1 de out de 2010

Alguém falou ou mentiu....

. O governo Lula tem 267 bilhões de dólares na Suíça, garante oficialmente. Recebe 2 por cento ao ano, de juros. Diz que pagou a dívida externa, não pagou. Despende, anualmente, 188 bilhões de juros da interna, e não revela juros da externa.
. A questão das dívidas, (interna e externa) é das coisas mais vergonhosas, prejudiciais para o país. Mas o presidente Lula, pressionado pelo FMI e aconselhado e intimidado por Meirelles, vai enganando a opinião pública, com números falsos e deturpados.
. Não basta essa afirmação do governo: já pagamos a dívida externa, não devemos mais nada. Pura invencionice, falta de credibilidade, usando e abusando dos números, que ninguém desmente, os jornalões não querem se chocar com Lula. Então aceitam o que o presidente fala, como se ele fosse o arauto da verdade, da autenticidade e da representatividade.
. Mas existe um fato ainda mais grave, que tem até palavra para defini-lo, monstruoso. É a questão do dólar, que o governo vem comprando há anos, desde que estava a 3,20, e continua comprando a 1,70. (Em alguns dias , até menos).
. Vou dividir os dois casos, informar e analisar separadamente, embora ele se entrelacem, se fundem, se completem no desastre para o país. E vou usar os números que o governo divulga como verdadeiros, apesar de serem assombrosamente falsos, mentirosos, deturpados, desprezivelmente incorretos.
. A DÍVIDA EXTERNA QUE NÃO FOI PAGA
. Há meses, o presidente Lula, eufórico e delirante, declarou: "Diziam que a dívida externa era impagável, já liquidamos tudo, não devemos mais nada". Deixei passar algum tempo, mostrei os números verdadeiros, irrefutáveis, que não podiam ser desmentidos. E que eram os seguintes.
. O Brasil tinha num banco da Suíça, 240 bilhões de dólares e a dívida era mais ou menos de 200 bilhões. Portanto podia honrar a palavra pública e ter pago a dívida externa. Só que não pagou, como revelei e vou confirmar.
. Por causa de interesses internacionais, Lula não pagou nada. Manteve os 240 bilhões de dólares como reserva, com a justificativa: "Precisamos dessas reservas para garantir prestígio internacional, e consolidação da economia, "no caso de nova crise".
. Então, a situação foi mentirosamente revelada pelo presidente. Não pagou nada, o Brasil aumentou a dívida, que está em 220 bilhões, pagando juros altíssimos. E as reservas do Brasil, dados oficiais mostrados pelo secretário do Tesouro (um cidadão acima de qualquer suspeita) estão em 267 bilhões. De dólares.
. Ora, até mesmo alguns dos Ministros da Fazenda que ocuparam o cargo desde 1994, (foram sendo substituídos por outros com a mesma (formação e convicção), eram obrigados a saber da verdade. Se o Brasil tem agora 267 bilhões de dólares, (de reserva), não pode ter pago os 200 bilhões (arredondados) da dívida. Se pagou a dívida, não pode ter os apregoados 267 bilhões de reserva. Elementar.
. O presidente Lula tem pouco tempo para retificar ou ratificar as próprias afirmações. Por esses 267 bilhões de reservas num banco da Suíça, o Brasil recebia 2 por cento ao ano de juros.
. Agora uma dúvida (não confundir com dívida) do repórter. Há mais ou menos três meses, os poderosos bancos da Suíça, resolveram não pagar nenhum juro aos clientes. Alegaram que davam garantia a eles, garantia que não poderiam obter em outros lugares, territórios ou paraísos fiscais.
. Muitos transferiram os depósitos para ilhas que continuam pagando juros, mas confirmam o que foi dito pelos grandes bancos: "Não há garantia". Esses depósitos são geralmente de empresas ou pessoas físicas. (É como no caso de Maluf, que tem, perdão, não tem, 432 milhões de dólares, (evidentemente, passaram à propriedade desses bancos de paraísos. Como Maluf diz que não tem depósito, os bancos se apossam ou se apropriam sem qualquer receio).
. O que eu chamei de minha dificuldade ou dúvida, é saber se o governo continua recebendo os 2 (dois) por cento anuais sobre o depósito de 267 bilhões de dólares. De qualquer maneira, uma ninharia. Por ano o Brasil receberia 5 bilhões de dólares. (10 por cento daria quase 27 bilhões, 1 por cento, quase 3 bilhões, 2 por cento, quase 6 bilhões).
. Minhas fontes não conseguiram saber se os juros de 2 por cento foram mantidos. E olha que são fontes maravilhosas. Uma delas, ainda do tempo da Tribuna de papel) estava em Zurich, viu um filho de Lula entrar no banco mais importante de lá, me passou imediatamente a notícia.
. Publiquei, com o título: "O que o filho de Lula fazia num importante Banco da Suíça?" Nenhum comentário de qualquer jornalão, nenhuma contestação do Planalto-Alvorada. (Hélio Fernandes)

Nenhum comentário: