16 de jul de 2010

Eleições: falência do falido

Motes na internet: 1) "Cai avião, cai..."; 2) Crianças, saiam da sala, "Lula vai falar!"

A existência através dos que não existem
Estabeleceu o Alcorão valer uma espada mais do que dez mil palavras, contrariando o Novo Testamento, segundo o qual o amor move montanhas. Tantos séculos depois, nesses tempos bicudos em que em vez de arrefecer, o choque de religiões só faz acirrar os sentimentos, com todo respeito valeria apelar para elas como a derradeira hipótese de preservação da existência através dos que não existem.
Que tal, para começar, a co-habitação entre o Padre Eterno, seu Filho e o Espírito Santo, de um lado, Alah do outro, abrindo-se vaga também para Jeová? Sem esquecer os espaços ocupados no passado ou no presente pelos plácidos Buda e Confúcio, os gelados Odim e Thor, mais o ambientalista Tupã, lembrando ainda os irascíveis Júpiter e Zeus, além de Zaratustra, Isis e Osíris, entre tantas outras divindades.
Está na hora desse conjunto de seres superiores que Spinosa reduziu à própria natureza realizarem uma espécie de congresso planetário. Unirem-se, já que sem a força do conjunto para dominar a fraqueza das partes logo sobrevirá o pior. No caso, a supressão das platéias de onde os deuses tiram sua condição de encenar tantas comédias divinas.
Importa menos saber onde se acenderá o estopim da hecatombe universal. Pode ser nas planícies do Armagedon, já que Israel possui a bomba atômica e o Irã, quase. Quem sabe na fronteira da Índia com o Paquistão? Nas geleiras da Sibéria ou no meio-oeste americano, voltadas que estão essas duas regiões, uma contra a outra, apesar da falácia de que a Guerra Fria terminou. Aceitaria a China abandonar a nuclear Coréia do Norte à sanha da suposta superpotência que deixou de ser única?
Pelo equilíbrio instável entre as nações conclui-se que um dia, cada vez mais próximo, cumprir-se-á o vaticínio de Albert Einstein, que reconheceu não saber precisamente como se daria a Terceira Guerra Mundial, mas podia prever com clareza a Quarta, a ser travada entre paus e pedras.
Já que os esforços das Nações Unidas redundam em nada, que os cinco continentes armam-se cada vez mais através da sofisticação, saída mesmo só existe uma: apelar para a união dos deuses de ontem e de hoje. E se Eles não puderem vir, que se organizem seus representantes, mas despojados de qualquer sentimento de superioridade ou de domínio da verdade absoluta. Por mais estranha que possa ser a conclusão, será através daqueles que não existem o caminho para perpetuar a existência… (Carlos Chagas)

Photobucket Humor brasileiro está de luto. Morre Gibe.

Topadas a mil - "O presidente Lula foi criticar a manchete de O Globo, taxando-a de vergonhosa - o jornal disse que a Europa suspendeu a exploração de petróleo em águas profundas no momento em que o Brasil vai no sentido oposto, com o pré-sal - e se deu mal. Primeiro, afirmou que a Europa não tem petróleo no mar, ignorando que Reino Unido e Noruega são grandes produtores de petróleo, retirando-o do Mar do Norte, que fica, claro, ... na Europa; e, para alegria geral da redação, disse que o Mar Morto (aquele que banha Jordânia e Israel) fica na... Europa. Aí, Lula, pagou o maior micão para "O Globo" hoje, hem? Mas também, tu tá parecendo a Ofélia!" (Roberto Jefferson)

Nenhum comentário: