20 de jun de 2013

Fora os vândalos.....

 photo _aamobilizar_zps1abe8486.jpg
O país é do povo brasileiro! 
Esse negócio de representação em eleição já vimos que não dá em nada. 
• Chegando lá esquecem o que disseram e vivem a vida deles, se refastelam no poder. 
• Promessas se tornam contos da carochinha e nem adianta pedir, mandar e-mails e nem abaixo-assinado, que eles se lixam e passam com o trator da politicalha por cima de todos. 
• Quantas vezes mais vocês vão ver e ouvir que nada fazem, embromam as necessidades básicas de uma nação com maquinações com partidos base, arre! na pretensão de virar estrelas na constelação espúria e nauseabunda da desonesta covardia.
• Hoje, além de todos desejarem ser jogadores, também querem ser políticos: é uma jogada e tanto! Basta estar na mídia e pronto, se acham aptos a estar nos céus. 
• Chega das baboseiras, pois o povo há anos vivem em barracos nos morros, em bairros sem estrutura, carência de transporte, assistência hospitalar e segurança, se já não bastassem as drogas. 
Os governos se sucedem e, como drogas, nos anestesiam. 
• Nem a chamada Oposição se mexe, está inerte, assistindo e poucos balbuciam a tomada do poder, numa ditadura civil. Inacreditável o marasmo, a incúria e a divisão da plebes, pobres-bolsistas e o Alto Clero
Os jovens deixaram legados em anos idos, e de novo, nos mostram que o estopim dos R$ 0,20 foi o pavio para mudar essa coisa, essa babel em que se transformou o país, dada a desatenção às prioridades, à evolução da pátria, e o descaso de parte da população que só contempla estática o vai e vem da malta: só prestam para apertar botões ou, agora, apôr o polegar. 
• Este escrito não é revanchismo, mas revolta ante a indolência, a submissão aos tacões das leis, das Medidas Provisórias, tributos apoteóticos, arreglos legislativos de norte a sul, cura-gay, o modus-vivendi dessa trupe na gastança, a passividade indômita de uma terra cujo lema esquecido é Ordem e Progresso, esqueceram?
Votam a esmo, não escrutinam e conduzem anos a fio os mesmos candidatos e impedem a renovação para novas ideais. 
• Vejam lá nessas casas legislativas gente com mais de 30 anos encastelados, múmias que só fazem números e muitos sequer apresentaram um projeto. O mesmo se dá nos estados e municípios. Há deputados e vereadores que nem aparecem. E o povo trabalhando a semana toda e ainda faz bicos por que o dinheiro não dá no sustento da família. É covardia contra irmãos! 
• Há os que se vendem e idolatram candidatos-partidos, mas há um tempo pra tudo. 
Olhem o Norte e o Nordeste. Abram seus livros escolares, perguntem a seus pais ou na internet e vejam a quantos anos os povos daquelas áreas estão ao abandono ou em mãos dos coronéis. 
• Você se perguntou o por que deles virarem aves de arribação para estados do Sul? Sobrevivência gente! 
• É preciso uma mudança radical, acabar com o sistema donatário imperial e juntar todos numa só área, Brasil! (AA)

• O presidente verdadeiro e conselheiro Lula quer Henrique Meirelles de volta.  
• Quem prestou atenção aos primeiros comentários públicos de Dilma Rousseff sobre os movimentos de protestos que acontecem no país, na cerimônia de lançamento do marco regulatório da mineração, quando disse que o Brasil acordou mais forte e que as manifestações nas ruas são alerta a todos os governantes, ficou com a impressão de que a Chefe do Governo vive em outro mundo e que nada pode atingi-la. Pior: imagina que nenhum dos protestos seja contra ela. Atrás da cena, a presidente está mais do que irritada: essa postura foi arquitetada por João Santana. (GibaUm) 

• Copa da Ladroagem. Veja


Cláudio Humberto
• Quebra de sigilo revela fortuna dos políticos - Sigilo fiscal quebrado pelo grupo de hackers Anonymous revela detalhes como CPF, endereço e dados fiscais de mais de 600 políticos como a presidenta Dilma, o ex-presidente Lula, ministros, senadores e governadores. Os documentos confirmam que o senador Blairo Maggi (PR-MT), um os maiores plantadores de soja do mundo, é mesmo o mais rico dos políticos, com fortuna declarada de R$ 143,2 milhões. A declaração de bens mostra que Lula não é proprietário de apenas um, mas de três apartamentos em São Bernardo do Campo (SP). Entre os dados divulgados pelos hackers Anonymous estão sete telefones do ex-presidente Lula e dois celulares: final 4845 e 1758. 
• Dilma cria parlamentarismo com Lula - Após as vaias no estádio, a presidenta Dilma prova de novo que não tem assessoria ou independência: a reunião com Lula em São Paulo para aconselhar-se na grave crise que enfrenta, subverte o regime de governo, uma democracia representada por ministros e líderes da Câmara e do Senado. Com eles deveria reunir-se em regime de urgência, não interpor o primeiro-ministro a quem recorre nas crises. 
• Cerca de 600 manifestantes acamparam agora há pouco em frente ao prédio do ex-presidente Lula em São Bernardo (SP). A polícia teria lançado gás lacrimogêneo para dispersar a multidão, que gritava palavras de ordem, conclamando o ex-presidente a aparecer na janela. O protesto ocorre poucas depois de o prefeito Fernando Haddad (PT-SP) ter anunciado a redução do preço das passagens, após vários dias de protestos do Movimento Passe Livre pelo país. Haddad teria sido convencido por Lula a ceder às exigências dos manifestantes.


• Agora o Movimento do Passe Livre quer se livrar do Estado de Direito - Ontem, em entrevista acelerada, a líder do Movimento do Passe Livre, Mayara Vivian, afirmou que agora a luta é pelo fim do latifúndio urbano e rural, bem como pela reforma agrária e que nenhum manifestante sofra processo criminal. Ou seja: a luta do MPL passa a ser contra o Estado de Direito, atingindo não mais só o direito de ir e vir, mas também o direito de propriedade. Que o país fique de olho. Em vez de invadir as ruas, vão começar a invadir casas e apartamentos. Nada que o campo brasileiro, que sustenta o país, não conheça pelas mãos do MST e do CIMI.

AHHHHHHH!!! photo ahhhh.gif • PT desafia manifestantes sem partido e vai botar militância paga na rua - O presidente nacional do PT, Rui Falcão, diz que está conclamando a militância do partido a participar hoje de manifestação na av. Paulista liderada pelo Movimento Passe Livre. Nós não temos medo do povo na rua, diz ele. Nós estamos aconselhando o nosso pessoal a se juntar a essa manifestação. Nas passeatas anteriores, participantes gritavam sem partido, sem partido e pediam que militantes baixassem as bandeiras de suas legendas. 


Os meus filhos são socialistas
• Não sei se são só os meus filhos que são socialistas ou se são todas as crianças que sofrem desse mesmo mal. Mas tenho certeza do que falo em relação aos meus. E nada disto significa deformação educacional, uma vez que têm sido insistentemente educados no sentido inverso. Mas a natureza das criaturas resiste à benéfica influência dos pais da mesma forma que a pequena aldeia da Armórica, na Gália, de Obelix e Astérix, resistiu à cultura dos conquistadores romanos. Os garotos são estoicos e defendem com incrível denodo a bandeira marxista sem fazerem a menor ideia de quem foi o seu criador. 

• Ora, o primeiro sintoma desta deformidade ideológica chamada socialismo tem a ver com os seus alegados direitos. Os meus filhos só têm direitos. Direitos materiais, emocionais, futuros, ambíguos e todos eles adquiridos a partir do momento que vieram ao mundo. Todos eles absolutamente adquiridos automaticamente por simplesmente terem sido gerados. Eles têm, como direitos adquiridos, o divertimento, as férias, o transporte pelo carro do pai ou da mãe para irem à escola, a escola em si, os tênis novos, o computador, a roupinha lavada, a TV e até eu. Deveres? Não. Isso absolutamente elas não têm. Quanto muito lavam um prato por dia ou puxam o edredom da cama para cima, e pouco mais, que fazem apenas quando têm o interesse de obter alguma vantagem imediata. Vivem literalmente de mão estendida sem qualquer vergonha ou decoro. Na cabecinha socialista deles não existe o conceito de bem comum, mas apenas o do bem comum deles. Muito, muito particularmente deles. Dizer para eles que os direitos devem corresponder e serem substanciados por deveres e obrigações correspondentes é falar em grego com eles, da mesma forma que ocorre com os adultos socialistas. 

• O segundo sintoma tem a ver com o aparecimento desses direitos. Como surgem esses direitos? Não sabem, nem elas nem os políticos socialistas. Sabem apenas que basta abrirem a torneira para que a água venha quente, que dentro da geladeira tem invariavelmente leite fresquinho, que os livros da escola aparecem encadernados e enfeitados todos os anos, que os carros dos pais têm sempre gasolina e que o dinheiro nasce na parede onde estão instalados os terminais automáticos dos bancos. A única diferença entre eles e os socialistas adultos, com cartão de militante e tudo mais, é que, justiça seja feita, estes últimos já não acreditam mais na parede - sabem que o dinheiro vem dos otários pagadores de impostos e que o estado nunca vai a falência, antes metendo a mão no bolso de quem trabalha e produz e tirando de lá o que precisa e, muitas vezes, até o que não precisa. 

• Outro sintoma alarmante é a visão de futuro. O futuro para os meus filhos é qualquer coisa que vai ocorrer logo à noitinha, o mais tardar amanhã de manhã. Eles não vão mais longe do que isto. Na sua cabecinha não há planejamento, só gastança, só o imediato. Se há o que comer, come-se, o que gastar, gasta-se... Esgota-se tudo, e depois as coisas se resolverão. Típico deles e dos governantes socialistas, pois não? Poupar não é com eles. Um saco de guloseimas ou uma caixa de chocolates deixada no meio da sala da minha casa tem o mesmo destino que um crédito de milhões a ser repassado pelo governo centralizador socialista para o município: evapora-se quase todo a meio caminho. E não foi ninguém... Ninguém sabe, ninguém viu, e tudo é intriga da oposição... 

• O quarto tique socialista das minhas crianças é estarem convictas de que nada depende delas. Como são só crianças, acham que nada do que fazem tem qualquer importância ou consequências. Ora, esta visão do mundo e da vida faz com que os meus filhos achem que podem fazer todo o tipo de asneiras que alguém irá depois apanhar os cacos e dar um jeito em tudo. Exatamente como pensam os políticos marxistas. Nas pouquíssimas vezes que ficam de castigo, é certo, reagem exatamente como os políticos de esquerda quando perdem as eleições, ao invés de aprenderem a lição põem a culpa no imperialismo americano, ou seja, eu. Mas sou eu, de fato, que tenho que arrumar tudo. Os meus filhos nasceram desresponsabilizados. A responsabilidade é sempre de outro qualquer, menos deles: é o outro que paga, o outro que assina, o outro que limpa e esse outro - geralmente eu - está sempre à direita deles. No caso dos socialistas militantes e no poder o outro é sempre o governo que passou ou o seguinte e a culpa é sempre do capitalismo, ou seja, de quem realmente gera o trabalho e a riqueza e põe comida na mesa deles. 

• Por fim, o último, mas não menos aterrorizador sintoma muito socialista dos meus filhos, é a inveja: eles não podem ver nada que já querem. A sua noção de propriedade privada se restringe ao que cada um tem, mas o que é dos outros deve ser público e do que podem se apropriar. Acham que têm de ter tudo o que os colegas têm, quer mereçam ou não. São autênticos nouveaux-riches e não se discute. Acham que todos têm de ter o mesmo e, se não dá para repartir, que ninguém tenha. Ou comem todos, ou não come nenhum. Senão esbravejam que irão à luta. Eu não posso dar mais dinheiro a um do que dou a outro, ou tenho o mesmo destino que o czar Nicolau II. Mesmo que um ajude mais que outro, se dedique mais aos estudos e tenha melhores notas no boletim escolar, a cultura igualitária socialista em minha casa não permite essa diferenciação por méritos. Os meus filhos chamam a esta inveja disfarçada de justiça; já os socialistas deram-lhe o nome de justiça social

• A minha sorte é que os meus filhos crescem. Já os socialistas permanecem crianças a vida inteira.
(Inês Teotónio Pereira)
(Em português de Portugal, traduzido por Francisco Vianna)

"A grandeza de uma nação pode ser julgada pelo modo que seus animais são tratados". (Mahatma Gandhi)

Nenhum comentário: