8 de out de 2013

Como conter manifestações…..

 photo neuronios.jpg
1. Brasil terá menor crescimento entre emergentes, diz FMI. Estimativa para o país caiu de 3,2% para 2,5% em 2014. Emergentes têm previsão de alta de 5,1% no ano que vem. Fundo aponta dívida pública elevada.
 
2. No Senado, Renan quer votar proposta que inibe criação de novos partidos. Projeto de lei já foi aprovado pelos deputados.
 
3. Barbosa arrisca: prisões na AP 470 ainda neste mês.
 
4. Rio tem marca de destruição após protesto. Bancos foram depredados ontem. Mascarados usaram gasolina e bombas, e ainda tentaram invadir a Câmara. Professores são contra o plano de cargos e salários aprovados. PM diz que identificação de vândalos durante protestos é demorada.
 
5. Ação de Black Blocs divide opiniões no Facebook. Atitude de mascarados em protestos de professores provoca intenso debate. Vandalismo condenável ou ação legítima? Black Blocs cativam e assustam manifestantes mundo afora. Internet e a crescente insatisfação com os governos e a economia impulsionam movimento em todo o planeta.
 
6. Os Black Blocs não são vândalos, são anarquistas. É muito diferente. Eles têm pelo menos 153 anos de luta, contra tudo e contra todos. e não escolhem países. Onde houver manifestação de rua, eles aparecem como um bando de formigas, que surgem em qualquer lugar onde haja um doce. Como sabem que não atingirão o poder (do ponto de vista da ideologia defendem o “não governo”, o que os invalida), optaram pela destruição, por liquidar todo e qualquer protesto legítimo e sensato. Não respeitam ninguém, não têm medo, seu instrumento de manifestação é a depredação. Com isso, consideram que se afirmam, e mais grave: arruínam os protestos, como essa mais do que puro e autêntico, que é o das professoras. Não há o que fazer. É impossível convencê-los pelo diálogo, ou eliminá-los pela violência. (Helio Fernandes)
 
7. Hospital amputa as duas pernas de diabético no RJ e ainda se diz uma suspeita de erro médico.
 
8. Em crise, OGX demite. Números divergem, mas sinalizam forte redução do quadro de funcionários da petroleira do grupo EBX, de Eike Batista; Folha aponta para redução de 50 funcionários, enquanto Veja noticia demissão de 150 empregados.
 
9. Onda de ataques tem ao menos dez detidos e sete feridos em SP. Alckmin quer investigar atos de vandalismo.
 
10. Greve de motoristas e cobradores prejudica 170 mil na Grande São Paulo. A greve de motoristas e cobradores continua em Embu das Artes e prejudica cerca de 170 mil passageiros que são transportados diariamente em 31 linhas entre as cidades de Embu, Taboão da Serra e Itapecerica da Serra. A Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo diz que continua a negociação com os diretores da empresa Pirajuçara, os operadores e o sindicato dos motoristas e cobradores. A EMTU diz que enquanto não é encerrada a paralisação, foi acionado o Paese para atender os passageiros.
 
11. Espionagem expõe linha tênue entre segurança nacional e liberdade civil. Canadá se declara "preocupado" após denúncias brasileiras de espionagem. Enquanto o governo brasileiro manifesta sua indignação com a coleta de informações potencialmente sensíveis sobre seus ativos de petróleo e mineração, perguntas cruciais sobre a espionagem americana e canadense continuam sem resposta. Rede privada de computadores da Petrobras, telefonemas e e-mails do Ministério de Minas e Energia. Afinal, o Brasil foi vítima de espionagem industrial por parte das agências de inteligência desses países? Ou figurava, para surpresa das autoridades brasileiras, em uma lista supersecreta de alvos considerados chave para a segurança do hemisfério?
 
12. Presidente argentina, Cristina Kirchner passa por cirurgia bem-sucedida no cérebro e se licencia do poder.
 
13. EUA nomeiam encarregado para fechar Guantánamo. O Pentágono dos Estados Unidos nomeou nesta terça-feira um emissário encarregado de fechar a controversa prisão da base naval de Guantánamo, um objetivo reafirmado várias vezes por Barack Obama. Paul Lewis, ex-jurista do caso Guantánamo na Câmara de Representantes, tem a tarefa de supervisionar o fechamento e a transferência de prisioneiros para terceiros países, disse o secretário de Defesa, Chuck Hagel.
 
14. Favorita, Bachelet apresenta pacote social no Chile. As medidas, divulgadas por Bachelet, incluem projetos para aperfeiçoar a segurança pública e também propõe a criação do Ministério de Assuntos Indígenas, além de uma instituição de defesa dos direitos trabalhistas, assim como melhorias para o transporte público e direitos da mulher.
 
Vandalismo em SP e no Rio mostra que o País se aproxima de uma perigosa ditadura comunista
É preciso conter - Em qualquer país sério e com governantes responsáveis, os vândalos do grupo Black Bloc já estariam devidamente presos e respondendo aos pertinentes processos judiciais, uma vez que é inaceitável a inversão de valores que vem ocorrendo com o apoio da esquerda verde-loura, a quem interessa a instalação da baderna.
 
O que se viu na noite de segunda-feira (7) em São Paulo e no Rio de Janeiro, as duas maiores e mais importantes cidades brasileiras, foi uma sequência de atos de vandalismo que pode ser traduzida facilmente por atentado contra a ordem e claro desafio ao conjunto legal vigente.
 
No momento em que não reage à altura, o Estado, como um todo, torna-se conivente com o vandalismo que vem crescendo em algumas cidades do País. Alegam esses criminosos que são anarquistas, mas essa desculpa deve ser enfrentada com a dureza da lei e a manutenção da ordem, sob pena de as autoridades tornarem-se coniventes com a instalação do último trampolim para um ditadura comunista, como a que há anos corrói a vizinha e já depauperada Venezuela.
 
No momento em que o cidadão é visto pelo Estado como contribuinte, esse tem o direito a uma série de garantias explicitadas na Constituição Federal, entre elas o direito à segurança pública e à propriedade privada. Ao permitir que as reivindicações sejam apresentadas na esteira da violência, o governo expõe sua falência como gestor de uma sociedade que se apoia no poder paralelo e na ilegalidade para fazer valer seus direitos, se é que assim devem ser encarados os atos de vandalismo.
 
Contudo, causa espécie o fato de até agora o desgoverno petista de Dilma Vana Rousseff ter se pronunciado com contundência a respeito da onda de violência que se alastra pelas grandes cidades. Ao PT interessa esse cenário caótico, pois quanto mais grave for a situação mais chicaneira será a promessa feita aos incautos eleitores, que, cansados do caos, aceitarão o pior como sendo a tábua de salvação.
 
Na cidade do Rio de Janeiro, além de ônibus incendiados e destruídos, os vândalos depredaram agências bancárias, bares e restaurantes. Também atacaram a Câmara Municipal, o Clube Militar e o consulado dos Estados Unidos. Contra esses prédios os manifestantes atiraram bombas caseiras e coquetéis molotov, causando enormes estragos e provocando insegurança.
 
Na capital paulista não foi diferente. Com a participação de baderneiros cariocas, que viajaram à cidade de São Paulo especialmente para participar da baderna, os vândalos destruíram dezenas de orelhões, depredaram oito agências bancárias e duas lanchonetes localizadas na região central. Viaturas policiais foram atacadas, a estação República do Metrô precisou ser fechada e o Museu de Arte de São Paulo (Masp) amanheceu pichado.
 
O grupo de marginais que atuou em São Paulo era formado por estudantes (sic) da USP, integrantes do Black Bloc e de centrais sindicais. Para promover a baderna os vândalos usaram, além da incoerência, martelos, marretas, pedras e bombas caseiras.
 
Se os governadores do Rio e de São Paulo não forem firmes o suficiente para deter essa onda de violência encomendada, o golpe planejado pelo PT estará a alguns capítulos do fim. No caso de São Paulo, estratégico para o plano maquiavélico, o PT está de olho na Polícia Militar, que se comparada com outras corporações policiais do País é um verdadeiro exército. Em suma, São Paulo tem o dever de mais uma vez fazer o papel de “pièce de résistance”. (Wilton Júnior - Estadão)
 
Hiroshima E eu nunca tinha olhado por este prisma...bem pensado!
Um Resgate
• Às pessoas que, com certeza, querem um país melhor e mais justo para as próximas gerações.
• Desminta se puder!
• 1985 - O PT é contra a eleição de Tancredo Neves e expulsa os deputados que votaram nele.
• 1988 - O PT vota contra a nova constituição que mudou o rumo do Brasil.
• 1989 - O PT defende o não pagamento da dívida brasileira, o que transformaria o Brasil num caloteiro mundial.
• 1993 - Presidente Itamar Franco convoca todos os partidos para um governo de coalizão pelo bem do país. O PT foi contra e não participou.
• 1994 - O PT vota contra o Plano Real e diz que a medida é eleitoreira.
• 1996 - O PT vota contra a Reeleição. Hoje defende.
• 1998 - O PT vota contra a privatização da telefonia, medida que hoje nos permite ter acesso à internet e mais de 150 milhões de linhas telefônicas.
• 1999 - O PT vota contra a adoção do câmbio flutuante, hoje adota.
• 1999 - O PT vota contra a adoção das metas de inflação.
• 2000 - O PT luta ferozmente contra a criação da Lei da Responsabilidade Fiscal, que obriga os governantes a gastarem apenas o que arrecadarem, ou seja, o óbvio que não era feito no Brasil. Por que será?
• 2001 - O PT vota contra a criação dos programas sociais no governo Fernando Henrique Cardoso: Bolsa Escola Vale Alimentação, Vale Gás, Peti e outras bolsas são classificadas como esmolas eleitoreiras e insuficientes.
• Quase toda estrutura socioeconômica do Brasil foi construída no período listado acima.
• O PT foi contra tudo e contra todos.
• Hoje roubam todos os avanços que os outros partidos promoveram e posam como os únicos construtores de um país democrático.
• Já que o PT foi contra tudo e contra todos desde a sua fundação, fica uma pergunta para que os leitores respondam: Em 10 anos de governo, quais as reformas que o PT promoveu no Brasil para mudar o que os seus antecessores deixaram?
• Lembre-se sempre: "Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim".
• Esta é uma comunicação oficial do Instituto Endireita Brasil.
 
Enxaqueca nunca mais

Nenhum comentário: