11 de jul de 2013

Tramoias cansaram povo...

 photo _aavaiada_zpsa9fd3a3d.jpg• Enormes congestionamentos se formam em pelo menos 18 grandes estradas brasileiras; porto de Santos isolado; 13 navios parados; prejuízo para a economia é incalculável; concentrações crescem à medida que a tarde começa; Avenida Paulista bloqueada; Força e UGT se destacam no ataque às rodovias; justiça estabelece multa de R$ 100 mil por hora por interrupção em estradas paulistas; Esplanada dos Ministérios vai sendo tomada; Rio Grande do Sul é o estado mais afetado; Porto Alegre sem ônibus; Metrô parado em Belo Horizonte. 

• Centrais sindicais testam Dilma com greve. Trabalhadores cruzam os braços nas principais capitais e cidades brasileiras nesta quinta-feira. 

• Duas visões: A resposta de Dilma à crise política. Questionamentos à viabilidade do plebiscito proposto por Dilma Rousseff lançam duvidas quanto à resposta dada pela presidente para a crise política criada pela onda de protestos nas ruas do país. 

• Medo de inflação e meta fiscal limitam concessões às ruas. De um lado, o mercado financeiro cobra do governo o cumprimento de metas fiscais e mais rigidez no controle da inflação. Do outro, milhares de pessoas ocupam as ruas para pedir melhores serviços de saúde e educação e exigir uma redução das tarifas de transporte público. 

 Que lições os partidos brasileiros podem tirar dos protestos? A descrença nos partidos, traço comum nos protestos que se espalharam pelo país nas últimas semanas, expõe os problemas do atual modelo político brasileiro, mas também pode servir de estímulo para que surjam novas formas de representatividade, na avaliação de especialistas. Segundo sociólogos e cientistas políticos, as legendas continuarão a ser a base do sistema democrático brasileiro, mas agora têm também uma oportunidade de se renovar e reorientar suas agendas para fazer frente aos novos anseios da população. 

• Organização de protestos pode indicar novidade. As dimensões dos grandes protestos que vêm tomando diversas cidades brasileiras nos últimos dias pegaram de surpresa não apenas políticos e autoridades, mas também analistas, que ainda buscam entender o impacto e as consequências que as mobilizações podem ter na vida política e social do Brasil. Mesmo assim, especialistas de áreas distintas ouvidos concordam que o modo como as manifestações foram organizadas pode indicar uma nova forma de se fazer política no país. Os analistas, no entanto, discordam quanto às consequências e o futuro do movimento. 

• Protestos bloqueiam rodovias de acesso a São Paulo. PM fecha acesso à av. Paulista. Rodovias são bloqueadas em ao menos 17 Estados por manifestações. Ministro da Justiça diz que PRF vai desobstruir estradas bloqueadas. Quatro mil manifestantes estão na Avenida Paulista e motoboys protestam por ruas de SP. 

Greve de ônibus afeta um milhão de passageiros em Porto Alegre. 
• Marina Silva acredita que onda de protestos pode mudar rumo do Brasil. 
• Salvador amanheceu nesta quinta-feira (11) com paralisação de motoristas e cobradores de ônibus. Os rodoviários aderiram ao chamado Dia Nacional de Luta, que mobiliza diversas categorias pelo país. O movimento acontece em todas as garagens dos coletivos. 
• Em SP, lojas foram fechadas na 25 de Março. 
• MST ocupa sede do Incra em Brasília. 
• Com medo de vandalismo, 60 bancos fecham no centro do Rio; manifestantes fecham Correios. Após bloqueio de grevistas no Rio, Correio toma medidas para enviar e receber cartas. 
• Médicos fazem passeata na Rua Senador Dantas e cobram melhorias. 
• Paralisações em dezoito estados fecham rodovias e bloqueiam o acesso a três portos. 
• Manifestantes impedem a entrada nos portos de Santos (SP), Itaguaí (RJ) e Suape (PE). 

Por que desconfio da paralisação dos sindicatos 
• Os trabalhadores têm muitas razões - como todos os brasileiros - para protestar. Quero aqui, porém, compartilhar minhas desconfianças. 
• Para começo de conversa, qualquer manifestação liderada pelo deputado Paulinho da Silva, líder da Força Sindical, merece desconfiança. 
• Afinal, ele é um eterno candidato a qualquer coisa: de prefeito a governador. E, claro, ele vai tentar tirar proveito dessa onda de manifestações. É daqueles habituais envolvidos em suspeitas de manipulação indevida de recursos públicos. 
• O que aumenta minha desconfiança é o tom genérico de boa parte das reivindicações. Estão exatamente assim, sem mais detalhamento: melhor educação, melhor saúde e melhor transporte público. Simples assim. 
• O que percebemos, portanto, é que se tenta enfiar uma agenda sindical (e eleitoral) na agenda nacional aproveitando o clima do país. Pede-se tudo ao mesmo tempo, sem foco. 
• Pode-se criticar a irrealidade do Movimento Passe Livre, mas eles têm foco. E ninguém ali é candidato a nada. 
• Quando se discute fator previdenciário não se mostra quanto essa mudança custaria ao bolso dos contribuintes, sabendo-se dos rombos gigantescos da previdência. 
• Insisto aqui que a primeira pergunta que um cidadão deve fazer é a seguinte: quem paga a conta? (Gilberto Dimenstein)


• Com dez vetos, Dilma sanciona Ato Médico, que regulamenta profissão. 

• Aécio faz radiografia da Saúde. PT reduziu gastos, jogou conta para estados e municípios e sucateou hospitais e santas casas. 
Convencido de que a presidente Dilma Rousseff tergiversa e que o programa Mais Médicos não passa de uma ação de marketing, com vistas às eleições de 2014, o pré-candidato do PSDB a presidente, Aécio Neves, encomendou um estudo sobre o desempenho do governo na área da saúde. 
Recebidos os números, sua conclusão é que diminuíram os recursos da União e foram aprofundados os problemas da gestão, nos últimos 12 anos. 


"Se faltava algum estímulo para revalidar meu diploma (porque sim, e necessário revalidar o diploma para ser médico em qualquer país decente) e ir embora daqui, esse estimulo foi dado pelo nosso querido governo... Durante um ano de residência na França, vi que a única coisa que nos diferencia dos médicos dos grandes centros do mundo são as condições de trabalho e o valor dado ao médico (médico não é bandido e o essencial não falta). Não precisamos de mais anos de estudo nem de mais médicos. Precisamos ser valorizados. Precisamos de boas condições de trabalho. Mas pelo visto essa não é a meta do governo." (Rafaela Silva, neurologista) 

Giba Um indica 
Ameaça de colapso - Nove entre dez veteranos e admirados médicos acham que o governo está tentando fazer com o programa Mais Médicos a transferência dos problemas de saúde no Brasil para jovens médicos. E consegue errar até na identificação competente desses problemas. A tabela de procedimentos do SUS é, segundo esses médicos, o mais grave: cobre apenas 60% dos custos. Ninguém sabe de onde viriam e se viriam os outros 40% e essa situação deverá levar o sistema de saúde publica ao colapso – e no curtíssimo prazo. Para se ter melhor ideia dessa falência: para uma consulta simples, o médico recebe R$ 6,35 do SUS; para uma consulta especializada, R$ 10. 
Nem deficientes - Quase 24% da população brasileira, ou seja, perto de 45,6 milhões de pessoas, possui algum tipo de deficiência, segundo o último censo do IBGE. O governo federal tem um programa chamado Promoção dos Direitos de Pessoas com Deficiência com R$ 46 milhões no orçamento deste ano. Contudo, no primeiro semestre, só empenhou R$ 200 mil e ainda não gastou. A Secretaria dos Direitos Humanos da Presidência aplicou no período R$ 5,4 milhões referentes a restos a pagar (dividas anteriores) e ainda sobraram R$ 4,7 milhões de outros anos para serem quitados. 

• Senado pede ao Ministério da Defesa informações sobre uso de aviões da FAB. 
• Cuidado com o aviso dele! Eleitor cobrará caro se Congresso não ouvir a rua, diz Mercadante. 
• Escândalo! Secretário Estadual de Saúde, Sérgio Côrtes, usa helicóptero para transporte de órgãos de transplantes para fazer passeios. 

Dia Nacional do pelego chapa branca!... 
• Ao lado da CBF e do SEBRAE, as Entidades Sindicais Brasileiras, são as únicas Organizações em nosso País que: 
Vivem à custa dos outros
* Não têm de dar satisfação à ninguém; 
* Não são fiscalizadas por ninguém; 
* E acreditam que estão fazendo algo de bom para o País! 
• Sem me estender sobre os dois primeiros parasitas acima citados (merecem capítulos à parte!), estamos hoje, com mais esse exemplo da cara de pau desses sindicalistas apóstatas, que fazem de tudo para sempre continuarem mamando em todas as tetas oficiais e privadas, mas andam a quilômetros de distância dos interesses do País e dos trabalhadores! 
• Até os prefeitos brasileiros (que também não são flor que se cheire!), aplicaram ontem, mais uma solene vaia na presidanta Dilma, que não sabe mais onde põe a cara!... Fiquei com dó da dita cuja, após o seu discurso!... 
• Agora, esses sindicalistas, que nunca fizeram nada para combater a bandalheira em nosso País e se juntar às bandeiras cidadãs que a população colocou nas ruas, quer se apoderar desse movimento de moralização e transformá-lo em mais uma jogada para desviar a atenção de todos nós e proteger o Sistema podre que aí está! 
• Esteja atento: não apoie e não concorde com esses chapas branca! (Márcio Dayrell Batitucci) 

CPI da Espionagem Americana 
• Requerimento da senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) é aprovado com sobras com verba para despesas de R$ 280 mil. Apuração pode esclarecer desde quando, e como, os Estados Unidos do presidente Barack Obama espionam comunicações eletrônicas, especialmente e-mails e Facebook, no Brasil. E aí entra o ministro Paulo Bernardo criticando a centralização da internet nos EUA dizendo que nós sempre defendemos que a internet seja regida por um organismo multilateral internacional e sempre criticamos o fato de a governança da internet ser absolutamente centralizada nos Estados Unidos, na audiência pública na Comissão de Relações Exteriores do Senado, acrescentando esse não é um mecanismo adequado. Será que ele sabia que a internet começou lá nos EUA, primórdios, para uso dos militares e depois deixaram esse sistema para uso mundial. Que confiança terão os brasileiros em usar algo que se ficasse em mão do governo teriam confiança. (AA)


• Princesa saudita é presa nos EUA por tráfico humano.


• Instabilidade faz classe média deixar o Egito. Especialistas confirmar que fuga de cérebros pode prejudicar a recuperação do país. O Egito caminha para uma guerra santa? 
• Aumento de 700% faz pão virar artigo de luxo na Argentina. Alta inflação e políticas do governo para limitar a exportação de grãos seriam razões por trás do preço do pão; última safra de trigo foi inferior à de 1899. Kirchnerismo completa 10 anos em meio a entraves comerciais com Brasil. 
• Papa muda código penal do Vaticano e reforça pena para pedofilia contra pedofilia e crimes financeiros. Estupro de menina reacende debate sobre aborto no Chile. O presidente do Chile, Sebastián Piñera quer manutenção da atual lei que proíbe qualquer tipo de aborto. Um ano após decisão do STF, aborto de anencéfalos esbarra em entraves. 
• EUA vão reavaliar ajuda bilionária ao Egito, mas mantêm envio de caças. 

É apenas com o coração que se consegue ver direito. O essencial é invisível aos olhos. (Antoine de Saint Exupéry)

Nenhum comentário: