10 de mai de 2012

Políticas, nada mais que políticas

Photobucket


Uma aula de Política
• Diálogo entre Colbert e Mazarino durante o reinado de Luís XIV, na peça teatral Le Diable Rouge, de Antoine Rault:
• Colbert: - Para arranjar dinheiro, há um momento em que enganar o contribuinte já não é possível. Eu gostaria, Senhor Superintendente, que me explicasse como é possível continuar a gastar quando já se está endividado até o pescoço…
• Mazarino: - Um simples mortal, claro, quando está coberto de dívidas, vai parar à prisão. Mas o Estado é diferente!!! Não se pode mandar o Estado para a prisão. Então, ele continua a endividar-se… Todos os Estados o fazem!
• Colbert: - Ah, sim? Mas como faremos isso, se já criamos todos os impostos imagináveis?
• Mazarino: - Criando outros.
• Colbert: - Mas já não podemos lançar mais impostos sobre os pobres.
• Mazarino: - Sim, é impossível.
• Colbert: - E sobre os ricos?
• Mazarino: - Os ricos também não. Eles parariam de gastar. E um rico que gasta faz viver centenas de pobres.
• Colbert: - Então como faremos?
• Mazarino: - Colbert! Tu pensas como um queijo, um penico de doente! Há uma quantidade enorme de pessoas entre os ricos e os pobres: as que trabalham sonhando enriquecer e temendo empobrecer. É sobre essas que devemos lançar mais impostos, cada vez mais, sempre mais! Quanto mais lhes tirarmos, mais elas trabalharão para compensar o que lhes tiramos. Formam um reservatório inesgotável. É a classe média!
O Elefante
Photobucket • Em 1986, Peter Davies estava de férias no Kenia depois de se graduar na Northwestern University. Em uma caminhada ele cruzou com um jovem elefante que estava com uma pata levantada. O elefante parecia muito estressado, então Peter se aproximou muito cuidadosamente. Ele ficou de joelhos, examinou a pata do elefante e encontrou um grande pedaço de madeira enfiado. O mais cuidadosa e gentilmente possível Peter removeu com a sua faca o pedaço de madeira e o elefante cuidadosamente colocou sua pata no chão. O elefante virou para encarar o homem com grande curiosidade no seu rosto e o encarou por tensos e longos momentos. Peter ficou congelado pensando que seria pisoteado. Depois de um certo tempo o elefante fez um barulho bem alto com sua tromba, virou e foi embora.
• Peter nunca esqueceu o elefante e tudo o que aconteceu naquele dia.
• 20 anos depois, Peter estava passando pelo Zoológico de Chicago com seu filho adolescente. Quando eles se aproximaram da jaula do elefante, uma das criaturas se virou e caminhou para um local próximo onde Peter e seu filho Cameron estavam. O grande elefante encarou Peter e levantou sua pata do chão e a baixou, ele repetiu várias vezes emitindo sons altos enquanto encarava o homem. Relembrando do encontro em 1986 Peter ficou pensando se aquele era o mesmo elefante. Peter reuniu toda sua coragem, escalou a grade e entrou na jaula. Ele andou diretamente ate o elefante e o encarou. O elefante emitiu outro som alto, enrolou sua tromba na perna de Peter e o jogou contra a parede matando-o.
• Provavelmente não era o mesmo elefante e ele se ferrou!
• A história é dedicada aos que mandam aquelas histórias melosas e cheias de finais felizes.
O Vôo do Besouro
• Ou The Flight of the Bumble-Bee é um interlúdio musical famosíssimo, composto pelo conde e compositor russo Nicolai Rimsky - Korsakov para sua ópera O Tzar Saltan, entre 1899 e 1900.
• É um verdadeiro tour de force musical inicialmente escrito para um solo de violino.
• Algum tempo depois o próprio Korsakov reescreveu a peça para o piano.
• Contudo, é tecnicamente tão difícil que o famoso pianista Vladimir von Pachmann (1848/1933) ao ler a partitura julgou-a impossível de ser tocada.
• Anos depois Serguei Prokofiev (1891/1953) aceitou o desafio e abriu a porta para que pouquíssimos colegas realizassem essa proeza...
• A jovem pianista chinesa Yuja Wang, considerada atualmente uma das 5 melhores do mundo, dá um show de virtuosismo...



Aconteceu

• Radio City Music Hall (New York/2006)
• André Rieu: “Há uns 100 anos, um pobre italiano, juntamente com sua esposa, veio aos Estados Unidos para começar uma nova vida, em um lugar não distante daqui. New Jersey.

• - Aqui é New Jersey? Achei que era New York.
• E depois de 2 anos, nasceu um pequeno bebê. E esse bebê, senhoras e senhores, se tornou o maior cantor americano de todos os tempos.
• Eu o admiro muito e os meus conterrâneos na Holanda também adoram este cantor.
• Esta noite, aqui neste palco onde ele cantou tantas vezes, eu gostaria de fazer um tributo a este fantástico artista. Só vou tocar uma música.
• Claro que vocês sabem de quem eu estou falando. Aplausos por favor: Frank Sinatra!



Moral: Há três coisas no mundo que não têm pena da gente: a morte, a Receita Federal e um advogado...

Um comentário:

Mery disse...

Amigo querido, estou mais feliz agora que voltaste; sabes, eu estava lendo e pensando "como somos parecidos" no modo de ver as coisas, por exemplo "coisas de políticos"...
Tu és genial, e essa história do elefante, jurei que ia ter final feliz e... coitado do cara! Fiquei pensando que é isso mesmo a vida, tudo aqui é para refletirmos, e finais felizes na vida real* é complicado, eu que diga.
Um Abraço* bem forte pra ti, saúde e fé, ainda acreditamos*... ter fé é tudo "pra mim. Mery*