19 de mai de 2013

Se público, deve ser transparente...

100 dias de silêncio!... 
• 100 dias que Lula afronta o Brasil decente com o silêncio sobre o caso de polícia em que se meteu ao lado de Rose
 photo _aalularose100_zpsd9e90767.jpg
• Há 100 dias que os brasileiros decentes foram afrontados pela descoberta do escândalo em que Lula se meteu ao lado de Rosemary Noronha. Há 100 dias que o país que presta é afrontado pela mudez malandra do caçador de votos que promoveu uma gatuna de quinta categoria a chefe do escritório da Presidência da República em São Paulo. Há 100 dias que o ex-presidente foge de perguntas sobre o caso de polícia que protagonizou em companhia da Primeiríssima Amiga e dos bebês quadrilheiros de Rosemary. 
• Surpreendido pela divulgação das maracutaias comprovadas por policiais federais engajados na Operação Porto Seguro, Lula fez o que sempre faz quando precisa costurar algum álibi menos cretino : perdeu a voz e sumiu. Passou a primeira semana enfurnado no Instituto Lula. Passou as duas seguintes longe do Brasil, driblando repórteres com escapadas pela porta dos fundos ou pela cozinha do restaurante. 
• Recuperou a voz no começo do ano, mas ainda garimpa no porão das desculpas esfarrapadas alguma que o anime a enfrentar jornalistas armados apenas de perguntas sem resposta. Para impedir que a aproximação do perigo, tem recorrido a cordões de isolamento, cercadinhos, muralhas humanas e outras mesquinharias improvisadas para livrá-lo de gente interessada no enredo da pornochanchada financiada por cofres públicos que apresentou ao Brasil, entre outros espantos, os talentos ocultos de Rosemary Noronha. 
• O silêncio que vai completando 2.500 horas, insista-se, só vale para o caso Rose. Entre 23 de novembro de 2012 e 3 de março de 2013, excluídos os poucos dias em que teve de desativar o serviço de som, o palanque ambulante continuou desempenhando simultaneamente os papeis de co-presidente da República, presidente honorário da base alugada, chefe supremo da seita, protetor dos pecadores companheiros, arquiteto do Brasil Maravilha e consultor-geral do mundo. 
• Abençoou catadores de lixo e metalúrgicos, leu mais de 300 livros, fingiu entender o que Sofia Loren disse em italiano, avisou que os EUA nunca mais elegerão um negro se Barack Obama fizer besteira, louvou bandidos de estimação, insultou a oposição, deliberou sobre a tragédia ocorrida no jogo do Corithians em Oruro, explicou aos governantes europeus como se transforma tsunami em marolinha, recomendou a FHC que pare de dizer o que pensa e descobriu que Abraham Lincoln reencarnou no Brasil com o nome de Luiz Inácio Lula da Silva. Fora o resto. 
• Só não falou sobre o que importa, agarrado à esperança de sobreviver sem fraturas expostas ao primeiro escândalo que não pode terceirizar. Não houve intermediários entre Lula e Rose. Não há bodes expiatórios que a apresentar. É natural que fuja como o diabo da cruz de pelo menos 40 perguntas formuladas pelo timaço de comentaristas: 
1. Por que se recusa a prestar esclarecimentos sobre um escândalo investigado pela Polícia Federal que o envolve diretamente? 
2. Considera inconsistentes as provas reunidas pela Operação Porto Seguro? 
3. Por que disse em Berlim que não se surpreendeu com a Operação Porto Seguro? 
4. Desta vez sabia de tudo ou, de novo, nunca soube de nada? 
5. Onde e quando conheceu Rosemary Noronha? 
6. Como qualifica a relação que mantém com Rose há 17 anos? 
7. Em quais critérios se baseou para instalar uma mulher sem experiência administrativa na chefia do gabinete presidencial em São Paulo? 
8. Por que pediu a Dilma Rousseff que mantivesse Rose no cargo? 
9. Por que criou os escritórios da Presidência da República? 
10. Continua achando necessária a existência de escritórios e chefes de gabinete? 
11. Além de demitir Rose, Dilma Rousseff extinguiu o cargo que ocupava. A presidente errou? 
12. Por que Rose foi incluída na comitiva presidencial em pelo menos 20 viagens internacionais?
13. Por que foi contemplada com um passaporte diplomático? 
14. Quem autorizou a concessão do passaporte? 
15. Por que o nome de Rosemary Noronha nunca apareceu nas listas oficiais de passageiros do avião presidencial divulgadas pelo Diário Oficial da União? 
16. Quem se responsabilizou pelo embarque de uma passageira clandestina? 
17. Por que Marisa Letícia e Rose não eram incluídas numa mesma comitiva? 
18. Quais eram as tarefas confiadas a Rose durante as viagens? 
19. Todo avião utilizado por autoridades em missão oficial é considerado Unidade Militar. Os militares que tripulavam a aeronave sabiam que havia uma clandestina a bordo? 
20. Como foram pagas e justificadas as despesas de uma passageira que oficialmente não existia?  
21. Por que nomeou os irmãos Paulo e Rubens Vieira, a pedido de Rose, para cargos de direção em agências reguladoras? 
22. Examinou o currículo dos nomeados? 
23. Por que o aliado José Sarney, presidente do Senado, convocou irregularmente uma terceira sessão que aprovou a nomeação de Paulo Vieira, rejeitada em votação anterior? 
24. Acha que são culpados? 
25. Por que comunicou à imprensa, por meio de um diretor do Instituto Lula, que não comentaria o episódio por considerá-lo assunto pessoal
26. Por que Rose se apresentava como namorada do presidente
27. Se teve o nome usado indevidamente, por que não processou Rosemary Noronha? 
28. Conversou com Rose nos últimos 100 dias? 
29. Por que Rose tinha direito ao uso de cartão corporativo? 
30. Por que foram mantidos em sigilo os pagamentos feitos por Rose com o cartão corporativo?
31. Autorizou a inclusão, na decoração do escritório da Presidência em São Paulo, da foto em tamanho família em que aparece simulando a cobrança de um pênalti? 
32. O blog do deputado federal Anthony Garotinho afirmou que Rose embarcou para Portugal com 25 milhões de euros. Se a denúncia é improcedente, por que não processa quem a divulgou? 
33. Como se comunicava com Rose? Por telefone? Trocavam emails? 
34. Era previamente informado por Rose das reuniões que promoveria no escritório da presidência?  
35. Depois das reuniões, era informado por Rose do que fora discutido e decidido? 
36. Por que, mais uma vez, alegou ter sido traído? Quem o traiu? 
37. Se pudesse recuar no tempo, faria tudo de novo? 
38. Não se arrepende de nada? 
39. Não se envergonha de nada? 
40. Que história contou em casa? 

• Há dias, Lula acusou a imprensa de negar-lhe o espaço que merece. Está convidado a preencher o espaço que quiser com respostas a essas perguntas. Todas serão publicadas na íntegra. 
• Coragem, Lula. 
Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados Fonte: Aqui

3.365 dias de puxa-saquismo: apenasmente Cajazeiras!... 
• Hoje é o dia dos dias!
• Além dos 100 dias de silêncio do texto acima, ai vão mais os 3.650 dias de puxa-saquismo, relativos aos 10 anos em que a nata da elite brasileira, dos intelectuais, dos artistas, dos movimentos sindicais, dos empresários e da quase grande maioria dos brasileiros, se lançou neste humilhante papel de vassalos do novo e piorado Odorico Paraguassu!... 
• Hajam Cajazeiras neste País!.... (MDB) 

Apenasmente Cajazeiras
• As irmãs Cajazeiras entraram para a história da telenovela brasileira em 1973, com O Bem-Amado, uma das criações geniais de Dias Gomes. As Cajazeiras eram três solteironas mal-amadas e reprimidas que andavam emboladas, como um ente mitológico de seis pernas e três cabeças, esgueirando-se pelas calçadas estreitas da fictícia Sucupira. As três, Dorotéia (Ida Gomes), Dulcinéia (Dorinha Durval) e Judicéia (Dirce Migliaccio), perambulavam aos fuxicos íntimos, praguejando contra os outros personagens e declarando seu amor ardente, louco e platônico (que depois enveredaria pelas vias de fato) ao coroné que mandava na prefeitura, o impagável Odorico Paraguaçu (Paulo Gracindo). Elas bem que remoíam seus ressentimentos contra os desmandos de Odorico - desmandos amorosos, inclusive - mas, fiéis como cachorras, não o criticavam publicamente. Jamais. 
• Agora, o espírito desgarrado das irmãs Cajazeiras parece querer sair da história da telenovela e ingressar na história do Brasil real. Os adoradores e as adoradoras que circundam a aura de Luiz Inácio Lula da Silva, como guardadores de uma imagem estacionada no meio-fio da política, carregam em silêncio eventuais dores e dissabores.
• Nunca ousam expressar em público uma letra, uma vírgula de discordância, mesmo que num discreto e mudo repuxar de sobrancelhas. A lealdade irracional e fervorosa desses (e dessas) tomadores (e tomadoras) de conta não cede. Todos e todas, possuídos e possuídas por sua devoção incondicional, numa idolatria que arrebata ateus e crédulos indistintamente, não deixam que se veja em seu ídolo um único lapso de um único desvio. O cenário é francamente grotesco. Blindaram Lula a tal ponto que o ex-presidente começa a lembrar, inadvertidamente, a figura caricata do bem-amado de Dias Gomes. Como um Odorico involuntário,cercado de elegias e apologias tão fa-natizantes quanto patéticas, vê-se prisioneiro do culto de si mesmo. Tão refém que não tem o que dizer. Ou: não tem como dizer o que deveria dizer. 
• De tudo o que vem explodindo em matéria de escândalos que arranham ou evisceram a reputação do PT e do governo federal, de mensalão a Rosemary, o que mais chama a atenção é exatamente isso: ninguém, ou quase ninguém, virtualmente ninguém no campo do lulismo esboça uma crítica aberta e de boa-fé. No máximo, quando muito, um ou outro considera que seria positivo se o supremo guia se pronunciasse, quem sabe?, mas ninguém parte para o debate franco, destemido, verdadeiro, em público. É como se, aos olhos da nova religião dos idólatras, a opinião pública fosse território inimigo. É como se, fora das hostes do partido, ninguém mais tivesse direito à verdade. 
• O cajazeirismo vai se impondo como a doença senil do lulismo. Figuras públicas até outro dia respeitáveis por seu espírito livre e por sua inteligência ferina vão se rendendo ao silêncio que faz corar os mais ferrenhos adversários. Seria cômico se não fosse melancólico.
• O Odorico da ficção errava na ética e na gramática (era dado a expressões como talqualmente e emborasmente, além de apenasmente, evidentemente), mas tudo na maior empáfia, com empolação e galanteios. Demagogo e autoritário, fazia da pose o critério da verdade e da moral. Quando precisava acobertar suas trapalhadas, tinha até um assessor de nome Dirceu, o Dirceuzinho Borboleta, borboleteante demais para se prestar a qualquer semelhança com personagens dos tempos presentes.Odorico, em dupla com Dirceu Borboleta, encarnava a esculhambação em feitio de realismo fantástico. Bendita esculhambação. 
• Desclassificado e vaidoso, demagogo e ignaro, fez muito bem aos telespectadores dos anos 1970.
• Agora, a cena é distinta. Hoje, a assombração de Odorico retorna para zombar não mais de um tirano, mas de um formidável expoente do período democrático, sequestrado pelo culto à personalidade. O Lula real é muito, mas muito superior à adulação alienante que o sufoca. De líder metalúrgico a presidente da República, deixou uma obra que, em grande parte, orgulha todos os brasileiros. Teria tudo para enfrentar com grandeza as denúncias que dele se aproximam, sobretudo as mais recentes. Em vez disso, prefere se refugiar no mito de si próprio, um mito que, convenhamos, além de precocemente instalado, é oco. 
• Lula, abduzido pelo cajazeirismo, dá sinais de fraqueza. Quanto às irmãs Cajazeiras, que fizeram o Brasil se dobrar de rir,talvez ainda façam o PT chorar. (Eugênio Bucci, jornalista e professor da ESPM e da ECA-USP) 

Lula e a falta de ética 
• Sob o comando de Lula, o PT antecipou o início da campanha presidencial, cuja eleição se realiza daqui a 17 meses, de modo que tudo o que as lideranças do partido e do governo fazem e dizem deve ser considerado de uma perspectiva predominantemente eleitoral. 
• E desse ponto de vista ganham importância as mais recentes declarações do chefe do PT que, do alto de seu irreprimível sentimento de onipotência, anda sendo acometido por surpreendentes surtos de franqueza. 
• No lançamento de um livro hagiográfico dos 10 anos de governo petista, Lula garantiu que não existe político irretocável do ponto de vista do comportamento moral e ético. Não existe, reiterou. Vale como confissão. 
• Lula está errado. O que ele afirma serve mesmo é para comprovar os seus próprios defeitos.
• Seus oito anos na chefia do governo foram de uma dedicação exemplar à tarefa de mediocrizar o exercício da política, transformando-a, como nunca antes na história deste país, em nome de um equivocado conceito de governabilidade, num balcão de negócios cuja expressão máxima foi o episódio do mensalão. 
• É claro que Lula e o PT não inventaram o toma lá dá cá, a corrupção ativa e passiva, o peculato, a formação de quadrilha na vida pública. Apenas banalizaram a prática desses malfeitos, sob o pretexto de criar condições para o desenvolvimento de um programa popular de combate às injustiças e à desigualdade social.
• Durante oito anos, Lula não conseguiu enxergar criminosos em seu governo. Via, no máximo, aloprados, cujas cabeças nunca deixou de afagar. O nível de sua tolerância com os malfeitos refletiu-se no trabalho que Dilma Rousseff teve, no primeiro ano de seu mandato, para fazer uma faxina nos altos escalões do governo. 
• O que Lula pretende com suas destrambelhadas declarações sobre moral e ética na política é rebaixar a seu nível as relativamente pouco numerosas, mas sem dúvida alguma existentes, figuras combativas de políticos brasileiros que se esforçam - nos partidos, nos três níveis de governo, no Parlamento - para manter padrões de retidão e honestidade na política e na administração pública. 
• O verdadeiro espírito público não admite mistificação, manipulação, malversação. Ser tolerante com práticas imorais e antiéticas na vida pública pode até estigmatizar como réprobos aqueles que se recusam a se tornar autores ou cúmplices de atos que a consciência cívica da sociedade - e as leis - condenam. 
• Mas não há índice de popularidade, por mais alto que seja, capaz de absolver indefinidamente os espertalhões bons de bico que exploram a miséria humana em benefício próprio. 
• Aquela tolerância, afinal, caracteriza uma ofensa inominável não só aos políticos de genuíno espírito público que o País ainda pode se orgulhar de possuir, como à imensa maioria dos brasileiros que na sua vida diária mantêm inatacável padrão de honradez e dignidade. 
• Não é à toa que as manifestações públicas de Luiz Inácio Lula da Silva, além das manifestações de crescente megalomania, reservam sempre um bom espaço para o ataque aos inimigos.
• A imagem de Lula, o benfeitor da Pátria, necessita sobressair-se no permanente confronto com antagonistas. Na política externa, são os Estados Unidos. Aqui dentro, multiplicam-se, sempre sob a qualificação depreciativa de direita Mas o alvo predileto é a mídia monopolista e golpista que se recusa a endossar tudo o que emana do lulopetismo. 
• Uma das últimas pérolas do repertório lulista é antológica: Acho que determinados setores da comunicação estão exilados dentro do Brasil. Eles não estão compreendendo o que está acontecendo
• Essa obsessão no ataque à imprensa, que frequentemente se materializa na tentativa de impor o controle social da mídia no melhor estilo bolivariano - intenção a qual a presidente Dilma, faça-se justiça, tem se mantido firmemente refratária -, só não explica como, tendo a conspirar contra si todo o aparato de comunicação do País, o lulopetismo logrou vencer três eleições presidenciais consecutivas. 
• O fato é que Lula e seus seguidores não se contentam com menos do que a unanimidade. (O Estado de S.Paulo) 

PT, essa é muito forte.... Agora, para todos! 
• Para ciência de todos, aparentemente o homem não é mais intocável, acrescento ainda o CPF do ex-presidente para consulta de demais processos no site do TRF, é: CPF: 070.680.938-68 
• Saiu na imprensa portuguesa porque, como todos sabem, a imprensa brasileira é muito bem paga pelo PT para protegê-lo.
• Então, temos que fazer nós, internautas, o papel que a imprensa não faz. 
• O Ministério Público Federal pediu o bloqueio dos bens do Lula no valor de R$9.526.070,64 por Improbidade Administrativa. 
• Já sei, você não acredita não é mesmo? 
• Então confira o processo na Justiça Federal: Clique
• Depois de abrir o link acima, clique em Partes e verá o nome do Lula. Se quiser poderá acompanhar o desfecho. Processo: 0007807-08.2011.4.01.3400 Classe: 65 - Ação Civil Pública Vara: 13ª Vara Federal Juiz: Paulo Cesar Lopes Data de Autuação: 31/01/2011 Assunto da Petição: 1030801 – Dano ao Erário – Improbidade Administrativa – Atos Administrativos - Administrativo 
• Observação: Assegurar o ressarcimento dos bloqueio dos bens do Lula! 
• A notícia que todo Brasil esperava foi publicada em 23/10/12 no jornal Correio da Manhã em Portugal, quem quiser confirmar é só clicar no endereço ao lado, no site português: Leia
Os PTralhas estão doidos com a notícia se espalhando

Nenhum comentário: