11 de dez de 2013

Um Rio afogado...

 photo _abiografia.jpg
A Veneza brasileira. Uma cidade como o Rio deveria estar preparada ou não? Esta pergunta vai direta ao senhor Paes que pediu pro povo não sair às ruas! Só pode ser blague. Temporal provoca pelo menos 4 desabamentos no Estado do Rio, alaga bairros do Rio, Baixada, e provoca deslizamentos e também problemas na circulação dos trens e metrô. Sirenes são acionadas em 48 favelas. Moradores ficam ilhados e sofrem com muitas vias fechadas. Alagamentos interditaram a Avenida Brasil e a Via Dutra. Com certeza o alcaide irá às tvs e rádios explicar o inexplicável. Parecia até que as Olimpíadas começaram antes do tempo. Previsão é de mais chuva no Norte do Rio de Janeiro nesta quinta-feira e risco de chuva forte diminui na sexta (13), segundo meteorologista. 

É impressionante o descaso de Cabral e de Pezão. O RJ TV está mostrando a Via Dutra inundada impedindo carros de circularem. Além disso em mais de 6 locais em Belford Roxo, Queimados, Mesquita e Nova Iguaçu moradores estão fazendo barreiras e protestando contra o descaso das autoridades. Nem uma palavra de Cabral ou Pezão. Milhares de famílias estão isoladas, casas alagadas, é uma calamidade. Cabral e Pezão que adoram passear de helicóptero deveriam agora ir para essa áreas, mas não. Até agora às 13h é como se nada tivesse acontecido. Nem um nota oficial. É o descaso total! (Garotinho) 

STF analisa validade de doações de empresas e pessoas a partidos e candidatos. Quiçá um tipo de pressão ao Congresso por Reforma Política. Ação da OAB que será julgada hoje tenta regulamentar um dos pontos mais polêmicos do projeto parado na Câmara. Parlamentares se incomodam com possível interferência. O Supremo Tribunal Federal começa a julgar hoje, quarta-feira (11), uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) impetrada pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) que tenta proibir o financiamento privado de campanhas eleitorais. A questão divide a corte. Pelo menos cinco ministros já se manifestaram publicamente a favor da proibição da entrada de capital privado em campanhas eleitorais. Condenado na Ação Penal 470 por ter recebido R$ 4 milhões, em nome do PTB, pelo sistema de caixa 2, Roberto Jefferson dá pitaco em seu blog (logo abaixo) sobre votação no Supremo Tribunal Federal, a partir de hoje, de novo modelo de doações para campanhas eleitorais; exclusividade para o financiamento público, como requer a OAB, incomoda personagens prosaicos como o culpado que aconselha seus juízes; Jefferson e outros defendem presença de dinheiro privado nas eleições, modelo que vigora atualmente e deixa portas abertas ao caixa 2; Como ficarão as eleições de 2014?, alarma-se Jefferson; julgamento começa às 14:30. 

Que prevaleça o bom senso - Supremo deve julgar hoje ação movida pela OAB, sob inspiração petista, questionando artigos da lei que autoriza a doação de recursos de pessoas físicas e jurídicas nas campanhas eleitorais. Sem entrar no mérito, caso o pleno do STF considere as doações privadas inconstitucionais, como ficarão as eleições de 2014? Mais grave ainda: o contribuinte, que já paga o horário eleitoral no rádio e TV e o Fundo Partidário, vai querer bancar o santinho e o carro de som dos candidatos? Francamente. Creio no bom senso dos ministros de nossa mais alta Corte. (Roberto Jefferson) 

Inquérito sobre cartel em licitações do Metrô de São Paulo é enviado ao STF. Em novembro, atendendo solicitação da PF, a Justiça Federal determinou o bloqueio de cerca de R$ 60 milhões em bens de suspeitos de participarem do esquema. 

O que o governo fez com a Petrobrás foi uma tragédia, diz Delfim Netto. Segundo o ex-ministro da Fazenda, a prova de que o governo não tem nada de socialista é que ele destruiu as suas duas principais empresas: a Petrobras e a Eletrobrás. O problema desse governo é que ele não pode ver nada funcionando que ele coloca um encosto. O economista, professor e ex-ministro da Fazenda, Delfim Netto, afirmou, na final do XXI Prêmio CNH de Jornalismo Econômico, que as intervenções feitas pelo governo Dilma Rousseff são realizadas com tanto mau jeito que se tornam extremamente ineficientes. O que ela fez com a Petrobras, por exemplo, é uma verdadeira tragédia, disse. (Reuters) 

Cerca de 2.000 sem-teto bloqueiam um dos sentidos da rua da Consolação em protesto contra as recentes desocupações ocorridas na cidade. A migração interna entre os Estados torna certas cidades (já explodindo por ineficiência gerencial) inconsistente no abrigar pessoas sem poder aquisitivo e a sustentabilidade por falta de emprego. Realmente alguém terá de explicar isso e, talvez, a presidente lance o Bolsa Barraco. 

Parceria entre governo estadual de SP e capital imobiliário ameaça até classe média. Desapropriação planejada pela gestão Alckmin para construção de moradias não respeita critério de vazios urbanos, como anunciado. Decreto de desapropriação foi revogado, mas moradores ainda temem ser despejados. 

Inquérito sobre cartel em licitações do Metrô de São Paulo é enviado ao STF. Em novembro, atendendo solicitação da PF, a Justiça Federal determinou o bloqueio de cerca de R$ 60 milhões em bens de suspeitos de participarem do esquema. 

Devolução de supersalários do Senado será decidida só em 2014. Valor pago a mais chega a R$ 300 milhões. 

Tudo é história: um aniversário e a sala do sofá vermelho. Ou: O ganso de Romeu Tuma. Numa foto de 1978, ano em que Romeu Tuma Jr. entrou na Polícia - ele se aposentou neste 2013, com 35 anos de serviço. Aparece perto do pai, que comemorava no Dops os seus 47 anos. A sala em que se apagam as velinhas, um anexo do gabinete de Tuma pai, tem história. Ali ficava o sofá no qual Lula dormiu, segundo Tuma Jr., a maior parte dos dias em que esteve preso. Raramente dividia a cela com os demais companheiros. O delegado não está dizendo que o chefão petista era informante direto dos generais. Segundo afirma, ele era um ganso”do chefe do Dops. Ganso, na gíria profissional, é aquele que serve para alertar a polícia sobre eventuais problemas, entendem? Funcionava assim: Lula falava com Tuma, e Tuma falava com os generais. A menos o sofá em que Lula expelia os humores do sono era vermelho. (Reinaldo Azevedo) 

Tuminha: livro bomba foi sugestão de PHA e Mino 
Agora ficou tudo de cabeça pra baixo; nos agradecimentos do livro Assassinato de Reputações - Um crime de Estado, em que acusa o ex-presidente Lula de ser informante da ditadura e o Partido dos Trabalhadores de montar dossiês contra seus adversários políticos, o delegado Romeu Tuma Júnior afirma que a ideia do livro foi sugerida a ele pelos jornalistas Paulo Henrique Amorim e Mino Carta, dois profissionais frequentemente associados ao PT; será verdade ou apenas mais uma intriga do policial que caiu depois de ser flagrado com contrabandistas? 

Tuminha manda petralhada parar de ameaçá-lo e avisa ter munição para outro livro-bomba 
1. O delegado aposentado Romeu Tuma Júnior adverte à petralhada que o ameaça: tem documentos para fazer um novo livro mais explosivo que o Assassinato de Reputações – um Crime de Estado (Editora Topbooks, 557 páginas, R$ 69,90) - que chega hoje às livrarias de todo o Brasil. A divulgação da publicação, que tem tudo para assassinar a reputação de Luiz Inácio Lula da Silva e outros petistas menos votados, vem sendo boicotado pela mídia amestrada pelas verbas publicitárias do Palácio do Planalto. 
2. Meu livro estará amanhã nas livrarias, contendo verdade, documentos, e relatos que presenciei. Não há o que refutar. São provas. Eles que se atrevam a me fazer algo, tenho muita munição (documentos) que não coube nesse livro… Dá para fazer outro… E vou fazer…. Este foi o recado de Tuma Júnior, em entrevista ao Blog do Paulinho – site especializado em assuntos do Corinthians, time pelo qual torcem Lula e Tuminha.
3. Tuma Jr condena o modus operandi repressivo da petralhada, e promete um troco: É assim que essa gente age… como a Máfia, primeiro tentam desqualificar o denunciante, depois, partem para cooptá-lo, por fim, no desespero, partem para coisa pior… Eles ficam falando, repetindo à exaustão, que sou envolvido com Máfia Chinesa, etc… História esta que eles mesmos inventaram… são uns boçais… nem sequer denúncia contra mim existiu, tamanha a inveracidade do que foi falado… Nem na Justiça, nem no Ministério da Justiça, nem no MP, MPF, Polícia Federal… Nada ! Eles tentaram assassinar minha reputação depois que comprovei a conta do Mensalão… Eles estão com medo… E, diferentemente do que fizeram comigo, foram condenados, são criminosos…
4. O filho do falecido Delegado Romeu Tuma feriu a santificada imagem democrática de Lula ao revelar que o mítico líder sindical do ABC teria sido informante de seu pai nos tempos do regime militar. Tuma foi o chefe da Inteligência no Departamento da Ordem Política e Social – o DOPS. Suas informações embasavam as operações de repressão à luta armada e à esquerda promovidas pelo braço operacional do DOPS, comandado pelo também falecido delegado Sérgio Paranhos Fleury. 
5. Insistindo para que Lula fique frente a frente com ele e tende desmenti-lo, Tuma Júnior detona: O livro tem provas de tudo o que falei… Eles investigaram minha vida inteira, não acharam nada, um pormenor sequer… Partiram então para a invenção… Funcionou na mídia, para assassinar minha reputação… Porque eles, espertos, sabem que a imprensa coloca uma denúncia, mesmo que infundada, na capa, enquanto a verdade, a descoberta de que nada ocorreu, quando publicado, fica escondida no canto da página…. (Jorge Serrão) 

Diário Oficial da União publicou nesta quarta-feira 11 a exoneração de Marcelo Estrela Fiche do cargo de chefe de gabinete do ministro da Fazenda; na mesma portaria, o ministro nomeou o jornalista Guilherme Barros para o cargo de assessor especial, lotado no ministério; até então, Barros era terceirizado. 

Ele esteve com o Papa e reclamou que querem privatizar até o ar, diz Stédile. Líder do MST diz que a reforma agrária tradicional foi bloqueada e está parada pelo sistema capitalista. 

TRE afasta governadora do RN; vice deve assumir imediatamente. Governo aguarda notificação para se pronunciar sobre condenação. Rosalba Ciarlini também está inelegível; AL deve empossar o vice. Ela foi condenada por abuso de poder político e econômico durante a campanha municipal de 2012 em Mossoró, no oeste do Estado. 

“...Siemensgate: ex-diretor da empresa não merece crédito, mas denúncias devem ser investigadas a fundo. Lupa na mão - É no mínimo preocupante o rumo que toma a investigação do caso Siemens, empresa alemã acusada de liderar cartel formado para fornecer material metro ferroviário ao Metrô de São Paulo e à Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). Ex-diretor da empresa, o engenheiro Everton Rheinheimer prestou depoimento sigiloso à Polícia Federal, mas suas declarações são verdadeiros bambolês. Depois de entregar às autoridades um documento, sem assinatura, em que acusava políticos paulistas de terem recebido propina, Rheinheimer negou a autoria do mesmo. Isso se deu após ter tentado, com integrantes do Ministério da Justiça, um cargo diretivo na companhia Vale...” (ucho.info)


Papa é escolhido personalidade do ano pela revista Time. Revista diz que ele é uma nova voz. O papa Francisco se tornou o mais novo vilão entre os conservadores americanos, depois de ter criticado a ganância e as desigualdades do capitalismo. 

Polícia retira manifestantes de praça na Ucrânia. Oposição prometeu protesto de milhões. Ucrânia pede € 20 bi para se associar à União Européia. 

Greve e saques deixam 8 mortos na Argentina. Policiais cruzaram os braços em 17 províncias; país marca 30 anos de redemocratização. 

Índia decide manter lei que pune relação homossexual. Legislação considera sexo gay ofensa natural; punição pode chegar a até dez anos de prisão. Demanda por barrigas de aluguel cria fábrica de bebês na Índia. 

Uruguai aprova legalização do cultivo e venda da maconha. O impacto do experimento uruguaio nos vizinhos. Consumidores de maconha do Uruguai comemoram legalização. Para governos, liberação da maconha é iniciativa unilateral; outros, como a Guatemala, tentaram seguir mesmo caminho, mas não conseguiram. 

Barack Obama, presidente dos EUA, discursou ao lado de um intérprete de linguagem gestual durante cerimônia em homenagem a Nelson Mandela, nesta terça-feira (10), no estádio Soccer City, em Johannesburgo. O homem responsável por interpretar na língua de sinais os discursos da cerimônia fingiu, afirmou o diretor nacional da Federação de Surdos da África do Sul. O governo sul-africano disse apenas que está preparando um comunicado sobre o assunto. Três peritos afirmaram que o homem não estava usando a língua americana ou a língua sul-africana de sinais, que compreende todas os 11 idiomas oficiais do país.

 

Eu acuso!
 photo _aluizfelipepondeacute.jpg
Muitos alunos de universidade e ensino médio estão sendo acuados em sala de aula por recusarem a pregação marxista. São reprovados em trabalhos ou taxados de egoístas e insensíveis. No Enem, questões ideológicas obrigam esses jovens a fingirem que são marxistas para não terem resultados ruins.

Estamos entrando numa época de trevas no país. O bullying ideológico com os mais jovens é apenas o efeito, a causa é maior. Vejamos.

No cenário geral, desde a maldita ditadura, colou no país a imagem de que a esquerda é amante da liberdade. Mentira. Só analfabeto em história pensa isso. Também colou a imagem de que ela foi vítima da ditadura. Claro, muitas pessoas o foram, sofreram terríveis torturas e isso deve ser apurado. Mas, refiro-me ao projeto político da esquerda. Este se saiu muito bem porque conseguiu vender a imagem de que a esquerda é amante da liberdade, quando na realidade é extremamente autoritária.

Nas universidades, tomaram as ciências humanas, principalmente as sociais, a ponto de fazerem da universidade púlpito de pregação. No ensino médio, assumem que a única coisa que os alunos devem conhecer como estudo do meio é a realidade do MST, como se o mundo fosse feito apenas por seus parceiros políticos. Demonizam a atividade empresarial como se esta fosse feita por criminosos usurários. Se pudessem, sacrificariam um Shylock por dia.

Estamos entrando num período de trevas. Nos partidos políticos, a seita tomou o espectro ideológico na sua quase totalidade. Só há partidos de esquerda, centro-esquerda, esquerda corrupta (o que é normalíssimo) e do pântano. Não há outra opção.

A camada média dos agentes da mídia também é bastante tomada por crentes. A própria magistratura não escapa da influência do credo em questão. Artistas brincam de amantes dos black blocs e se esquecem que tudo que têm vem do mercado de bens culturais. Mas o fato é que brincar de simpatizante de mascarado vende disco.

Em vez do debate de ideias, passam à violência difamatória, intimidação e recusam o jogo democrático em nome de uma suposta santidade política e moral que a história do século 20 na sua totalidade desmente. Usam táticas do fascismo mais antigo: eliminar o descrente antes de tudo pela redução dele ao silêncio, apostando no medo.
Mesmos os institutos culturais financiados por bancos despejam rios de dinheiro na formação de jovens intelectuais contra a sociedade de mercado, contra a liberdade de expressão e a favor do flerte com a violência revolucionária.

Além da opção dos bancos por investirem em intelectuais da seita marxista (e suas similares), como a maioria esmagadora dos departamentos de ciências humanas estão fechados aos não crentes, dezenas de jovens não crentes na seita marxista soçobram no vazio profissional.

Logo quase não haverá resistência ao ataque à democracia entre nós. A ameaça da ditadura volta, não carregada por um golpe, mas erguida por um lento processo de aniquilamento de qualquer pensamento possível contra a seita.

E aí voltamos aos alunos. Além de sofrerem nas mãos de professores (claro que não se trata da totalidade da categoria) que acuam os não crentes, acusando-os de antiéticos porque não comungam com a crença cubana, muitos desses jovens veem seu dia a dia confiscado pelo autoritarismo de colegas que se arvoram em representantes dos alunos ou das instituições de ensino, criando impasses cotidianos como invasão de reitorias e greves votadas por uma minoria que sequestra a liberdade da maioria de viver sua vida em paz.

Muitos desses movimentos são autoritários, inclusive porque trabalham também com a intimidação e difamação dos colegas não crentes. Pura truculência ideológica.

Como estes não crentes não formam um grupo, não são articulados nem têm tempo para sê-lo, a truculência dos autoritários faz um estrago diante da inexistência de uma resistência organizada.

Recebo muitos e-mails desses jovens. Um deles, especificamente, já desistiu de dois cursos de humanas por não aceitar a pregação. Uma vergonha para nós. 
(Luiz Felipe Pondé, pernambucano, filósofo, escritor e ensaísta, doutor pela USP, pós-doutorado em epistemologia pela Universidade de Tel Aviv, professor da PUC-SP e da Faap, discute temas como comportamento contemporâneo, religião, niilismo, ciência. Autor de vários títulos, entre eles, Contra um mundo melhor (Ed. LeYa). Escreve às segundas na versão impressa de Ilustrada.) 

Bailarina russa com bambolês ...

Nenhum comentário: