28 de ago de 2013

Democracia brasileira, hum....

 photo _anabaila_zps8127547b.jpg
• Com dólar alto, mercado aposta que BC vai elevar taxa de juros. Dólar opera em alta e é cotado a R$ 2,37. 

• O governo tem o dever de condecorar o ato de bravura e de respeito aos direitos humanos do diplomata brasileiro Eduardo Saboia, em vez de abrir inquérito para investigar sua conduta, segundo afirmou o deputado Bruno Araújo (PSDB-PE) em pronunciamento na Câmara. 

 Dilma e seu governo faz de conta 
"...A presidente Dilma Rousseff tem uma capacidade impressionante para dizer bobagens, seja no privado ou em público. Sua Excelência derrapa na gramática, diz coisas sem o menor sentido e costuma brigar com os fatos. Depois de medir forças com parlamentares da base alugada e jogar pesado com caciques do PMDB - principal ator do consórcio situacionista – Dilma, a destemida, de olho nas eleições de 2024, passou de crítica a personagens nefastos da classe política à aduladora desses tipinhos. Renan, Eduardo Alves e Eduardo Cunha, gente da da pior espécie da fauna parlamentar, são recebidos no Palácio do Planalto com toda a pompa pela presidente...." (Nilson Borges Filho, blog do Aluizio Amorim)



A partilha
1) A Câmara levou os anéis de Dilma Rousseff ao aprovar na noite passada, em segundo turno, a proposta de emenda constitucional que obriga o governo a pagar as obras enfiadas por congressistas dentro do Orçamento da União. No Senado, Dilma tentará ao menos salvar os dedos. 
2) Ela quer os senadores incluam no projeto um artigo que obrigue os parlamentares a destinarem 50% de sua cota de emendas à área da saúde. Os deputados acham que é muito. E tentam convencer os senadores a entregar apenas 40%. (Josias) 


Rio: prefeitura e professores fecham acordo para encerrar greve 
• A prefeitura do Rio assinou mais um acordo com o Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação do Rio de Janeiro (Sepe), após reunião na tarde dessa terça-feira. Na primeira etapa, na semana passada, foram firmados itens sobre o Plano de Cargos e Salários, reajuste salarial de 8%, redução da apresentação do plano para 30 dias e abono das faltas decorrentes da greve, dentre outros. Hoje, o acordo foi sobre questões em torno da política pedagógica. 

Mais Médicos 
• Assinado no dia 21, o Ministério da Saúde disse do acordo firmado com a Organização Pan- Americana de Saúde para trazer 4 mil médicos de Cuba. Numa subcláusula da cláusula terceira, o documento anota o custo do atravessador. A intermediação renderá à Opas R$ 24,3 milhões. A cifra corresponde a 5% do valor total do contrato: R$ 510,9 milhões. 


50 anos após Luther King, Fortaleza imita Little Rock 
• Em 1957, na cidade Little Rock, em Arkansas, nove estudantes negros tiveram que ser escoltados por tropas do exército para assistir aulas numa escola para brancos, depois que os Estados Unidos eliminaram todas as leis que ainda permitiam a segregação racial; seis anos depois, em Washington, Marthin Luther King Jr. pronunciou seu discurso histórico, em Washington, quando disse eu tenho um sonho; na última-segunda-feira, em Fortaleza, médicos como o cubano Juan Delgado foram hostilizados aos gritos de escravos, escravos e algumas de suas colegas foram comparadas a empregadas domésticas; quando o Brasil se tornará uma nação digna, onde todos sejam iguais? 

Seremos escravos da saúde e dos doentes 
• A frase foi dita pelo médico cubano Juan Delgado, de 49 anos, que foi vaiado e hostilizado por médicos do Ceará, numa imagem que envergonhou o Brasil e, postada no 247, foi compartilhada por 185 mil pessoas; ao desembarcar no Brasil, foi chamado de escravo e se disse impressionado com a manifestação. Isso não é certo, não somos escravos. Os médicos brasileiros deveriam fazer o mesmo que nós: ir aos lugares mais pobres para prestar assistência; que sirva de lição aos médicos que agiram com selvageria em Fortaleza e também a seus detratores na mídia brasileira; Conselho Federal de Medicina ainda não condenou agressão, que descamba para xenofobia e racismo. 

Uma coisa é uma coisa, mas... Vergonha à brasileira 

A agressão contra os médicos cubanos em Fortaleza é o cartão de visita de quem aprendeu a cuspir no escravo para manifestar uma duvidosa repulsa à escravidão. 

• Veio de um usuário do Twitter um dos melhores comentários feitos até agora sobre a gritaria em torno da vinda dos médicos estrangeiros (leia-se cubanos) ao Brasil. Médico estrangeiro é populismo. Tem que voltar a política de deixar morrer. (Módulo ironia off) 

• Populismo, oportunismo, escravidão(?). Enquanto médicos, fariseus e doutores da lei tentam filtrar os mosquitos, uma fila de camelos é engolida nos rincões fora da rota turística do País. Em outras palavras, as pessoas seguem morrendo, sem que mereçam um franzir de testa de quem parece disposto a armar uma Intifada contra o programa Mais Médicos. 

• Segundo mapeamento do governo, existem hoje 701 cidades no País sem um único médico a postos. Sabe quantos brasileiros demonstraram, em chamada recente, interesse em trabalhar nesses municípios? Zero. Nesses lugares, falta o básico do básico, conforme mostrou o repórter Gabriel Bonis em sua visita a Sítio do Quinto, município do interior baiano onde a população não tem para onde correr em caso de emergência (o caso mais simbólico foi a morte, testemunhada por uma técnica em enfermagem e um vigia, de um homem que levou uma facada e não pôde ser atendido porque não havia médico de plantão). Não estamos falando de cirurgia de alta complexidade, mas de carência humana, cuja atuação garantiria o tratamento mínimo para problemas mínimos como diarreia, gripe ou ferimentos leves, que neste diapasão de interesses e serviços se transformam em tragédias diárias e desproporcionais. 

• Tragédias que parecem não comover quem, de antemão, diz se sentir envergonhado pela leva de navios negreiros (?) a aportar por aqui atolados de médicos dispostos a nivelar por baixo a medicina brasileira. Pois Jean Marie Le-Pen, o líder ultradireitista francês de xenofobia desavergonhada, seria capaz de corar ao ver a reação dos médicos brasileiros, de maioria branca, que hostilizaram, vaiaram e chamaram de escravos os colegas cubanos, de maioria negra, durante um curso de preparação em Fortaleza. O protesto, organizado pelo Sindicato dos Médicos do Ceará, foi talvez o estágio mais alto de uma ofensiva que já teve até presidente de conselho regional de medicina pregando, como num culto, o boicote aos camaradas estrangeiros. Os manifestantes, que provavelmente se divertem ainda hoje com a herança colonial supostamente encerrada por uma lei - não coincidentemente - denominada Áurea, talvez inovassem a rebelião contra o estado das coisas no período anterior a 1888. O método consiste em cuspir no escravo para manifestar uma repulsa fajuta à escravatura. Parece um método pouco inteligente para quem levou seis anos para retirar o diploma. Não cola. 

• O episódio mostra que, até mesmo quando se trata de salvar a vida humana, a vida humana é contagiada pela mais devastadora das doenças: a ignorância de quem enxerga o mundo entre o certo e o errado e nada mais entre uma ponta e outra. A ignorância, neste caso, parece desnudar um resquício de desumanidade presente em um dos últimos bolsões de um elitismo pré-colonial. Um elitismo que tolera o esquecimento e a omissão, mas esperneia ao menor sinal de desprestígio, este galgado longe, bem longe, dos salões onde mais se precisa de médicos. Onde o jaleco se suja de terra ao fim do expediente. 

• A opção de ficar nos grandes centros é, de certo modo, compreensível. Não se discute as fragilidades de um programa de emergência. Seria pouco razoável, por exemplo, negar a ausência de uma estrutura adequada para a atuação de quaisquer médicos pelo interior do País. Seria pouco razoável também negar a dificuldade para amarrar juridicamente um contrato de trabalho que prevê a triangulação entre países (um deles, bem pouco afeito à transparência) para remunerar o trabalhador. Não se nega ainda a necessidade de se regular a atuação desse médico conforme o tamanho de sua responsabilidade. Não se discute a necessidade de se validar diplomas com base em um critério honesto que não tenha como finalidade a reserva de mercado. Da mesma forma, seria razoável (ou deveria ser) supor que a urgência para a garantia de atendimento básico preceda os ajustes de rota - estes facilmente remediados com boa vontade, o que não é o caso de uma vida por um fio. 

• Mas, para boa parte dos ativistas de ocasião, cruzar os braços diante da suposta politicagem, do suposto populismo, do suposto oportunismo e do suposto navio negreiro é mais nobre do que atacar o problema real. Parecem a versão remodelada da conferência das aranhas do conto A Sereníssima República, de Machado de Assis. É a mais perfeita alegoria de nossa incompetência histórica: Uns entendem que a aranha deve fazer as teias com fios retos, é o partido retilíneo; outros pensam, ao contrário, que as teias devem ser trabalhadas com fios curvos, - é o partido curvilíneo. Há ainda um terceiro partido, misto e central, com este postulado: as teias devem ser urdidas de fios retos e fios curvos; é o partido reto-curvilíneo; e finalmente, uma quarta divisão política, o partido anti-reto-curvilíneo, que fez tábua rasa de todos os princípios litigantes, e propõe o uso de umas teias urdidas de ar, obra transparente e leve, em que não há linhas de espécie alguma

• Nessa conferência, a discussão gira em torno dos símbolos atribuídos a uma mesma teia. O imobilismo é o único resultado da gritaria. 

• Como as aranhas de Machado de Assis, preferimos discutir o sexo dos anjos em vez de atingir o cerne de uma questão urgente: o abandono de uma parte considerável da população. Seria razoável que elas estivessem no centro do debate. Mas a razoabilidade é um objeto raro quando a ala (sempre em tese) mais esclarecida do País tem como um cartão de visita a vaia, a arrogância e a agressão. (Matheus Pichonelli) 

Comentário: 
Quando a gente acha que já viu tudo, vêm uns idiotas, imbecis, sub-gente, chamados de médicos que fizeram o juramento médico: Juramento de Hipócrates - Na Declaração de Genebra da Associação Médica Mundial de 1948 [1] está o juramento mais antigo que tem sido utilizado em vários países na solenidade de recepção aos novos médicos inscritos na respectiva Ordem ou Conselho de Medicina. A versão clássica em língua portuguesa possui a seguinte redação: Eu, solenemente, juro consagrar minha vida a serviço da Humanidade. Darei como reconhecimento a meus mestres, meu respeito e minha gratidão. Praticarei a minha profissão com consciência e dignidade. A saúde dos meus pacientes será a minha primeira preocupação. Respeitarei os segredos a mim confiados. Manterei, a todo custo, no máximo possível, a honra e a tradição da profissão médica. Meus colegas serão meus irmãos. Não permitirei que concepções religiosas, nacionais, raciais, partidárias ou sociais intervenham entre meu dever e meus pacientes. Manterei o mais alto respeito pela vida humana, desde sua concepção. Mesmo sob ameaça, não usarei meu conhecimento médico em princípios contrários às leis da natureza. e nos fazem envergonhados e enojados por estes ditos médicos brasileiros. (Taveira) 

Subjornalistas a soldo agora dão curso à tese do racismo contra cubanos; justo quem… 
1) Que gente vigarista! O mesmo subjornalismo a soldo que sugere que Joaquim Barbosa, presidente do Supremo, só tem as opiniões que tem porque é negro decidiu agora dar curso à fantasia do governo de que a reação aos médicos cubanos se dá por racismo (porque a maioria seria negra) e xenofobia. 
2) A tese já está na boca de Alexandre Padilha, ministro da Saúde, aquele que tramou o projeto durante um no e meio, na surdina. Voltarei ao assunto mais tarde. Fica mais uma vez evidenciado que eles são capazes de tudo. (Reinaldo Azevedo) 

O Rio, assim mesmo, continua lindo...
 photo _aaprotesto_zps6b8e1767.jpgMais uma vítima da violência da PM em protesto contra Cabral.  
1) Uma estudante de Direito da UFRJ, Taís Justen, de 24 anos foi atingida por uma bala de borracha na testa é mais uma vítima da violência policial nos protestos contra Cabral. Vejam bem, todo mundo sabe que bala de borracha não é para atirar na região da cabeça, isso é básico. 
2) Uma publicitária já perdeu o olho numa das primeiras manifestações ao ser atingida por estilhaço de bomba de efeito moral. Essa jovem não estava fazendo nada, não tinha o rosto coberto, apenas protestava. 
3) Manifestantes do Black Bloc voltou a entrar em confronto com policiais do Batalhão de Choque na Lapa, Centro do Rio, na noite desta terça-feira. O grupo que estava em frente à 9ª DP (Catete), onde algumas pessoas estariam detidas, seguiram para a Lapa. 
4) Próximo da Avenida Gomes Freire, os PMs do Choque jogaram bombas de gás no grupo, que fugiu em direção à Rua do Resende. Lá, eles voltaram a ser encurralados pelos policiais, que lançaram spray de pimenta e bombas. 
5) O confronto assustou comerciantes e clientes de bares na região. Alguns fecharam suas portas. Quem optou por manter o estabelecimento aberto, foi vítima de bombas de gás lacrimogênio lançados pelos PMs. Alguns comerciantes distribuíram vinagre para os frequentadores. 
6) Um grupo de aproximadamente 200 manifestantes do grupo Black Bloc realizou um novo protesto na Zona Sul do Rio, na noite desta terça-feira. Os manifestantes se concentraram no Largo do Machado e seguiram em direção ao Palácio Guanabara. Eles gritam palavras de ordem contra o governador Sérgio Cabral. Diversas ruas foram fechadas e a PM cerca o prédio da sede do governo estadual. 
7) Os manifestantes tentaram ultrapassar as barreiras e foram reprimidos com tiros de balas de borracha e spray de pimenta. Parte do grupo reagiu às agressões com fogos de artifício e pedras na Rua Álvaro Chaves, da sede do Fluminense. Os policiais recuaram e eles conseguiram derrubar algumas grades, mas sem conseguir avançar. Um rapaz foi ferido no olho. 
8) Após o confronto, os integrantes do Black Bloc passaram correndo por diversas ruas nos arredores. Eles promoveram a depredação de pontos de ônibus, queimaram latas de lixo e vidros de comércio. Funcionários de estabelecimentos da região ficaram acuados e o tumulto chegou à Praça São Salvador. 

Santa Teresa, até que enfim! 
• Nova licitação para o bonde de Santa Teresa. Governo abre concorrência para fazer estações e negocia transferir operação à prefeitura. Publicada Diário Oficial diz do projeto de reforma, ampliação e restauração de estações, paradas, oficinas e o museu dos veículos. 

Cosas bolivarianas 
• Dilma demitiu o ministro Antonio Patriota do Ministério das Relações Exteriores após a fuga para o Brasil do senador inimigo nº 1 de Evo Morales. Mas e o principal executivo da articulação do grupo bolivariano, o assessor especial para assuntos internacionais, Marco Aurélio Garcia, é indemissível? (Roberto Jefferson) 


• Embaixadores se declaram impedidos de apurar caso do senador boliviano. Baena Soares afirmou que ter interesse direto ou indireto no tema. Objetivo da comissão é analisar a decisão do diplomata Eduardo Saboia, que retirou Pinto Molina da embaixada brasileira, onde estava há 15 meses. Senador boliviano vai precisar de novo asilo para ficar no Brasil, diz AGU.

• Doze capitais têm protestos nesta quarta-feira por reforma urbana e moradias. As manifestações estão marcadas para as cidades de Belém, Campo Grande, Cuiabá, Curitiba, Macapá, Manaus, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, São Paulo, Salvador e Teresina. O protesto é promovido pelo Fórum Nacional de Reforma Urbana (FNRU) - que congrega movimentos populares, associações de classe, ONGs (organizações não governamentais) e instituições de pesquisa. 

Comparação impossível com o Presidente do Uruguai
 photo _ajosemujica_zps71bb67db.jpg




 • Eu não sou pobre! Pobres são aqueles que acreditam que eu sou pobre. Tenho poucas coisas, é certo, as mínimas, mas apenas para ser rico. Quero ter tempo para... dedicá-lo às coisas que me
motivam. Se tivesse muitas coisas, teria que me ocupar de resolvê-las e não poderia fazer o que eu realmente gosto. Essa é a verdadeira liberdade, a austeridade, o consumir pouco. Vivo em uma pequena casa, para poder dedicar tempo ao que verdadeiramente aprecio. Senão, teria que ter uma empregada e já teria uma interventora dentro de casa. Se eu tivesse muitas coisas, teria que me dedicar a cuidar delas, para que não fossem levadas... Não, com três cômodos é suficiente. Passamos a vassoura, eu e a velha, e já se acabou. Então, temos tempo para o que realmente nos entusiasma. Verdadeiramente, não somos pobres! (José Mujica, Presidente do Uruguai)

Quem é? 
• Conhecido como Pepe Mujica, o atual Presidente do Uruguai recebe USD$ 12.500/mês (doze mil e quinhentos dólares mensais) por seu trabalho à frente do país, mas doa 90% de seu salário, ou seja, vive com 1.250 dólares, cerca de R$ 2.538,00 reais ou ainda 25.824 pesos uruguaios. O restante do dinheiro ele distribui entre pequenas empresas e ONGs que trabalham com habitação. 

• - Esse dinheiro me basta e tem que bastar, porque há outros uruguaios que vivem com menos, diz o presidente Mujica. 

• Aos 77 anos, Mujica vive de forma simples, usando as mesmas roupas e desfrutando da companhia dos mesmos amigos de antes de chegar ao poder.

• Além de sua casa, seu único patrimônio é um velho Volkswagen, cor celeste, avaliado em pouco mais de mil dólares. Como transporte oficial, usa apenas um Chevrolet Corsa. Sua esposa, a senadora Lucía Topolansky, também doa a maior parte de seus rendimentos. 

• A poucos quilômetros de Montevidéu, já saindo do asfalto, avista-se um campo de acelgas. Mais à frente, um carro da polícia e dois guardinhas: o único sinal de que alguém importante vive na região. O morador ilustre é José Alberto Mujica Cordano, conhecido como Pepe Mujica, presidente do Uruguai. 

• Perguntado sobre quem é esse Pepe Mujica, ele responde: - Um velho lutador social, da década de 50, com muitas derrotas nas costas, que queria consertar o mundo e que, com o passar dos anos, ficou mais humilde, e agora tenta consertar um pouquinho de alguma coisa

• Ainda jovem, Mujica se envolveu no MLN - Movimento de Libertação Nacional e ajudou a organizar os tupamaros, grupo guerrilheiro que lutou contra a ditadura. Foi preso pela ditadura militar e torturado. - Primeiro, eu ficava feliz se me davam um colchão. Depois, vivi muito tempo em uma salinha estreita, e aprendi a caminhar por ela de ponta a ponta, lembra o presidente uruguaio. Dos 13 anos de cadeia, Mujica passou algum tempo em um prédio, no qual o antigo cárcere virou shopping. A área também abriga um hotel cinco estrelas. Ironia para um homem avesso ao consumo e ao luxo. 

• No bairro Prado, a paisagem é de casarões antigos, da velha aristocracia uruguaia. É onde está a residência Suarez y Reyes, destinada aos presidentes da República. Esse deveria ser o endereço de Pepe Mujica, mas ele nunca passou sequer uma noite no local. O palácio de arquitetura francesa, de 1908, só é usado em reuniões de trabalho. 

• Mujica tem horror ao cerimonial e aos privilégios do cargo. Acha que presidente não tem que ter mais que os outros. - A casinha de teto de zinco é suficiente, diz ele. - Que tipo de intimidade eu teria em casa, com três ou quatro empregadas que andam por aí o tempo todo? Você acha que isso é vida?, questiona Mujica. 

• Gosta de animais, tem vários no sítio. Pepe Mujica conta que a cadela Manoela perdeu uma pata por acompanhá-lo no campo e que ela está com ele há 18 anos. 

• A vida simples não é mera figuração ou tentativa de construir uma imagem, seguindo orientações de um marqueteiro. Não, ela faz parte da própria formação de Mujica. 

• No dia 24 de maio de 2012, por ordem de Mujica, uma moradora de rua e seu filho foram instalados na residência presidencial, que ele não ocupa porque mora no sítio. Ela só saiu de lá quando surgiu vaga em uma instituição. 

• Neste início de inverno, a casa e o Palácio Suarez y Reyes, onde só acontecem reuniões de governo, foram disponibilizadas por Mujica para servir de abrigo a quem não tem um teto. 

• Em julho de 2011, decidiu vender a residência de veraneio do governo, em Punta del Este, por 2,7 milhões de dólares. O banco estatal República a comprou e transformar á a casa em escritórios e espaço cultural. 

• Quanto ao dinheiro, será inteiramente investido – por ordem de Mujica, claro - na construção de moradias populares, além de financiar uma escola agrária na própria região do balneário. 

• O Uruguai ocupa o 36ª posição do ranking de educação da Unesco, enquanto o Brasil ocupa a 88ª posição. Já no ranking de desenvolvimento humano, o Uruguai ocupa o 48º lugar, enquanto o Brasil ocupa o 84º lugar. Enquanto isso no Brasil, políticos reclamam que recebem um salário baixo para o cargo que exerce. Que Vergonha!!! 

• Mujica é um homem raro, nesses tempos de crise de valores morais e ética, dentre os políticos sul-americanos. 

• E se me perguntam porque compartilho, o faço a mostra de alguém que faz história e se preocupa honestamente com o semelhante. A nós brasileiros - às vezes até duvido que raciocinem ou vendáveis - temos de saber, pelo menos, que existe um político de verdade bem pertinho de nós, que trabalha em favor do povo e não de sua conta bancária.



Falhas no Banco do Brasil e Bradesco expõem dados de clientes 
• Um analista de sistemas conseguiu encontrar diversas falhas nos sistemas de serviços que poderiam expor os dados privados de milhões de pessoas no Brasil. Os bancos de dados do Banco do Brasil, Bradesco, Boa Vista Serviços (que cuida do SCPC) e do serviço de pagamentos Moip. 
• Carlos Eduardo Santiago, de 21 anos, demonstrou as falhas à Folha de S. Paulo após afirmar ter relatado às empresas os problemas e não ter obtido uma resposta. 
• Segundo a publicação, a seção de seguros residenciais do BB permitia que qualquer pessoa com acesso a área pudesse visualizar dados como CPF, nome, endereço e número da conta bancária com uma simples alteração de código, que não demanda conhecimento específico ou ferramentas especiais. Cerca de 1,85 milhão de pessoas estavam expostas, afirma Santiago. O banco afirma que a falha foi solucionada e que não trazia risco aos clientes. Já no Bradesco, boletos bancários ficam visíveis e expunham dados dos clientes, o valor do documento e informações do estabelecimento que recebe o pagamento. Contudo, a empresa afirma que nunca registrou uma fraude e que já usa o sistema há dez anos. 
• Os documentos poderiam ser acessados por meio de uma simples pesquisa no Google. A mesma falha foi verificada no Moip, que alega que os lojistas é que disponibilizam as URLs abertas para os boletos. 
• Já a Boa Vista Serviços possibilitava que todas as dívidas referentes a um CPF pudessem ser visualizadas por qualquer um. A Folha cita que são 2,5 milhões de pessoa catalogadas. 
• Todas as empresas afirmaram já ter corrigido os problemas, menos o Bradesco que alega que a acusação não representa uma falha, ou vulnerabilidade. 
000ooo00

• Substância foi usada na Síria e matou mais de cem pessoas, diz ONU. O enviado especial da ONU e da Liga Árabe, Lakhdar Brahimi, afirmou nesta quarta-feira (28) que uma substância foi usada no ataque que provocou centenas de mortes do último dia 21 de agosto em um subúrbio de Damasco, na Síria. Parece que se usou um tipo de substância que matou muitas pessoas, sem nenhuma dúvida mais de cem, alguns falam de 300, alguns falam de 600, talvez mil, talvez mais de mil, declarou Brahimi em uma entrevista coletiva em Genebra. 
• Hollande se reunirá na quinta-feira com chefe da Coalizão Nacional Síria. 
• Reino Unido vai pressionar Conselho de Segurança da ONU a aprovar intervenção militar na Síria. 
• Casa Branca: não há dúvidas de que regime sírio lançou ataque químico.


• Israel interceptou conversa do regime sírio sobre ataque químico.

Nenhum comentário: