16 de nov de 2012

Papai Noel traga Paz ao Mundo!

 
Photobucket • Anatel suspende comercialização de plano de serviço da Tim pela inobservância dos princípios constitucionais, entre eles a defesa do consumidor, na disciplina das relações econômicas no setor de telecomunicações.
• Comércio cresce menos em setembro, mas continua o principal fator a puxar a expansão da economia. No ano, as vendas totais cresceram 7,8%. A produção industrial, no mesmo período, caiu 3,5%. É o grande descompasso da economia. Para o economista Fernando Montero, tal disparidade, não a sustentação do consumo, é o que desafia o crescimento. Se há consumo, emprego e inflação, o problema está na oferta, diz. Esse caminho pode levar até a um quadro de estagnação, embora com nível alto de consumo.
• 1ª alta em cinco meses. Apesar da melhora de sua condição financeira, o brasileiro ainda encontra dificuldades para quitar as dívidas: inadimplência cresce 5% em outubro.
• Schincariol muda de nome e passa a se chamar Kirin Brasil.
• TAM faz promoção de passagens domésticas para a alta temporada.
• País não tem mais taxas mensais de dois dígitos nas operações de crédito.
• Pesquisa: 78,62% dos comerciantes de SP pretendem contratar novos funcionários nos próximos meses.
• Empresas de alto crescimento geraram mais da metade dos novos empregos entre 2007 e 2010.
• Militares levam atendimento médico a área isolada da Amazônia. Cerca de 6 mil pacientes são atendidos por mês, metade dos quais crianças.
• SUS contará com R$ 29 milhões para melhorar condições de trabalho. Gestores podem inscrever planos de carreiras e salários.
• Projetos para saúde do homem terão R$ 4,8 milhões. Incentivo faz parte da Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem.
• Classe C puxa aumento da confiança do consumidor, aponta pesquisa.
• Petrobras conclui construção de novo FPSO que operará no pré-sal da Bacia de Santos.
• Procon-SP autua 21 agências bancárias por demora excessiva no atendimento.
• Vendas de medicamentos genéricos crescem 16,6%, mas ritmo de expansão do setor diminui.
• Pressão de provedores de acesso adia pela 4ª vez a votação do marco civil da internet.
• Notas fiscais no comércio terão de informar os valores de impostos dos produtos.
• Governo e Aneel: empresas de energia não têm direito a indenização ampla. (Senado)
• Após resolução da ONU, Casa Branca anuncia que mantém o embargo a Cuba.
• Israel amplia ofensiva em Gaza. Além de alvos militares como depósitos de armas e quartéis, o Exército israelense passou a bombardear também alvos civis ligados à infraestrutura e ao governo do Hamas.
 

 
TCU recomenda paralisação de 22 obras
Photobucket • Segundo ministro Benjamin Zymler, paralisações fazem parte de obras identificadas com irregularidades graves.
• ... o relatório recomendando a paralisação de 22 obras, entre as 124 identificadas com irregularidades graves, como vícios em contratos e superfaturamento. Leia aqui.
• Até onde teremos que tolerar esses assaltos aos altos impostos que pagamos? Até onde seremos obrigados a conviver com o cinismo, a sem-vergonhice, a mentira e os roubos descarados dessa corja chamada PT? (AC)
PT fez caixinha em São Paulo, diz Soninha Francine
Photobucket • Ex-vereadora paulistana afirma que quando era filiada ao partido foi pressionada a retirar 5% dos salários de todos os funcionários para entregar ao PT.
• Segundo Soninha, a cobrança da caixinha era feita a partir da zonal do PT no bairro de Perdizes - ALSP.
• Tomar parte dos salários dos funcionários e repassá-los aos políticos, como se diz pelos corredores do Congresso, não é novidade e nem se restringe a um partido, o PSC, como noticiou o Congresso em Foco.
• Segundo a ex-vereadora de São Paulo Soninha Francine (PPS), o PT também já se valeu da mesma prática. Hoje no PPS, pré-candidata á prefeitura de São Paulo e integrante da equipe do governador do estado, Geraldo Alckmin (PSDB), Soninha pertenceu ao PT. E, segundo ela, nessa época, o partido exigia dela que cobrasse 5% dos funcionários do seu gabinete.
• Em entrevista ao site, Soninha afirmou que o diretório municipal do PT exigia que ela recolhesse 5% dos salários dos funcionários do seu gabinete entre 2005 e 2007, período em que ela militava no partido. Não importava se o servidor era filiado ou não.
  • O importante, disse Soninha, era obter 5% do total de R$ 60 mil mensais disponível para cada um dos 12 vereadores à época para as despesas do gabinete.
A direção partidária exigia uma porcentagem sobre a gratificação de todos os assessores nomeados no gabinete, fossem eles filiados ao PT ou não, denunciou a ex-vereadora, que hoje atua numa autarquia do governo do estado. Eu achava isso um absurdo. Todo mês a gente quebrava o pau, contou Soninha ao Congresso em Foco na semana passada.
• Irritado, o líder do PT na Câmara de Vereadores e ex-presidente municipal da legenda, Ítalo Cardoso, negou a cobrança de valores de funcionários sem filiação ao partido. O atual presidente do diretório municipal, Antônio Donato, ironizou Soninha: Agora que ela vem falar disso?
• Segundo Soninha, as cobranças de caixinha eram feitas pela zonal do PT do bairro de Perdizes. A vereadora disse que, na época, conversou com outros colegas da Câmara Municipal e reclamou das cobranças. Eles disseram que a situação teria que ser revista.
• A prevalecer a versão de Soninha, é possível dizer que o PT municipal arrecadava R$ 36 mil mensais em todos os 12 gabinetes de vereadores, ou R$ 468 mil por ano. Para Soninha, trata-se de uma apropriação de dinheiro público em benefício de uma instituição privada, um partido político.
• É verdade que Soninha hoje pertence a um partido que faz oposição ao PT. Mas ela assegura que as cobranças de caixinha eram feitas de forma insistente. Irritado, o líder do PT na Câmara de Vereadores e ex-presidente municipal da legenda na época em que Soninha era vereadora pelo partido, Ítalo Cardoso, negou a cobrança de valores de funcionários sem filiação ao partido. O atual presidente do PT de São Paulo, o vereador Antônio Donato, também afirma que a cobrança é feita apenas sobre os filiados ao partido. E ironiza: Só agora é que ela vem reclamar?
• Soninha reconhece que parte dos funcionários de seu gabinete à época eram filiados ao PT e contribuíam por força do estatuto, apesar de haver uma determinação do Tribunal Superior Eleitoral Congresso Em Foco que considera também essa hipótese ilegal. Mas sustenta: a cobrança era feita sobre todos.
Pressão constante
• Soninha disse que a pressão era constante. Vinha sempre alguém representando o diretório zonal: Ó, tá na hora de pagar a contribuição mensal. São 5% sobre a GNA (nome da verba de gabinete disponível para contratar funcionários). Para solucionar, ela tentava fazer acordos com os dirigentes do partido e aliviar a carga sobre os 18 servidores. Ela propôs que os três ou quatro funcionários que eram filiados contribuiriam conforme o estatuto enquanto os não-militantes só fariam repasses se quisessem, e numa proporção menor. Eu não posso obrigar uma pessoa a abrir mão de uma parte do que ela ganha por um compromisso que ela não assinou, justificou Soninha.
• Soninha afirma que seu então chefe de gabinete, o produtor cultural Alexandre Youssef, fazia as tratativas com os dirigentes do PT e poderia ter recibos para comprovar os pagamentos feitos ao longo dos anos. A reportagem procurou o ex-funcionário nos telefones registrados em nome de sua produtora, mas não o localizou. Youssef também não respondeu às mensagens eletrônicas enviadas a ele na semana passada.
• Em 2008, Soninha já havia deixado o PT e estava no PPS. Ela e Youssef foram aliados por algum tempo. A vereadora diz que o ex-chefe de gabinete defendia o apoio a Marta Suplicy (PT) nas eleições daquele ano e eles romperam politicamente.
• Presidente do PT da cidade de São Paulo entre 2005 e 2006, Ítalo Cardoso se irritou ao saber das declarações de Soninha. Ela é que deve te dar informação sobre isso. Não tenho nada a falar, iniciou ele, minutos antes de bater o telefone pela primeira vez. Cardoso disse que só filiados são obrigados a contribuír. Se a Soninha tem outro tipo de relação, eu não tenho nada com isso, afirmou. Cardoso garantiu que a cobrança compulsória da caixinha de funcionários ligados ao PT nunca existiu e até hoje não existe.
 
Dicionário de Quintana
Photobucket Deficiente... é aquele que não consegue modificar sua vida, aceitando as imposições de outras pessoas ou da sociedade em que vive, sem ter consciência de que é dono do seu destino .
Louco... é quem não procura ser feliz com o que possui.
Cego... é aquele que não vê seu próximo morrer de frio, de fome, de miséria. E só tem olhos para seus míseros problemas e pequenas dores.
Surdo... é aquele que não tem tempo de ouvir um desabafo de um amigo, ou o apelo de um irmão, pois está sempre apressado para o trabalho e quer garantir seus tostões no fim do mês.
Mudo... é aquele que não consegue falar o que sente e se esconde por trás da máscara da hipocrisia.
Paralítico... é quem não consegue andar na direção daqueles que precisam de sua ajuda.
Diabético... é quem não consegue ser doce.
Anão... é quem não sabe deixar o amor crescer.
• E, finalmente, a pior das deficiências é ser miserável, pois, Miseráveis são todos os que não conseguem falar com Deus. (Mário Quintana)

 
"Muitas vezes, o silêncio da pura inocência persuade, quando as palavras malogram."(William Shakespeare)

Nenhum comentário: