se transformado no maior traidor da história deçe País!....
5 - Em todo o volumoso Livro de mais de 550 páginas, distingo claramente dois grandes blocos de informações e de testemunhos que, em minha avaliação, devem ser tratados de modo distinto.
6 - No primeiro bloco o autor-político, para mim, não apresenta a menor diferença daquilo que praticam os políticos de um modo geral, passando pelas mesmas negociatas e parcerias, os mesmos jogos de interesses pessoais, as mesmas traições daqui e dali, as mesmas perdas de seus valores e de suas crenças...
7 - No segundo bloco, o autor-delegado, com um admirável rigor de investigação e de apresentação de provas, com dados e fatos, traça um surpreendente cenário do Projeto de Poder montado no País, pelo PT, em seus mínimos detalhes, atingindo e descaracterizando os objetivos básicos dos três Poderes democráticos constituídos, transformando-os em instrumentos do Partido e, não, em instrumentos de Governo!
8 - É chocante a utilização da Polícia Federal, das Secretárias Estaduais de Segurança e de todos os aparatos de Segurança, como Instrumentos do Partido, onde não se trabalha mais em cima de um crime a ser esclarecido e culpabilizado, mas, sim, em cima de alvos indesejados para o Projeto do Partido, que devem ser criminalizados através de dossiês e processos montados e terem suas reputações assassinadas!
9 - É também impressionante como o governo Lulla transformou o modo de agir da Polícia Federal, tornando-a instrumento do Partido, uma polícia judiciária que age como se fosse a própria Justiça, que usa, à revelia da Lei, as escutas telefônicas autorizadas, ou não, à seu bel prazer e necessidade, de acordo com os objetivos de construir seus alvos convenientes! Tirando trechos de seu contexto, usando parcialmente as escutas, implantando interpretações e falas de acordo com a visão do agente, empregando em larga escala, com ou sem autorização judicial, as famosas malas francesas que assumem o lugar das operadoras de telefonia e de Internet, implantando falas inexistentes, enviando mensagens inexistentes e comprometedoras a criminosos que se tornam parceiros, enfim, bisbilhotando a vida de quem quer que seja e plantando provas de contatos que não podem ser desfeitas...
10 - Ficamos também sabendo dos meandros e das jogadas montados em várias operações famosas, como Santhiagra, Cacciola, Battisti, Celso Daniel, Toninho do PT, etc., etc....
11 - O que realmente mais me impressiona em todo esse emaranhado de informações e acusações formuladas pelo autor é que, os nomes e sobrenomes dos criminosos estão lá, as datas dos crimes estão lá, o local dos crimes está lá e nenhum dos altos figurões do PT, têm nada a dizer em sua defesa! O autor não é processado, o autor não é contestado em relação ao monte de...mentiras e inverdades vomitadas por esse amigo de traficantes... 
12 - Choca-me, também, o silêncio do Poder Judiciário, do Conselho Nacional de Justiça, do STF, etc., ao não emitirem qualquer manifestação ou tomarem as providências cabíveis, em relação às graves e explícitas acusações que são formuladas pelo autor, em relação ao modo e à omissão de como a Justiça Brasileira e seus mais expressivos Órgãos, têm sido utilizado e descaracterizados, totalmente à revelia da Lei, nesse Projeto de Poder do PT.
13 - Estamos mesmo em um País dominado pela Banalidade do Mal, onde esse tipo de acusação direta e explícita é disponibilizada por alguém, que não é uma pessoa qualquer e que fez parte do núcleo de Poder, e os atingidos ou citados, sequer se dão ao trabalho de realizarem algum movimento de contestação ou de reparação pública!....
14 - Até prova em contrário, para mim, valem as acusações do autor a esses criminosos que estão transformando nossas Instituições em instrumentos de seu Partido e de seu Projeto de Poder! E valem também as acusações de conivência e de omissão da Justiça Brasileira, em relação à sua aceitação, implícita ou explícita, a essa lamentável deteriorização dos instrumentos legais e constitucionais de combate ao crime!
Está aí, mais um exemplo concreto do aparelhamento dos órgãos públicos, para fins particulares!
O diferente, porém é que, neste caso, o aparelhamento PTista, parece não ser para favorecer o Partido, mas diretamente, para as burras dos servidores! É como se fosse uma espécie 14o. e 15o. salários!
Tudo isso, acontecendo naquele que foi recentemente declarado o pior aeroporto do mundo! (Guarulhos....) (Márcio Dayrell Batitucci) 

E continuando, mais uma pílula Alfândega Petralha...
Amigos (as) muito cuidado...
Segue relato de uma usuária do Facebook....
Para o conhecimento de todos....
Amigos do Facebook e da Vida! Não costumo utilizar minha página pessoal para falar de coisas chatas, mas gostaria de alertar todos que viajam para o exterior! Caso possam, compartilhem este meu desabafo na página de vocês e divulguem para todos os amigos!
Voltei de férias na quarta-feira, dia 08 de janeiro, em um voo vindo de Miami, no aeroporto de Guarulhos, às 07h30min.
Como comprei alguns itens de tecnologia para a minha casa (projetor e etc) fui para a área de Declaração de Bens declará-los e pagar os impostos devidos. Primeiramente, os funcionários da Receita Federal não me deram muita importância e apenas solicitaram que eu entrasse em um computador que estava disponível e imprimisse a guia de recolhimento. Feito isso, chamaram a Sra. Fátima (guardem bem este nome!), que me perguntou se eu estava trazendo mais algum item que eu quisesse declarar, como roupas ou bens para consumo pessoal. Além dessas perguntas, a Sra. Fátima me fez outros questionamentos como, por exemplo, o tempo de permanência que estive fora do Brasil, hotel em que me hospedei e também a temperatura do local. (Detalhe: ela não é da imigração e sim, da receita federal). Como eu não sabia se eu podia me manter calada ou se era obrigada a falar, dei as informações solicitadas.
Após ter feito o pagamento da guia de recolhimento, passei no Raio X (a pedido da Sra. Fátima). Uma das assistentes que estava trabalhando no Raio X, gritou: - Bolsa, Ipad e Notebook nas malas! (Quase como se eu estivesse trazendo drogas!) Como solicitado, abri minha mala (possuía duas). A fiscal da receita federal tirou peça por peça das minhas roupas, abriu todas as minhas nécessaires, caixinha do meu aparelho móvel, sacola de sapatos, inclusive uma sacolinha que continha minhas peças íntimas (calcinhas, meias, biquínis, etc).
Sempre com a cara blasé e perguntando: Você comprou esta calcinha no exterior? (Tudo isso em alto e bom som para qualquer pessoa em volta ouvir). Já constrangida, informei que sim, mas que havia comprado quando morei em NY.
Ela então me indagou: Onde estão as Notas Fiscais destas calcinhas? - Oi? A vergonha e a humilhação só estavam começando. Ela não era grosseira, mas sim arrogante e repetidamente dizia: - Só estou cumprindo com meu trabalho. Sem problemas cumprir o seu trabalho, porém, a Sra. Fátima começou a separar em outro balcão tudo que ela supostamente iria taxar. Shampoo, calcinha, sapatos (olhava sola por sola) e etc! Uma sapatilha minha que tem a sola de borracha (não marca facilmente com o uso) foi taxada. Um cinto meu, que comprei no Natal, na Tory Burch do Shopping Iguatemi só não foi taxado, pois por sorte eu mantive a etiqueta que tinha um adesivo com a moeda brasileira e o valor da peça, senão, seria taxado também!
Sempre carrego meus bens de maior valor (alguma bolsa de marca, notebook, etc) na mala de mão, pois tenho medo de serem extraviados ou roubados no trajeto. Quando abri a mala de mão, parecia que a Sra. Fátima havia descoberto ouro na minha bagagem! Ela então separou as duas bolsas e o notebook e me informou que eu teria que pagar para tê-los de volta. O meu Notebook foi comprado no Brasil há dois anos, uma bolsa Gucci há 10 (sim, 10 anos!) na Daslu e a bolsa - menina dos olhos da receita federal - Chanel, ganhei de aniversário ano passado. Comprei no Shopping JK Iguatemi, no dia 01 de outubro.
Na mesma hora, informei que o computador era antigo, ela então o tirou da capa de proteção e o ligou. Comprovou que era antigo e continuou o pente fino nos outros itens de valor. As bolsas, ela exigiu as NF’s. Como eu não ando com uma pasta de NF, informei que iria ligar imediatamente na loja do Shopping JK para que eles me enviassem.
No momento que eu peguei o meu celular para efetuar a ligação ela se impôs: é proibido o uso de aparelhos de celular aqui! Ou seja, nem que eu quisesse ligar para um advogado eu poderia!
Quanto à bolsa Gucci velhinha da época da Daslu, não teria como eu ter a NF, ou seja, fui taxada e acabei aceitando pagar, pois não tinha outra saída. Porém, o que mais me revoltou, foi o fato de eu ter pagado pela bolsa Chanel comprada no Shopping JK o valor de US$ 2.500,00. Sim, paguei dois mil e quinhentos dólares! Não quis deixar a minha bolsa lá enquanto eu ia atrás da NF. Quem me garantiria que quando voltasse a minha bolsa estaria lá? Eu não acredito nas pessoas que trabalham verificando bagagens e procurando bens de valor apenas pelo prazer de taxar... Pessoas que não têm o menor tato no atendimento e te tratam como se você fosse um bandido! No total, paguei R$ 7.000 pelos meus pertences. O notebook ela não taxou, pois já era antigo, mas as peças de luxo sim!
A forma de pagamento? Ela queria que eu sacasse do caixa eletrônico do aeroporto (sem ao menos ter ideia de que é impossível sacar esta quantia às 09h00. Fora o risco de assalto!). Eu solicitei que ela emprestasse o computador dela para eu fazer o pagamento do DARF emitido e ela deixou. Ou seja, o esquema é tão mal feito e desorganizado, que eu utilizei o computador da receita federal para entrar no meu bankline. Já estou com a NF da Chanel em mãos.
O atendimento do JK foi excepcional e eles se dispuseram a me ajudar muito! Não que adiante, pois os xerifes da receita decidem por eles o valor que você irá pagar pelos bens apreendidos caso os queira de volta. Senti-me como se estivesse sendo extorquida por presidiários que fazem o sequestro via telefone e você tem que passar em estabelecimentos comprando cartões pré-pagos, sabe?
No fundo, foi isso que aconteceu mesmo, pois para eu recuperar meus bens tive que desembolsar um valor astronômico! Chorei de raiva, chorei por ver o quanto fui lesada por algo que não fiz. Eu tinha razão! Tomem cuidado mulheres, pois a mala do meu marido, sequer foi revistada. Ou seja, o interesse é em bolsas e roupas, pois sabem que dificilmente temos a Nota Fiscal em mãos.
Gostaria de ressaltar que, no período em que estive declarando meus bens e tendo minhas malas revistadas, diversos funcionários de uma empresa que administra o aeroporto passavam com televisões, caixas e mais caixas. Um destes funcionários passou pelo raio X com 16 malas de uma mesma família. Se as revistaram? Não! O funcionário sequer foi indagado sobre o conteúdo das malas e ouvi um sonoro: Pode passar Fulano, você está liberado! Ou seja, o esquema é você dar um jeitinho brasileiro! Soube ainda (não sei se é verdade ou boato, mas que existe um leilão das peças apreendidas para íntimos!) todo ano. Valor das peças? Preço de banana!
Sabem quando eu irei declarar novamente qualquer item que eu trouxer do exterior? Nunca mais! Pois sei que se for parada, irão me taxar por tudo que tenho!
Uma dúvida: se uma amiga minha me der de presente uma bolsa comprada no Brasil, ela terá que me dar a NF com o valor pago? As NF, normalmente não se desintegram, apagando a impressão com o tempo?
Meu tesão e orgulho de ser brasileira é 0! O país te rouba diariamente com impostos abusivos sem sequer disfarçar e nem retribuir através de um sistema decente de atendimento à população. Compro uma bolsa no meu país que não posso usá-la, pois a (in)segurança não permite. Viajo com ela para o exterior e sou roubada financeiramente através de pagamentos de taxas na volta.
Quem perde com isso? As marcas importadas que por aqui vendem pois as pessoas perdem a confiança na hora da compra, o consumidor brasileiro que fica broxado em gastar seu dinheiro aqui e o governo, que automaticamente deixará de arrecadar.
Enfim, desculpem meu desabafo e se atentem, pois de nada adianta terem roupas, tecnologia, shampoos, calcinhas ou sapatos comprados no Brasil se você não estiver com as Notas Fiscais dos produtos no seu bolso. Se puderem, repassem para alertar as pessoas e denunciar este absurdo! Infelizmente, as leis mudam de acordo com o que é melhor para o governo, e não para a população. Ou seja, voltamos para a frase: Não é pelos R$ 0,20!
Beijos e que nosso país um dia possa ser justo para nossos filhos, pois confesso que para nós, já perdi as esperanças... (Roberta Whately, Sp, 10 jan2014) 

Duas verdades! 

1) Mudanças no programa Bolsa Família
Não é boato, mas é mentira...,
mas bem que essa pequenina mudança no Bôça Familha
faria um bem imenso para os cidadãos,
para os contribuintes, e para o progresso de nosso país! 

 photo _aBocircccedilaFamilha.jpg 

2) Ir à luta!
 photo _atrabalho.jpg

Nenhum comentário: