9 de ago de 2011

O Idiota

• Conta-se que numa cidade do interior um grupo de pessoas se divertia com o idiota da aldeia. Um pobre coitado, de pouca inteligência, vivia de pequenos biscates e esmolas.
• Diariamente eles chamavam o idiota ao bar onde se reuniam e ofereciam a ele a escolha entre duas moedas: uma grande de 400 réis e outra menor de 2.000 réis. Ele sempre escolhia a maior e menos valiosa, o que era motivo de risos para todos.
• Certo dia, um dos membros do grupo chamou-o e lhe perguntou se ainda não havia percebido que a moeda maior valia menos.
• - Eu sei, respondeu o tolo. Ela vale cinco vezes menos, mas no dia que eu escolher a outra, a brincadeira acaba e não vou mais ganhar minha moeda.• Podem-se tirar várias conclusões dessa pequena narrativa.
• A primeira: Quem parece idiota, nem sempre é.
• A segunda: Quais eram os verdadeiros idiotas da história?
• A terceira: Se você for ganancioso, acaba estragando sua fonte de renda.
• Mas a conclusão mais interessante é: A percepção de que podemos estar bem, mesmo quando os outros não têm uma boa opinião a nosso respeito.
• Portanto, o que importa não é o que pensam de nós, mas sim, quem realmente somos.
• O maior prazer de um homem inteligente é bancar o idiota diante de um idiota que banca o inteligente.
• Preocupe-se mais com sua consciência do que com sua reputação.
• Porque sua consciência é o que você é, e sua reputação é o que os outros pensam de você. E o que os outros pensam... é problema deles.
Realmente, o que importa não é o que pensam de nós, mas sim, quem realmente somos."....E o que os outros pensam... é problema deles.

Pois é....
• Olhe só o nível tecnológico da JAC Motors. Deste modo, quem pode competir com a China? Cuidado mundo! Cuidado Brasil!
• É preciso uma grande transformação na preparação da mão de obra em todos os níveis, melhores escolas, mais investimento.
• Se todo esse conjunto de medidas não for levado avante de imediato, que se abram muitas, muitas escolas de chinês, pois a dominação será certa!
• E em pouco tempo se pode esperar que tudo será chinês, sem vez para qualquer competidor!


Isto me faz lembrar de uma historinha que, pela lógica, tende a ser verídica. Vamos a ela.
• Difícil convivência.
• Durante a era glacial, muitos animais morriam por causa do frio.
• Os porcos-espinhos, percebendo esta situação, resolveram se juntar em grupos, assim se agasalhavam e se protegiam mutuamente.
• Mas os espinhos de cada um feria os companheiros mais próximos, justamente os que forneciam calor.
• E, por isso, tornaram a se afastar uns dos outros.
• Voltaram a morrer congelados e precisavam fazer uma escolha: desapareceriam da face da Terra ou aceitavam os espinhos do semelhante.
• Com sabedoria, decidiram voltar e ficar juntos.
• Aprenderam assim a conviver com as pequenas feridas que uma relação muito próxima podia causar, já que o mais importante era o calor do outro.
• Sobreviveram.
• Assim, o melhor grupo não é aquele que reúne membros perfeitos, mas aquele onde cada um aceita os defeitos do outro e consegue perdão pelos próprios defeitos.
Não se preocupe de que maneira virá sua vitória, mas quando Deus determina, ela vem..

Nenhum comentário: