20 de mar de 2012

É só levantar o tapete....

Photobucket Notícias
• O Nióbio e o desenvolvimento estratégico do Brasil estarão em foco no próximo dia 3 de Abril (3ª feira), às 9h30, no Clube de Engenharia(Av. Rio Branco, 124/22º andar-Centro do Rio) O evento tratará da necessidade de uma gestão consciente de uma riqueza natural cujo valor estratégico para o país é comparado ao Petróleo. O Nióbio sai do país subfaturado, levado por grandes empresas transnacionais, e o Brasil deixa de arrecadar centenas de bilhões de dólares.(Clube de Engenharia)
• Royalties do petróleo - O pedido de urgência para a votação do projeto do pré-sal foi entregue nesta 4ªfeira(14/03), ao presidente da Câmara, deputado Marco Maia. Com 300 assinaturas, o documento foi entregue pelo deputado Alceu Moreira (PMDB/RS), presidente da Frente do Pré-sal. "Precisamos acabar com essa injustiça odiosa que priva milhões de brasileiros de um recurso que eles têm direito", declarou o deputado gaúcho. (Agência Câmara)
• Licitações
1 - Saúde determina sindicância para apurar irregularidades e quer de diretores de hospitais públicos prazo de três dias para abertura de processo administrativo. O objetivo é apurar em 30 dias denúncias de irregularidades em contratos.
2 - ONGs pedem transparência nas licitações de emergência.
3 - Estado já pagou R$ 283 milhões às empresas da propina em 2011.
4 - Vereadora Teresa Bergher quer cancelar o contrato da Locanty com a Câmara.
5 - Três hospitais federais no Rio terão que investigar contratos Secretaria de Atenção à Saúde (SAS) determinou apuração no Into, no Inca e no Instituto Nacional de Cardiologia.
• Poluição? Baleia é encontrada morta na Praia de São Conrado.
• Bope encontra piscinas, churrasqueira e área de treinamento de traficantes no Morro da Serrinha.
• No Rio, prédios da Prefeitura mal conservados oferecem risco. Pelo menos cinco regiões administrativas precisam de reformas urgentes. Relatório do TCM alerta sobre perigo para a vida de servidores e cidadãos.
• Aos 95 anos, João Havelange, ex-presidente da Fifa continua internado em estado grave no Rio.
• Obama promete ajudar iranianos a furar barreira eletrônica do governo.
• Oposição síria também cometeu abusos segundo a Human Rights Watch, alguns integrantes de grupos que pedem a saída de Assad cometeram sequestros, tortura e execuções.
• Rússia em transformação: Escritor Boris Akunin diz que classes médias cobrarão reformas profundas de Putin.
• Governo britânico quer cobrar por visitas ao Big Ben. A ideia de cobrar ingressos para visitar o mecanismo do famoso relógio provocou indignação de contribuintes britânicos.
Ipad: - Pai, gostou do presente?

Na época da chamada Ditadura
• É muito bem humorado e muito verdadeiro...
• Podíamos acelerar nossos Mavericks pelas auto-estradas acima dos 120km/h sem nenhum risco e não éramos multados por radares maliciosamente escondidos, mas não podíamos falar mal do Presidente.
• Podíamos comprar armas e munições à vontade, pois o governo sabia quem era cidadão de bem, quem era bandido e quem era terrorista, mas não podíamos falar mal do presidente.
• Podíamos paquerar a funcionária, a menina das contas a pagar ou a recepcionista sem correr o risco de sermos processados por assédio sexual, mas não podíamos falar mal do Presidente.
• Não usávamos eufemismos hipócritas para fazer referências a raças (ei! negão!), credos (esse crente aí!) ou preferências sexuais (fala! sua bicha!) e não éramos processados por discriminação” por isso, mas não podíamos falar mal do Presidente.
• Podíamos tomar nossa redentora cerveja no fim do expediente do trabalho para relaxar e dirigir o carro para casa, sem o risco de sermos jogados à vala da delinqüência, sendo preso por estar alcoolizado, mas não podíamos falar mal do Presidente.
• Podíamos cortar a goiabeira do quintal, empesteada de taturanas, sem que isso constituísse crime ambiental, mas não podíamos falar mal do Presidente.
• Podíamos ir a qualquer bar ou boite, em qualquer bairro da cidade, de carro, de ônibus, de bicicleta ou a pé, sem nenhum medo de sermos assaltados, sequestrados ou assassinados, mas não podíamos falar mal do Presidente.
• Hoje a única coisa que podemos fazer....é falar mal do Presidente!
• Que M....!

Nenhum comentário: