6 de jul de 2013

O governo não escuta o povo...

 photo _aasurdinha_zps44921b84.jpg Passagens de ônibus
• Após protestos, tarifas caem para mais de um quarto da população; Nos últimos cinco anos, a Prefeitura de São Paulo deu reajustes nos valores repassados a empresas de ônibus superiores à inflação acumulada no período. Dados obtidos com base nos aditamentos de contratos feitos pela Secretaria dos Transportes, mostram que, em média, a remuneração por passageiro transportado subiu 58%, enquanto a inflação variou 16,7% e a tarifa, 30,4%. Os números ainda ajudam a explicar o aumento do aperto nos lotações - que receberam repasse abaixo da inflação. 

• Governo se lixa pro povo e programa para contratar médicos estrangeiros será lançado na 2ª. Mato Grosso paga salário de R$ 30 mil a médico no interior e ainda assim, houve município que passou um ano sem contratação, por falta de candidatos. 

Um núcleo também duro 
• Após confronto, segurança é reforçada perto da casa de Sérgio Cabral. Seis pessoas foram detidas e quatro policiais ficaram feridos durante ação da Polícia Militar para dispersar manifestantes.
• Abaixo-assinado pede a saída de Sérgio Cabral do Leblon. Documento foi divulgado na quarta-feira, antes do confronto entre polícia e manifestantes.

• Pauta prioritária faz Câmara e Senado baterem cabeça. PT convoca militância em SP para defender proposta de reforma feita por Dilma. Em reunião, PT pediu a Dilma mudanças no núcleo do governo. A resposta de governos na correria pode não acalmar insatisfações após reunião de Dilma com movimentos populares e aliados petistas. Analistas apontam perigo de medidas de curto prazo tomadas pelo governo e o Legislativo. 

Como entendê-la? 
• Desastrada e derrotada, Dona Dilma impede que o Mercosul defenda o presidente da Bolívia. (Helio Fernandes) 

O fato e a versão 
"...A mais recente trapalhada do Palácio do Planalto mostra bem como o governo Dilma está perdido na busca de aparentes respostas rápidas às manifestações populares. Depois de recuar em 24 horas da convocação de uma Constituinte exclusiva para realizar a reforma política, foram necessárias apenas quatro horas para que recuasse da realização do plebiscito para valer já em 2014 e voltasse atrás do recuo...." (Merval Pereira) 

Projeto Eleições Limpas 
• De iniciativa popular elaborado pelo Movimento de Combate a Corrupção Eleitoral - o mesmo que idealizou a Lei da Ficha Limpa - recolheu mais de 53 mil assinaturas até a última sexta-feira. O cálculo considera apenas as assinaturas virtuais, sem levar em conta as que foram recolhidas em papel. Para que a proposta seja oficialmente apresentada ao Congresso Nacional e comece a tramitar é preciso do apoio de 1% do eleitorado, ou 1,6 milhão de pessoas. Propõe acabar com o financiamento feito por empresas privadas e coloca um limite de R$ 700 para doações de pessoas físicas aos candidatos. A decisão de incluir as medidas no projeto decorreram da constatação de que apenas três setores da economia fazem doações de forma significativa: as empreiteiras, os bancos e as mineradoras. Para assinar a petição, o cidadão pode acessar o site da campanha 

Dia Nacional de Luta 
• Metroviários vão parar em São Paulo no próximo dia 11. Decisão foi tomada em assembleia realizada quinta-feira (4); no dia 10, metroviários realizam nova assembleia para detalhar as atividades no dia da greve. 

Sob a Lei, mas é agressivo 
• Presidente do STF nega liminar a aposentados do Aerus. Cerca de oito mil aposentados de Varig e Transbrasil só têm garantia de receber seus benefícios por poucos meses. 

Veja propõe seu Plebiscito e mostra seu radicalismo 
• Numa reportagem de capa que acusa as autoridades em Brasília de agir como extraterrestres, a revista da Editora Abril elabora dez questões que poderiam ser submetidas à população; entre elas, Veja sugere que quem recebe o Bolsa-Família deve ser impedido de votar; em outra, que seja fechada a embaixada do Brasil em Cuba; revista condena ainda financiamento público de campanha e voto em lista e pede a redução da maioridade penal; o plebiscito de Veja, ao menos, revela sua agenda política, que é bem mais conservadora do que o plebiscito encaminhado por Michel Temer e José Eduardo Cardozo ao presidente do Congresso, Renan Calheiros. 

Internet 
• Marco Civil pode ser votado nas próximas semanas. Depois de ter a votação adiada por seis vezes no ano passado por falta de acordo, projeto entrou na pauta prioritária do Congresso. O projeto de lei que estabelece direitos e deveres de usuários, governo e empresas no uso da rede e é considera uma constituição da web, foi incluído na pauta legislativa prioritária do Congresso para ser votado nas próximas semanas, afirmou o Ministério da Justiça nesta sexta-feira. A lista de projetos foi estabelecida pelo presidente do Senado, Renan Calheiros, juntamente com o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves, e lideranças partidárias do Senado. 

O inusitado e sem explicações 
• Pane tirou ontem de funcionamento sistema de três bancos e prejudica milhões de pessoas. 

Engabelando 
"...Orientada por seus conselheiros, a presidente Dilma, nos discursos da Lei dos Portos e do Plano para o Semiárido, deixou de lado a sisudez habitual e distribuiu chamegos. Citando seus nomes, agradeceu a contribuição de 20 deputados federais, 8 senadores, 9 ministros, 9 governadores e até do prefeito ACM Neto, eleito pela oposição. Nunca tantos fizeram tanto num governo...." (Ilimar Santos) 

Mantega contesta críticas de Miriam Leitão 
• A colunista abriu espaço para respostas do ministro sobre temas como estouro da meta de inflação, expansão dos gastos públicos e baixo desempenho do PIB; a crítica na coluna é feita como se não estivéssemos vivendo a maior crise de todos os tempos, afirma o ministro. Conclusão: Tá cegueta! 

• STF volta a julgar mensalão a partir da segunda quinzena de agosto. 

• Desmatamento da Amazônia foi cinco vezes maior em maio. 

Cura gay de novo 
• Presidente da Câmara diz que deve barrar novo projeto. Deputado Anderson Ferreira reapresentou proposta arquivada pela Câmara. Henrique Alves disse que avalia regimento, mas tendência é vetar texto.


Libra: a gota de petróleo a transbordar o barril 
• Mossadegh, primeiro-ministro iraniano, nacionalizou o petróleo em 1951, fechando as atividades da empresa Anglo-Persian Oil Company no país. Em 1953, como resultado de um golpe de Estado, cuja articulação é creditada à CIA, foi deposto e preso. Depois, os campos de petróleo do Irã voltaram às empresas estrangeiras para a continuação da produção. No Iraque, depois da invasão pelos Estados Unidos, os campos também foram entregues a empresas estrangeiras. 
• Estes são os únicos casos que conheço de entrega de quantidades conhecidas de petróleo no subsolo a empresas privadas. Quantidades, estas, já descobertas e prontas para serem produzidas. O usual, mesmo no atual mundo constituído pelo império, entre os países satélites do império, as várias colônias dominadas e os países mais independentes, quando não possuem o monopólio estatal, é leiloarem áreas para empresas buscarem o petróleo e, se encontrarem, o produzirem. Isto acontece, por exemplo, nos Estados Unidos, no Reino Unido e na Noruega. 
• No entanto, a subserviência ao mercado do governo brasileiro, acoplada à traição de brasileiros representantes dos interesses de grupos estrangeiros, inova ao entregar campo, e não mais área, para busca de petróleo. Libra foi descoberto pela Petrobras e, já sendo um campo, pretende-se entregá-lo às empresas petrolíferas, usando a mesma visão da privatização, comum no governo FHC. Na questão da entrega da riqueza do petróleo, o PT e o PSDB são irmãos siameses. Nenhum dos membros de um destes partidos pode acusar o outro de não satisfazer aos interesses da sociedade brasileira, com relação a este aspecto. Reconheça-se, com pesar, que está havendo uma “volta por cima” dos neoliberais, quando todos socialmente compromissados pensavam que, depois da crise de 2008, tinha ficado claro que o atendimento aos dogmas do mercado trazia desgraça aos povos. Fica patente que o capital é articulado, por envolver a mídia dominada e as opções mais populares de candidatos do país, nomeando seus prepostos para cargos chaves e determinando nefastas decisões. 
• Outro ponto importante de salientar é que o presidente Lula acrescentou, recentemente, ao seu discurso várias colocações de cunho geopolítico e estratégico. Esta nova postura do ex-presidente é muito bem vinda. Em estudo da Associação de Engenheiros da Petrobras, é dito que, para os contratos de partilha, admitindo algumas suposições lá contidas, as empresas ficam com a posse de 50% do petróleo produzido e o Estado com os outros 50%. Como Libra tem de 8 a 12 bilhões de barris recuperáveis, segundo a diretora-geral da Agência Nacional do Petróleo, o Brasil perderá a possibilidade de agir estrategicamente com a comercialização de cerca de 5 bilhões de barris. Só resta o ex-presidente, como tem grande prestígio junto à sua sucessora, avisá-la da perda estratégica. 
• Se alguém tem a dúvida sobre o que fazer com o campo de Libra, então, sugiro a utilização do artigo 12 da lei 12.351, que permite a entrega de um campo à Petrobras diretamente, sem leilão prévio, através de um contrato de partilha, desde que o interesse nacional justifique. E, claramente, existe o interesse em converter o lucro e o poder que o petróleo gera em benefícios aos brasileiros. 
• Além disso, como a Petrobras está com a responsabilidade de ter de investir em vários campos simultaneamente e, também, como a pressa em leiloar só satisfaz às empresas estrangeiras, pois o país está abastecido para além do ano de 2050, a entrega de Libra à Petrobras poderá ficar reservada para o futuro. 
• Prestem atenção às ações coordenadas de privatização deste nosso patrimônio para grupos estrangeiros. Primeiro, tem-se a pressa tresloucada da ANP em leiloar, podendo ser classificada como um furor entreguista. Em paralelo, vem a consequente asfixia financeira da única saída heroica encontrada pelos verdadeiros brasileiros para não serem dominados, qual seja, a da Petrobras entrar nas rodadas para arrematar os blocos. 
• Por fim, não bastando a carga diária negativa da mídia contra a empresa, deputados subservientes a interesses externos buscam criar uma CPI da Petrobrás. Deixo claro que se deve apurar tudo sobre a Petrobrás que a boa norma exige e, para isso, já existe a estrutura de auditoria e fiscalização do governo. Entretanto, a criação de uma CPI parece ter outro objetivo, que é o de malhá-la perante a opinião pública para, em passo seguinte, como recomendação desta CPI, sugerir-se a sua privatização. 
• Notem que, depois das privatizações embutidas nos leilões de petróleo, que ocorreram na 11ª rodada do dia 14 de maio, e da presente privatização de Libra, em um eventual debate de segundo turno em 2014, que espero que nunca aconteça, entre Dilma e Aécio, nenhum dos dois poderá acusar o outro de ser privatista, por falta de credibilidade de ambos para tal. Em vista deste fato, quero declarar que estou aberto a receber santinhos de candidatos de todos os partidos de esquerda fora da atual base do governo, para qualquer cargo, desde deputado estadual a presidente, passando por governador, deputado federal e senador. 
• Em outras palavras, respeito muito o combate à miséria e outros feitos dos governos petistas, mas não me conformo com a entrega do patrimônio nacional a estrangeiros, até porque, a partir de determinado patamar, só se melhora substancialmente o IDH se o país for soberano. (Paulo Metri, conselheiro do Clube de Engenharia)


Mandela passa por hemodiálise e responde bem, diz CNN. Médicos do líder sul-africano descartam desligar aparelhos, diz amigo. Ex-presidente estaria em estado vegetativo. 
• Maduro anuncia que Venezuela concederá asilo a Snowden. Presidente venezuelano fez declaração na noite desta sexta-feira. A respeito, a a melhor opção para o ex-técnico da CIA Edward Snowden, afirmara neste sábado Alexei Pushkov, chefe do comitê de Relações Exteriores da Duma, a Câmara dos Deputados da Rússia. O asilo de Snowden na Venezuela seria a melhor das opções. Esse país tem uma relação tensa com os Estados Unidos. Pior não seria, disse Pushkov no Twitter. Berlim considera que espionagem dos EUA está sujeita a consequências penais. 
• Eike Batista: da ascensão à queda. Empresário brasileiro encarnou a euforia com o Brasil; agora, corre o risco de perder seu conglomerado. Cenário econômico acumula novo revés com crise de empresa de Eike Batista. 
• Violência e mortes em atos pró-Morsi reforçam temor por futuro do Egito. Partidários de Morsi se manifestarão duramente no Cairo. Pelo menos 12 morreram quando Exército abriu fogo contra manifestantes pró-Morsi perto de base militar. Violência se alastra no Egito após morte de manifestantes pró-Morsi. Egito busca reiniciar revolução de 2011, mas resultado é incerto. Especialistas alertam para violência e violações de direitos humanos no Egito. A Irmandade Muçulmana não está preparada para governar. Para Marcos Azambuja, membro do Centro Brasileiro de Relações Internacionais, Exército não tomará poder no Egito. 
• Guerra na Síria atrai à luta jovens europeus no protesto antiregime naquele país. Na Bélgica, jovens convertidos ao islã vêm se unindo a rebeldes sírios; alguns são investigados por extremismo. Oposição síria precisará de nova votação para definir líder. 


Quando a boca cala, o corpo grita... 
Este alerta está colocado na porta de um espaço terapêutico. 
 photo _aalerta_zps9d2c09e2.jpg 
A enfermidade é um conflito entre a personalidade e a alma.
O resfriado escorre quando o corpo não chora.
A dor de garganta entope quando não é possível comunicar as aflições.
O estômago arde quando as raivas não conseguem sair.
O diabetes invade quando a solidão dói.
O corpo engorda quando a insatisfação aperta.
A dor de cabeça deprime quando as duvidas aumentam.
O coração desiste quando o sentido da vida parece terminar.
A alergia aparece quando o perfeccionismo fica intolerável.
As unhas quebram quando as defesas ficam ameaçadas.
O peito aperta quando o orgulho escraviza.
A pressão sobe quando o medo aprisiona.
As neuroses paralisam quando a criança interna tiraniza.
A febre esquenta quando as defesas detonam as fronteiras da imunidade.
Os joelhos doem quando o orgulho não se dobra.
O câncer mata quando não se perdoa e/ou cansa de viver.
E as dores caladas? Como falam em nosso corpo?
A enfermidade não é má, ela avisa quando erramos a direção.
O caminho para a felicidade não é reto, existem curvas chamadas Equívocos, existem semáforos chamados Amigos, luzes de precaução chamadas Família, e ajudará muito ter no caminho uma peça de reposição chamada Decisão, um potente motor chamado Amor, um bom seguro chamado , abundante combustível chamado Paciência.
Mas principalmente um maravilhoso Condutor chamado Deus!
 
Ser feliz é encontrar força no perdão, esperanças nas batalhas, segurança no palco do medo, amor nos desencontros. É agradecer a Deus a cada minuto pelo milagre da vida. (Fernando Pessoa)

Nenhum comentário: