19 de mar de 2011

Quanto mais rezo mais assombração aparece!

•• Tenho certeza que em algum momento da sua vida você já pensou assim. Posso garantir que eu já pensei. Mas, analisando o ditado popular, podemos entender que o momento em que mais rezamos, normalmente é o momento em que mais estamos sofrendo perturbações, porque é difícil pensar em alguém que reze quando está tudo bem.
•• Sempre brinco com meus clientes e alunos que a maioria das pessoas não vem espontaneamente para o caminho espiritual, na verdade elas despencam. Procuram explicações quando tudo está meio perdido, nebuloso, triste, sem sentido. Algumas pessoas procuram por explicações profundas quando o amor foi embora, quando não sabem o caminho profissional a seguir, quando não têm mais opção. E ainda bem que sobra o espiritual...
•• Mas, dentro desta situação meio crítica, é natural que rezando as coisas vão se mostrando. Pois esse mergulho traz o autoconhecimento e com o tempo vamos percebendo que saímos do papel de vítima das situações e passamos a reconhecer que participamos ativamente dos eventos tristes. Pode ser que muitas vezes tenhamos entrado em processos amargos sem termos consciência, mas, com certeza, veremos que em outras situações fizemos coisas erradas, e nem sempre é fácil admitir nossos erros.
•• Falando sobre espíritos, obsessores, vamos perceber que energias negativas, assombrações, conectam-se com a tristeza, com a negatividade que estamos vibrando. Medo atrai medo, depressão atrai resultados tristes, quem não acredita no seu sucesso pessoal acaba por concretizar a derrota. Assim, de fato, as assombrações vão aparecendo quando rezamos, pois faz parte do processo do exorcismo de crenças negativas que carregamos dentro de nós.
•• Vejo isso acontecer nos grupos de meditação e nas vivências que faço. As pessoas chegam, se sensibilizam, e começam a refletir sobre suas escolhas, começam também a perceber as coisas que acontecem ao seu redor. Naturalmente se tornam mais observadoras em relação aos sonhos, às atitudes alheias, às crenças familiares. Às vezes, esse processo acaba sendo meio doloroso, porque não é fácil a tomada de consciência, mas vale a pena. No final, sempre saímos mais fortalecidos, mais confiantes, mais felizes. Mas, com certeza, essa energia mais tranqüila, equilibrada, só tem lugar quando as sombras se dissiparam.
•• Assim, amigo leitor, pense onde essas sombras estavam escondidas em você. Pense na poeira que você guardou debaixo do tapete. Ver as sombras, reconhecer seus fantasmas faz parte de um amadurecimento espiritual. Pois não basta saber coisas lindas que lemos nos livros, textos e e-mails... precisamos praticar!
•• Estamos nesse mundo para resolver nossas pendências humanas, porque espiritualmente somos perfeitos, somos seres de luz, de amor. Assim, vamos investir nesse aprimoramento humano das relações com as pessoas, com o trabalho, com a família, com o amor. Vamos ter coragem de ver nossas sombras, nossos comportamentos orgulhosos, negativos, egoístas, e mudar aquilo que podemos dentro e fora de nós. As assombrações nasceram de onde faltou o amor... (Maria Silvia Orlovas)

Por um triz

Nenhum comentário: