30 de set de 2010

Instinto Selvagem e o Fenômeno Lulla

. Em 1992, com o lançamento do Filme Instinto Selvagem, do Diretor Paul Verhoeven, onde a deslumbrante Sharon Stone enlouquecia a platéia com a mais antológica cena de descruzada de pernas sem nada por baixo, já exibida nos Cinemas, o imaginário dos homens confirmou mais uma vez, como ensinava há tempos o Dr. Freud, que o Instinto Básico e mais selvagem do ser humano é o Instinto Sexual! Todo o filme mostra isso!
. Sempre discordei dessa teoria e, com base em minha vida profissional de 50 anos, passada inicialmente no seio de estruturas formais de Poder, em uma grande Empresa e, posteriormente, como Consultor e Facilitador de Mudanças Organizacionais, lidando diretamente com os mais comportados, absurdos, diversificados e surpreendentes Sistema de Poder, pude construir minha teoria particular sobre essa questão!...
. O Instinto Básico e mais selvagem da humanidade é, disparado, o Instinto de Poder! É pelo Poder que os homens vivem, se movem, se mobilizam, lutam, sonham, e, inclusive, fazem sexo! Não há nada mais poderoso, mais entranhando no gens humano, mais selvagem, mais irracional, mas alheio à princípios e valores que o Instinto do Poder!
. Fico observando minha criação de faisões e a vida relacional de galos, galinhas, perus, cachorros e congêneres, com a delimitação de seus territórios de poder: é impressionante o peso do poder do mais forte e do mais dotado, representada por inúmeros pequenos comportamentos! E, também, como acontece com os seres humanos, é impressionante como o detentor do Poder tem a capacidade e a aura de congregar em torno de si, os demais membros dessas comunidades, que não foram agraciados com o Poder Maior!
. O relato bíblico da queda do homem, é emblemático (Gen,3, 1-5): Diz a serpente: “...Que nada! Vocês não morrerão! Deus sabe que, quando vocês comerem o fruto proibido, seus olhos se abrirão e vocês serão como deuses”...
. Está aí, a primeira estocada do Instinto do Poder : ser poderoso como Deus!
. Logo em seguida, no episódio de Caim e Abel, vemos a segunda característica que ronda o Instinto de Poder: a substantiva necessidade dos que não tem o Poder, de estar junto com aquele que o detem! (Gen.4, 4-8 ): “...Caim oferecia à Yahvé os produtos do solo que cultivava e Abel oferecia à Yahvé os primogênitos de seu rebanho. E Yahvé se alegrou com Abel e suas oferendas, mas não se alegrou com Caim e suas oferendas.... E Caim, ficou irritado ( pois não agradou ao dono do Poder e, portanto, não poderia usufruir de seu convívio!)... E Caim levou Abel para o campo, lançou-se sobre ele e o matou...”
. Poder! Pela Posse do Poder e pela possibilidade de conviver ou não conviver com o Poder, Adão e Eva abriram mão do Paraíso e Caim cometeu o primeiro assassinato da humanidade!....
. É terrível esse Instinto do Poder! E na História das Civilizações e da ascensão e queda dos antigos Impérios, desde Salomão, o filho de David, que foi matando seus irmãos, um a um, para ficar no Poder (1º.Livro dos Reis 2, 13-42), até os nossos dias, podemos ver, repetidamente, como o comportamento humano se pautou primordialmente pela Conquista do Poder” ou pela possibilidade de usufruir da intimidade desse Poder, passando por cima de tudo e de qualquer coisa!...
. Feita essa introdução, vamos ao caso Lulla: como é possível que um indivíduo ignorante, que não sabe se expressar, que descumpriu todas as promessas feitas àqueles que lhe outorgaram o Poder, que está metido em dezenas de episódios duvidosos e abertamente anti-éticos, que é egoísta, autoritário, mal-educado, enfim, um zero à esquerda, mesmo assim, continua cercado do mais alto grau do Poder?
. Um colega meu, outro dia, analisando esse grande paradoxo e citando o Livro Macunaíma, um Herói Sem Nenhum Caráter (Mário de Andrade, 1928 , observou que o Prefácio da Edição original, dava a explicação perfeita para esse fenômeno :
“O que me interessou por Macunaíma foi incontestavelmente a preocupação em que vivo de trabalhar e descobrir o mais que possa, a entidade nacional dos brasileiros. Ora depois de pelejar muito, verifiquei uma coisa que me parece certa: o brasileiro não tem caráter. Pode ser que alguém já tenha falado isso antes de mim porém a minha conclusão é uma novidade para mim, porque tirada da minha experiência pessoal. E com a palavra caráter não determino apenas uma realidade moral não, em vez, entendo a entidade psíquica permanente, se manifestando por tudo, nos costumes na ação exterior, no sentimento, na língua, na História, na andadura, tanto no bem, como no mal. O brasileiro não tem caráter porque não possui nem civilização própria nem consciência tradicional”..
. Nessa linha, tenho visto outras pessoas concluindo que o Poder de Lulla só ainda persiste, porque nosso povo é ignorante, não tem nível para avaliar o que realmente está acontecendo, foi comprado pelas bolsas e mais bolsas que lhe foram doadas... Enfim, isso jamais aconteceria em plagas mais aculturadas e cidadãs!
. Ledo engano! Discordo do prefácio de Macunaíma e dessa responsabilização baseada na ignorância de nosso povo! O endeusamento de pessoas semelhantes à Lulla, já aconteceu e acontece, também, em plagas onde o povo prima pelo aculturamento, pela consciência política e pelo discernimento!
. O exemplo mais contundente dessa afirmativa, pode ser comprovado com outro fenômeno, muito parecido com Lulla e que conseguiu mobilizar toda uma sociedade de altíssimo nível, por anos e mais anos: Hitler e os alemães!
. Saído do nada, ignorante como Lulla, sem qualquer berço ou passado, o Fuhrer, de repente, começou a construir seu império de poder, em torno de algumas idéias e chavões. E o povo alemão, quando vislumbrou que ali poderia estar concretizado o Centro e a Representação do Poder Máximo, não o deixou mais!
. Hitler, disparado, cometeu mais desvarios do que Lulla vem cometendo e, mesmo assim, com toda a formação e cidadania do povo alemão, ele não arredou pé desse detentor do Poder!
. Sabem por que ? Porque o povo alemão, como todo ser humano, é dominado e conduzido pelo terrível Instinto do Poder: ou conquistando-o para si, ou procurando estar na mesa e na intimidade daquele que o detem!
. Vejam a história de todos os tiranos e dos povos que os sustentaram!...
. No caso de Lulla acontece a mesma coisa! Não é por ignorância ou por falta de formação, que o povo brasileiro o apóia com 84% de aprovação! O povo, principalmente os pobres e os mais desvalidos, o apóiam, porque Lulla é o detentor máximo do Poder e todos querem poder dizer e gritar: “...em faço parte desse Poder, eu ajudei a construir esse Poder, eu estou hoje na intimidade desse Poder”...!
. E que se danem os mensalões, as falcatruas, os aloprados, o uso indevido da máquina pública, as negociatas da Casa Civil, a tomada de assalto das Estatais pela república sindical de incompetentes, as filas do SUS, os buracos nas estradas, a falta de saneamento básico, a dominação paralela dos traficantes!....
“Eu estou no Poder com meu guia e meu guru”!
. É o Instinto Selvagem do Poder, que domina à todos!
. Instinto de Poder! O norte inexorável que explica a apostasia de Lulla e do PT, as parcerias com criminosos e com desclassificados de todas os tons e cores políticas, a submissão e a conivência das Instituições, da imprensa, dos formadores de opinião, dos estudantes, dos credos religiosos e da sociedade como um todo!
. E, acima de tudo, o samba-do-crioulo-doido em que se transformaram as absurdas e inconcebíveis alianças políticas e as opções de nossos eleitores!
. Nesse circo macabro, não há nada de alienação, nem de ignorância: há, sim, o inexorável determinismo do Instinto de Poder que cega e domina cada um de nós!
. Pobre Dr. Freud e seus seguidores! Terão de reinventar suas teorias e sua psicanálise, erroneamente assentadas no Instinto Sexual e, lamentavelmente, distantes do principal e mais poderoso Instinto Selvagem do Poder!
. Que engole à todos!.... (Márcio Dayrell Batitucci_Filósofo, Pedagogo, Psicólogo, com especialização em Administração)

Nenhum comentário: