20 de out de 2011

Buscando o Desconhecido

O medo surge da identificação com o corpo-mente
• A consciência, no sentido de percepção, é o que os alquimistas procuravam: o elixir, o néctar, a fórmula mágica que pode ajudar uma pessoa a se tornar imortal.
• Na verdade, todas as pessoas são imortais, porém vivemos num corpo mortal e somos tão apegados a ele que daí surge uma identidade. Não há distância para vermos o corpo como algo separado.
• Estamos tão imersos no corpo, tão enraizados nele, que começamos a sentir que somos o corpo - e é aí que surge o problema: começamos a temer a morte. Com isso vêm todos os medos, todos os pesadelos.
• A percepção cria a distância entre você e seu corpo, deixa você ciente tanto do corpo quanto da mente - pois corpo e mente não são separados. Corpo-mente é uma identidade, a mente está dentro do corpo.
• Quando você se torna ciente do complexo corpo-mente, logo percebe que está separado de ambos, e o distanciamento começa a acontecer. É quando você percebe que é imortal, que não é parte do tempo, que é parte do eterno.
• Você sabe, então, que não existe nascimento nem morte, que você sempre existiu e sempre existirá. Você já teve muitos corpos porque desejou demais.
• Cada desejo traz você de volta ao corpo, porque sem corpo nenhum desejo pode ser realizado. (Osho, em "Meditações Para A Noite")


Mercado de ações
• Uma vez, num pequeno e distante vilarejo, apareceu um homem anunciando que compraria burros por R$ 10,00 cada. Como havia muitos burros na região, os aldeões iniciaram a caçada.
• O homem comprou centenas de burros a R$ 10,00, e como os aldeões diminuíram o esforço na caça, o homem anunciou que pagaria R$ 20,00 por cada burro.
• Os aldeões foram novamente à caça, mas logo os burros foram escasseando e os aldeões desistiram da busca.
• A oferta aumentou então para R$ 25,00 e a quantidade de burros ficou tão pequena que já não havia mais interesse em caçá-los.
• O homem então anunciou que compraria cada burro por R$ 50,00! Como iria à cidade grande, deixaria seu assistente cuidando da compra dos burros.
• Na ausência do homem, seu assistente propôs aos aldeões: - Sabem os burros que o homem comprou de vocês? Eu posso vendê-los a vocês a R$ 35,00 cada. Quando o homem voltar da cidade, vocês vendem a ele pelos R$ 50,00 que ele oferece, e ganham uma boa bolada.
• Os aldeões pegaram suas economias e compraram todos os burros do assistente. Os dias se passaram, e eles nunca mais viram nem o homem,nem o seu assistente, somente burros por todos os lados.
• Entendeu agora como funciona o mercado de ações?


Para os que gostam dos cães...
• Dois cãos num restaurante.
• Não se sabe o que mais se admirar: o sincronismo, os gestos, as expressões, os atos e movimentos dos humanos e dos animais e, sobretudo, a imaginação de quem é capaz de montar este espectáculo.
• É mesmo incrível.
Assista  
"O importante não é vencer todo dia, mas lutar sempre!"

Um comentário:

Mery disse...

Olá, hoje consegui vir,...faz tempo, ando sumida por um problema em meu blog, mas já está tudo bem.
Adorei a postagem!
Do texto sobre a bolsa*, sou meio burra, mas entendi bem, tu sabes explicar, de maneira que parece uma aula para crianças. Fica fácil entender.
Esse vídeo é uma gracinha, amo esses bichinhos, me fizeram rir e fiquei encantada com as aventuras deles. Lindo!
Beijos da amiga Mery*