19 de jun de 2010

Estamos Sós: a receita está errada!

Sou parte de sua solidão...

Porque me fechei na minha própria e, dessa forma, fomos criando uma grande corrente de solidões. Um a um propagando um sentimento de tristeza que provoca um fechamento em si, que chamamos de estado ensimesmado. A conseqüência disso? Todos morando no mesmo planeta, mas isolados por seus sentimentos.

Ouvimos muito a expressão não estamos sós, mas o que isto quer dizer exatamente? Sem dúvida alguma, expressa que existem outras vidas, outras formas ou outros campos de forças e energia, etc. Em contrapartida, este tipo de pensamento pode nos aprisionar mais ainda no estado enclausurado em que nos encontramos, ratificando o status quo.

Todos nós temos motivos e justificativas para a vida que possuímos hoje e o que fazemos com ela, mas será esta toda a verdade? Será que a vida é só isto? Pensemos: nossa vida é o hoje ou poderia ser algo maior, mais dinâmico, diferente, com mais tempero ou mais temperança, etc.? Queixamo-nos das coisas e pessoas, mas não nos abrimos a nós mesmos, pensando diferente. Por incrível que pareça, nós pensamos errado! Não que sejamos culpados, até porque a culpa nos aprisiona e não podemos continuar a cair nesta armadilha; chega de repetições.

Mas, parece que não somos criativos. Nos dicionários encontramos a seguinte definição para criatividade: que é capaz de criar, de inventar, de imaginar qualquer coisa de novo, de original, que manifesta criatividade: um espírito criativo. Qual foi a última vez que exercemos este potencial e realizamos algo inovador ou destemido? Pensemos por alguns instantes... A resposta encontrada provavelmente acusa seu estado atual e sua carência, portanto, sua solidão. Então, cada um de nós encontra um tipo de resposta, mas partilhamos da mesma solidão: a prisão coletiva.

Talvez nosso maior equívoco seja a forma que damos às coisas, fazendo com que nos tornemos "formatados". Então, como numa fábrica com produção em grande escala, somos montados como iguais para que atuemos na vida como cópias e atinjamos os mesmos resultados esperados. Aí vamos, desta forma, através dessa fôrma, levando a vida. Um dia passa, vários dias passam e eles trazem anos que suscitam desconforto e angústia pelas dúvidas que temos em relação à vida. Pior, ficamos a nos culpar por tudo isso, o que provoca a estagnação e sensação de exclusão; a triste e equivocada percepção de sermos uma peça com defeito na fábrica das fôrmas.

Por tudo isso somos partes uns dos outros, partes da solidão de cada um; co-responsáveis pelo o que cada um sente ? sente, do verbo sentir, que significa: perceber o que se passa em si; ter como sentimento = experimentar. Eis nossa proposta: experimentar-se numa outra forma de ser e coexistir para que possamos viver em coletividade, dando adeus à fôrma.

Sejamos então uma nova receita, numa fôrma ainda não inventada, mas com ingredientes válidos; aí seremos um ser para várias porções. (Domício Martins Brasiliense)
"Nossa vida é o que nossos pensamentos determinam." (Marco Aurélio)
Maquete animada HidreElétrica Madeira
video

Nenhum comentário: