12 de jul de 2013

De que lado você está ?

 photo _aaehdemais_zps256d80d4.jpg• Racha entre base aliada ameaça pacote de Dilma contra crise. Dilma defende atos, mas critica bloqueios e violência. As manifestações em geral, sejam de quem for, têm quer ser respeitadas como reivindicações e busca por mais direitos sociais. O Brasil é isso, disse a presidente.

• Economia brasileira encolheu 1,4% em maio, na maior queda desde 2008 num resultado pior do que o esperado. Analistas antecipavam queda de 0,90%. Bolsa cai após dado ruim da atividade econômica; dólar sobe e vale R$ 2,26. Poupança bate inflação e renda fixa com taxa básica a 8,5%. BC reduz custo para que financeiras tragam recursos de filiais para o Brasil. 

• A Justiça Federal determinou nesta sexta-feira (12) que a Agência Nacional de Transportes Terrestres publique em dez dias os editais de licitação de todas as linhas de transporte rodoviário interestadual e internacional de passageiros do país com extensão superior a 75 km. A decisão atinge cerca de duas mil linhas que operam de forma irregular desde 2008, segundo decisão da 9ª Vara Federal do Distrito Federal. 

• Protestos levam 100 mil às ruas no Brasil. Paralisação nacional dos trabalhadores foi convocada por centrais sindicais. Protesto no Palácio Guanabara deixa rastro de destruição e até clínica particular sofre com violência. 

O novo e o velho 
"...Pode-se dizer que no confronto entre o velho e o novo, entre o moderno e o arcaico, as mobilizações dos movimentos sociais perderam a hegemonia das ruas para as convocadas pelas redes sociais. De acordo com parâmetros anteriores às manifestações do mês passado, o Dia Nacional de Lutas convocado por entidades como as centrais sindicais , a UNE e o MST, com pauta centrada em questões trabalhistas - contra o fator previdenciário, a terceirização, pela jornada de trabalho de 40 horas semanais -, até que poderia ser considerado exitoso...." (Merval Pereira)

A vez do povo desorganizado 
• As manifestações de protesto ocorridas nas últimas semanas em numerosas cidades brasileiras são, sem sombra de dúvida, um fenômeno novo na vida política do país, nos últimos 20 anos. 
• Causou surpresa a muita gente -- inclusive a mim -- que o aumento de R$ 0,20 nas tarifas de transporte urbano tenha provocado tamanha revolta e mobilizado tanta gente. 
 • É que essas manifestações traziam consigo outras motivações que não se revelaram no primeiro momento. Logo pôde-se ver que o aumento das tarifas foi apenas o detonador de um descontentamento maior que põe em questão o próprio sistema político que nos governa. 
• Ouvi e li opiniões segundo as quais trata-se de um fenômeno internacional, uma vez que, em vários países, protestos populares têm se repetido com frequência. Trata-se, creio eu, de uma opinião equivocada, já que as razões desses protestos são diferentes de país para país. O que há de comum neles é a influência das redes sociais, que possibilitam mobilizações em tal escala. 
• No caso do Brasil, por exemplo, está evidente que a revolta é contra os políticos em geral, sejam de que partidos forem, pertençam ao governo ou à oposição. Isso se tornou evidente em diversos momentos quando militantes deste ou daquele partido tentaram se manifestar: foram vaiados e até espancados. Foi o caso do PT que, oportunista como sempre, tentou tirar vantagem da situação e se deu mal. 
• Mas de onde vem esse horror aos políticos? A resposta é óbvia: eles se tornaram uma casta que se apropriou da máquina do Estado em seu próprio benefício. Essa máquina, que é mantida com o dinheiro de impostos escorchantes, eles usam para empregar seus parentes e companheiros de partido, para enriquecer a si e a seus familiares, manipulando licitações e contratos de obras públicas -- e usam isso, sobretudo, para se manter no poder. 
• Essa situação tornou-se particularmente insuportável depois que Lula assumiu o governo e pôs em prática uma política populista que veio agravar ainda mais aqueles fatores negativos da vida política brasileira. Quem nele acreditava viu, decepcionado, que ele ignorou os compromissos éticos assumidos e aliou-se a figuras como Maluf e o bispo Macedo -- sem falar na compra, com dinheiro público, de partidos corruptos. 
• Essa aliança, com o submundo político, de um líder que surgiu como uma esperança de renovação, só poderia conduzir as pessoas em geral -- e particularmente os que confiaram nele – à desesperança total quanto ao futuro da nação. 
• O mais grave é que, somando-se isso à política assistencialista que adotou, tornou-se eleitoralmente imbatível. Assim, sem outra saída, os inconformados foram para as ruas. Nessa rejeição ao poder constituído e aos políticos em geral, o povo descontente pode não saber ainda por onde vai, mas sabe por onde não vai. 
• Não por acaso, a maioria desses manifestantes é de classe média. Não foram os pobres dos subúrbios que vieram para as ruas protestar, pois recebem Bolsa Família e melhoraram de vida. 
• Quem está insatisfeita e revoltada é a parte da sociedade que só perdeu com o populismo lulista, uma vez que o dinheiro público, em lugar de ser investido em hospitais, escolas e serviços públicos, foi e é usado em programas assistencialistas e demagógicos. 
• Por outro lado, o lulismo cooptou as entidades representativas dos trabalhadores e dos estudantes (a CUT e a UNE), que, contrariamente a suas origens e à sua história, agora impedem manifestações contrárias ao governo. Desse modo, tanto os trabalhadores quanto os estudantes não têm quem os represente na luta por suas reivindicações. 
• Por isso, meses atrás, afirmei nesta coluna que a única solução possível seria o povo desorganizado ir para as ruas, já que não conta com as organizações que deveriam representá-lo. 
• É o que acontece agora: o povo desorganizado está nas ruas. Desmascarada, a CUT tentou juntar-se aos manifestantes, mas foi repelida por eles. 
• Sem alternativa, a presidente Dilma promoveu uma reunião com governadores e prefeitos para aparecer como porta-voz dos inconformados, e propôs medidas que não se sabe quando nem se serão mesmo postas em prática. (Ferreira Gullar, cronista, crítico de arte e poeta)


Protesto manipulável 
Manifestantes ganharam de R$ 50 até R$ 70 para ir a ato sindical na Paulista. Numa rua atrás do Masp, um grupo de 80 pessoas com camisetas da União Geral dos Trabalhadores espera em fila a vez de preencher um papel. Trata-se do recibo de que ganharão por terem participado, vestidos como militantes, do ato de ontem na avenida Paulista. A Folha presenciou a entrega do recibo, que se deu por volta das 15h, quando a manifestação acabou. Dar dinheiro foi humanitário, diz recrutador de manifestantes. O Brasil é um país fantástico: agora temos a bolsa manifestante. 

Com manifestantes pagos, Dia Nacional de Lutas foi o início da derrocada da ditadura sindicalista 
"...Na contramão - Os fracassados protestos encomendados pelo governo para o Dia Nacional de Lutas, que inicialmente deveriam levar às ruas a defesa do plebiscito sobre a reforma política, transformaram-se em um inesperado problema para as centrais sindicais. Com apenas 100 mil manifestantes em todo o País, o Dia Nacional de Lutas já é considerado como o primeiro passo para o fim da chamada ditadura sindicalista...."(Ucho.Info) 

• Caso Eike põe em xeque apoio do BNDES a megagrupos nacionais. O colapso do grupo EBX, do magnata brasileiro Eike Batista, põe em xeque as políticas de apoio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) em relação a grandes grupos nacionais. Itaú e Bradesco, os dois maiores bancos privados, renegociaram quase R$ 1,5 bilhão da dívida de curto prazo do grupo de Eike Batista. Os bancos aguardam que o empresário venda fatias de suas empresas para pagar os credores e querem evitar assumir perdas com o grupo, comprometendo lucro e capacidade de emprestar.

A bola de cristal do marqueteiro João Santana e suas erradas 
"...O governo Dilma, por meio da presidente e de seus 39 ministros, insiste em dar respostas erradas às manifestações de rua. E quem mais exerce influência sobre os erros da presidente é o marqueteiro João Santana, regiamente pago por nós. Agarrado à sua bola de cristal, o esperto baiano lhe garantiu (e ao co-presidente Lula) que, em breve, ela voltará a um patamar de aprovação muito parecido com o de março
• Não sei se é por isso, mas o clima que tomou conta do governo, em Brasília, é o de barata voa. Ninguém se entende com ninguém. Estão todos batendo de testa. Perdidinhos. A proposta de reforma política, por exemplo, por meio de plebiscito (de competência privativa do Congresso Nacional), para valer já nas eleições de 2014, na certeza de que, com essa iniciativa populista, estaria atendendo o pedido das ruas, teve destino idêntico ao da Constituinte exclusiva..." (Acílio Lara Resende, O Tempo, Tribuna de Imprensa) 

O bicho-papão ataca 
• Devorador de candidaturas no PSDB, onde domina as majoritárias nos últimos 20 anos, José Serra se lança diariamente no debate nacional; pelo Twitter, comenta todos os fatos, depois de entrevista ao Roda Viva, artigo de 11 páginas na amiga revista Veja e presença semanal no Estadão; ataque agora é sobre o Ato Médico, que enredou na mesma confusão os ministros Alexandre Padilha e Aloizio Mercadante; A despropositada MP sobre os médicos é inconstitucional, além de impraticável, crava o ex-governador, de olho nas eleições de 2014, para governador ou presidente. 

• A revista Forbes listou os milionários entre os bispos fundadores das maiores igrejas evangélicas do Brasil. Edir Macedo, fundador e líder da Igreja Universal do Reino de Deus, tem fortuna estimada em quase R$ 2 bilhões e lidera a lista. 

Mais Médicos 
• Governo vai aplicar Revalida para estudantes de medicina do Brasil. Prova feita por médicos estrangeiros que queiram trabalhar no Brasil, o Revalida será aplicado para estudantes brasileiros no segundo semestre. 
• O Ministério da Educação vai aplicar o Exame Nacional de Revalidação de Diplomas (Revalida), feito hoje por médicos formados no exterior que queiram exercer a profissão no Brasil, para estudantes do último ano de medicina de instituições de ensino do País. 
• Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), o objetivo é avaliar se a prova está adequada às diretrizes curriculares dos cursos. 
• Enquanto entidades médicas defendem a aplicação do Revalida para todos os médicos formados no exterior, os candidatos que fazem a prova reclamam do nível de exigência, que não estaria de acordo com o que é cobrado para um profissional recém-formado. 
• Na edição de 2012, dos 884 candidatos inscritos, apenas 77 foram aprovados. Segundo dados do Inep, o percentual de aprovação - de 8,71% - é inferior ao verificado na primeira edição do exame, em 2011, quando 9,6% dos candidatos conseguiram a revalidação. 
• Trabalho obrigatório no SUS é questionado por médicos e estudantes. A medida que obriga estudantes de medicina a atuar por dois anos no Sistema Único de Saúde (SUS), anunciada na segunda-feira como parte do Programa Mais Médicos, tem sido alvo de questionamentos por estudantes e instituições de educação. 
• A obrigatoriedade é vista com ressalvas. Os dois anos a mais antes do diploma e do registro profissional podem ser um desestímulo para os alunos. Quem trabalha no setor diz que é preciso definir bem as regras da exigência para que nem a rede pública e nem os profissionais sejam prejudicados. 

“...Parlamentares brasileiros ganham mais. Sobre o tema, aliás, há uma proposta no Reino Unido - já rechaçada por líderes - de reajuste aos políticos locais. "No Brasil, os parlamentares ganham, só a título de salário, R$ 347 mil anuais..." (Milton Blay) 

• Senado aprova projeto que anistia bombeiros e policiais militares que participaram de greves entre 1997 e 2011. 
• Petróleo impõe revés a comércio com EUA. Em seis meses, deficit comercial do Brasil com os EUA supera o de 2012; analistas falam em desafio de elevar vendas de manufaturas. 
• FMI reduz previsão de crescimento do Brasil e alerta para desaceleração. 
• Éder Jofre internado. O ex-pugilista Éder Jofre, 77, está internado na Santa Casa de Misericórdia, na Vila Mariana, zona sul de São Paulo. Ele passa por bateria de exames e há suspeita de que esteja com mal de Alzheimer, doença que deteriora o funcionamento cerebral. Ele está em observação e o estado não é grave. Familiares de Éder Jofre descartam Alzheimer e sugerem depressão como causa de internação. 

Um peixinho-dourado é provável atleta 


 • Investimento estrangeiro cai, mas Brasil passa a ser 4º em ranking da ONU. O Brasil subiu uma posição, de quinto para quarto lugar, no ranking de países que mais receberam investimentos estrangeiros diretos em 2012, revelou nesta quarta-feira um estudo da Unctad, a Conferência das Nações Unidas para o Comércio e Desenvolvimento. 

• Mercosul debate asilo a ex-agente da CIA, repúdio a espionagem dos EUA e resposta a tratamento dado a Evo Morales na Europa também estão em agenda de reunião em Montevidéu. Com isso, apesar de estarem previstas na pauta do evento, as negociações para um acordo de livre comércio entre o Mercosul e a União Europeia devem ser bastante ofuscadas. Dilma participa da cúpula, que ocorre na capital uruguaia e se reúne com os líderes do Uruguai, José Mujica, da Argentina, Cristina Kirchner, da Venezuela, Nicolás Maduro e os presidentes da Bolívia e do Equador, que negociam sua incorporação ao grupo como membros plenos, e da Guiana e do Suriname, como associados. 

• Edward Snowden pede para ficar na Rússia onde pediu asilo político e diz que não quer prejudicar os EUA. Ex-consultor da agência de inteligência americana está em um aeroporto de Moscou desde junho. A informação é de ativistas de direitos humanos que se reuniram nesta sexta-feira (12) com o americano, no aeroporto de Moscou. Nenhuma ação ou plano meu visa prejudicar os EUA... eu quero que os EUA tenham êxito, disse Snowden, segundo relato de Tanya Lokshina, ativista da ONG Human Rights Watch. A declaração é uma referência de Snowden à frase do presidente russo, Vladimir Putin, que disse há duas semanas que o americano poderia ficar no país, contanto que pare de divulgar informações que prejudiquem os EUA. Anistia Internacional diz que extradição de Snowden para os EUA é inaceitável. 

• Os protestos no Brasil deixaram os países vizinhos ainda mais preocupados com a economia brasileira, segundo analistas ouvidos pela BBC Brasil. Nos últimos dias, o Brasil tem sido tema de programas de televisão latino-americanos, como na TVN, do Chile, em que analistas disseram no fim de semana que, quando o Brasil fica resfriado, todo o continente pega uma gripe

• Em Israel, Ramadã leva 80 mil muçulmanos à Esplanada das Mesquitas. 
• Rússia compra máquinas de escrever para evitar espionagem. Relatórios para o presidente Putin estariam sendo feitos em máquinas de escrever. A agência responsável pela segurança das autoridades do Kremlin, a sede do governo russo, está comprando máquinas de escrever - uma ação que estaria associada a preocupações com vazamentos de informações sigilosas após os casos ligados ao WikiLeaks e às denúncias do ex-técnico da CIA Edward Snowden. 
• Islamitas egípcios iniciaram nesta sexta-feira nova jornada de protestos contra o golpe militar. Convocada pela Irmandade Muçulmana e outros grupos contra o golpe militar que derrubou o presidente Mohammed Mursi no último dia 3 de julho. 
• Princesa(?) acusada de escravidão nos EUA. Meshael Alayban, de 42 anos, forçava empregada do Quênia a trabalhar 16 horas por dia em situação de cativeiro como empregada doméstica, enquanto pagava como salário bem abaixo do combinado. Uma mulher descrita como princesa saudita foi presa nesta semana na Califórnia, acusada de tráfico humano pelas autoridades americanas. 

Para que levar a vida tão a sério se ela é uma incansável batalha da qual jamais sairemos vivos. (Bob Marley)

Nenhum comentário: