20 de ago de 2012

O Brasil precisa ser mudado!

PhotobucketA arapuca armada por Barbosa
• Realmente, só pode ser de um gênio, a arapuca armada contra a esbórnia PTista, pelo Ministro Joaquim Barbosa, esse mineiro diferenciado e exemplar de Paracatu!
• Praticamente contra todos, especialmente contra o maquiavélico PTista Lewandowsky, ele bateu pé em sua metodologia e, finalmente, emplacou o esquema de julgamento do mensalão por blocos isolados e independentes de crimes e, não, por um julgamento globalizado que enfraqueceria sobremodo a acusação!
• Com calma, em um linguajar acessível, crime por crime, provas por provas, Barbosa vai "encantoando" esses criminosos e obrigando os demais Ministros a os julgarem e rejulgarem por inúmeras vezes!
• Agora, provavelmente, não haverá como passar por cima do esquema criminoso arquitetado pelo PT e por seus caciques!
• É somente lamentável que não estejam também no banco dos réus, outros criminosos de igual magnitude, como Lulla, Gushiken, Gilberto Carvalho e outros!... (MDB)

Photobucket O Cara!
• Esse merece todo nosso respeito. Use, Excelência, toda essa experiência e poderpara resolver definitivamente a situação do AERUS. Sua trajetória de vida seráreconhecida e valorizada não só no Brasil mas por todos os cantos do mundo. Afinal, serão mais de 9.000 familias que terão suas dignidades restauradas.
• É odiado pelos corruptos, principalmente pelo .... que disse que ele é complexado! O apedeuta molusco.
• Deve ser complexado sim! Por ser muito mais inteligente do que a nata dos brasileiros.
• Passou em concurso para juiz, apesar de ser negro e pobre, nos idos dos anos 70, onde a coisa era muito mais difícil estudar! Não necessitou do uso do artifício das cotas para estudar e se formar.
• Possuidor de um currículo invejável.
• Joaquim Barbosa nasceu em Paracatu, noroeste de Minas Gerais. É o primogênito de oito filhos. Pai pedreiro e mãe dona de casa, passou a ser arrimo de família quando estes se separaram. Aos 16 anos foi sozinho para Brasília, arranjou emprego na gráfica do Correio Braziliense e terminou o segundo grau, sempre estudando em colégio público. Obteve seu bacharelado em Direito na Universidade de Brasília, onde, em seguida, obteve seu mestrado em Direito do Estado.
• Foi Oficial de Chancelaria Ministério das Relações Exteriores, tendo servido na Embaixada do Brasil em Helsinki, Finlândia e, após, foi advogado do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) (1979-84).
• Prestou concurso público para procurador da República e foi aprovado. Licenciou-se do cargo e foi estudar na França, por quatro anos, tendo obtido seu mestrado e doutorado ambos em Direito Público, pela Universidade de Paris (Panthéon-Assas) em 1990 e 1993.
• Retornou ao cargo de procurador no Rio de Janeiro e professor concursado da Universidade do Estado do Rio de Janeiro.
• Foi visiting scholar no Human Rights Institute da faculdade de direito da Universidade Columbia em Nova York (1999 a 2000) e na Universidade da Califórnia Los Angeles School of Law (2002 a 2003). Fez estudos complementares de idiomas estrangeiros no Brasil, na Inglaterra, nos Estados Unidos, na Áustria e na Alemanha. É fluente em francês, inglês, alemão e espanhol. Toca piano e violino desde os 16 anos de idade.

Photobucket Olha o efeito Agosto aí chegando e traz a equação: Cachoeira (Delta) + Mensalão = Desastre para o PT e PMDB
• Cachoeira tem novo advogado e tese da delação premiada preocupa o Palácio do Planalto
Cuidado redobrado - O escândalo envolvendo Carlos Augusto de Almeida Ramos, o Carlinhos Cachoeira, preso desde o último dia 29 de fevereiro na esteira da Operação Monte Carlo, da Polícia Federal, pode sofrer uma reviravolta. Até recentemente defendido pelo criminalista Márcio Thomaz Bastos, ex-ministro da Justiça no governo Lula, Cachoeira deve entregar sua defesa ao advogado Ricardo Sayeg. E é exatamente nessa mudança que está o perigo.
• Diferentemente de Thomas Bastos, que assumiu o caso para manter Cachoeira calado o máximo de tempo possível, o que fez a alegria de petistas ilustres, Sayeg é adepto da delação premiada como forma de minimizar a pena a ser cumprida pelo cliente.
• Márcio Thomaz Bastos deixou a defesa de Carlinhos Cachoeira depois que a mulher do contraventor foi acusada de chantagear o juiz federal responsável pelo caso, o que não foi comprovado, pois o magistrado não tem provas do crime e perdeu a chance de dar voz de prisão a Andressa Mendonça no momento da consumação do fato. O criminalista alegou que a relação com os familiares de Cachoeira estava desgastada, mas a realidade é que nada do que foi prometido aconteceu. Segundo consta, Thomaz Bastos teria cobrado R$ 15 milhões de honorários, valor considerado alto mesmo com cláusula de sucesso, mas o contraventor continua preso.
• A estratégia de Ricardo Sayeg trouxe preocupação a Palácio do Planalto e à cúpula do PT, pois há muito mais companheiros envolvidos com o contraventor do que se pode imaginar. Tão abusado quanto precavido, Cachoeira tinha o hábito de gravar seus encontros, algo que o PT palaciano soube a partir do escândalo envolvendo Waldomiro Diniz, ainda nos primórdios do governo Lula.
• Se Carlinhos Cachoeira seguir as orientações do seu novo advogado, a República deve desmoronar por completo, pois muitos escândalos virão à tona. Antes que Cachoeira conte o que sabe, alguém há de silenciá-lo. Não custa lembrar o caso de Carlos Delmonte Printes, legista do caso Celso Daniel, misteriosamente morto em seu escritório, na Zona Sul da capital paulista.
Frases provocativas de Nelson Rodrigues
Photobucket • No próximo dia 23, Nelson completaria 100 anos.
• Nascido em 23 de agosto de 1912 em Recife, Pernambuco, Nelson Falcão Rodrigues mudou-se em 1916 para a cidade do Rio de Janeiro. Foi repórter policial durante longos anos, em que acumulou uma vasta experiência para escrever suas peças teatrais a respeito da sociedade.
• Dramaturgo - e até representou em uma de suas peças -, sua primeira peça foi A Mulher sem Pecado, que lhe deu os primeiros sinais de prestígio dentro do cenário teatral. O sucesso mesmo veio com Vestido de Noiva, que trazia, em matéria de teatro, uma renovação nunca vista nos palcos brasileiros. A consagração se seguiria com vários outros sucessos, transformando-o no grande representante da literatura teatral do seu tempo, apesar de suas peças serem tachadas muitas vezes como obscenas e imorais.
• Em 1962, começou a escrever crônicas esportivas, deixando transparecer toda a sua paixão pelo futebol. Torcia pelo Fluminense, sua paixão, embora já tenha sido visto com a camisa do Flamengo.
• Como filósofo analisava sem pudor o comportamento do brasileiro.
• Faleceu em 1980, no Rio de Janeiro.
• A companhia de um paulista é a pior forma de solidão.
• Só os profetas enxergam o óbvio.
• Toda unanimidade é burra. Quem pensa com a unanimidade não precisa pensar.
• Hoje é muito difícil não ser canalha. Todas as pressões trabalham para o nosso aviltamento pessoal e coletivo.
• Toda mulher bonita é um pouco a namorada lésbica de si mesma.
• Nada nos humilha mais do que a coragem alheia.
• Eu me nego a acreditar que um político, mesmo o mais doce político, tenha senso moral.
• O que atrapalha o brasileiro é o próprio brasileiro. Que Brasil formidável seria o Brasil se o brasileiro gostasse de brasileiro.
• Acho a liberdade mais importante que o pão.
• No Brasil, quem não é canalha na véspera é canalha no dia seguinte.
• A fome é mansa e casta. Quem não come não ama , nem odeia.
• Não reparem que eu misture os tratamentos de tu e você. Não acredito em brasileiro sem erro de concordância.
• Não há ninguém mais vago, mais irrelevante, mas contínuo do que o ex-ministro.
• Jovens: envelheçam rapidamente!
• Falta ao virtuoso a feérica, a irisada, a multicolorida variedade do vigarista.
• Tarado é toda pessoa normal pega em flagrante.
• Todo tímido é candidato a um crime sexual.
• O brasileiro é um feriado.
• O Brasil é um elefante geográfico. Falta-lhe, porém, um rajá, isto é, um líder que o monte.
• O grande acontecimento do século foi a ascensão espantosa e fulminante do idiota.
• Na vida, o importante é fracassar.
• A Europa é uma burrice aparelhada de museus.
• Hoje, a reportagem de polícia está mais árida do que uma paisagem lunar. O repórter mente pouco, mente cada vez menos.
• Daqui a duzentos anos, os historiadores vão chamar este final de século (20) de a mais cínica das épocas. O cinismo escorre por toda parte, como a água das paredes infiltradas.
• Sexo é para operário.
• O socialismo ficará como um pesadelo humorístico da História.
• Subdesenvolvimento não se improvisa. É obra de séculos.
• As grandes convivências estão a um milímetro do tédio.
• Todas as vaias são boas, inclusive as más.
• O presidente que deixa o poder passa a ser, automaticamente, um chato.
• O adulto não existe. O homem é um menino perene.
• O óbvio também é filho de Deus.
• O dinheiro compra até amor sincero.
(Jornal dos Amigos)

Ultrassom que destrói tumores chega a SP
• Informe aos amigos, parentes que tenham pessoas portadoras de câncer em suas famílias, assim, poderão ir em busca de uma solução diferente para os problemas inerentes à doença.
• Ultrassom israelense que destrói células cancerígenas é instalado em hospital de São Paulo. Único na América Latina, um avançado aparelho de ultrassom de alta freqüência, que utiliza tecnologia israelense, foi instalado no Instituto do Câncer do Estado de São Paulo e estará disponível à população pelo Sistema Único de Saúde (SUS).
• Ele destrói células cancerígenas sem a necessidade de cirurgia e anestesia. A principal vantagem é que as áreas ao redor do tumor não são afetadas, já que a técnica é muito precisa, só ataca onde é necessário. Ela também dispensa o uso de anestésicos e permite que os pacientes fiquem conscientes durante toda a operação. Além disto, o procedimento não causa dor intensa.
• A cerimônia de inauguração contou com a presença do governador Geraldo Alckmin. Veja mais
Café mais que uma bebida
Photobucket • O café que o brasileiro bebe é uma mistura de dois tipos: Conilon e Arábica.
• O Conilon, adaptação do francês  kouillou e a robusta', ambos nativos do Congo, região quente da selva africana e plantado no Espírito Santo e Rondônia, que possuem alto teor de cafeína.
• O Arábica é nativo da Etiópia e é largamente produzido no mundo e no Brasil, inclusive no Espirito Santo e é a maior parte na mistura dos cafés que vão á mesa do brasileiro.

Nenhum comentário: