11 de mai de 2013

No embaralhar de cartas...

 photo _aamae_zps230ead08.jpg
Médicos cubanos 
• Não vamos permitir que o Brasil importe médicos cubanos para trabalharem feito escravos, como ocorre na Venezuela. 
• O mundo inteiro sabe que Cuba exporta escravos para trabalhar em outros países. O esquema é simples. O profissional recebe um salário de fome no país onde trabalha, enquanto o governo paga a diferença diretamente aos Castro. É o que acontece na Venezuela. É o que vai acontecer no Brasil, se importarmos médicos cubanos. Cuba não faz caridade. Cuba é o mais capitalista dos países na hora de usar seres humanos como escravos para suprir os seus problemas de caixa. 
• O governo cubano cobra U$ 11,4 mil por mês por médico cedido ao ex-governo chavista. No entanto, estes médicos recebiam apenas U$ 230 mensais na Venezuela, mais uma ajuda de U$ 46 dólares para a família, paga diretamente em Cuba. São 45 mil médicos que geram uma receita anual para a ditadura dos Castro de cerca de U$ 4,5 bilhões por ano. Se fosse no Brasil, ao dólar de hoje, cada médico cubano custaria R$ 23 mil mensais, mas ficaria com o equivalente a um salário mínimo por mês. 
• Pois os governos do Brasil e de Cuba, com o apoio da Organização Pan- Americana da Saúde, estão acertando a vinda de 6.000 médicos cubanos para trabalharem nas regiões brasileiras mais carentes. Os detalhes estão em negociação. Os ministros das Relações Exteriores, Antonio Patriota, e o cubano Bruno Eduardo Rodríguez Parrilla, anunciaram a parceria. O diabo está nos detalhes. É inadmissível que estes médicos, se autorizados, não recebam aqui o mesmo valor pago aos médicos brasileiros. E diretamente a eles. 
• Se não for assim, o Brasil estará importando e utilizando mão de obra escrava, o que é um crime que, com toda a certeza, o nosso diligente Ministério Público Federal jamais permitirá. Nem a turma do Sakamoto vai deixar, não é mesmo? Se existe tanta fiscalização sobre as condições análogas à escravidão supostamente existentes em algumas fazendas e fábricas, não é possível que a Secretaria de Direitos Humanos da Maria do Rosário e o Ministério da Justiça do José Eduardo Cardozo permitirão que os médicos cubanos sejam explorados oficialmente pelo governo brasileiro. 
• Não, não venham com esta conversa de que estes médicos serão pagos lá. Não serão! Eles devem embolsar este dinheiro aqui, na pessoa física, em conta corrente aberta em banco brasileiro. Não aceitem os truques da ditadura cubana. Vamos fiscalizar, porque na Venezuela está ocorrendo um fenômeno. Mais de 1.500 desses médicos emigraram para os EUA ou países vizinhos. Conseguiram furar o controle do serviço secreto castrista, que os acompanham de perto naquele país. Quando algum médico foge, o governo finge que foram trasladados, explica um dos membros da Sociedade Venezuelana de Medicina Bolivariana, que pediu para não ser identificado. 
• As fugas não são para menos. Os cubanos sempre moram em grupos de quatro, em cubículos de 30 metros quadrados, único espaço de que dispõem para dormir, cozinhar, tomar banho e se entreter. Um dos quatro costuma ser um informante ou agente do sistema repressivo castrista. Todos os médicos devem voltar para casa antes das 18 horas. Para dar uma voltinha, devem pedir licença com semanas de antecipação, mediante documento no qual justificam o destino e a duração de sua movimentação. Todos estão proibidos de entrar em contato com oposicionistas ou jornalistas, e dependem da Sociedade Venezuelana de Medicina Bolivariana. 
• Não vamos discutir mais se os médicos cubanos possuem conhecimentos técnicos similares aos dos médicos brasileiros. Vamos aceitar que sim. Então que venham para cá para receber salários iguais aos médicos brasileiros, trabalhando a mesma carga horária. Em Porto Velho (RO), a prefeitura precisa de médicos e paga R$ 12 mil mensais. A prefeitura de Sabará (MG) paga quase R$ 10 mil mensais. A prefeitura de Araguatins (TO) paga R$ 10 mil mensais para clínico geral. Que venham os cubanos. E que o dinheiro que pagaremos fique aqui, aquecendo o nosso mercado, em vez de sustentar a ditadura escravagista de Cuba. (Coturnonoturno) 

• Basta ser indicado por uma organização qualquer de tendência comunista (MST, Campesina, PT, etc.). Por aí, já dá para perceber o tipo de médico que virá para o Brasil caso mais essa irresponsabilidade petista logre sucesso. O quadro abaixo esclarece melhor o que teremos em termos de atendimento médico. Pimenta no cuba dos outros é esponja super-macia embebida em água morna perfumada. (AC) 

 photo _aacancercuba_zps332ed597.jpg 

Contratação de médicos estrangeiros é tema de discussões de três ministérios e da Casa Civil 
• As negociações para o envio dos médicos cubanos para o Brasil foi articulada por Dilma, em janeiro de 2012, quando ela visitou Havana. Dilma se reuniu com integrantes da Frente Nacional de Prefeitos, que pediu a contratação de médicos de Portugal 
• A contratação de médicos estrangeiros faz parte das discussões de integrantes dos ministérios da Saúde, da Educação e das Relações Exteriores, além da Casa Civil. A discussão não se limita à vinda de profissionais cubanos e se estende à busca de parcerias com Portugal, por exemplo. O ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, mencionou a articulação de um acordo para a contratação de 6 mil médicos cubanos. 
• No começo do ano, a presidente Dilma Rousseff se reuniu com integrantes da Frente Nacional de Prefeitos, de quem recebeu um abaixo-assinado que pedia a contratação de médicos de Portugal para atender nas prefeituras. No final de abril, a ministra-chefe de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, mencionou a intenção do governo de buscar médicos estrangeiros para os locais carentes do país. 
• A articulação para a contratação de médicos cubanos é conduzida pelos governos do Brasil e de Cuba, com o apoio da Opas (Organização Pan-Americana da Saúde). Os detalhes, segundo Patriota, e o chanceler cubano Bruno Eduardo Rodríguez Parrilla, ainda estão em fase de negociações. O assunto foi tema de reunião ontem em Brasília. 
• Patriota e Rodríguez não informaram como será a concessão de visto - se será definitivo ou provisório. Segundo o chanceler brasileiro, há um déficit de profissionais brasileiros na área de saúde atuando nas áreas carentes do país, daí a articulação com Cuba. 
Estamos nos organizando para receber um número maior de médicos aqui, em vista do déficit de profissionais de medicina no Brasil. Trata-se de uma cooperação que tem grande potencial e a qual também atribuímos um valor estratégico, disse ele. 
• As negociações para o envio dos médicos cubanos para o Brasil foi articulada por Dilma, em janeiro de 2012, quando ela visitou Havana, a capital cubana. Na ocasião, ela defendeu uma iniciativa conjunta para a produção de medicamentos e também mencionou a ampliação do envio de médicos cubanos ao Brasil, para apoiar o atendimento no Serviço Único de Saúde. (Agência Brasil) 

Por que o CFM tem medo dos médicos cubanos? 

Recurso do STJ dificulta a vinda de médicos cubanos ao Brasil 
• Ao definir que um médico boliviano deveria revalidar diploma, Corte impede ideia do governo de importar profissionais de Cuba. 

 Quando algo simples pode ser extraordinário... 
• Ray Bethell, um inglês de 74 anos residente em Vancouver, é um dos mais famosos empinadores de pipa do mundo. 
 Veja o que ele é capaz de fazer, usando apenas as mãos e a perna direita...
O balé das pipas
)  

Cabaré x Igreja Universal 
• No Ceará, o Prefeito de Aquiraz, Antonio Fernando Freitas Guimarães do PSB, veterinário, disse que ficaria neutro. 
• Tarcilia Bezerra começou a construção de uma expansão de seu cabaré, para aumentar suas atividades em constante crescimento, após a criação do seguro desemprego para pescadores e vários tipos de Bolsas. 
• Em resposta, a Igreja Universal local iniciou uma forte campanha para bloquear a expansão - com sessões de oração em sua igreja de manhã, à tarde e à noite. 
• O trabalho da ampliação e reforma progrediu célere até a semana antes da grande reabertura, quando um raio atingiu o cabaré da Tarcilia, queimando as instalações elétricas provocando um incêndio que destruiu o telhado e grande parte da construção. 
• Após a destruição do cabaré, o pastor e os crentes da igreja ficaram bastante presunçosos e se gabavam para todos do grande poder da oração.
• Mas, Tarcilia, processou a igreja, o pastor e toda a congregação com o fundamento de que a Igreja foi a responsável pelo fim de seu prédio e seu negócio - seja através de intervenção divina, direta ou indireta e ações ou meios.
• Na sua resposta à ação, a igreja, veementemente e vorazmente negou toda e qualquer responsabilidade ou qualquer ligação com o fim do edifício.
• O juiz leu a reclamação do autor e a resposta do réu, e na audiência de abertura, ele comentou: Eu não sei como diabos eu vou decidir neste caso, mas parece que a partir do que li até agora temos: Uma dona de cabaré que acredita firmemente no poder das orações, e uma Igreja inteira que diz que as orações não valem nada!
As pessoas só notam que você mudou quando você para de fazer o que elas querem.

Nenhum comentário: