26 de nov de 2013

Cicatrizes e prisões, um retrato Brasil...

 photo _aodinheiro.jpg
Mais um capítulo PTista contra a nossa Democracia... 

• Em nosso País, estamos à beira do débâcle total de nossas Instituições. Os Poderes Executivo e Legislativo, toda a população já sabe, desceu ao mais baixo grau de sua confiabilidade e de sua credibilidade. 

• Agora, por campanha direta PTistas apóstatas, o terceiro Poder - O Judiciário - que ainda sustentava a nossa mais do que frágil Democracia, está sendo reduzido ao mesmo nível de degradação. 

• Há defeitos no STF! Mas, certamente, não estão na exemplar condenação desses criminosos mensaleiros!... (MDB) 

Intimidar o Judiciário é delinquência;
a doença do petista é real; 
a construção do mártir é uma farsa 


• No Brasil, não há presos políticos, mas políticos presos. A diferença entre uma coisa e outra é a que existe entre a ditadura cubana, que o governo petista financia, e a democracia, que o petismo difama. Se, no entanto, houvesse, a carcereira seria Dilma Rousseff. Ela pode fazer o STF sair com a toga entre as pernas. Basta evocar o inciso 12 do artigo 84 da Constituição: Compete privativamente ao presidente da República (...) conceder indulto e comutar penas, com audiência, se necessário, dos órgãos instituídos em lei. Também vale para presidentas

• Paulo Vannuchi, um devoto da democracia à moda Carlos Marighella, comparou a condenação de José Dirceu à extradição de Olga Benário. É? Foi o STF que autorizou o envio para a Alemanha nazista de uma judia comunista. O fascistoide Getúlio Vargas, hoje herói das esquerdas, poderia ter impedido o ato obsceno. Deu de ombros. Que Dilma não cometa o mesmo erro e liberte a súcia de heróis. Ironia não tem nota de rodapé - ou vira alfafa.

• Está em curso um processo inédito de satanização do Judiciário. A sanha difamatória, na semana em que se comemora o Dia da Consciência Negra, não poupa nem a cor da pele de Joaquim Barbosa. Racistas virtuosos acham que ele se comporta como um negro de alma branca. Lula lhe teria feito um favor, e ele não beija a mão de nhonhô... 

• Protestar contra os três dias de regime fechado para José Genoino é do jogo. Intimidar o Judiciário é delinquência política. A doença do petista é real; a construção do mártir é uma farsa. No dia da prisão, ele recusou exame médico preventivo no IML. Era parte da pantomima do falso herói trágico. Barbosa não cometeu uma só ilegalidade. A gritaria é fruto da máquina de propaganda do PT, que se aproveita da ignorância específica de jornalistas. Não são obrigados a saber tudo; o problema, em certos casos, é a imodéstia... 

• Um dos bons fundamentos do cristianismo é amar o pecador, não o pecado. Fiel à tradição das esquerdas, o PT ama é o pecado mesmo. O pecador é só o executor da tarefa em nome da causa. Leiam a peça As Mãos Sujas, de Sartre, escrita antes de o autor se tornar um comunista babão. É esquemática, mas vai ao cerne do surrealismo socialista. 

• Alguns de nossos cronistas precisam ler. Outros precisam ler Padre Vieira. No Sermão do Bom Ladrão, ele cita a descompostura que Alexandre Magno passou num pirata. O homem responde ao Lula da Macedônia: Basta, senhor, que eu, porque roubo em uma barca, sou ladrão, e vós, porque roubais em uma armada, sois imperador? Vieira emenda: Assim é. (...) o roubar com pouco poder faz os piratas, o roubar com muito, os Alexandres.

• Na quarta, reportagem de Flávia Foreque, no site da Folha, foi ao ponto. Um grupo de deputados do PT visitou os varões de Plutarco na Papuda. Parentes de presos sem pedigree ideológico começaram a xingar os petistas: Puxa-saco de ladrões!. A deputada Marina Sant'Anna (PT-GO) quis dialogar. Sem sucesso. A mulher de um dos piratas resumiu: Qual é a diferença [entre presos do mensalão e os demais]? Só porque tem nível superior, porque roubou do povo? Vieira via diferença, sim. Os bacanas são mais covardes. 

• Indulto já, presidente! Até porque, entrando no 12º ano de governo e com mensaleiros em cana, o PT descobriu a precariedade das prisões. Este ano vai terminar com uma queda de 34,2% no valor destinado ao Plano Nacional de Apoio ao Sistema Prisional: R$ 238 milhões, contra R$ 361,9 milhões em 2012. Nas cadeias, só havia piratas pobres de tão pretos e pretos de tão pobres. Agora há os Alexandres vermelhos, mas não de vergonha. 

Desmonte de Joaquim Barbosa 

• O desmonte da figura digna e corajosa do ministro Joaquim Barbosa está sendo feita pelos militantes e admiradores petistas infiltrados em diferentes instituições (como na OAB do Paraná, cujo presidente, Juliano Breda chegou até a dizer que o ministro nada sabe de Direito e nem de organização judiciária...). 

• E até mesmo por ministros do próprio STF. Há 3 dias escutei numa entrevista em rádio de São Paulo, o ministro Marco Aurélio Mello tecer comentários rudes e desairosos contra Joaquim Barbosa. O mais leve deles foi dizer que a convivência com ele era muito dificil dentro do STF. Pois deve ser mesmo, pois ele não facilitou em nada a predisposição da maioria dos ministros que claramente queriam aliviar a situação dos condenados mensaleiros. 

• Creio que estes militantes e/ou admiradores do PT não se aperceberam do perigo: denegrindo a figura de Joaquim Barbosa estão levando toda a instituição secular do STF ao descrédito e à banalização. É o que falta para tirar esta máscara de democracia que foi colocada sobre a verdadeira feição ditatorial e autocrática da gestão do PT. 

• Onde chegamos...e onde chegaremos? (Mara Montezuma Assaf, F.São Paulo)  
Ainda há esperança!... 

• Depois do leite derramado, o PT apóstata, tenta, agora, um caminho para consertar a enrascada em que se meteu, ou como dizia o próprio guru-maior, Lulla, um meio de não ser confundido com os seus aloprados, que tanta besteira fizeram!

E Lulla, não vai falar nada?... Pergunta um decepcionado Zé Dirceu, que sempre fez de tudo para sustentar e realizar os desejos de seu chefe-maior!... 

Estamos marcados como gado..., ...não temos escapatória, mesmo se as penas, forem reduzidas... queixa-se o ex-todo poderoso presidente do PT apóstata, o sr. Genuino!.... 

Noves fora ou mesmo com as eventuais falhas que podem ter ocorrido no julgamento do mensalão, não há dúvida que o projeto de perpetuação no Poder, do PT apóstata, saiu arranhado e poderá ter algumas dificuldades de êxito, nas eleições de 2014! 

• Para felicidade da Nação brasileira, de nossos filhos e netos e de todos aqueles que ainda sonham com um País alinhado com a ética, a correção e os valores universais! (Márcio Dayrell Batitucci) 

Dirceu pressionou Lula a defender petistas presos 

• Preso em uma cela de seis metros quadrados, o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu criticou Luiz Inácio Lula da Silva pela forma como ele administrou até agora a crise do mensalão. A insatisfação com o ex-presidente foi manifestada por Dirceu a pelo menos três amigos que o visitaram, nos últimos dias, no Complexo Penitenciário da Papuda. 

• Irritado com o silêncio do Planalto, Dirceu perguntou: E o Lula não vai falar nada?. Era a senha para a urgência de um pronunciamento, que deveria ser feito o quanto antes, no diagnóstico do ex-ministro, sob pena de grande abalo na imagem do PT, com potencial de interferir na campanha da presidente Dilma Rousseff à reeleição. 

• Três dias depois de receber o recado, Lula fez o mais veemente discurso desde que os petistas foram condenados. Sugeriu, na quinta-feira passada, que o rigor da lei só vale para o PT e dirigiu ataques ao presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa. 

• Em meio a protestos contra as arbitrariedades na execução das sentenças, Lula e dirigentes petistas também decidiram promover um desagravo a Dirceu, ao ex-presidente do PT José Genoino e ao ex-tesoureiro Delúbio Soares na abertura do 5.º Congresso da sigla, de 12 a 14 de dezembro, em Brasília. 

• A contrariedade de Dirceu com Lula, porém, não vem de hoje. Interlocutores do ex-ministro contaram ao Estado que ele sempre reprovou a forma conciliatória como o então presidente conduziu o caso desde que o escândalo estourou, em junho de 2005. 

• Em conversas mantidas no cárcere, Dirceu tem dito que Lula errou ao não fazer o enfrentamento necessário para não deixar a denúncia de corrupção virar uma espada permanente sobre o PT e o governo. Para Genoino, os réus do PT não têm escapatória, mesmo se conseguirem reduzir suas penas, pois perderam a batalha da comunicação. Estamos marcados como gado, resumiu ele a um amigo. 

• Na avaliação de Dirceu, Lula deixou a CPI dos Correios prosperar, em 2005, quando ainda teria condições de barrá-la. Por esse raciocínio, ao não politizar a denúncia da compra de votos no Congresso, Lula abriu caminho para a criminalização do PT. O partido até hoje insiste que nunca corrompeu deputados em troca de apoio e só admite a prática do caixa dois. 

Nomeação 

• Arquiteto da campanha que levou o PT ao Palácio do Planalto em 2003, Dirceu revelou que Lula chegou a consultá-lo sobre a nomeação de Luiz Fux para ministro do Supremo. Se você está dizendo que sim, quem sou eu para dizer que não?, disse Dirceu, segundo relato de amigos, antes de ser procurado por Fux, que pediu sua ajuda para conquistar o cargo.

• Fux acabou nomeado em 2011 por Dilma. Petistas juram que ele prometeu matar no peito a acusação, em sinal de que absolveria os réus. Quando saiu o voto pela condenação, o espanto no governo e no PT foi generalizado. 

• Num café da manhã com Dirceu, em novembro de 2010, Lula prometeu a ele que, quando estivesse fora do Planalto, desmontaria a farsa do mensalão. A promessa não foi cumprida sob a alegação de que era preciso blindar o primeiro ano do governo Dilma. Depois vieram as disputas municipais de 2012 e agora o ano é pré-eleitoral. 

• Para o líder da bancada petista no Senado, Wellington Dias (PI), o PT não soube construir uma narrativa para reagir à ofensiva da oposição e da mídia. Sob intenso cerco político, nós acabamos permitindo que as versões da compra de votos florescessem, avaliou Dias. 

• A estratégia do governo e do PT, agora, é usar o escudo da legalidade e o discurso de que há dois pesos e duas medidas na Justiça para impedir que o mensalão contamine a campanha de Dilma em 2014. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo. (Agência Estado) 

PT vincula sistema eleitoral à corrupção 

• Após as prisões dos petistas condenados pelo mensalão, o PT tentará agora reforçar a tese de que o partido é vítima do atual sistema político-eleitoral.

• A defesa foi apresentada na primeira versão do texto base do 5º Congresso Nacional do PT, que será aberto em dezembro, em Brasília. 

• Redigido por Marco Aurélio Garcia, assessor especial da Presidência da República, o documento afirma que o partido é prisioneiro de um sistema eleitoral que favorece a corrupção.

• Ele foi mostrado ao Diretório Nacional do partido na última segunda-feira, em reunião realizada em São Paulo. O texto ainda poderá ser modificado por emendas. 

• Sem citar o mensalão, o PT levanta a bandeira da ética como forma de fazer um contraponto ao escândalo que atingiu o partido e volta a defender uma ampla reforma política. Após os protestos de junho, Dilma Rousseff sugeriu ao Congresso a realização de um plebiscito sobre o assunto, mas foi derrotada.

• De acordo com o PT, o financiamento público exclusivo de campanha é o principal passo a ser dado no rumo de uma reforma política.

• O documento faz ainda uma dura crítica ao Poder Judiciário ao afirmar que o sistema judicial é lento, elitista e pouco transparente e diz ainda que ele tem sido permeado por interesses privados

• Ao longo de 14 páginas, o texto faz ainda uma autocrítica sobre a burocratização do partido durante os 11 anos de governo e afirma que o PT não avançou para imprimir um novo ritmo à sua política. 

• No fim do documento, o partido indica o que poderá ser o mote de campanha para a reeleição de Dilma Rousseff ao comparar o atual momento político com o fim da ditadura. Quando saímos da noite da ditadura, soubemos dizer Nunca Mais!. Agora, depois de uma década de grandes transformações, afirmamos Nunca menos!

• No texto, os petistas resgatam o discurso de que os problemas econômicos refletem a herança deixada por Fernando Henrique Cardoso, como recessão, juros abusivos, fortes pressões inflacionárias e vulnerabilidade externa. (Mariana Haubert) 

A moral é uma, os pecados são diferentes. (Machado de Assis) 

Quando a paciência do monge budista acaba... 

Nenhum comentário: